História Valquírias de Havengard - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Aventura, Deuses, Fantasia, Game, Guerreiras, Mitologia, Nordica, Odin, Rpg, Valquírias
Visualizações 4
Palavras 3.910
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Fantasia, Luta, Magia, Romance e Novela, Seinen
Avisos: Mutilação, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


É com imenso prazer e atraso que trago mais um episódio de Valquírias de Havengard, que sendo bem sincero, não foi nada fácil de escrever.
Obs: Escrito em forma de Light Novel!

Boa Leitura! : )

Capítulo 3 - Ameaça Fantasma


16 anos depois do ataque em Aldessia...

Cordellius escapa de Aldessia com Emma, os dois vivem uma vida tranqüila na Vila Arnes, lugar discreto na região oeste de Havengard. Emma cresceu saudável e astuta. Corajosa, a menina foi treinada por Cordellius nas artes da espada desde cedo. Já que antes de ser discípulo do mago Merlin, era um excelente soldado de Aldessia. Agora, com 15 anos, Emma se tornou uma boa caçadora de recompensas. Ela sonha um dia poder conhecer o mundo.

Bosque de Vallanes

Pequeno bosque que se localiza no continente oeste de Havengard. Serviu por muitos anos como trilhas para os soldados de Owendall, hoje é utilizada para acampamentos e acesso a outras áreas.

Emma está sentada próxima a uma arvore onde acampava tranquilamente.

Emma: Ahh... Finalmente voltarei pra casa... Estou ansiosa para ver o mestre.

Emma: Espero que esteja tudo bem com ele...

Emma: Acho que cacei monstros o suficiente para comermos por um bom tempo, hehe...

Emma: Só acho que deveriam me pagar melhor, hmpf!

Emma: É melhor eu ir andando, preciso chegar a Arnes antes do anoitecer.

Emma adentra o bosque com sua espada, cortando alguns galhos a sua frente para prosseguir até sua casa. Quando escuta o grito de alguém.

Voz feminina: Yeek! Deixem-me em paz cafajestes!!!

Emma: Mas o quê é isso, alguém em perigo!?

Uma fada estava cercada por três jovens malfeitores.

Bandido: Entregue nos o tesouro agora!

Bandido: Se não quiser que cortemos suas asas!

Fada: Eu já disse! Não tenho tesouro nenhum!

Bandido: Argh, ataquem-na!

Emma: Parados bem ai! Deixem esta criatura em paz!

Bandido: Hahaha... E o quê uma garotinha como você pode fazer contra nós?

Emma: Vocês já vão saber!

As adagas dos bandidos voam em direção a Emma, que estava bem preparada. Ela desviou-se rapidamente e contra atacou o primeiro oponente, derrubou a arma do segundo, e depois derrubou o terceiro.

Bandido: Urgh, maldita... Mas quem é essa?

Emma: Saiam daqui agora, ou não pensarem duas vezes em cortar outras coisas!

Bandido: Melhor sairmos daqui, arghh.. Você nos pagará menina atrevida!

Os jovens bateram em retirada.

Emma: Você está bem?

Fada: Sim, muito obrigada, ufa... Achei que

Emma: Espera, o quê uma fada faz por aqui? Vocês não costumam aparecer para humanos.

Fada: Bem... Eu sou a Fada Superior do Outono, mas pode me chamar de Farah... como você se chama?

Emma: Emma, a caçadora! Hehe...

Farah: Você foi brava ali atrás. Bem... Eu estou procurando por minhas irmãs...

Emma: O quê aconteceu com elas?

Farah: Elas desapareceram, desde que aqueles terríveis demônios apareceram...

Emma: Demônios?

Farah: Você não sabe? Demônios do outro mundo, aquele que é preferível não pronunciar...

Farah: Agora preciso ir, a noite está chegando, preciso voltar para meu lar.

Farah: Qualquer dia desses recompensaremos você pelo que fez por min.

Emma: Estarei esperando!

Farah: Até breve humana...

A fada desaparece e Emma segue para seu lar.

