História Vampire destiny - Capítulo 14


Escrita por: e DehCassielf2

Postado
Categorias EXO
Personagens Byun Baek-hyun (Baekhyun), Do Kyung-soo (D.O), Huang Zitao (Tao), Kim Jong-dae (Chen), Kim Jong-in (Kai), Kim Jun-myeon (Suho), Kim Min-seok (Xiumin), Oh Se-hun (Sehun), Park Chan-yeol (Chanyeol), Zhang Yixing (Lay)
Tags Angst, Baeksoo, Chanhun, Chansoo, Destino, Kaisoo, Kyungyeol, Vampiro
Visualizações 30
Palavras 1.733
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishounen, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Hentai, Lemon, LGBT, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shounen, Slash, Sobrenatural, Steampunk, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Cheguei pessoal e com um capítulo de perder o fôlego, ufa, muita coisa vai acontecer (omg).
Não vou falar muito, boa leitura!

Capítulo 14 - Poderes do Sol


Fanfic / Fanfiction Vampire destiny - Capítulo 14 - Poderes do Sol

-Eu quero  saber  de  tudo  o  que  vem  de  você, meu  amor- falou  Kyungsoo  olhando  nos  olhos  de  Chanyeol.

Chanyeol   contou  tudo  o  que  aconteceu: desde  quando  recebeu  o  diário  de  Kim  Jongin, quando  seu  pai  o  colocou  de  castigo  e  o  seu  falso  namoro  com  Sehun. Quando  ele  terminou  de   contar  tudo, ele  abaixou  a  cabeça.

-Não  fique  desse  jeito, a  gente  se  ama- disse  Kyungsoo  colocando  a  mão  no  queixo  do  mais  novo  para  que   seus  olhares  se  encontrassem.

-Eu  deveria  assumir  para  o  meu  pai  que  eu  te  amo- declarou  Chanyeol  querendo chorar.

-Não, Chanyeol, ele  não  ia  aceitar  que  você  se  relacionasse  com  um  monstro- falou  Kyungsoo  angustiado.

-Você  não  é  um  monstro!- rebateu  Chanyeol   com  os  olhos  lacrimejantes, nessa  hora  ele  abraçou  o  vampiro  com  todo  o  amor.

Kyungsoo  se  emocionou  com  o  gesto  de  amor  de  Chanyeol, ele  retribuiu  o  abraço, logo  eles  trocaram  um  beijo  caloroso  e  apaixonado e  alguns  toques  se fizeram  necessários, depois  eles  pararam  o  beijo  para  se  recompor  mas  continuaram  trocando  carícias.

-Eu  te  amo tanto, Kyungsoo- balbuciou  Chanyeol  apaixonado.

-Também  te  amo, Chanyeol, você  é  tudo  para  mim- declarou  Kyungsoo  apaixonado.

 

Os  dois  novamente  se  beijaram  e continuaram  com  as  carícias, Kyungsoo  massageava  as  costas  de  Chanyeol  com  intensidade  enquanto  o  mais  novo  estava  entregue  às carícias  do  mais  velho, porém  quando  eles  iam  intensificar  os  toques...

-Chanyeol, vamos!- chamou  Sehun  apreensivo.

Os  dois  pararam  os  toques  e se  afastaram.

-É  mesmo, tenho  que  ir, Kyungsoo, mas  volto- falou  Chanyeol  apaixonado.

-Está  bem, meu  amor, eu  sei  que  você  sempre  volta  para  mim- consentiu  Kyungsoo  apaixonado.

-Ah, quase  ia  esquecendo, temos  que  dar  um  jeito  para  o  Chanyeol  ter  poderes  de vampiro- lembrou  Sehun  apreensivo.

-Os  poderes  dele  são  tão  fortes  quanto  o  de  um vampiro  e ele  sabe  disso- falou  Kyungsoo  acariciando  o  rosto  do  mais  novo.

Chanyeol  sentiu  um  arrepio  de  excitação.

Sehun  fez  cara  de  quem  não  entendeu  nada.

-Eu  já  te  disse  antes, meu  amor: você  é  como  o  Sol  que  ilumina  as  trevas- falou  Kyungsoo  calmo.

