História Veela - Capítulo 32


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Tags Camila Cabello, Colegial, Justin Bieber, Mitologia, Veela
Visualizações 1.184
Palavras 3.206
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Magia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 32 - See you again


 20 horas e 45 minutos.

(Casa da Ashley)

A noite já havia chegado e Ashley continuava ali, chorando trancada em seu próprio quarto. Depois de seu pai a forçar terminar tudo com Justin  ainda confiscou o celular e notebook, para que ela não tivesse nenhum contato com ele.

Mas do que adianta tirar tudo isso se eles ainda se veriam na escola?

Jacob também já  havia pensado nisso e falou que providenciaria a transferência dela para qualquer outro colégio em que Justin não estivesse. O fim, era isso que seria para a pobre garota.

A porta foi aberta lentamente, fazendo com que a luz do corredor entrasse no quarto. Clara entrou tentando não fazer barulho e caminhou até a cama de Ashley, onde a mesma estava deitada chorando.

―Filha. ― Clara falou em um murmuro enquanto passava as mãos pelos cabelos de Ashley. ― Você precisa comer algo. ― a encarou. ― você não comeu nada desde que chegou do colégio.

―Eu não quero comer nada. ― a garota respondeu com voz embargada. ― não tenho fome.

―Meu amor, você não pode ficar assim. ―a puxou para mais perto. ―eu sei o que você está sentindo, mas não pode deixar de alimentar por causa disso. ― afagou os cabelos da garota.

― Mamãe, está doendo muito. ― chorou. ― não sei como vou suportar ficar sem falar com o Justin... sem vê-lo. ― escondeu o rosto na blusa de sua mãe. ― estávamos tão bem. Estava tudo tão perfeito entre nós. ― soluçou. ― eu deveria ter escutado quando Justin disse que não era uma boa ideia ir àquela festa. ― fungou. ― se eu  tivesse escutado, nada disso estaria acontecendo.

― Não adianta pensar assim, meu amor. ― depositou um beijo nos cabelos da garota. ― isso vai servir para testar mais uma vez o amor de vocês. ― Ashley a olhou com os olhos cheios de lágrimas. ― A distância não vai separar vocês. Ok? ― a garota assentiu.

 

 

         8 horas e 30 minutos, terça feira

         ( Tiger High School)

       

 Depois de duas aulas exaustivas e entediantes Justin saiu pelos corredores sem rumo. Sem rumo, estava assim  desde o momento em que Jacob obrigou Ashley a terminar com ele. Destroçado, era assim que seu coração estava, nem ele e nem a Veela estavam suportando essa situação. Mais de cinquenta chamadas rejeitadas, e inúmeras mensagens sem respostas, tudo isso juntando  com uma noite em claro.

Ele abriu o armário e sem um pingo de ânimo jogou o material dentro do mesmo. Segundo seu horário, agora seria aula de Educação Física, mas ele não estava com a mínima disposição para praticar. Depois de deixar tudo no armário começou a caminhar arrastado para o vestiário, mas antes ele resolveu passar em um lugar, a biblioteca. Já que não havia visto a garota em nenhum lugar, era bem provável que a veria lá.

Então assim ele fez, começou a caminhar até a biblioteca, mas quando estava passando em frente ao gabinete do diretor viu a silhueta de uma pessoa conhecida, ele deu um passo para trás, cerrou os olhos para identificar quem era. Jacob, era quem estava lá. Justin achou estranho, boa coisa não poderia significar.

Uma coisa passou pela sua cabeça, tentar ligar mais uma vez para Ashley para obter uma resposta. Assim ele fez, discou o número dela rapidamente e começou a chamar. Chamou uma, duas, três vezes, até que ele viu pelo vidro Jacob tirando o aparelho do bolso e olhando para o visor, o mesmo cerrou os olhos e olhou para o vidro, pois tinha quase certeza de que o garoto estaria lá, mas Justin foi mais rápido e saiu do campo de visão e desligou rapidamente.

 ―Droga! ― exclamou encostando-se na parede e passando as mãos pelo rosto.

 Antes que ele saísse da sala, Justin tratou logo de sair  dali, mas como estava tão atordoado tomou o caminho inverso ao da biblioteca e foi direto para o vestiário. Chegando lá ele passou rapidamente por todos e só parrou perto de seu armário, onde deu um soco forte fazendo com que todos que ali estavam olhasse para ele.

  ―Hey, irmão. ― Chris se aproximou. ― O que está acontecendo?

―Ele nos obrigou, mano. ― falou enquanto tinha sua cabeça apoiada no metal do armário. ― ele a obrigou a terminar comigo. ― o encarou.

 ―Que barra. ― o amigo respondeu. ― Fica assim não, mano, tudo vai ser resolver. ― deu um tapinha nas costas do amigo.

― Justin! ― uma voz familiar chamou pelo garoto. ― Justin! ― era Chaz. ― Ah, você está aí. ― aproximou-se do garoto. ― tenho que um recado para você. ― Justin franziu o cenho. ― Estava conversando com Ashley e ela me pediu para te dar um recado. ― parou.

