História Vai ver, isso quer dizer AMOR - Capítulo 51


Escrita por:

Postado
Categorias Fátima Bernardes
Personagens Fátima Bernardes, Personagens Originais
Tags Fátima Bernardes, Fatu, Romance
Visualizações 52
Palavras 926
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eu tava mais sumida do que o nosso casal em Genebra, né? Hahahahaha
Mas eis que uma luz nasceu e terminei um capítulo.
Desculpem qualquer erro, sem tempo pra corrigir.
boa leituraaaaa

Capítulo 51 - Lindaaaa...


A noite de segunda-feira se encerrou com Fátima jantando junto com o seu trio e o namorado. Ter eles tão pertinho assim e tudo funcionando tão bem, dava a ela uma sensação única de realização.

Naquela noite ela dormiu mais uma vez sob o peito de Túlio e teve certeza que queria aquilo para sempre.

**

Na manhã de terça-feira o primeiro som que invadiu a mansão foi o do despertador do telefone da jornalista, que resmungava ainda de olhos fechados, procurando pelo aparelho no criado mudo; depois de encontrá-lo adiou o alarme por mais dez minutos e aconchegou-se no peito do Túlio novamente. Não demorou muito até que ele despertasse também.

- Bom dia, Meu raio de sol! – disse ele passando as mãos pelos cabelos dela

- Bom dia, amor – respondeu ela escondendo o rosto no pescoço dele

- Que foi? Tá de preguicinha?

- É tão difícil levantar cedo tendo você aqui... – falou ela cheia de manha

- Não seja por isso, amanhã mesmo eu vou embora.

- Não é isso Túlio ...

- Eu sei Meu amor, to brincando! E se te faz sentir melhor, eu também já vou levantar. Tenho muita coisa pra resolver hoje.

- Na verdade, na verdade... eu queria ficar aqui, assim, com você. Maaaaas, a realidade nos chama.

- Vamos atendê-la – disse ele dando um beijinho na ponta do nariz dela.

Ele foi direto pro banho, enquanto ela procurava algo para vestir. Não demorou muito até que ela o acompanhasse no box. Terminaram o banho juntos, mas sem nenhum apelo sexual.

- Amoor... Preciso de um ferro pra passar minha camisa – disse ele enquanto se arrumava.

- Na porta ao lado da sapateira – informou ela.

Terminou de se arrumar e foi ao encontro dele. Parou na porta e ficou observando ele dali, estava vestido numa calça social, sem camisa, pés ainda descalços, o cabelo cumprido que insistia em cair sobre o seu rosto. “Passava” sua camisa. Ela suspirou fundo. Sentiu uma fisgada em seu ventre denunciar a sua excitação. “Que sorte a minha” (pensou consigo). Mas logo foi tirada de seus pensamentos, vendo ele todo atrapalhado tentando terminar aquilo que já começara mal.

- Quê que cê tá fazendo? – perguntou ela se aproximando

- Passando a minha camisa – respondeu ele como se aquilo não fosse óbvio

- Cê tem certeza? – continuou ela, tentando conter o riso

- Que foi? – perguntou ele confuso

- Tá tudo errado amor. Não é assim que se passa uma camisa – disse ela pegando a camisa, ajeitando-a e pegando o ferro das mãos dele

- Eu sei passar roupa, tá?

- ahãm, tô vendo! – debochou ela

- Você fica sexy até passando roupa – disse ele abraçando ela por trás

- Amoooor...

Ele continuou beijando-a o pescoço e deslizando os dedos pelos braços dela. Ela tentava manter o foco, mas já estava mole em seus braços. Ele passou as mãos pela cintura dela com certa posse e a puxou para ainda mais perto.

- Eu já disse que te amo, hoje? – Sussurrou no ouvido dela

- hoje não...– respondeu rouca de excitação

- Eu te amo, Bernardes. – sussurrou no ouvido dela e mordeu o lóbulo da sua orelha.

- Eu vou acabar queimando sua camisa...

- Deixa pra lá, já tá ótima.

Ela desligou o ferro e virou-se para olhar o namorado. Passou os braços pelo pescoço dele e com os lábios colados aos dele, ela disse baixinho:

- Eu também amo você, Gadêlha. – e sorriu. Ele tomou seus lábios em um beijo quente.

- Túlio por favor, me ajudaaa... coloca uma camisa e vamos. – disse ela, quando afastaram-se para recuperar o fôlego.

- Pena que eu não tenho tempo – disse ele dando um tapinha na bunda dela e pegando a camisa.

- Pena mesmo – ela respondeu em um tom mais baixo, mas ainda audível.

Ficou ali esperando ele terminar de se vestir, o ajudou com a gravata e depois o paletó. De fato, ela amava o lado executivo dele.

- Lindo! – disse ela orgulhosa, quando terminou com o nó da gravata.

- A linda aqui é você – respondeu ele dando um selinho nela.

Raramente Fátima tomava café da manhã em casa, mas naqueles dias ela queria aproveitar ao máximo a presença do namorado. Acomodaram-se na mesa da cozinha e tomaram um café rápido.

Minutos depois os dois já estavam de saída.

- Ahhh, Maria, Deixei umas camisas do Túlio separadas, passa pra mim por favor. Ele como passador, é um ótimo advogado. – disse ela não contendo as risadas.

- Isso não é verdade – ele tentou se defender.

Ela segurou a mão dele e saiu puxando-o para a garagem.

Fátima acarinhava-o na nuca enquanto ele dirigia concentrado. Com um trânsito moderado naquela manhã, não demorou até eles chegarem na emissora.

- Bom trabalho, Meu amor. Pego você no fim do dia – Disse ele destravando o cinto de segurança para beijá-la.

- Obrigada! pra você também – respondeu ela fazendo um carinho no cabelo dele.

Ela desceu do carro e deu a volta no automóvel, debruçando-se sobre a porta do lado do motorista.

- Te ligo mais tarde.

- Não ganho mais nenhum beijo? – indagou ele com uma carinha de pidão.

Ela deu um último selinho nele e partiu. Ele ficou ali a observando; e quando ela já havia se afastado um pouco, ele gritou:

- LINDAAAAAA!

Ela corou na hora. Olhou pra trás e falou baixinho:

- Bobão... – sorriu e continuou o trajeto.

Túlio partiu dali para uma audiência. A terça-feira fluiu como o planejado para os dois. Com a correria, falaram-se somente na hora do almoço.


Notas Finais


Sejam pacientes, eu volto!
xerooooo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...