Vilarejo Arnes

Um vilarejo protegido por altos montes, Arnes é um sossegado lugar para se viver. Muitos que migraram de Owendall para o continente oeste ajudaram a construir o lugar. A economia da vila baseia-se em pequenas caças organizadas pela Guilda de Caçadores. Os alvos de caça são monstros perigosos e buscas por e itens de valor. A venda dos produtos é feita em grandes cidades, até mesmo na capital de Owendall, a cidade de Aldessia.

Emma chega na sua casa animada...

Emma: Cheguei mestreee!

Cordellius: Oh, Emma, finalmente chegou, aposto que conseguiu grandes caçadas.

Emma: Ah, estava com tantas saudades, me de um abraço, mestre Dellius!

Cordellius: Não vá com tanta força, *cof cof cof! Não estou tão jovem assim como você menina.

Emma: As tosses voltaram... Não gosto nada disso.

Cordellius: Estou bem, não se preocupe comigo *cof cof

Emma: Não, teremos que resolver isso, humpf!

Cordellius: Como foi sua caçada no Bosque Lorness?

Emma: Aquelas criaturas são horrendas, mas consegui trazer o metal que eles carregavam e troquei por ouro na cidade!

Cordellius: Humm... As cidades estão bem preocupadas com segurança ultimamente...

Emma: Bem, no caminho de volta, enfrentei uns bandidos querendo atacar uma fada, onde já se viu?

Cordellius: Fada? Como assim? Elas não aparecem fora de seu habitat mágico.

Emma: Foi o que pensei, mas ela disse ter perdido suas irmãs e estava procurando por elas.

Emma: Falou algo estranho sobre demônios e depois foi embora. O quê fazer não é mesmo? Mestre estou morta de fome...

Cordellius: Preparei aquela torta de maça que você gosta.

Emma: Isso sim é vida, irei atacar agora!

Emma vai para a cozinha, deixando Cordellius preocupado.

Cordellius: Aparição de demônios e fadas sobrevoando por ai? Isso não pode ser nada bom...

Emma: Arghh, hora de dormir, estou morta de cansaço mestre.

Cordellius: Durma bem minha querida, tenha bons sonhos.

Cordellius vai para seu quarto continuar sua leitura de livros mágicos, já que não consegue dormir a dias. Ele sente a presença maléfica ao redor constantamente.

A mente de Emma é tragada por uma escuridão. Vozes começam a surgir e a ecoar dentro de sua cabeça.

Voz de Homem: Não acredito que teve coragem de fazer isso...

Voz de Criança: É assassina, sua assassina!

Vozes: Você tem que pagar pelos seus pecados!

Emma: Não, de novo não, saiam daqui!

Cordellius: Emma acorde!

Emma: Ah? Mestre... Eu...

Cordellius: Teve os pesadelos novamente?

Emma: Sim...

Cordellius: Estou preocupado Emma... Isso já era para ter cessado.

Emma: Mas é um novo dia! Vamos tratar de esquecer isso agora mesmo.

Cordellius: Por hora sim... Inclusive tenho uma tarefa para você Emma.

Emma: Sério, e o quê é?

Cordellius: Preciso que entre em contato com a fada que viu no Bosque de Lorness.

Emma: Como? Eu nem sei por onde aquela doida anda.

Cordellius: Bom... Próximo ao Bosque Lorness, existe uma floresta oculta, chamada Clareira Outonal.

Emma: Ah, ouvi dizer de uma história de um lugar mágico e invisível por aqui...

Cordellius: Sim, as fadas do outono abrigam-se lá. Preciso saber se está tudo bem com o Diamante do Crepúsculo que elas protegem.

Emma: Diamante?! Deve ter um grande valor, será que esse era o tesouro que os bandidos queriam?

Emma: Já sei, vamos fazer uma caçada ao tesouro e ficamos ricos!

Cordellius: Ora, não seja tão ambiciosa Emma, esta pedra possui um valor inestimável. Aquele objeto é um catalisador mágico feito em Grinsmmald.

