História Vampira sedutora - Capítulo 12


Escrita por:

Postado
Categorias Vocaloid
Personagens Luka Megurine, Miku Hatsune
Tags Lukaxmiku
Visualizações 34
Palavras 7.073
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Romance e Novela, Yuri (Lésbica)
Avisos: Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


GENTE, GENTE!vou ter internet até o próximo mês! eu estava sufocado e não estava conseguindo me concentrar por causa do pouco tempo, ma agora estou um pouco melhor! o capitulo ficou extremamente grande, por causa disso não pude corrigir erros! Essa primeira parte era uma das que eu mais queria colocar! Essa historia tive de separar em três, ta bom! eu detalhei muito!
Boa leitura!

Capítulo 12 - Finalmente unidas


Fanfic / Fanfiction Vampira sedutora - Capítulo 12 - Finalmente unidas

Miku's POV on

 

A palavra amor é só uma palavra bonita que mistura todas as sensações boas em um só lugar e se transforma em algo maior, ligando as pessoas umas as outras. Existem vários tipos de amor, o amor de irmãos, o amor de pais, o amor entre amigos, e assim por diante. O amor que existiu e ainda existe entre eu e Luka, era um amor além da imaginação. Era um amor que só aqueles que vissem além do prazer poderia senti-lo.

Eu tive de escolher entre viver ao lado dela e viver sem ela. Uma dessas escolhas me traria tristeza e a outra felicidade. Então fiz a escolha que me traria felicidade para o resto da minha vida, escolhi ficar ao lado Luka. Fazendo essa escolha, Luka me levou consigo para um outro mundo.

– Luka! – falei em seus braços enquanto ela voava.

– Calma! Ainda não atravessamos!

– Mas aqui é vazio e não tem chão, mas é bonito! – falei olhando ao redor sem ver nada além de um universo de estrelas.

– Acha vazio?

– Sim, mas é bonito!

– hehehe! Miku, eu quero que se segure firme em mim! Porquê estamos nos aproximando da entrada principal do portal, tá!

– Sim! – falei segurando firme em seu pescoço e vendo uma luz branca muito forte se aproximando.

– Aqui vamos nos! – ela disse decendo de ponta para feixe de luz intensa que se parecia com uma nebulosa. Eu fechei os olhos e fiquei rezando pra tudo da certo.

– Luka! – falei sem enxerga nada. Até que em alguns segundos nós atravessamos.

– Abra os olhos, Miku! Conseguimos! – abri os olhos de vagar.

– Nossa! Parece.... parece conto de fadas! – adimerei toda a paisagem de boca aberta.

– Gostou?

– Muito! É lindo!

– Sabia que você ia gostar! .

– Nossa! Olha essas arvores! São enormes! Tudo aqui é grande!

– São sim! – ela disse parando no ar e olhando para o portal que se fechava. – Ele vai se novamente daqui a 300 anos ou mais ou menos.

– Queria estar com você para ver isso!

– Mas você vai estar! – não tinha entendido o que ela tinha dito.

– E agora?

– Agora, eu vou te levar para a minha casa, ou melhor, para o castelo do meu pai!

– Castelo? Espera! E o seu castelo? Ele ainda esta no outro mundo!

– Quem disse?

– Ué! Como assim?

– Meu castelo nunca existiu lá!

– Não estou entendo!

– Todas as pessoas que viram meu castelo, toda vez esqueciam dele por ele ser protegido por magia de esquecimento, também! Assim ninguém nunca o viu! E apesar disso, o local aonde ele estava desapareceu por causa da minha presença!

– Nossa! Você é cheia de surpresa, Luka! – dei um beijo em sua bochecha. – Quantas ainda tem?

– Hummm! Talvez umas 9999! hahaha!

– Tudo isso?

– Hehehe! Aiai! Eu amo esse seu jeito, minha donzela! – fiquei provavelmente corada com essas palavras.

Luka voou comigo durante, eu acho, uma hora. Nesse tempo ela percebeu meu braço ralado devido ao tombo que levei quando fui até seu castelo.

– Miku! Seu braço....

– Ah, não foi nada! Só caí!

– Mas mesmo assim, me preocupo!

– Na hora eu nem tinha sentido nada! Estava com saudades!

– Me desculpa por tudo aquilo! Parando pra pensar agora, foi um maior papelão!

– Tá tudo bem! Você não fez papelão! – encarei ela e recibi um selinho por isso. – Luka!!!

– Já estamos nos aproximando! Tá vendo uma cidade lá longe?

– Tá brincando? Eu não sou uma vampira! Não posso enxergar tão longe!

– hehehe! Tinha me esquecido! Mas se você fosse?

– Acho que seria legal!

– Acha?

– Éh, eu acho!

– Tão tá! – ela desceu bem perto das arvores e depois adentro em meio a elas.

– Que legal voar assim! – eu sentia o vento balançar meus cabelos no ar.

– Agora se segura que eu vou subir!

– Tá! – segurei firme em seu pescoço. Ela foi subindo e subindo até saímos em cima de uma cidade enorme e linda que estava em festa. – Meu.......Deus! – eu via aquela paisagem linda. Casas que pareciam ser antigas, mas muito detalhadas e ao mesmo tempo se percebia que a tecnologia avia chegado.

– O que achou?

– Eu estou surpresa! Olha aquele castelo! Ele é gigantesco!

– É lá que eu moro! E eé lá que vamos morar!

– Nossa! Eu tô....! É tudo estranho, mas bom!

– Eu ia direto para o castelo, mas vou descer aqui! Parece que eles preparam uma festa para a minha volta!

– Como será que eles irão reagir?

– Vamos descobrir! – ela se direcionol para o chão para pousar. – Pronto! Estamos em terra firme!

– Wou! – me desiquilibrei e Luka me segurou, pois minhas pernas estavam bambas devido ao vou e aos acontcimentos.

– Tá sendo tudo rapido demais não é?

