História Vampira e o humano contra o mundo - Capítulo 12


Escrita por:

Postado
Categorias Hora de Aventura
Personagens Finn, Marceline
Tags Finnceline
Visualizações 100
Palavras 1.435
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Harem, Hentai, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hola amigos, como estão? Tranquilos? OLHA QUEM ESTÁ AQUIIIII, ISSO MESMO, EU!!!! Demoro, porém, cheguei!
Hj o capítulo esta de suspense, creio que mais dois e já era, finalmente finalizada estará essa fic! sorry, mas é a life minhas queridas pipocas. agora bora para o capítulo que vcs estavam loucos para saber.

Uma boa leitura e até as notas finais! ESPERO TE VER LÁ!

Capítulo 12 - De seus olhos sua alma é sugada


Fanfic / Fanfiction Vampira e o humano contra o mundo - Capítulo 12 - De seus olhos sua alma é sugada

(Uma coisa antes de lerem... Eu reescrevi está merda mais de três vezes, então se estiver uma merda, me perdoem (.-.)

Algo estava o perturbando, de fato ele hesitou, somente os resquícios da presença que ele sentiu foram o suficiente para fazê-lo dar um passo para trás. Como Minerva tinha chegado à casa de Jujuba antes deles? Como ela sabia que Jujuba era sua amiga de escola? Essas e mais perguntas vagavam sua cabeça. De alguma forma eles tinham que sair de lá, mas Finn precisava saber o porquê dela estar ali e se tinha feito algo com Jujuba.

-Marceline, Minerva está aqui eu sinto sua presença.-Finn segura a mão da vampira.

-Como ela está aqui?-Marceline pergunta olhando para o mesmo.

-Eu não sei e me preocupo com isso, ela está com a Jujuba.-Os olhos de Finn estavam completamente focados na casa ao fundo dos portões em que eles permaneciam parados.

-Quem é Jujuba, a tal amiga que você falou?

-Sim, o nome dela é Bonnie, mas muitos a chamam de Jujuba é uma cientista fanática por mitologia e mitos.

-Temos que ir ou ela vai sentir a sua presença também.-Marceline o puxa, porém o mesmo não se movia.

-Minerva pode estar fazendo qualquer coisa com ela lá dentro, eu não posso deixar que isso ocorra.-Finn se solta da mão da vampira.-Eu tenho que ir até lá.

-E ser morto? Você enlouqueceu?-Marceline diz ao vê-lo saltar o portão.

-De fato isso é loucura, mas eu já perdi pessoas demais Marceline.-Finn olha fixamente para os olhos avermelhados da vampira.-Você não precisa vir comigo ou se obrigar a vir.

-Então você acha que eu estou me sentindo obrigada a fazer essa loucura de fugir com você?!-O tom dela aumentou.

-De fato, você é imortal e eu se levar um soco dela dependendo dele morro, por que você se apegaria a alguém que vai morrer? Por que se importaria com alguém como eu, inútil? Cá entre nós, eu não passo de um estorvo para você. Não tenho utilidade.-Finn vira seu rosto se arrependendo de tudo que disse, isso afetou seu coração mais do que ele havia previsto, mas o mesmo queria que Marceline não carregasse esse fardo também.

-Eu não preciso de você, isso é verdade, eu não morro e sou capaz de tudo sem a ajuda de ninguém.-Ela abaixa sua cabeça.-Sabe, eu já ouvi as piores coisas assim como também vi, mas isso que você falou conseguiu matar ainda mais meu coração morto. SERÁ QUE VOCÊ NÃO NOTOU QUE EM TODO ESSE TEMPO QUE ESTIVERMOS JUNTOS EU ME APAIXONEI POR VOCÊ?-Finn trava seu olha nos do dela.

-Você...

-Sim, eu não estou ao seu lado por obrigação, eu estou ao seu lado porque você me fez olhar para o mundo de outra forma... É como se a Marceline que existia antes se foi, eu me senti feliz.-Marceline pula o muro ficando ao lado de Finn.-Você é um babaca.-Ela da um tapa em seu rosto torcendo com força a cabeça de Finn, mas ela volta ao normal em alguns segundos.-Você não precisa me afastar só porque tem medo deu me machucar, eu sou imortal seu idiota, e para contestar, eu te odeio!

-Eu sei, eu sei, mas não quero que você carregue esse fardo junto comigo...-Ele fala olhando para a vampira que estava com os braços cruzados o olhando com raiva. Finn não podia negar, ela estava fofa.

-Olha aqui seu idiota, a decisão não é sua! Eu estou aqui porque eu quero estar, e já te expliquei o motivo e não vou falar de novo.-Marceline vira seu rosto.

-Eu entendi perfeitamente.-Ele a abraça com força.-E esse motivo demonstra muito bem que você não me odeia.

-Ah, odeio.-A vampira o empurra.-Vamos logo antes que eu desista de ir salvar esse sua amiga.

-Vamos conversar sobre isso depois.

-Cale essa bendita boca.-Ela serra os punhos corada.

Então eles caminham lentamente até a porta se escondendo entre as moitas, com os ouvidos bem atentos tentavam escutar qualquer coisa que fosse possível, até o menor ruído. Para a surpresa de ambos escutaram vozes de conversa, mas essa estava afastada como se estivesse nos fundos da casa ou abaixo. Finn e Marceline começaram a suspeitar que de alguma forma houvesse um lugar subterrâneo na casa.