Cordellius: A pedra ajuda a formar uma barreira mágica em envolta desta região, impedindo que os demônios das sombras cheguem até nós.

Emma: Nossa... Se ela está desaparecida, então quer dizer que...

Cordellius: Sim, estamos em perigo. Precisamos encontrá-la e devolve-la á Clareira Alume o quanto antes.

Emma: Deixa comigo, irei agora mesmo a esse lugar.

Cordellius: Para entrar na Clareira Alume você precisa seguir para o norte do Bosque Lorness e tocar isto.

Emma: Uma flauta élfica...

Cordellius: Sim, em umas das minhas viagens, uma fada me presenteou com esta flauta. O som dela irá abrir uma passagem e você encontrará a clareira.

Cordellius: Agora se apresse! A proteção desta vila depende de nós.

Emma sai em busca da clareira ao norte do Bosque Lorness. No caminho, a caçadora encontra uma estranha sombra e ao tocá-la, um demônio horrendo surge.

Emma: Mas o quê é isso? Não lembro te ter visto uma coisa tão feia assim antes...

Emma: Será isso que chamam de demônios? Pois bem, hora de destruí-lo!

Depois de combater o demônio, as trevas se dissipam diante de Emma. A caçadora continua seu caminho e ao chegar próximo a um córrego, avista uma parede suspeita.

Outono: Vejo que está com uma Flauta Elfica!

Diz uma voz ecoante.

Emma: O quê? Outono! Que bom te ver!

Emma: Espera, onde você está?

Outono: Toque a flauta, vamos anda!

Emma toca a flauta e a parede secreta se abre diante dela.

Clareira Alume

Uma linda planície iluminada pelo eterno por do sol, forjado pela magia das fadas, o lugar resplandece. A clareira também serve como uma moradia para seres encantados que buscam um refugio pacifico. Além de servir como regulador de uma das quatro estações do ano em Havengard.

Depois de andar um pouco, Emma não encontra ninguém...

Emma: Que estranho... Onde estão as fadas deste lugar afinal?

Outono surge diante de Emma.

Farah: Infelizmente foram quase todas devoradas...

Emma: Devoradas! Mas por quem?

Farah: Por algum desses demônios da escuridão... Mas tenho certeza que minhas irmãs não foram engolidas, são muito espertas.

Emma: Por falar nisso, preciso saber de um tal Diamante do Crepúsculo, onde encontro?

Farah: Você veio tentar roubar nosso tesouro, assim como aqueles bandidos? Não pense que deixarei!

Emma: Ei Ei Calma! Não me compare com aqueles idiotas. Meu mestre Cordellius, foi ele que me mandou até aqui. Ele precisa saber se ela está intacta.

Farah: Ah... O bom e velho Mago Cordellius, que os deuses harmônicos o proteja...

Farah: Mas temo que não possa ajudá-la.

Emma: Como assim?

Farah: O Diamante do Outono foi tirado de dentro do altar encantado. Não sei como isso aconteceu!

Farah: Meu poder foi compartilhado com minhas irmãs. Sem elas por perto, não poderei encontrá-lo...

Farah: Por favor encontre  minhas duas irmãs, Ella e Vera, somente juntas vamos poder localizar o diamante.

Emma: Lá vamos nós novamente... Mas espere, não sei nem por onde começar a procurá-las.

Farah: Bom, eu tenho uma pista. Lembra quando estava no bosque? Então, senti a presença delas por perto.

Farah: Mas minha busca foi interrompida por aqueles estranhos...

Emma: Bom, o Bosque Lorness não é muito grande, darei uma busca por lá e você espera aqui.

Farah: Você faria isso por mim? Oh muito obrigada! Lembre-se, procure pelo norte do Bosque, foi onde não consegui averiguar.

Emma: Tudo bem, mas não se empolgue demais, estou fazendo isso pelo meu mestre Ok? Sou uma caçadora e não trabalho gratuitamente.

Emma: A propósito, você está muito perdida pro meu gosto!