– Sim, mas tá tudo bem! É estranho essa sensação! – olhei para todos os lados e ao mesmo tempo sendo reparada por todas as pessoas. Então Luka segurou minha mão.

– Vamos?

– Sim! – respondi e ela levou para o meio das pessoas que nos olhavam curiosas e cumprimantavam ela.

– Princesa! Bem vinda de volta! – um homem dizia.

– Princesa! Que bom que voltou! – um mulher dizia.

– Princesa...

– Princesa.... – e assim todos a chamvam até que em um momento perguntaram.

– Princesa! Escolheu com quem vai casar?

– Sim! Eu escolhi!

– Quem princesa?

– Está pessoa que está do meu lado! – ela olhou pra mim e todos ficaram surpresos e calados. – Todos aqui imaginavam que eu traria um homem, não é? Pois bem, eu não trouxe pelo fato de que queria trazer uma pessoa que pudesse ficar comigo para sempre! Eu não queria me casar apenas para ser rainha! Eu queria me casar para ser feliz! – ela olhou para o rosto de todos que nos olhavam de maneira estranha até um dizer.

– Mas princesa, não pode existir duas rainhas assim como não pode existir dois reis!

– Por que não? Rei e rainha são iguais! A diferença é que um é mulher e outro é homem! Não existe nehuma lei que proiba duas rainhas ou dois reis! Se essa lei existe então me mostre ela!

– Peço perdão princesa!

– Esta tudo bem! No dia em que seremos coroadas rainhas irei fazer um discusso sobre esse assunto! A mente das pessoas, eu digo vampiros e humanos, precisam mudar! – ela apertou minhas mão, não com força. – Nos iremos para a minha casa agora! Se tiverem mais alguma pergunta, podem fazer agora! – todos nos olharam. – Nenhuma? Então nos veremos na coroação uma boa festa para todos! Vamos minha donzela? – ela sorriu pra mim.

– S-s-sim! – respondi e ela me pegou no colo e levantou voou. – Parece que eles não gostaram!

– Eles não tem que gostar, mas sim respeitar!

– Verdade! – falei sendo levada para o seu castelo. Chegando lá, ela apouso na entrada que estava cheia de gente que parecia lhe aguardar.

– Chegamos! Essa será a nossa casa agora!

– …....... – eu não conseguia dizer nada pois as pessoas cumprimentevam Luka. No meio daquilo ela me apresentou a todos.

– Quero que todos conheçam minha noiva e futura esposa, Miku! – assim que ela falou todos vieram me cumpimentar. Eu estava espearando uma reação diferente.

– Senhorita Miku, parabéns!

– Senhorita Miku.....

– Senhorita Miku... – com isso eu perdi a fala.

– Diz algo, Miku! – Luka disse rindo.

– Eu não sei o que dizer.......obrigada! Eu estava em mundo com predios e casas “normais” e de repente eu estou em mundo de fanasias! Parece que eu estou num sonho! – eu já tinha me esquecido do que tinha acontecido.

– Esse mundo de fantasias jamais vai acabar! – assim que ela falou e os cumprimentei.

– Gente, meu nome é Miku Hatsune! Prazer em conhecer todos!

– O prazer é nosso senhorita! – todos disseram em unissono e um deles falou sozinho, um homem cujo o cabelo era longo e roxo.

– O prazer é meu Senhorita Hastune! – ele pegou na minha mão para beijar e Luka....

– Heieiei! Tira a mão Gakupo!

– Mas eu só estava cumprimentando!

– Sei! Saí pra lá!

– Credo, eu já fui seu professor sabia!

– Não vem não! – Luka disse me agarrado com força e me prendendo em seus braços. – O que se quer?

– Nada! Eu só vim recebe-las!

– A festa na cidade foi coisa sua né?

– Não! Dessa vez não! Pelo aucontrario! Foi seu pai!

– Entendi e como ele tá? – ela me soltou com um tom de voz bem diferente.

– Ele não tem mais poderes!

– Entendo! – ela fez uma carinha.. – Éh, eu não quero estragar esse momento, então vamos entrar?

– Vamos sim! Quer que eu guie a senhorita Miku pelo castelo depois de nos apresentarmos ao rei, seu pai?

– Gakupo!!!

– Ja sei! Jasei! Já sei! – assim que ele falou eu sorri. – Ah, espera! Eu preparei uma surpresa para a chegada de vocês! Queria que fosse uma coisa calorosa!

– Mas só das pessoas nos recerem, já é bastante calorosa!

– Não o bastante!

– O que você vai aprontar Gakupo?

– Espera só um pouco! – quando ele falou, as pessoas ao nosso redor começaram a se afastar e correr. – Oh Piko é no três! – ele gritou para alguém estava perto de uma coisa que parecia um foquete pequeno em uma certa distancia.

– Miku, fiqui atraz de mim! – não entendi porquê Luka avia dito aquilo, mas fiz o quê ela pediu.

– 1...2....3 VAI! – uma explosão enorme aconteceu.

– Que que se tem na cabeça, Gakupo?

– Foi erro de calculo!

– Foi erro de calculo “o quê”! Tá tentando saber a resistencia do Piko em uma explosão?

– Não! É que era pra aquilo subi e explodir lá em cima! Era isso! Mas eu não sei o quê houve!

– Uma hora você vai fazer uma coisa que vai sumir com você e ele!

– Foi só um erro!

– Sei! – ela falou olhando para a direção da explosão. – Se ainda tá vivo Piko?

– Sim! – falou o rapaz todo sujo. – Ainda bem que sou vampiro! – deante daquilo eu fiquei assutada e disse.

– Agora entendo seu medo, Luka!

– Ainda bem! Agora nos vamos entrar no castelo! Tenho que te apresentar ao meu pai e você, Gakupo, vai ajudar o Piko! Olha o estado dele! Parece que foi numa guerra de lama cinzenta!