Chanyeol  pensou  por  alguns  segundos  e  lembrou  de  quando  Kyungsoo  lhe  disse  isso  pela  primeira  vez, então  ele  se  sentiu  emocionado  por  dentro, ele  também  se  lembrou  do  seu  terço, das  orações que  conhece  e  da  vibração  solar  que  emana  dentro  de  si  junto  com  o  cheiro  do  perfume  amadeirado.

-Obrigado, Kyungsoo- agradeceu  Chanyeol  abraçando  seu  amado  mais  uma  vez.

-De  nada, é  a  mais  pura  verdade  que  está  dentro  de  você, meu  amor- declarou  Kyungsoo, que  retribuiu  o  abraço  do  mais  novo.

-Eu  queria  poder  ficar  aqui  para  sempre  com  você- declarou  Chanyeol  apaixonado.

-Isso  é  o  que eu  mais  quero, que  nós  dois  sejamos  um- declarou  Kyungsoo  apaixonado.

Chanyeol  sentiu  um  espasmo  de excitação. Kyungsoo  percebeu  e  deu  um  sorriso.

“Qualquer dia  nos  entregaremos  um  ao  outro, basta  você   querer”- sussurrou  Kyungsoo  no  lóbulo  da  orelha  direita  do  mais  novo.

“Eu  quero”- sussurrou Chanyeol  sentindo  mais  outro  espasmo  de  excitação.

Os  dois  continuavam  com  seus  corpos  colados  e  trocavam  mais  selinhos  apaixonados que  logo  evoluiu  para  um  beijo  de  língua. Porém Sehun  começou  a  ficar  preocupado  com  a  hora.

-Chega  vocês  dois, vamos!- falou  Sehun, que  se  aproximou  de  Chanyeol e começou  a  puxá-lo  pelo  braço.

-Espera só  um  pouco, Sehun!- pediu  Chanyeol  apreensivo.

Sehun  respirou  fundo, mas  assentiu com  a  cabeça.

Chanyeol  e Kyungsoo  ainda  se  olharam  mais  uma  vez.

-Pense  no  que  eu  disse, meu  amor- falou  Kyungsoo  apaixonado.

-Já  pensei, Kyungsoo, por  mim  faria  amor  com  você  até  no  meu  quarto, deixaria  a  janela  aberta  para  você  entrar  e  seria  todo  seu- declarou  Chanyeol  todo  apaixonado.

-CHANYEOL, E  O  SEU PAI?-  intrometeu-se  Sehun amedrontado.

-Você  faria  isso  mesmo, meu  amor?- perguntou  Kyungsoo  emocionado.

-Sim, Kyungsoo, está  na  hora  de  sermos  um, afinal  você  é  meu  homem... quer  dizer, vampiro- respondeu  Chanyeol  apaixonado.

-O dia  que  você  quiser... Nós  faremos- propôs  Kyungsoo  apaixonado.

-Amanhã..... Quando  meu  pai  estiver  no  trabalho- resolveu  Chanyeol  apaixonado.

-Amanhã  estarei  no  seu  quarto, meu   amor- falou  Kyungsoo  apaixonado.

Chanyeol  assentiu  com  a  cabeça, deu  mais  um  beijo  em  Kyungsoo  e  foi  embora  com  Sehun.

 

*--*-*-*-*-*--*-*-**-*--*-*-*-

Bem  distante  dali, na  região  inóspita, mais  precisamente  nos  campos  da  mansão  de  Baekhyun, estava  Yixing  e  um  pequeno  grupo  de  escravos  colhendo  frutas  para  produzirem  as  bebidas  alcóolicas  caseiras de  Baekhyun.

Não  demorou  para  Jongdae  chegar  nesse  campo  segurando  uma  bengala  cor  de  mogno.

-Yixing, graças  aos  céus  que  te  encontrei!- exclamou  Jongdae  aliviado.

-Jongdae, o  que faz  aqui?- perguntou   Yixing  sem  entender  nada.

-É  urgente: pelo  que  você  mais  ama  e... salve  sua  vida, Yixing, não  volte  para  a  mansão ou  o  senhor  Baekhyun  poderá  te  matar- contou  Jongdae  apreensivo.

-Por  quê?- perguntou  Yixing  sem  entender  nada.

-Eu  ouvi  uma  conversa  entre  ele  e senhor Tao... Parece  você  contou  sobre  uma  história  de  vampiro  disfarçado, só  que  era  um  plano  e  agora  eles  querem  te   castigar  por  isso- contou  Jongdae  apreensivo.

