História Various L.s - Capítulo 50


Escrita por:

Postado
Categorias One Direction
Personagens Harry Styles, Louis Tomlinson
Tags Larry Stylinson, Oneshot Larry, Sexo
Visualizações 217
Palavras 2.020
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 50 - Prey (lbottom) ABO.


-Você não dormiu? Passou a madrugada assistindo Bates Motel? Louis! São seis da manhã, e agora, com que santa disposição vai conseguir estudar? Não vou deixar que falte à aula, suas notas já estão péssimas! Vou tirar seu celular, TV, computador e olha lá!

-É House Of Cards, mãe, pelo amor, terminei Bates Motel duas semanas atrás! Aliás, tomei bastante café, vai me deixar acordado até o fim das aulas. 

-À partir de hoje as coisas mudam, garoto. Vá se trocar ou vai se atrasar para a escola. E sem celular!

-Tá, mãe! -Louis inflou as bochechas rosadas e suspirou, logo se levantando. Ao bocejar, Jay o encarou e cruzou os braços.

-Eu avisei! Quando é que alguém dessa casa vai me ouvir? -Ela saiu brava dali, batendo os pés contra a madeira. Mas logo voltou. -Não se esqueça da natação hoje. 

-Não quero ir, você sabe bem o motivo.

-Por conta daquilo... É normal quando um alfa vê um lindo ômega e dá em cima dele.  É nosso instinto. 

-Controlar as vontades também deveria ser.

-Você estava saindo do cio, Louis, seu cheiro ainda era bem forte. Faz um esforço, eu continuo pagando suas aulas, não adianta parar justo agora que já está terminando o ano.

-Hmmm, mas e se ele estiver lá?

-Haja naturalmente, como o bom garoto que é, e mantenha a postura. 

~*~

Enquanto Harry beijava mais uma boca que era apenas uma diversão para si, viu Louis sair de uma das cabines do vestiário, totalmente nu, a não ser pela roupa indiscreta de banho que usava. Ele passou os olhos pelo tímido corpo há uns metros dali, mas sua atenção foi retomada quando o outro ômega gemeu. Desceu calmamente a língua por aquele pescoço delicado e sorriu. 

-Posso te morder? -O garoto assentiu, sem pensar duas vezes Harry cravou suas presas, rasgando a pele macia. Poucas gotas de sangue escorriam, ele as lambeu e logo depois dispensou o ômega. 

Passou a andar pelo vestiário cheio de garotos, alguns deles tinham suas mordidas tão reconhecidas, deu um tapa sobre o traseiro de um menino com força, apertou a cintura do outro, e assim era... O professor que dava em cima dos alunos sem ao menos se preocupar com as consequências. 

-Que florzinha linda, quanto custa? 

-Por acaso eu tenho cara de floricultor? Aliás, que piada velha! Ou foi uma cantada? O Noah me disse a mesma coisa semana passada e acabou ganhando um beijo...

-Espera, você beijou ele por ter dado essa cantada ruim? 

-Hmm, se você tivesse dito que se preocupa com a política dos Estados Unidos, talvez funcionasse mais, e eu não quero conversar contigo, não hoje. -Louis o deu as costas, dando a bela vista de seu corpo. 

-Hmm... Sabe, você foi o melhor ômega que eu marquei. Diferente dos outros, não consegui te esquecer ainda. Você é bem desesperado na hora do prazer, hm?

-Tenta me esquecer, você estragou minha vida toda. 

-Por que continua vindo em minhas aulas, então? Perguntei se queria ser mordido, Louis, e concordou com isso, não parece tão arrependido. 

-Eu estou tentando me recuperar do trauma! -Virou-se bruscamente, cheio de ódio contido em seu pequeno corpo. 

-Foi tão ruim assim? -Ele não deu sua resposta. Não valia a pena. Não naquele momento. Se encararam fixamente, nunca se sentiu tão intimidado.

-Foi um erro. 

Duas semanas atrás. 

-Vamos. -Harry sussurrava a Louis, já o segurando com força pela cintura, sentando-o na pia.

-Hmm... -O ômega gemeu, totalmente entregue ao prazer. Sua ereção já latejava, segurou no pulso do alfa e o guiou até que sua mão estivesse o massageando. 

-Você gosta disso? 

-S-sim... É tão bom!  -Styles então jogou sua arma mais suja, os beijos e lambidas com sua língua quente e macia. 

-Será que posso te morder?

-Por favor... Eu adoraria guardar sua marca em mim para sempre. 