– Tá já vou! Encontro vocês outra hora! – assim ele foi ajudar o rapaz.

Adentrando o castelo eu vi varias pinturas. Todas mostravam uma soberania de certa forma.

– Essas pinturas....

– São meus antepassados!

– Todos?

– Sim! Todos eles!

– Quantos! – fui admirando até chegarmos em uma sala muito bem decorada e grande.

– Miku, quero te pedi para me esperar aqui! Eu vou entrar para falar com o meu primeiro, pois ele deve estar em reunião tá!

– Tá bom!

– Quer que eu chame alguém para ficar aqui com você enquanto isso?

– Não, tá tudo bem!

– Então tá! Eu não demoro! Pode ficar a vontade!

– Obrigada e Luka... – quando ela se virou para ir, eu peguei em sua mão. – Eu te amo!

– Também te amo! – ela me beijou. – Eu já volto!

– Sim!

Quando ela saiu eu fiquei olhando todo o lugar. Realmente eu não estava acreditando que estava em outro mundo. As cortinas vermelhas, o tapete enorme com flores da mesma cor, o lustre. Tudo era tão lindo, tudo tinha um perfume com cheiros diferentes.

Curiosa para ver como era o resto do lugar, eu me levantei do sofar, aonde estava sentada e fui andando pelo local até encontrar um corredor. Segui por ele andando bem de vagar, pois queria ver cada cantinho. Cada detalhe. Em meio a minha curiosidade escutei conversas.

– Comandante Haku, você fez um ótimo trabalho ontem, parabéns! – um homem elogiava alguém.

– Obrigada! Aquilo não me deu trabalho! Na verdade nem suei! – uma mulher falava.

– Realmente é verdade o quê dizem sobre você! – outro homem falava.

– Ouvi falar que você derrotou 100 lobisomens sozinhas, é verdade?

– Sim, é verdade! – ela respondeu. – Pessoal, eu vejo vocês amanhã, tenho que me encontrar com Neru! Boa tarde pra vocês!

– Boa tarde Haku! – todos responderam em unissono. Assim ela saiu da sala me vendo no corredor e ficou me olhando e pergutou. – Quem é você?

– Ah, e-e-eu, eu sou, eu vim..

– O quê quer aqui e como entrou? – ela veio andando.

– Eu vim com ….

– Você é uma espiã dos vampiros do norte? – ela disse andando de pressa e em seguime me encostando na parede, colocando sua mão direita rente minha cabeça. – Me responda!

– Eueueu... – fiquei com muito medo dela, pois ela era muito alta.

– Ela é minha noiva Haku! – Luka apareceu me salvando.

– Princesa? Eu.... – ela ficou palida, mas do que o próprio cabelo. – ….Peço desculpas! Eu não sabia! – ela disse se curvando. – Me perdoa por favor!

– Só te pedoou se você se desculpar com Miku!

– É claro! Senhorita Miku, eu peço desculaps pela minha rudez!

– Tá tudo bem! Você está desculpada!

– Obrigada! – assim que ela falou e Luka disse.

– Miku, essa é a Haku Yowane! A comandante do nosso exercicito!

– Prazer em conhece-la, Haku Yowane!

– O prazer é meu senhorita! – ela me cumpimentou pegando na minha mão. – E-e-eu vou deixa-las a sois! Tenha uma boa tarde! – assim ela foi embora.

– Eu achei que ela ia me matar!

– Se ela fizesse isso....não sei o quê eu faria com ela!

– Éh, mas a culpa é minha! Eu saí da sala!

– Sim, mas é que Haku é muito desconfiada, e isso é uma das caracteristicas que a torna a comandante do nosso exercicito e ao mesmo tempo perigosa, para as pessoas que ela não conhece!

– Entendi!

– Bom, vamos lá conhecer o meu pai, o rei do trono vampiro!

– Sim! – eu disse com ela segurando na minha mão e me guiando. Passamos pela sala e subimos umas escadas até uma porta gigante.

– Miku, eles estão finalizando a reunião! Eu vou entrar e esperar eles estarem prontos, porquê eles são chatos, não gostam de ser interrompidos, tirando o meu pai é claro! Daí então eu te chamo tá bom?

– Sim, mas...

– O quê?

– Nada! Eu espero aqui! – assim ela me deu um beijo na testa e entrou. Dentro de alguns minutos ela veio e abriu a porta e me chamou.

– Pode entrar! – eu entrei meio, estranha e então Luka pegou na minha mão. – Meu pai e senhores, eu trouxe aquela que vai me ajudar a governar este reino! – todos nos olharam de maneira estranha e assim começou as perguntas.

– Como você acha que as pessoas iram reagir ao ver essa...essa...vergonha? Por que, para governar tem que existir um rei! Já tinha ouvido falar que você iria trazer uma jovem, mas não que ela veria! – falou um ignorante.

– Um homem e uma mulher são iguais! Por que tem que existir um rei? Nos mulheres não somos inferiores aos homens! Nos somos tanto quanto! Um não é melhor do que o outro!

– Não vamos entrar em discusão com isso novamente! Seu pai e nos aqui estamos tentando entrar em um acordo em que você tera de casar com o princepe do sub-mundo, zenakulo!

– Não vou me casar com niguém além de Miku! Esse tal de Zenakulo, pode mandar ele pra.... – Luka respiru fundo. – Eu sou uma adultar! Ninguém tem o direito de escolher com quem eu deva me casar! – assim que ela falou e seu pai disse.

– Senhores, eu disse que ela recusaria! A minha filha já tem alguém!

– MAS O TRONO VAMPIRO NÃO PODE TER DUAS RAINHAS!

– ABAIXA O SEU TOM DE VOZ QUE EU AINDA SOU O REI! – o pai Luka se levantou do trono e falou em um tom de autoridade que até me arrepiou.

– Eu sinto muito alteza!