-NÃÃÃO!!!- gritou  Yixing, que  caiu  de   joelhos  e começou  a  chorar  copiosamente.

-Desculpe- pediu  Jongdae  querendo  chorar  também.

-Não, Jongdae, eu  te  agradeço, eu  já  estava  para  morrer  há  muito tempo... Desde quando  o  senhor  Baekhyun  me  mandou  ir  atrás  de  um  tal  de  Chanyeol... O  amigo  dele  que  me  disse  isso  de  vampiro  disfarçado, mas... Pelo visto  foi só  para  adiar um  pouco  a  minha  morte- contou  Yixing  ainda  chorando.

-Você  ainda  tem  salvação... Pode  fugir  daqui... Quem  não  pode  sou  eu- falou Jongdae com  a voz  embargada.

-Fuja  também... Se  eles  descobrirem  que   você  está  me ajudando, você  também vai  ser   morto- sugeriu  Yixing, que  se  levantou  e  enxugou  as lágrimas.

-Eu  sou  só  um  pobre  cego, não  vou  fazer  falta  para  ninguém- falou  Jongdae  cabisbaixo.

-Para  com  isso, Jongdae, vamos!- disse  Yixing  sério.

Antes  que Jongdae  pudesse  responder  iniciou  um  vendaval, os  escravos  não  conseguiram  mais   trabalhar, o  céu  ficou  mais  escuro  do  que  já  era  e  um  enorme  nevoeiro  surgiu.

Os  escravos ficaram  amedrontados, ficaram  trêmulos  e  logo  se  prostraram com  os  rostos  no  chão, exceto  Jongdae  que  não  fazia  ideia  do  que  estava  acontecendo.

O  nevoeiro  se  transformou  em  Baekhyun  e  Tao, que  olhavam  para os  escravos  como  se  eles  fossem  insetos  a  serem  esmagados.

Os  escravos  se  curvaram  para  eles.

-Perdeu  alguma  coisa  aqui  fora, Jongdae? Seu trabalho   é  dentro  da  mansão, esqueceu?- perguntou  Baekhyun encarando  o  escravo  cego  com  um  olhar  carregado  de  maldade.

-Me  desculpe, senhor, eu  estou  indo- pediu  Jongdae  submisso, ele  foi  fazendo  menção  de  ir.

-Não  está  não- falou Tao  com  um  olhar  maldoso, ele  usou   seus  poderes  para  deixar  as  pernas  de  Jongdae  travadas.

Jongdae  foi tentar  dar  o  primeiro  passo, mas  não  conseguiu  e   por  pouco  ia  caindo, então  ele  se  apoiou  na  bengala.

Tao  e Baekhyun   riram  maldosamente.

Yixing  correu  para  ajudá-lo.

-Você  está  bem?- perguntou  Yixing  o segurando.

-Estou sim, obrigado- respondeu  Jongdae.

-Maldito  Yixing, não  se   meta!- mandou  Baekhyun trincando  os  dentes  de  ódio, nessa  hora  ele  mandou  uma  magia  de  torpedo  negro  para  atingir  o  escravo.

Yixing  grunhiu  de  dor.

-Então  esse  é  o  escravo  que iremos  castigar, primo? Vai  ser  ótimo. Já  estou  até com  cera  quente do  vulcão  para  arrancarmos  a  pele  dele- falou  Tao sádico, ele  segurava  uma  caixinha    vermelha pequena de  tampa  transparente.

-Não, por  favor!- pediu  Yixing  querendo  chorar.

-Vai  mais  ser  rápido  do  que  você  pensa- disse  Tao, que  logo  se  aproximou  dele.

-Não, não  faça  isso, senhor, tenha  piedade  dele!- pediu  Jongdae  desesperado.

-Baekhyun, dê  um  jeito  nesse  cego  ou  o  castigarei  também!- falou  Tao  se  voltando  para  o  primo.

-Isso  tudo  está  me  cansando!- disse  Baekhyun  enfurecido, ele  estava  com  os  olhos  vermelhos feito  um  vulcão  e  preparou  uma  magia  de  escuridão  suprema  para  atingir Jongdae  e  Yixing.

Tao  gargalhou  alto  e  abriu  a  caixinha  vermelha, o  conteúdo  se  apoderou  do  corpo  de  Yixing  por  alguns  segundos  e  quando  se  dissipou, o  escravo  havia  se  tornado  um  ser  inanimado.