-Você falou que ela é uma cientista, de fato deve haver um laboratório subterrâneo escondido.-Marceline fala olhando cuidadosamente para a janela.-Não vejo nada, as luzes estão apagadas e a cortina piora tudo.-Marceline se lembra da visão noturna que normalmente ela não utiliza e de alguma forma não adiantou nada.-Essa menina é prevenida, ela criou uma cortina ante visão noturna.

-Jujuba é uma fanática obcecado, de fato deve ter várias armadilhas aqui, temos que tomar cuidado.-Marceline bufou sabendo que seria ainda mais trabalho a se fazer.

-Você nunca veio aqui?-Ela pergunta agora o olhando.

-Não, Jujuba desconfiava deu ser algum tipo de mito ou coisa parecida, eu tinha certeza que se eu entrasse na casa dela seria dissecado como um sapo.-O loiro fala sentindo seus pelos arrepiarem.-Minerva está próxima.

-Calado, as vozes aumentaram.-Marceline prensa seu ouvido na parede.

-Mas como a Senhora se machucou dessa forma? Precisa de alguma ajuda?-A voz que a vampira escutou era desconhecida, então ela deduziu que era da tal Jujuba.

-Não se preocupe, eu apenas cai enquanto procurava meu filho, meu querido bebê.-Marceline torceu o nariz ao ouvir a voz de Minerva.-Estou a tempos procurando ele.

-Entendo, mas eu espero que você o encontre com as informações que lhe dei, você parece uma boa mãe.-Jujuba fala com uma voz suave.

-Eu tento ser.-Diz minerva com uma falsa voz.

-Idiota, está sendo enganada.-Sussurra bem baixo Marceline.

-Marcy, os ferimentos dela não se curaram pelo o que ela falou.-Finn chega perto da vampira sussurrando a mesma.

-Verdade, então temos uma chance.-A vampira fala no mesmo tom.

-Bom, eu vou indo, obrigada pela ajuda.-Minerva diz se aproximando.

-Imagina, tudo para que você possa encontrar Finn.-Marceline por um momento tenta ler a mente de Minerva. “Essa idiota não me ajudou em nada, deveria matá-la, mas com a fraqueza que está meu poder, será impossível encobrir.”

-Ela está fraca Finn, temos que agir.-Dessa vez Marceline falou pelo pensamento com Finn.-Eu li a mente dela.

“-O que vamos fazer então?-Finn pergunta não se movendo sabendo que Minerva estava perto.”

-Vamos atacá-la, quando ela sair eu seguro ela e você arranca o coração, deve ser a única forma de matá-la.

“-Vamos tentar.”

-Não é “vamos tentar”, nós temos que fazer isso e tem que dar certo, ou será o seu Fim.-Diz Marceline preocupada.-Se não der certo e ela escapar de minhas mãos, ou ela vai fugir ou te matar.

“-Vai dar tudo certo.-Finn tenta passar confiança e os passos já estavam na porta.”

-Adeus querida.-Quando a porta se abriu, Marceline já tinha passado para o outra lado numa velocidade incrível e quando Minerva passou pela porta a vampira salta e a agarra com força.

-Agora Finn!-Ela grita com tudo que tem, e no momento que Finn iria a atacar a mesma se solta dos braços de Marceline socando a cara do loiro.

-Pensaram mesmo que seria tão fácil assim?-Minerva some da vista da vampira e com o desespero ela não conseguia raciocinar direito.-Eu não vou morrer tão fácil, e graças a vocês terem a idiotice de virem até aqui, me pouparam tempo para me regenerar.

-Como assim?!-Marceline tentou ir até Finn que tinha sido jogado longe, mas Minerva a pegou pelo pescoço.

-A imortalidade que tem nesse seu corpo me fará passar mais longos anos viva, como eu não pensei nisso antes, você é uma vampira.-Marceline viu cara a cara os olhos azuis escuros brilhando e ela pode sentir como se sua alma fosse sugada por eles.-Ainda não arranquei nem um pedaço da sua alma, mas já posso sentir o sabor delicioso que ela tem.

-Você... É um maldito... Monstro.-Aquele olhar começou lentamente a sugar os seus e de alguma forma ela sentia que iria morrer.

-Mas olha só quem fala, um sujo falando do mal lavado.-Minerva ri e Marceline foi sentindo sua força se esvair lentamente.-Eu queria poder te tortura, mas acho que meu filho acabou de se recompor do soco que levou.-O sorriso daqueles lábios foi a ultima coisa que viu antes de sua alma ser sugada sem dó de seus olhos. Como uma louca ela gritou, gritou por ajuda e desesperada se debatia.

-F-FINN!-Com as ultimas forças ela gritou pelo seu loiro, por aquele que ela amava na busca de pelo menos ouvir a voz dele uma ultima vez, porém sua vida já tinha sido tirada antes que ele aparecesse....

(*Deixando aqui então um suspense de presente*)


Notas Finais


Perdão algum erro, vou corrigir ele depois se possível, eu meio que sai correndo para terminar. Espero que tenham gostado e sei que vão ficar bravos com o suspense que é capaz deu demorar para postar o próximo, sinto muito desde já minhas pipocas. Bom, cometem o que acharam por favor, muito obrigado pelos 88 favoritos isso é muito mais do que eu imaginei que iria chegar, nos vemos no próximo capítulo, até lá um abraço, e fui!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...