– Como rei, eu vou fazer uma coisa que já devia ter feito há muito tempo! Eu vou assinar uma lei que permita duas rainhas, para acabar de vez com essa discução! Achei que me minha filha não precisaria disso, já que somos sivilizados e compreesiveis, mas pela vontade dela eu faço qualquer coisa! – diante dessas palavras o falatório que estava lá sumiu.

– Se vai permitir duas rainhas, então eu vou embora! Não quero ver isso! – um disse nos encarando com nojo e assim saiu. Junto de mais uns seis.

– Ninguém aqui é obrigado a ficar! Se tem alguém aqui que não concorde com essa lei se pronucie! – tudo ficou quieto. – Não? Ninguém? – assim que ele falou os membros foram se levantando e ficando de pé. A reação do pai de Luka quase foi de desapontamento até que uma coisa inacreditavel aconteceu. Todos começaram a aplaudir.

O pai de Luka ficou muito surpreso, até porquê aquela ação foi muito ousada. Sendo assim, nós fomos aceitas e o dia em que seriamos coroadas foi marcado.

Após tudo aquilo, Luka me levou para o seu quarto, mas não para “aquilo”. Ela me levou para que eu pudesse me trocar e tomar um banho, para depois andarmos pelo castelo ou pela cidade. Ela me deu vestido, na cor azul com borboletas muito lindo, que ela mesma me disse que caíria bem. Ela aproveitou e também tomou seu banho, junto comigo e é claro, ela não me deixou em paz. Após o banho, nos fomos andar pelo castelo. Estava louca para explora-lo.

 

Miku's POV off

 

 

 

 

 

Luka's POV on

 

A nossa chegada no meu mundo não começou tão bem, pelo menos eu estava vendo assim, mas para Miku aquilo não importava muito já que ela se destraía com cada coisa que via. Parecia uma criança aprendendo a andar.

– Luka, esse lugar é lindo e grande! – ela estava completamente boba, olhando para o teto e girando a mesmo tempo.

– hehehe, eu sei!

– Olha só! É tudo tão diferente! É tão grande que acho vou me perder uma hora!

– Hahaha!

– Do que tá rindo?

– Você!

– Eu? O que tem?

– Não sei como dizer, mas tá muito interessante te ver assim!

– É que eu gostei daqui! – ela coro e ficou sem graça então eu fui até ela e lhe abracei pelas costas.

– Oh! Continua! Eu estava adorando te ver daquele jeito!

– Agora eu estou sem graça!

– Hahaha, é por isso que eu te amo minha linda! – enchi seu pescoço de beijos.

– Luka!

– Hum!

– E o nosso casamento? Vai ser quando?

– Vai ser antes da nossa coroação!

– Hum! Aonde vai ser?

– Aonde você quiser que seja!

– Ah, não sei! Em uma igreja?

– Pode ser! Ou se você quiser pode ser também em algum lugar mais tranquilo!

– Aonde?

– Eu conheço um local que seria ótimo! Tem uma arvore enorme que fica na beirada de um lago e em volta dela e cheio de grama! A grama se estende bem longe!

– Eu vou pensar, então!

– Miku, eu sinto muito por tudo que aconteceu quando chegamos aqui!

– Não foi nada! Quando eu asumi meu amor por você, eu sabia que muitas “guerras” viriam! Hehehe!

– Eu te amo! – beijei a bochecha dela e em seguida tentei da outros mas ela escapou e saiu correndo rindo.

– Hehehehahaha!

– Tá rindo do que? – coloquei as mãos na cintura.

– Nada! Só estou rindo! – ela disse andando de costas e fazendo sinal com a mão, me chamando e eu fui. Aquilo virou uma brincadeira, onde eu a perseguia pelo castelo.

Eu estava muito feliz por ela ter gostado ficar comigo. Eu sabia que uma hora ou outra ela iria sentir falta de seus amigos, então eu queria que ela se destraísse o maximo possovel.

Ficamos nessa brincadeira até de noite. Foi quando que chegamos no salão de dança. Lá eu deixaei ela sozinha para ver sua reação. – Que lugar lindo! Aonde está Luka? Será que ela cançou da miha brincadeira? Não! Vou espera-la aqui! – eu fiquei vendo ela no meio do salão e assim a dimerei por alguns minutos até ter uma ideia.

Apaguei todas as luzes e deixei apenas uma sobre ela. Sua reação foi de susto. Então eu peguei uma mascara e puz no rosto e também fui até o salão. Como estava tudo escuro. Ela não podia me ver. Usei minha magia para dar vida a as luz que ficava sobre ela, quando ela andava a luz a seguia. Ela ficou com as duas mãos no peito, parecia está com medo. Então fiz com que outra luz se ascendesse sobre mim.

– Luka? – eu não respondi e fui em sua direção. – O que é tudo isso?

– Aceita uma dança? – estendi a mão para ela, não me respondendo ela pegou e veio.

– Por que a mascara?

– Shiiii! – coloquei o dedo na boca dela e fiz com os estrumentos musicais, piano violino e outros iniciassem uma musica calma e que combinassem com o momento.

– Hehehe! – ela riu enquanto eu colocava sua mão em meu ombro, segurando a outra e pegava em sua cintura inciava uma dança.

Como estava tudo escuro e as luzes só apontavam para nós e amusica taornava o momento mais especial. Eu guiava ela pelo salão e ela não tirava os olhos de mim. É claro, ela pisava no meu pé de vez enquando, mas não era nada que estragasse o momento. Pelo ao contrario, ficava melhor ainda pois se tornava engraçado. – Luka, fico feliz por ter conhecido você! Eu te amo muito!

– Também te amo! – respondi vendo a felicidade estampada no rosto dela. Ficamos assim durante um bom tempo. Eu não queria que aquele momento acabasse.