-Serviço feito, pode  me  agradecer, priminho- disse  Tao  com  ar  de  superioridade, depois  ele  guardou  a  caixinha  vermelha  dentro  da  capa.

-Obrigado  por  isso, mas  agora  por  que  você  não  volta  para  a  sua  vidinha  de  sempre  com  seus  amantes  demônios?- disse  Baekhyun  de  modo  hostil.

-Certo, já  entendi  que  você  quer  me  ver  pelas  costas, primo  e  tem  medo  que  eu  fique  com  o  Kyungsoo- debochou  Tao  com  uma  risada  sarcástica.

Baekhyun  grunhiu  de  raiva  e  jogou  uma  magia  nele, mas  Tao  sumiu.

Depois  Baekhyun  viu  que  Jongdae  ainda  estava  adormecido, então  ele  acordou  o  escravo  com  uma  magia.

-AWAEEEE, o  que  aconteceu?- perguntou  Jongdae  sem  entender.

-Acorda  logo, escravo  e  leva  essa  estátua  para  junto  das  outras!- mandou  Baekhyun  autoritário.

-Estátua? Claro- consentiu  Jongdae  submisso.

Jongdae  foi  se  aproximando  bem  devagar  da  estátua  com  a  ajuda  da  sua  bengala, sentiu  algo  familiar  na  estátua, até  que...

-YIXING!

-Anda  logo, Jongdae, faça  o  que  estou  mandando!- mandou  Baekhyun  autoritário.

-Sim, senhor- consentiu  Jongdae  submisso, em  uma  mão  ele  segurava  a  bengala  enquanto  na  outra  ele  carregava  Yixing  com  dificuldade, por  dentro  ele  sentia  uma enorme  tristeza  mas  não  ousava dizer  mais  nada, pois  sabia  que  uma  única  palavra  poderia ser  sua  morte.

*--*-*--*-*-*-*-*-**-*-*-*-*--*--*-*-*-*-*-*

 

Algumas  horas  depois, já  na  casa  de  Chanyeol, ele  e  Sehun  estavam  juntos  no  sofá  comendo  pipoca  e  assistindo  uma  série  qualquer  na  TV  quando  Minseok  chegou  do  trabalho  e  os  viu.

-Que   milagre, os  dois  em  casa  assistindo  televisão- falou  o  homem calmo.

-Oi, pai, eu  e o  Sehun  deixamos  uns  rolinhos  Primavera  para   o  senhor- disse   Chanyeol todo  doce.

Minseok  franziu  o  cenho, afinal  ele  estranhou  o  filho  estar tão  subserviente.

-O  que  está  acontecendo  aqui, Chanyeol? Você  e  o  Sehun  foram  em  alguma  mansão  abandonada  e  por  isso  está  me  agradando?- perguntou  Minseok  desconfiado.

-Não, pai, não  é  isso, é  que...- balbuciou  Chanyeol  meio  sem  graça.

-Que?- perguntou  Minseok  encarando  o  filho.

-Eu   falo, senhor  Minseok, eu  e  o  Chanyeol  estamos  namorando- respondeu  Sehun  calmo  por  fora, mas  por  dentro  ele  estava  se  sentindo  agitado.

-Eu  sabia  que  um  dia  isso  acontecer, vocês  só  andam  grudados- falou  Minseok  com  ar  de  riso.

-O senhor  não  vai  ficar  contra?- perguntou  Chanyeol  apreensivo.

-Não, vocês  sempre  foram  amigos  e  já  que  se  gostam, namorem  oras- respondeu  Minseok  animado.

-Pai, posso  pedir  mais  uma  coisa?- perguntou  Chanyeol  receoso.

-O  quê?- perguntou  Minseok  já  imaginando  o  que  viria.

Sehun  também  respirou  fundo.

-O Sehun  pode dormir comigo   no  meu  quarto  essa  noite?- pediu  Chanyeol  apreensivo.


Notas Finais


Omggg eu avisei!!!
E as coisas ficaram quentes ui!
Chanyeol e Kyungsoo marcando encontro, e aí será que rola?
Baekhyun e Tao dupla malvada, coitado do Yixing, eu sei. Será que o Yixing volta?
Eita que esse namoro falso do Chanyeol com Sehun promete. Vai ter mesmo a noite dos dois?
Até o próximo capítulo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...