Farah: Que os deuses harmônicos guiem seu caminho.

Emma vai para Lorness e ao norte encontra um lago, lá avista uma cena um tanto estranha. Uma fada careca correndo de um monstro.

Fada Careca: Socorro alguém tire esse demônio daqui!

Emma: Meu deus que fada horrível... O que fizeram com seu cabelo?

Fada Careca: Isso não te interessa, acabe logo com esse demônio sua humana petulante!

Emma destrói a criatura.

Fada Careca: Uffa.... Que bom que estou a salvo...

Emma: De nada...

Fada Careca: Espera aí... O quê uma humana está fazendo aqui, saia deste lugar imediatamente!

Emma: Vejam só, além de tudo ainda são ingratas!

Emma: Sua irmã, a Farah, me pediu ajudar a encontrá-las...

Fada Careca: Bom... Tinha que ser a Farah, aquela sem juízo. Não sei como foi coroada a fada superior do outono!

Fada Careca: Mas bem, meu nome é Fiona.

Emma: Sou Emma, uma caçadora de sucesso.

Fiona: Sei... Muito bem caçadora de sucesso, procure minha irmã, ela também está em apuros!

Emma: Certo, mas onde, vocês precisam se localizar!

Fiona: Ao leste daqui, infelizmente não pude salva-la. Apenas corri pra cá.

Emma: Mas vocês só sabem correr? Não tem poderes mágicos?

Fiona: Não seja boba! Nossa magia está enfraquecida, graças às sombras do Mundo Inominável!

Emma: Mundo Inominável... Olha me espere aqui, irei ver onde encontro essa sua irmã...

Fiona: Não demore!

Emma adentra o norte do bosque, próximo da saída avista outra fada careca, que está escondida atrás de uma arvore.

Fada Careca: Ei demônio! Não se aproxime de mim, pra fora, shô!

Emma: Eiii! Não sou nenhum demônio! Vim ajudar, hmpf!

A fada sai de trás da arvore envergonhada.

Fada Careca: Oh... Desculpe-me, achei que fosse um demônio, eles estão invadindo nosso lar mágico...

Bella: Sou Bella...

Emma: Emma aqui. Consegui encontrar sua irmã Vera, agora pouco...

Emma: Mas diga-me uma coisa, por que diabos vocês estão sem cabelo?

Bella: O demônio que entrou aqui, ele sugou nossos cabelos. Nossos fios foram feitos pela magia dos elfos...

Bella: Acho que eles consomem magia élfica pra se manterem vivos, que horror!

Emma: Entendi... De qualquer jeito, precisamos voltar logo.

Bella: Muito obrigada pequena Emma. E novamente, desculpe, por favor, me perdoe.

Emma: Primeiro, corta essa de pequena, querida. Vocês fadas são muito descompensadas...

Ao encontrar Fiona, Bella se emociona.

Fiona: Bella, até que enfim, que bom que está a salvo!

Bella: Oh minha irmã, há quanto tempo não a vejo...

Emma: Tudo bem gente, agora é melhor irmos andando.

Emma escuta um barulho e uma imensa sombra aparece!

Bella: Ali está ele, o demônio!

Fiona: Vamos acabar com isso de uma vez por todas, ainda me resta um pouco de mágica, Emma!

Emma: Nem precisa dizer, hora de esmagar alguns monstrinhos!

Um demônio horrível, um devorador de magia aparece! Emma ataca o monstro e o derruba, Fiona o paralisa com magia, e a caçadora o finaliza com um golpe final de espada!

Emma: É isso ai, arrasamos!

De volta a Clareira Alume

Emma e as duas fadas chegam até a Fada Outono.

Farah: Mas que carecas são essas? SOCORRO!

Farah: Essas não são minhas irmãs Emma, não será que achou demônios disfarçados de fadas?

Emma: Acredite, são elas sim. Mas até que eu gostei do visual delas assim.

Fiona: Um demônio maligno devorou nossos cabelos mágicos, não seja tola minha irmã.