Com a musica, ela colocou os dois braços no meu pescoço e eu com os meu dois braços em sua cintura. – Eu nunca tive um momento assim, Luka! Não quero que isso acabe! – ela colocou a cabeça em meu peito e depois se virou para mim, encerrando a dança. – Quero que todos os dias sejam assim, mágicos! – ela direcionol suas mãos até a mascara e começou à tira-la de vagar, até que fiquei completamente sem ela. – Quero te fazer feliz, assim como você está me fazendo também! – assim eu beijei ela. Foi um beijo calma. Eu apertava sua cintura e ela entrelaçava seus dedos em meu cabelos. Minha língua se encontra com a dela, que sedia passagem, me deixando toma toda sua boca. Entre os estalos de beijos nós nos soltavamos e engatavamos outro beijo, um mais gosotoso do que o outro. Eu procurava ficar naquele ritmo, mas ela queria mais do que aquilo. Eu não queria ir mais adiante, pois o nosso casamento seria em breve, e a noite que eu daria ela seria inesquecivel. – Te amo, Luka! – ela dizia entre os beijos.

– Também te amo! – assim que falei, ela colocou a mascara de volta em mim e nos afatamos. Depois fiz com que a luz sobre mim se apagasse, assim sumindo. No meio do escuro fiz lhe umapergunta. – Miku Hatsune, me aceita como sua legitima esposa?

– Sim, sim, eu aceito! – após ela falar eu apareci de novo, sem a mascara e estendi a mão para ela, que a mesma veio correndo e pulando nos meus braços. – É claro que eu aceito! E já me descidir aonde vamos nos casar!

– E aonde vai ser?

– Vai ser em uma igreja! Quero entra linda de noiva!

– Seu desejo é uma ordem!

Aquela tarde do primeiro dia dela no meu mundo acabou assim, com um belo sorriso estampado em sua boca.

Nosso casamento foi marcado dentro de duas semanas e nossa coroação, para dois dias depois.

 

 

 

 

 

 

 

Quebra de tempo....

 

 

 

 

Um dia antes do nosso casamento, houve correrias para terminar as decorações da igreja. O horario do casamento seria de noite, pois eu não queria ter de usar óculos para ver minha esposa. Nesse dia eu fui acordada por Neru.

– Princesa! Princesa acorde!

– Já vou! – levantei animada.

– Pois não?

– Eu vim levar você e a sua futura esposa para esperimentarem os vestidos!

– Ah, é claro! – me fiz de desentendida. – Vou no quarto de Miku, acorda-la!

– Ué! Não estão dormindo juntas?

– Ainda não! Quero deixar minha cede de amor para depois de nos casarmos!

– Ah, entende! Ei princesa, Luka!

– Sim?

– Você mudou bastante desde que conheceu ela! Antes você, nem dava a minima para esses sentimentos!

– Tudo isso é graças a Miku! Foi ela quem me ensinou sobre o amor!

– Certo!

– Vou lá chama-la! – batendo na porta do quarto de Miku, fui atendida com um belo e contagiante sorriso.

– Bom dia meu amor!

– Bom dia minha rainha!

– Hahaha!

– Eu vim te chamar para ver qual vestido iremos usar!

– Ah, sim! Vou me arrumar!

– Posso entrar? – quando perguntei, ela fechou a porta, quase por inteira, e me olhou sacana e disse mechendo só a boca e depois sorrindo eu entendi.

– Não! – com essa resposta eu abri aporta e entre e agarrei ela e puz contra a parede e dei um beijo, invadindo sua boca. Ué, ela tinha me provocado. – Você ….não …..tem jeito, Luka! – ela disse entre o beijo.

– Não tenho mesmo!

– Pronto! Agora tenho que me arrumar e você vai sentada na cama me olhando sem me tocar!

– O quê?

– É que você merece por entrar no meu quarto sem pedir!

– É néh! Hum! – assim fiquei sentada na cama vendo ela......vendo ela se despir e se trocar. A maneira com a qual tirava as roupas e com qual se vestia, e é claro, eu queria muito agarra-la, mas me contive. Após ela se arrumar , nos saímos junto de Neru e fomos experimentar os vestidos. Infelizmente não pude ver como ela ficou, pois Neru não deixou, mas de uma coisa eu sabia, ela tinha ficado linda.

– Eu não vi Miku, pelo o resto dia, pois Neru a levou em outros lugares e eu fiquei com o meu pai. Ele me deu conselhos e abençoou nossa união. Eu queria ver Miku antes de dormir, mas nem isso eu pudi.

Já no dia seguinte, no dia do nosso casamento, eu levantei muito mais ansiosa e fui para o quarto de Miku e....

– Miku! – eu batia na porta, até que um dos empregados disse que ela tinha saído cedo com Neru e não avisou aonde iria. – Ué! Não me avisou nada! Tá bom então! – fiquei com ciúmes. É serio, eu avia ficado com ciúmes. – Talvez, ela tenha ido experimentar outros vestidos! – pensei comigo. Sem o quê fazer, andei pelo castelo dando bom dia aos empregados que eram muito carinhosos. Subi varias, e fui até a parte mais alta, aonde avia um quarto enorme que seria meu e de Luka. Sentei na cama e depois me deitei, fechei os olhos e fiquei pensando sobre o que eu iria fazer com ela alí. Vários tipos de pensamentos viam, só de imaginar, eu mordia os lábios e meu corpo ficava quente. Meus pensamentos iam bem longe, mas eu tinha deixa tudo aquilo para o mmento especial. Então me levantei e fui até a varanda, nela dava a impresão de estar no ceu pois era muito e fiquei lembrando debruçada no guarda corpo.

 

FLASH BACK on

 

 

– Ola!

– O-o-oi! – ela falou assustada.

– Eu estava andando um pouco por aqui e casando alguém pra me mostrar a cidade...

– É.. eu acho que posso ajudar, você é nova aqui néh?! Eu posso andar na rua até as dez da noite, tá bom pra você.

– Sim, sim. Nossa como ela é linda! – falei em pensamento alto.

– Falou alguma coisa?

– Talvez!