― Fala logo. Onde ela está? ― Justin desencostou do armário.

― Calma, ela foi embora junto com o Jacob. ― Chaz falou.  ― ele veio aqui para...

―Para...

― Para buscar a transferência da Ashley. ― falou.

 ― O QUE? ― Justin gritou. ― COMO ASSIM TRANSFERÊNCIA? NÃO, NÃO PODE.

―Calma, mano. Parece que ele não conseguiu a transferência imediata. O diretor falou que teria que organizar alguns papeis e só então liberaria. A transferência só deve sair no final da semana. ― explicou.

 ―DROGA! DROGA! DROGA! ― Justin chutou o armário. ― ELE QUER NOS AFASTAR DE VEZ. ― passou as mãos pelos cabelos de forma desesperada. ― EU NÃO DEVERIA TER LEVADO-A NAQUELA MALDITA FESTA! ―Socou o armário.

―Calma, mano. Acharemos uma maneira de impedir isso. ― Chris tentou tranquiliza-lo.

 

 

         13 horas e 52 minutos

         ( Casa do Bieber)

         ―Por favor, James. Eu lhe imploro. ― Justin implorou pela milésima vez já com lágrimas nos olhos.

         ― Eu já disse, Justin! Eu não posso fazer nada quanto a isso. ― James respondeu pela milésima vez.

         ― Você pode pedir para o diretor não dar a transferência. ― Justin pediu. ― Por favor, não deixe ela ir embora. ― chorou.

         James vendo o estado do filho se compadeceu e resolveu fazer algo. Ele respirou fundo e o encarou.

         ― Ok, eu vou ver o que posso fazer. ― cedeu. ― amanhã bem cedo vou à escola e conversarei com o diretor. ―Justin se encheu de esperança. ― Não posso fazer nada, pois ele é pai dela, mas vou tentar fazer uma coisa.

         ―Obrigado. ― o garoto abraçou o pai com firmeza.

         James ficou estático por alguns segundos, pois aquele ato vindo do filho não acontecia  desde que o mesmo era criança. Mas logo depois correspondeu.

         ***

         Uma semana depois...

         15 horas e 20 minutos, Quarta feira

         ( Casa da Ashley)

         Uma semana já havia passado e todos os dias Ashley chorava a falta de Justin. A garota estava em cacos, assim como o do garoto. Mas uma coisa ainda mantinha viva a esperança de tudo dar certo dentro deles. A transferência de Ashley não havia saído, James havia conseguido convencer o diretor a segurar mais um pouco antes de entregar, mas o filho teria que dar um jeito o mais rápido possível.

         Ashley mais uma vez estava em seu quarto, em todos esses dias ela estava longe de qualquer aparelho eletrônico,  não que ela sentisse a necessidade de ter acesso a eles, mas era a maneira que ela tinha de se comunicar com Justin, e disso sim ela sentia falta.

         Mais um suspiro. Mais uma lágrima. Mas um choro sufocado.

         A porta do quarto é aberta e rapidamente ela limpa o rosto, tentando esconder as lágrimas.

         ―Filha. ― a voz de sua mãe soa pelo quarto.

         ―Sim. ― responde tentando mascarar a voz de choro.

         ―Tem telefone para você. ― Ashley olhou para trás se entender. ― um amigo da escola quer falar com você.

         ―Amigo? ― franziu o cenho.

         ―Sim, ele diz que é algo sobre a feira de robótica que vocês irão participar. ― ela a olhou mais confusa ainda. ― ele disse que aconteceu alguma coisa com o projeto de vocês...

         ―Como assim? ― ela levantou apressadamente.

         ―Não sei... ele está no telefone. Vá falar com ele.

         Ashley assentiu e saiu do seu quarto, desceu as escadas e chegou até a sala, tudo isso rapidamente a deixando sem folego. Ela pegou o telefone.

         ―Alô? ― falou ofegante por causa do esforço.

         ― Tem alguém que quer falar com você. ― a voz de Chaz soou do outro lado da linha.

         Não deixando  que ela respondesse o garoto passou o telefone para Justin.

         ―Meu amor. ― a voz roca de Justin soou pelos ouvido de Ashley, fazendo com que o coração dela batesse mais forte, lágrimas escorressem pelo seu rosto e um sorriso brotar e seus lábios.

         ―Justin? ― falou com voz falha.

         ―Sim, meu amor. Sou eu. ― ele falou carinhoso. Ela sorriu. ― Você não sabe o tamanho da saudade que eu estou de você.

         ―Eu também. ― sussurrou.

         ― Eu pedi para meu pai conversar com o diretor. ― falou. ― ele não vai dar a sua transferência, falou que não perderá uma aluna tão aplicada como você. ―ela sorriu.

         ―Sério?

         ―Sim! ― ele riu fraco.

