História Varkos: The History - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Visualizações 3
Palavras 707
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Aventura, Fantasia, Luta, Magia
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


-----------------------------------------------

Criado com Inspiração em RP's, nos quais eu ja estive, e animações ou séries que eu já vi. Mas, não se trata de cópia, apenas inspiração.

Foque bem nisso, okay?

------------------------------------------------

Capítulo 1 - O Massacre


Fanfic / Fanfiction Varkos: The History - Capítulo 1 - O Massacre

Idade Média, Ano 536 D.C, num dia ensolarado, aonde o sol iria se pondo ao entardecer, assim desaparecendo entre uma leve colina. Pelos arredores dessa tal colina, estaria desposta uma pequena vila, de várias e humildes famílias de fazendeiros, pastores e criadores de animais. Aparentava ser uma vila antiga, com as casas de madeira, já bem desgastadas pelo tempo. Havia crianças brincando pelas ruas, pastores levando seu gado para dentro do cercado, fazendeiros terminando de colher as últimas remessas da plantação, entre outros.

Mas então, sombras aparecem no topo da colina, as quais tinham a silhueta de homens fortes e robustos, em cima de uma sequência de cavalos. Era um grupo grande, formado de mais de 50 indivíduos com espadas e lanças. E todos, estariam com suas armas empunhadas, enquanto observam a vila com grande foco, talvez procurando por algo. Enquanto isso, os aldeões observam os homens e seus cavalos, em suas armaduras de couro ou aço, a observar a vila e eles, até que dois dos homens da colina se olham, e um deles ergue a sua arma e grita.

Logo assim, o grupo avança, indo para cima da pequena vila. Eles passariam pelas ruas, já matando as mulheres e homens que acabam vendo pela frente, ou que tentam resistir de alguma forma. Com isso, o caos é total. Várias mulheres, homens, crianças e idosos, procurando escapar do fim, o qual foram destinados. Eles corriam, ou se escondiam em suas casas, que eram invadidas por aqueles homens. Alguns gritos eram escutados, vindos de dentro das casas. Talvez, estivessem sendo agredidos.. Ou estuprados.

Então, mais algumas mortes, gritos e sangue, eram vistos e escutados pelo local, até que o massacre termina. As crianças e mulheres restantes, foram dispostas em círculo, no centro da vila, aonde os homens ficaram de guarda, observando todos, enquanto oito ou nove, ficariam a saquear as casas, e pegar as coisas de valor. Então, após isso, eles começam a puxar algumas mulheres e algumas crianças, e os prendem numa fileira, que ficaria presa a um dos cavalos.

Nisso, os homens sobem em seus cavalos, e saem cavalgando, enquanto alguns celebram o novo saque de sucesso. Em meio a isso, um jovem de pequena estatura, com cabelos castanhos e olhos azuis, com aparentes oito anos de idade, lança, com força uma pedra em direção a um dos homens, e acertaria precisamente o capacete do mesmo, e acabaria fazendo cair de cima de seu cavalo. O mesmo se levanta, com ódio no olhar, e procura o feitor de tal brincadeira, o qual já se dispõe com um pedaço de madeira na mão, esperando que o homem venha.

O homem saca sua espada, e vai feroz para cima do garoto, lançando um golpe vertical contra o mesmo, para abrir seu crânio. Mas o garoto, coloca o pedaço de madeira na frente do golpe, se protegendo do mesmo, evitando sua morte. Mas o peso e a força superiores, fariam o mesmo contrair suas pernas e aguentar com dificuldade aquela espada sendo pressionada contra o pedaço de madeira. Então, o homem irritado, chuta fortemente o estômago do garoto, o fazendo voar e se chocar contra a parte externa da parede de uma velha casa. O mesmo homem, iria indo até o garoto, preparando o golpe final, mas uma voz autoritária chamaria sua atenção, o fazendo parar o que ia fazer.

— Não o mate. Se é valente assim, deverá valer uma boa quantia como escravo no Alto Forte de Redwing. O prenda com os outros, que o levaremos conosco. Vejamos se a resistência é igual a coragem.

O homem, irritado, olha para o garoto, e com custo, guarda a espada e levanta o mesmo. Em seguida, leva ele até os outros, o prende junto e fala:

— Teve sorte, moleque maldito. 

O homem diz, ao terminar de prender o garoto às correntes, e então sobe em seu cavalo, para por fim, recomeçar a partida junto ao grupo. O homem que fez com que o garoto fosse apenas preso, dita:


— Agora, vamos acelerar o passo. Perdemos tempo, já que a maioria quis dar um trato inesquecível naquelas jovens.

O grupo lança uma risada, a qual gera ainda mais raiva no garoto o qual anda acorrentado junto a outros amigos ou pessoas conhecidas.

— Então, para Redwings!

--------------------------------------------------

Fim do Primeiro Capítulo. 


Notas Finais


------------------------------------------

Não tenho mais nada interessante para comentar, nesse momento.

------------------------------------------


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...