-Isso tudo é desejo para ser fodido com força? -Louis soluçou ao que sentiu sua pele ser perfurada pelos caninos afiados. Uma pontada de dor percorreu toda sua espinha, quase que desejou chorar aquele momento, mas apenas encarou o alfa e gemeu como nunca,  uma mistura de rouquidão com manha. -Meu Deus, eu preciso te sentir. 

Dias atuais. 

-Louis! -O ômega havia entrado em transe por seus pensamentos. 

-Hm? -Levantou a cabeça e inflou as bochechas rosadas, um tique que sempre tinha quando ficava envergonhado. 

-Olha... Você tem que ir pra aula. 

-É, eu... Sei disso. 

-Vou te acompanhar. 

-Hmm, certo. Vamos. 

~*~

-Louis, você precisa manter o peito sobre a prancha, dessa forma. -Harry segurou sua cintura delicadamente e deu um impulso, o ajudando a ficar de bruços sobre a dura espuma. Deslizou calmamente a mão até a lombar e acariciou ali alguns segundos. -Você é tão lindo quando está molhado... 

O ômega acabou se desequilibrando e afundou com tudo na água.

-Meu Deus, tudo bem?

-Não! -Tirou os cabelos molhados do rosto e encarou o fundo dos olhos verdes do alfa. -Podemos, pelo menos nesse momento, nos tratarmos como aluno e professor? 

-Certo. Acha que consegue fazer sua parte sozinho?

-Eu estava tentando.

-Da maneira errada. -Louis se irritou tanto que começou a jogar água contra Harry, na maneira de machucá-lo. -Calma, ei... -O alfa o envolveu num confortante abraço, mesmo que não fosse o melhor momento. -Me encontra no vestiário depois, podemos conversar melhor.

-Hum! -Louis o empurrou. -O que tanto deseja de mim, Harry? Eu deixei bem claro que não vamos ter nada, nenhum caso...

-Eu penso diferente!

-Você não pensa com a cabeça!

-Tecnicamente sim e...

-AH, CALE A BOCA! -Tomlinson saiu da piscina bastante irritado, queria quebrar a cara daquele alfa ousado.

Já no vestiário, deciciu tomar um banho gelado, e repensou na ideia das aulas. Por si, procuraria outra instituição, mas Harry era um grande amigo da família... Era por isso que, talvez, sua mãe não tenha achado estranho o fato de Harry se aproximar demais, ou de marcá-lo, poderia até ter sido um alívio para ela, mas Louis não gostava de como Styles se comportava, de como era, hm, desapegado.

-Louis? -Ele rapidamente trancou a porta da cabine onde estava e fez silêncio. -Sei que está aí... -Continuou calado. -O que está fazendo? Tomando banho? Imaginei... -Ouviu a risada e escorou a testa sobre a porta. 

-O que você quer?

-Abre a porta para mim que eu mostro. -A voz foi ficando cada vez mais próxima. -Vamos lá, não resista... 

-Você vai me machucar? 

-Esse é seu medo? Claro que eu não faria isso, a não ser que me pedisse...

-Hmm. -Louis destrancou a porta e deu espaço para que Harry entrasse no apertado espaço consigo. Já foi sendo empurrado na lajota gelada, a água caindo sobre seus corpos enquanto se beijavam, bem fria. Tomlinson não queria ceder, mas estava cansado, talvez Harry o deixaria em paz depois de tudo.

Ou não. 

 A camisa do alfa foi grudando em seu corpo, mostrando seus músculos, Louis mesmo que o odiasse, não resistia ao seu físico tão gostoso. 

-Viu só? Eu não estou te machucando, pelo menos não ainda. -Styles sussurrou rente aos finos lábios do ômega, enquanto o agarrava pela cintura. -Sabe, até sua mãe acha que formamos um belo casal.

-Você conversou com ela? -Ficou surpreso e ao mesmo tempo se sentiu ofendido.

-Acha mesmo que eu te marcaria sem antes perguntar pra sua família? -Harry lambeu a cicatriz da mordida e sorriu. -Foi a melhor escolha da sua vida. 

-E a de mais uns quinze garotos só essa semana, hm? -Louis provocou, tocando com os dedos a visível e molhada ereção de Harry, por cima da calça. 

-Porra, e-eu... 

-É, eu sei, então, vamos brincar um pouquinho?

-Aqui mesmo?

-E tem lugar melhor?

-Não sei, Louis, você estava irritado e...

-Cale a boca. -Harry foi empurrado com força na parede e Tomlinson foi ágil em retirar o cinto, logo abaixando a calça e a cueca do alfa. Era fato que sentia falta daquele dia na pia do vestiário, mas fez questão de dar chance ao presente. 