– Atá, mas vou logo avisando aqui é bem chato.

– E você é uma graça! – falei já perdendo a noção.

– ah...é... obrigada … eu acho! É .. vamos? – Miku me mostra os principais pontos turisticos da cidade e eu não tirava os olhos dela nem por um estante.

– Gostou dos pontos turisticos dessa cidade? Eu disse que era chato.

– Mas ficar com você, não foi!

 

 

FLASH BACK off

 

– Hahahah, nem acredito que cantei ela assim! Nossa! Como ela ficou! Ela achou estranho! – eu olhava aquela paisagem da cidade. Enquanto eu pensava alguém bateu na porta, então fui abrir. Era meu pai.. – Como sabia que eu estava aqui?

– Os empregados disseram! Posso entrar?

– Pode sim!

– Está adimirando o cantinho de vocês!

– É eu tô e também lembrando de umas coisas, que até são engraçadas!

– Entendo! – ele disse indo até a varando e ficando debruçado e eu fui em seguida.

– Pai, eu sei o senhor não quer admitir, mas fala pra mim? Quanto tempo o senhor ainda tem?

– Viverei o bastante para sua felicidade completa,minha filha! – ele me deu anéis, que foram dele e da minha mãe. – Olhe, isso é pra vocês! Fico feliz por ter voltado! E sinto muito por não ter lhes recebido, assim que chegaram!

– Pai!

– Esses anéis são passados de geração a geração! Quando você se casar com ela, não lembre de mim ou de qualquer outro! Mantenha aquele momento isolado! Não deixe que nada estrague!

– Pode deixar! – falei emocionada. – Você é melhor pai do mundo! – dei-lhe um abraço. Conversei com ele mais um pouco até antes de começar a me arrumarpara o casamento. – Pai, agora eu tenho que me arrumar e o senhor também, ein! Quero que esteja presente na hora do sim!

– Não ousaria faltar!

– Vejo o senhor lá! – assim eu sair e deixei ele e fui me arrumar, tomei um banho primeiro e quando saí as empregadas Ruko, Teto entre outras já me aguardavam para me ajudar, na maquiagem na roupa, não que eu precisasse de tanta gente, mais todas queriam ajudar. Eu vesti o vestido que era branco, com detalhes dourados e aberto nas costas. Me disseram que Neru me mandou usar uma tiara e não um véu, como ela já sabia das coisas eu obdeci. O buque foi composto de flores de varias especies, todas bem perfumadas.

Já na hora de parti para a igreja, minhas mãos começaram a suar e meu coração acelerar. As empregadas tentavam me acalmar, mas sem sucesso.

– Princesa Luka se acalma! – Ruko disse.

– Me acalmar como? Se ela disser não? – eu disse andando de um lado para o lado.

– Ela não vai fazer isso!

– Tem que se acalmar princesa! – Teto disse enquanto Haku chegava.

– Já esta pronta princesa?

– Sim, eu acho! Você viu a Miku?

– Sim, mas se eu contar como ela esta, vão mandar me matar!

– Ah, que ótimo! Não vi ela o dia todo!

– Você vai ver ela na igreja!

– Eu sei, mas queria saber como ela está!

– Então vamos para a igreja!

– Tá! Vamos! – falei muito nervosa.

– Nossa! Você tá pior do que eu quando me casei! – ela disse vendo meu estado.

Assim, eu fui levada até uma carruagem especialmente pra mim, junto de Ruko e Teto me acalmando o tempo todo. Haku guiava a carruagem. Chegando na igreja, que estava cheia, eu fui até o altar, sendo levada pelo meu pai que já tinha chegado e lá esperei Miku entrar, com todos me olhando, também aguardando ansiosos. Fora os que não estavam gostando. Mas oque valia pra mim, eram só os que estavam me apoiando.

Segurando o buquê muito nervosa, pois Miku ainda não tinha chegado. – ELA ESTAVA ATRASADA! Humhum, desculpa, foi o momento! Voltando a contar..... – A musica se iniciou e todos ficaram de pé. Meu coração batia forte, esperando ver minha donzela entrar até que....

 

 

Luka's POV off

 

 

 

HORAS ANTES....

 

 

 

Miku's POV on

 

 

Neru avia me acordado cedo, para comprarmos o bolo do casamento. E é claro eu aceitei foi um pouco malavada da minha parte não ter avisado, Luka. Mas um ciuminho não mata ninguém. Nós fomos em vários locais, até encontrarmos um bem grande e bonito. Isso levou quase o dia todo. Era a única coisa que precisava e era a única coisa que aviam esquecido. Foi engraçado. Andamos muito até encontarmos um que me agradou. A única coisa que faltou nele foi nossos nomes. – Tá, eu sei que foi um pouquinho exagerado, mas eu queria que ficassem mais bonito – após isso, Neru me levou para me trocar, para o casamento.

– Éh, já na hora! Vamos? – ela me chamou entrando na carruagem que fomos.

– Sim, é claro!

– Como tá se sentindo?

– Eu estou bem, mas...

– Mas...

– Queria que meus pais e meu irmão estivessem aqui!

– Entendo!

– Mas está tudo bem! Eu escolhi ficar com Luka! Então não devo ficar triste!

– Olha, aqui você fez alguns amigos, que eu vi! Luka vai fazer uma coisa com você, uma coisa que vai te tornar mais especial para ela!

– O quê?

– Você vai descobrir! – ela disse fazendo misterio. – E o seu estado mental, eu falo em relação a tudo isso!

– Eu tô nervosa!

– Tá com medo dela dizer não?

– Não, não é isso! É que é tudo novo pra mim! Esse mundo, as pessoas e o meu casamento!

– Fique tranquila, vai sair tudo bem!

– Eu e Luka nos conhecemos, a pouco tempo, mas esse tempo deu para conhece-la bem!

– Luka é uma vampira, diferente! Eu digo, diferente mesmo! Ela é imuni a maldições, é muito poderosa, mas como ninguém é invencivel, ela também tem uma fraqueza!