Bella: Foi verdade...

Farah: Que horror, irei usar minha mágica para restaurar seus cabelos agora mesmo!

Outono usa seu poder e restaura o verdadeiro visual das irmãs.

Farah: Muito bem, agora precisamos encontrar o Diamante do Crepúsculo!

Emma: Primeiro, deixe-me ver o pedestal onde estava o objeto.

Farah: O pedestal encantado está próximo, mas por que está tão interessada garota?

Emma: Assuntos do meu mestre, o grande mago Cordellius, nada que uma fadinha como você vá entender mesmo.

Farah: Ora, todos o conhecem!

Farah: Irmãs, vamos indo.

As fadas vão para o pedestal mágico e Emma segue atrás.

Pedestal Encantado

As fadas voam até um pequeno altar branco, em volto de um belo jardim mágico.

Farah: Bom, aqui está, ele está vazio...

Fiona: Isso é culpa sua Farah, não deveria ter sido tão descuidada!

Farah: Você foi nomeada a fada superior daqui, agora seremos punidas pela Rainha das Fadas, bom trabalho!

Farah: A pedra estava aqui, e em outro segundo sumiu, num piscar de olhos, não foi culpa minha!

Bella: Que medo... Agora os demônios completamente poderão invadir este mundo ! Aonde vamos nos esconder agora?

Emma: Mas o que está acontecendo aqui? Vocês deixaram o diamante desaparecer e agora vão fugir?

Fiona: Farah foi escolhida por vigiar este lugar sagrado, mas parece que falhou.

Bella: Pare com isso Fiona, acredito sinceramente em nossa irmã... Ela não se descuidou.

Farah: Obrigada Bella...

Emma: E como tem tanta certeza disso?

Bella: Quando fui atacada por aquele demônio terrível... Eu vi também um elfo.

Farah: Elfo, você enlouqueceu minha irmã?

Bella: Ele estava aqui sim, eu o vi.  Carregava algo nas mãos, mas não consegui ver o que era...

Emma: Provavelmente era o diamante, maldito!

Fiona: Mas que história  mais descabida,  dizem que elfos nem mesmo existem mais hahaah!

Emma: Seja lá como for, preciso saber, para onde ele foi?

Bella: Não sei... Ele simplesmente desapareceu diante dos meus olhos, foi tudo muito rápido!

Emma: Outono, você disse que junto com suas irmãs poderia localizar o diamante, chegou a hora de tentar, perdi a paciência.

Farah: Sim, vamos tentar novamente! Meninas se preparem.

As três fadas juntam as mãos e usam seus poderes e conseguem visualizar o Diamante  do Crepúsculo nas mãos de alguém, mas parece que algo interfere na visão das fadas. As três abrem os olhos em um tom de misterioso.

Emma: E ai, o que viram?

Bella: Não conseguimos ver muito.

Farah: Alguém está interferindo com nossos poderes...

Emma: Não pode ser, o que faremos se os demônios invadir o vilarejo?

Farah: Eu tive uma ideia, tenho este Espelho Condutor, leve-o para Cordellius.

Outono transfere uma energia mágica para o objeto.

Emma: E o que isso faz?

Bella: Espelhos condutores imprimem memórias e visões, magos como Cordellius conseguem decifrá-los com facilidade.

Emma: Paciência é o que sempre me falta, mas lavarei isso imediatamente ao meu mestre. Rezem por suas vidas.

De volta ao Vilarejo Arnes

Emma chega a sua casa, mas não encontra Cordellius. Desesperada vai até seu quarto e uma projeção mágica dele aparece para Emma:

Projeção de Cordellius: Minha amada Emma, obrigado pelo seu esforço, mas senti uma forte presença maligna próxima do vilarejo, fique e proteja nosso povo. Voltarei o quanto antes para saber as novidades. Que os Deuses Harmônios esteja convosco.

A projeção se desfaz diante de Emma.

Emma: Não pode ser, o mestre sabe que não está bem de saúde. Ele está correndo um grande perigo. Mas pra onde ele foi?