-Ei, espera! -Louis não quis nem saber, chupou parte do pênis de Harry e sorriu, o provocando com algumas lambidas rápidas. Styles tirou os cabelos molhados do rosto e gemeu baixo, o ômega sorriu por segundos, totalmente sem fôlego. -Ah, meu querido, só você sabe me fazer delirar! O que mamãe faria se soubesse disso? 

-Ela não vai saber, e se descobrir, eu juro que nunca mais deixo você tocar em meu corpo.

-Que tortura, não seria capaz de fazer isso. -Harry desligou o chuveiro e fez Louis se levantar. Virou-o e fez recostar o corpo na parede como apoio. Abaixou sua cueca num impulso até a altura dos joelhos e passou a dar uns tapas na enorme bunda de Tomlinson. 

-AH! Harry! -O garoto se contorceu, empinou mais o quadril, seduzindo seu alfa. 

-Eu sei que você curte esse lance de levar umas palmadas, não consegue me enganar, não hoje. -Styles passou seu polegar delicadamente sobre a entrada do ômega, que gemeu desesperado. 

-Sim, vindo de você, eu curto tudo. -Agarrou os próprios cabelos enquanto era penetrado por dois dedos. -Água não é lubrificante, idiota. -Soltou um pesado suspiro, mordendo os lábios de prazer, e também para conter gemidos. 

-Estamos descobrindo isso agora e... Porra, Louis, isso está maravilhoso. -Harry movimentava o pulso com força, os anéis escorregavam por entre os dedos, meio que atrapalhando a brincadeira. 

-Eu não sou seu porta-jóias... -Louis brincou e segurou o pulso do outro. Styles então trocou de mão, passou a brincar com a esquerda, ainda mais forte e preciso nos movimentos. -OH, MEU DEUS! -Louis masturbava a própria ereção, mal conseguia respirar, estava delirando de prazer. 

-Vamos, você vai ter um orgasmo? Aah, como eu queria que estivesse no cio, Louis, porra... Íamos brincar o dia todo e- -Alguém entrou no vestiário, talvez a aula de natação havia acabado, os garotos estavam ali para se trocar. -Cala a boca. -Styles enfiou dois dedos na boca de Tomlinson para que não gemesse, porém continuou brincando com seus dedos. Logo, o ômega teve um orgasmo calado, Harry podia ver o quanto aquilo doeu e como retorceu todo seu corpo. 

-Hmm, aaah... -Louis tentava ao máximo não gemer, mas estava difícil. A cabine ao lado estava sendo usada por um dos garotos, estava muito arriscado continuar ali, porém nenhum dos dois interviu naquilo. Harry virou Louis de frente e beijou seus lábios com fúria, apertando suas bochechas, com a outra mão deu impulso para que abraçasse as pernas em sua cintura, e logo o penetrou sem cerimônia. Tomlinson soltou um alto gemido contra sua boca e recebeu um beijo rápido, seu corpo era alavancado para cima com força, e logo podia sentir o pênis do alfa ir bem fundo em si. Conter os gemidos era um desafio. 

-Se controle, baby... -Harry tentou acalmá-lo e até diminuiu a intensidade dos movimentos, mas Louis já estava bem ancioso, remexia o corpo por conta própria, Styles estava gostando daquilo. -Você estava desesperado por uma foda dessas, não é? -O alfa abriu o chuveiro para abafar os barulhos que seus corpos faziam ao se chocar, e abafar também o choro sofrido do ômega. 

As palavras entre si estavam cada vez mais picantes, Harry estava sendo baixo e sujo, e Louis ficava calado, ouvindo aquilo e gemendo como resposta. Como estavam escorregando bastante por conta da água, o ômega desceu no chão e voltou-se de costas ao alfa, que o penetrou novamente. Ambos gemeram desesperados, Styles tapou a própria boca e aumentou ainda mais os movimentos, Louis cravou as unhas em suas coxas como uma pequena vingança, perdido entre arfadas e delírios. 

-Vai, Harry, eu... -Ele mal conseguia pronunciar as palavras, mas dizia tudo entre gemidos manhosos. 

-Eu também, o-oh... -O alfa sentiu todo seu corpo tremer e se contrair, assim como o de Tomlinson. Enquanto gozavam exaustos e aproveitavam as sensações do nó, alguém bateu na porta. 

-Foi divertido a brincadeira aí dentro? -Um dos alunos comentou e todos riram ao lado de fora. Ambos riram e trocaram um beijo, talvez haviam feito as pazes, ainda mais depois de uma reconciliação bem quente.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...