– E qual seria essa?

– Estou olhando pra ela!

– Eu?

– Isso mesmo! Algum momento ela chegou a ser agressiva com alguém por ter feito algo com você?

– Sim, ela me defendeu varias vezes!

– Então aí está a prova! Você é a fraqueza dela e também sua força! Ela vai cuidar de você!

– Como sabe disso?

– Eu conheço Luka muito bem! Cressemos juntas!

– Entendi! – falei enquanto a carruagem andava. Ficamos coversando até chegarmos no castelo.

– Provavelmente, Luka já saiu! Estamos um pouco atrasadas, mas não tem problema! Vou te transformar numa noiva mais linda que ela!

– Mais linda que ela é impossivel!

– Hahaha, vamos lá! – assim, Neru me levou para me trocar e me vesti com a ajuda algumas empregadas. Uma meninninha que eu avia conhecido, Yuki muito fofa, ensistiu para me ajudar. Até que aceitei. Coloquei aquele vestido branco muito bonito, detalhado e coloquei um véu sobre ordem de Neru. – Pronto, você está perfeita! Só falta o buquê! Aqui! Agora sim! Dê uma olhada no espelho!

– Nossa! Nunca me imaginei assim! – me admirei. – Pensando agora, eu estou muito nervosa!

– Hahaha, normal!

– Tia Miku, nã fica não! – Yuki disse.

– Você é muito fofa! Pode deixar que eu não vou ficar tá?

– Tá!

– Acho melhor irmos agora, Miku! – Neru disse.

– Você tem razão! Luka deve de estar com o coração na boca! – assim eu fui junto de Neru para a carruagem que foi enfeitada em um poucos minutos para me levar. Com Yuki segurando na minha mão eu entrei.

No caminho para a igreja, eu ficava cada vez mais nervosa. Minhas pernas tremiam e o coração disparava. O tempo todo, Neru tentava me acalmar e Yuki ficava brincando.

– Miku se acalma!

– Tô tentando! – faltava pouco desmaiar. Dentro dentro de alguns minutos nós chegamos. Ao descer eu me desiquilibrei, quase caindo. Mas Neru me segurou.

– Opa! Um tombo na entrada seria feio!

– Minhas pernas estão bambas!

– Quer que eu entre com você?

– Não, não precisa! Mas, obridada!

– Disponha! Então boa sorte! – ela se despediu de mim com um abraço e se foi.

– É agora nuca, Miku! – falei comigo e fui me dirigindo até a porta. Yuki e outra menina que eram as damas de honra, entraram primeiro jogando flores pelo chão e eu fui em seguida, muito nervoa. Ao entrar a musica se iniciou e lá frente, Luka me esperava.

Meu coração, não cabia no peito a cada passo que eu dava. Só escutava suas batidas. E o sorriso de Luka me tirava o resto do folego que ainda me restava. As pessoas me olhavam, sorrindo e outras....bem, nem todo mundo concordava só estavam alí por obrigação talvez.Quando cheguei no altar, Luka pegou na minha mão e assim nos ajoelhamos. Então o padre iniciou as suas palavras.

– Estamos aqui reunidos..... – a cada coisa dita, eu ficava mais nervosa. Então depois de falar, ele pediu as alianças, que foi traga por Yuki, que eram diferentes, e logo após o padre as abeçoou e nos entregou de volta e eu e Luka demos as mãos e ela começou a dizer.

– Eu Luka Megurini., recebo-te por minha esposa a ti Miku Hatsune., e prometo ser-te fiel, amar-te e respeitar-te, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, todos os dias da nossas vidas! – após ela, foi minha vez.
– Eu Miku Hatsune., recebo-te por minha esposa a ti Luka Megurine., e prometo ser-te fiel, amar-te e respeitar-te, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, todos os dias da nossas vidas!
Logo após, Luka colocou o anel no meu dedo anelar dizendo.

– Miku Hatsune, recebe esta aliança como sinal do meu amor e da minha fidelidade!
– Luka Megurine, recebe esta aliança como sinal do meu amor e da minha fidelidade! – assim em seguida ele realizou todo o ritual, junto de todos.

– Pela Luka e pela Miku, criadas por Deus à sua imagem, para que sejam felizes na mútua doação e mantenham sempre vivo o amor que as une, rezemos, irmãos! Pelo novo lar que elas hoje fundaram, para que os pobres que baterem à sua porta aí encontrem acolhimento e ajuda, rezemos, irmãos! Pelos seus pais, parentes ou amigos e por todos os que aqui estão presentes, para que possam alegrar-se de os ver sempre felizes, rezemos, irmãos! Se alguém aqui que é contra esse casamento que fale agora ou se cale-se para sempre! – ninguém disse nada. – Então eu as declaro, mulher e mulher! Podem beijar! – assim dito Luka afastou o vêu, que cobria meu rosto e bem de vagar ela me e eu retrebuí e os aplausos vieram depois e assim nos afastamos e ficamos sorrindo uma para a outra. Finalmente estavamos casadas. Logo após cortamos o bolo, o primeiro pedaço foi para Yuki.

Eu e Luka nos separamos por alguns minutos, e fomos comprimentar todos. Recebi muitos elogios e carinhos. Também recebi coisas negativas, mas não as quis. Todo mundo estava feliz e a ficha ainda não tinha caído pra mim.

– Parabéns, princesa Miku! Que sejam muito felizes! – uma mulher dizia.

– Obrigada!

– Parabens...

– Parabens...

– parabéns..

– Parabens... – e assim foi durante o evento que marcou minha vida. No fundo do meu coração eu queria muito que meus pais e meu irmão estivessem alí. Eu sei que eles estavam felizes por mim, mas eu queria mesmo que estivessem alí.

No meio de tudo aquilo o pai de Luka veio conversa comigo.

– Meus parabéns! Faça minha filha a pessoa mais feliz deste mundo!