O espelho condutor que Emma carrega começa a reagir e mostrar para ela uma imagem.

Emma: Mestre? Mas que lugar é esse? Espera... Estas são as Montanhas de Evrae! O lugar que o mestre sempre me dizia para manter distância.

Emma: Irei até lá imediatamente, não sou garota de ficar esperando!

Montanhas de Weltall

Segundo as histórias locais, o Dragão Weltall serviu a Validor Eltia, o antigo rei de Álfenheim em tempos remotos. Ele caiu nas montanhas do oeste após ser atingido por um deus caótico, salvando a vida de Validor em um combate. A montanha abriga os restos do dragão por séculos, atraindo terríveis demônios para lá. Um lugar hostil e sombrio que já matou dezenas de curiosos. Somente corajosos guerreiros se atrevem a explorá-lo.

Emma chega próximo das altas e pontiagudas montanhas de Weltall. Uma nevoa obscura permeia o lugar, agora a caçadora entende por que o local é tão temido. Mas sem exitar ela  adentra o local, escalando com cuidado rampas escorregadias. Ao subir uma primeira subida, alcança uma caverna de onde surgem morcegos gigantes e com múltiplos olhos.

Emma: Demonios!

Ao se livrar dos morcegos gigantes, Emma adentra outro espaço escuro e caveiras começam a se levantar em volta de si. Rapidamente ela estava cercada por um exercito de caveiras de soldados elfos.

Emma: Que maldição, este lugar parece vivo! O quê vou fazer!?

Uma rajada poderosa rasga o ar entre Emma e os inimigos, derrubando as caveiras todas de uma só vez. Tal pode poder saiu do cajado de Cordellius.

Cordellius: Emma, eu disse para não vir, Como você foi teimosa!

Emma: Desculpe mestre, eu fiquei preocupada... Tenho medo que você morra.

Cordellius: O que eu disse sobre interesses pessoais, versus defender o bem coletivo?

Cordellius: Você me desapontou como discípula Emma...

Emma: Me perdoe.. Eu só fiquei preocupada, você não está bem, pensa que não percebo seu cansaço a noite?

Cordellius: Minha querida... Como minha aluna você me desobedeceu, mas como filha mostra lealdade. 

Emma: Mestre... Obrigada.

Um forte estrondo abala a caverna onde Emma e Cordellius está.

Emma: O quê foi isso?

Cordellius: Espero não ser o que estou pensando.

Cordellius segue em direção da clareira e fica a beira de um penhasco. Ele avista uma criatura horrenda a sua frente, um imenso dragão caveira.

Cordellius: Eu sabia, Weltall, o dragão élfico foi ressuscitado com magia negra, esta era a imensa energia maléfica que eu estava pressentindo!

Emma: Mestre que monstro é esse?

O dragão lança um rajada de fogo negro pela boca contra Emma, Cordellius a protege  caindo do penhasco.

Cordellius: Emma cuidado!

Emma: Mestre NÃO!!!

O dragão desaparece sobrevoando as montanhas. Emma decide voltar e tentar salvar Cordellius.

Emma: Foi tudo minha culpa.. Se eu não tivesse vindo... Mas preciso encontrar meu mestre, não é hora de choramingar!

Ao atravessar outra parte da montanha, Emma finalmente chega a um lugar mais plano e claro. Lá estava Cordellius.

Emma: Mestre você está bem!?

Cordellius estava em posição de batalha, apontando o cajado para uma fada. A fada era nada mais, nada menos que Fiona!

Fiona: Mago maldito, não interfira nos meus planos!

Cordellius: Eu sabia que algum ser mágico estava por trás disso, mas jamais pensei que fosse uma fada!

Fiona: Não se preocupe, sua morte será tão rápida que não terá mais tempo de se surpreender!

Cordellius: Diga fada, como conseguiu reviver esta criatura?!

Fiona: Não lhe devo satisfações velho bruxo. Agora meu doce Weltall está com fome e precisa almoçar!