– Com todo o prazer, majestade!

– Não precisa de formalidade! Somos da mesma família agora!

– S-s-sim é claro!

– Eu posso falar a sós, lá fora? – ele me deu o braço dele como alça e me guiou lá para fora. Chegando lá ele me contou sobre uma coisa que iria acontecer com ele em pouco tempo e quando isso acontecesse, eu teria de ajudar Luka a supera-lo. Não foi uma noticia boa, mas ele disse que não queria partir antes de ver a felicidade Luka completa. Após isso, nós voltamos lá para dentro. – Agora se me premite, vou deixa-la para cumpimentar os convidados que ainda não tinha visto!

– Sim, senhor! – assim ele foi.

Eu ainda estava nervosa devido tudo aquilo. Então me sentei e fiquei vendo o sorriso contagiante de Luka, junto das pessoas ao seu redor. Enquanto eu a admirava Yuki, Ruko e Teto vieram, comendo bolo.

– Tia, Miku! Tá sozinha porquê?

– Mal estou conseguindo ficar em pé minha linda! – assim que falei ela veio e sentou no meu colo e eu abracei a pequena, que ficou balanço os pés.

– Luka, estava com medo de você dizer não! – Teto disse.

– Serio?

– Serio, serio! – Ruko disse.

– Eu nunca diria não!

– Éh, só ela estava muito nervosa! Ainda não tinha visto esse lado dela!

– Hahaha, Eu queria ter visto! E vocês duas? Gostam de alguém? – assim que perguntei, elas olharam uma para a cara da outra e ficaram coradas.

– N-n-não! – Teto disse olhando para o lado.

– E-e-eu também não! – Ruko disse quase engasgando com o bolo.

– Sei! – eu percebi algo alí.

Ficamos conversando um bom tempo, Teto e Ruko deixaram de conversa entre si por vergonha. De vez enquando uma encostava na outra sem querer e pediam desculpas e ficavam coradas, era engraçado.

No meio da nossa coversa Luka veio me chamar para jogarmos o buquê. Então fomos para perto do altar e ficamos de costas e contamos até 3. assim arremensamos os buquês. Ao virarmos, vimos quem tinha pegado. Teto pegou e olhou para Ruko, que não escondia a vergonha, o outro caiu na mão Haku que olhou para o buquê e olhou pra Neru a beijou e jogou de novo caindo nas mãos Gakupo que estava perto de Ia e se olharam e as palmas vieram para quem os pegou. Após isso, nós fomos saindo da igreja e com todos já lá fora nos aguardando para nos jogar arroz como ritual. Ou seja, para termos prosperidade. Passamos pelo caminho de mãos dadas e sorrindo, com todos faezndo isso. Já no momento de partimos, nos despedimos de todos.

– Gente, agradeço a quem veio para ver nossa união! Agradeço, também à as pessoas que mudaram seu jeito de pensar ao conhecer nosso amor, o quê sentimos uma pela outra! – Luka disse.

– Também agradeço, fiz algumas amizades nesse pouco tempo aqui! Sei nossa união não agrada a muitos, não peço que nos aceite, mas se puderem respitar será ótimo!

com a permição de vocês eu Miku..... – antes dela terminar Yuki veio e me abraçou quase chorando.

– Oh, minha linda! Eu não vou embora! Só vou ficar com a Luka, tá!

– Sim! – ela não queria me soltar e Luka disse.

– E o meu abraço?

– Desculpa! – ela me soltou e abraçou Luka.

– Você gosta mais da Miku do que de mim!

– É que a tia Miku veio de outro lugar! – assim que ela falou todos riram.

– Ah, éh!? Bom, agora eu e a tia Miku precisamos ir!

– Pra onde? – luka olhou pra mim.

– Agente vai, conversa umas coisas que só nós podemos conversa!

– Ata! Então tchau tia Miku, tia Luka!

– Tchau, docinho! – dei um abraço junto de Luka nela e um beijinho em sua bochecha.

– Gente agradeço novamente a todos vocês e uma boa festa! – Luka disse.

– Tchau! Eu vejo vocês na nosso coroação! – assim que falei Luka me pegou no colo, eu tinha ficado sem graça, e fez suas asas parecerem e disse pra mim. – Vamos para o nosso ninho?

– Sim! – sorri, então ela levantou voou.

Com o vento batendo no meu rosto eu vi as pessoas dando, acenando. E Yuki ficava pulando, também dando tchau. As luzes da igrja se afastavam, e o momento que eu aguardava se aproximava.

– Vamos fazer amor até amanhecer minha donzela!

– Faça o quê quiser comigo essa noite! – já nos aproximavamos do castelo. Chegando lá, Luka entrou pela janela me beijando e em seguida me soltando e fechando a janela e logo após trancando a porta. – Sou sua prisioneira?

– É sim! – ela disse de costas para a porta, com as mãos nas costas e eu me sentei cama.

– Estou muito tempo sem ser tocada por você! – falei passando a mão sobre a colcha da cama, querendo muito senti os toques dela. Então ela pegou uma rosa que estava em vazo de plantas, que foi colocado para o nossa primeira noite,e veio andando de vagar e ficou parada na minha frente e pegou no queixo e ao mesmo tempo cheirando a rosa,e disse.

– Tocarei você todos os dias da minha vida, da forma, maneira como quiser!

 

 CONTINUA.....


Notas Finais


os próximos capitulos já estão prontos! No segundo só tem HOt, tá! Só tem coisas "pesadas"! e foi a parte que mais me deu trabalho! Não irei por quê tem erros e não quero um simples erro atrapalhe a leitura desse capítulo especial! eu prometi posta ele bem grande, mas como não vou ficar sem internet agora, vou poder trabalhar calma! obrigada a compreensão e agradeço aos pedidos de amizades que foram aceitos! quando essa fic acabar vou revelar algo sobre mim, que acho que já suspeitaram!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...