Fiona voa para trás e Weltall ressurge e desta vez encurrala Cordellius e Emma.

Emma: Mestre estou pronta, não vim só para assistir!

Cordellius: Muito bem Emma, encare isso como sua última lição.

Emma: Como assim última?

Cordellius: Aí vem ele!

Weltall lança pela boca, rajadas de fogo negro. Emma usa agilidade para escapar, enquanto Cordellius ativa sua barreira mágica. Ainda fraco o mago consegue antigir gravemente o dragão e congelar parte dele. No entanto, Cordellius é gravemente ferido nas costas e cai.

Emma: Mestre não!

Fiona: Hahaha! Preparados para transformasse em comida Emma? Weltall o quê está esperando? Acabe com ela!

Uma imensa luz vermelha separa Weltall de Emma e uma voz cálida e gentil ecoa entre eles.

Voz de mulher:  Receptáculo dos deuses, a escolhida de Odin! Abra os olhos e receba a minha benção em forma da Espada Balmung, aquela que queima e purifica as sombras calejadas do sofrimento!

Nas mãos de Emma surge a poderosa espada mágica Balmung ardendo em chamas.

Emma: Muito bem, não sei da onde veio isso mas será útil, tome isso monstro!!!

Weltall avança e ataca Emma mais uma vez, ela se desvia e com um salto sobe em suas costas, cortando-lhe o pescoço com a espada sagrada.

Após abater a fera Emma se volta para Cordellius gravemente ferido.

Emma: Mestre você está muito machucado precisamos voltar agora!

 

Cordellius: Não... Emma... argh.. Procure saber... Passado...

Emma: Não pai, não vá não me deixar sozinha!

Cordellius: Procure... argh... o Santuário... adeus... minha...

Cordellius: Minha querida Emma... argh.

Emma: NÃO, PAI!!!

Cordellius desaparece diante de Emma a deixando desolada.

Emma: Que os deuses harmônicos o tenha...

Fiona: Vejo que está bastante abalada, mas não tenho mais tempo pra isso. Agora eu mesma terei que acabar com você!

Emma: Sua fada medíocre, como pôde tamanha covardia!?

Fiona: Como ousa? Agora eu sou a Fada Superior do Outono, e ainda estou com o Diamante do Crepúsculo, você não será palio pra mim!

Uma voz inexpressiva de homem ecoa em toda montanha.

Voz: Fada barulhenta, sua voz é tão inútil quanto a sua existência...

Emma: O quê? De onde vem essa voz?

Fiona vira-se diante do  cume mais alto da montanha.

Fiona: Mestre Selfos? Por que veio tão cedo? Ainda não terminei o trabalho.

Um elfo obscuro aparece diante de Fiona.

Selfos: Ainda me incomoda o som da sua voz.

Cordas negras começam a sair dos dedos de Selfos e envolvem o corpo de Fiona.

Fiona: Argh, Mestre Selfos o quê está fazendo urrrgh..!

Fiona: Você me prometeu... Me prometeu mais poder, arghh!

Selfos: O Réquiem do Julgamento... É o destino de criaturas possessas de desejo, reles mairionetes sem sentido! 

Fiona: Socorro Emmaaaa, uarghhh!!!

As cordas atravessam o corpo de Fiona a destruindo por completo.

Selfos: A alma repleta de inveja simboliza o Sétimo Pecado, A Sétima Semente da arvore criadora Ygdrassil.

Selfos: Graças a este sacrifício de uma alma corrompida, seu poder agora me pertence.

O espírito de Fiona dá lugar a um objeto brilhante, da qual Selfos denomina como semente de Ygdrassil.

Emma: Mas quem é você afinal?

Selfos: Durma em silêncio...

Selfos ataca Emma que é salva pelo Diamante do Crepúsculo a tele-transportando para um misterioso lugar. Uma espécie de templo mágico.

Emma: Mas onde estou, será que morri?

Uma borboleta vermelha sobrevoa em volta da garota, revelando um imenso horizonte paradisíaco.

Continua...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...