         ―E o que aconteceu com o projeto? Mamãe disse que deu algo de errado. ― perguntou preocupada.

         ―Ei, calma! Está tudo bem com o projeto. Isso faz parte do nosso plano.

         ―Plano?

         ― Sim,  você vai dizer para sua mãe que o projeto deu perda total e precisa reconstruir o mais rápido possível.

         ―Ela não vai acreditar. Muito menos meu pai.

         ―Claro que vai. ― Justin riu pelo nariz. ― Diz que só quem tem os materiais é o Chaz e que você precisa vir até aqui.

         ―Hm...

         ―Eu estarei todos os dias a sua espera e assim poderemos nos ver. ― ela sorriu. ― já tenho tudo nos esquemas.

         ―Vou tentar convence-la.

         ―Tente agora, venha para cá. Eu estarei te esperando.

         ―Acho que hoje ela não deixará.

         ―Tenta, eu preciso te ver. Eu estou sentindo tanto a sua falta.

         ―Eu também estou com muita saudade. ― suspirou fundo. ― vou tentar.

         ―Ok! Estarei te esperando. Beijos. Eu te amo.

         ―Também te amo. 

         Ela desligou e repôs o telefone no gancho.

         ―O que aconteceu? ― sua mãe perguntou.

         ―O projeto deu perda total.  ― falou de forma desesperada.

         ― Como isso aconteceu? ― Clara perguntou no mesmo nível de desespero.

         ―Não sei, parece que um cano estourou e inundou o armário onde Chaz guardava o projeto. Resumindo, deu perda total. ― mentiu descaradamente.

         ―Oh céus! ― levou à mão a boca.

           ―Sim, agora temos menos de dois meses para reconstruir tudo. ― falou frustrada.

         ―Como vocês irão fazer? ― perguntou  preocupada.

         ―Chaz pediu para eu ir até lá, assim poderemos começar de uma vez. ― retorceu os lábios. ―Mas vocês não deixarão. ― falou cabisbaixa.

         ―Justin estará lá? ― Clara a encarou.

         ―Não. Claro que não. ― respondeu rapidamente. ―Só quem estará lá será o Chaz, Justin a essa altura deve está treinando para o campeonato que será numa data próxima a da feira.

         ―Ok! ― Clara concordou. ― Se arruma que eu vou te levar.

         ―Sério? ― Falou esperançosa.

         ―Sim, mas vou te buscar antes do seu pai chegar.

         ―Ok! ― respondeu animada. ― vou me arrumar rapidamente.

         Ashley subiu as escadas correndo e foi direto para seu quarto. Ela não estava conseguindo acreditar que tudo estava dando certo.

         ***

         15 horas e 50 minutos

         ( Casa do Chaz)

         ―Justin, se acalme ou daqui a pouco vai furar o chão. ― Chaz falou para Justin, que andava de um lado para o outro.

         ―Será que ela vem? ― parou e olhou para o amigo.

         ―Eu não sei. ― falou e na mesma hora a campainha tocou.

         ―Deve ser ela, vou atender. ― Justin falou empolgado.

         ―Não. ― Chaz o repreendeu. ― Se esconde, vai que o pai dela vem trazê-la. ― disse.

         ―Tem razão. ― Justin concordou.

         Chaz caminhou até a porta e lá estava Ashley e sua mãe.

         ―Boa tarde, Ashley. ― Chaz falou simpático.  ― Boa tarde, senhora Jhonny. ― sorriu para a mãe da garota. ― entrem. ―As duas entraram.

         Clara vasculhava toda a sala a procura de Bieber, mas não achava nada.

         ―Sente-se! ― Chaz apontou.

         ―Não, eu só vim trazê-la. ― Clara andou pela sala para verificar melhor. ― venho busca-la as 18 horas. Ok?

         ―Sim, acho que dá para adiantar algo nesse tempo. ―Chaz sorriu meigamente.

         ―Ok! ― Clara cedeu. ―  Bom, eu já vou indo. ―Sorriu.

         ―Deixo que eu te levo até a porta. ― Chaz sorriu com simpatia.

         Assim o garoto fez, levou a mãe de Ashley até a porta, e quando a  fechou Justin saiu de onde estava escondido, e foi ao encontro de Ashley, envolvendo-a em um abraço seguido de um beijo intenso. Apesar de ser pega de surpresa a garota reagiu rapidamente.

         O beijo deles era caloroso, cheio de amor e saudade. Os corpos estavam bem juntos, e compartilhavam calor um com o outro. Se a falta de ar se fizesse presente, nenhum deles se importaria, pois a saudade contida no beijo superava até as necessidades biológicas.

         ―Eu.... ― Chaz começou a falar olhando para os dois, mas viu que nenhum deles estava interessado em ouvir. ― Eu vou subir para o meu quarto... ― os olhou mais uma vez. ― se quiserem subir para o quarto de hospedes, fique a vontade.

         Justin só fez um sinal positivo, mas não deu muita atenção.

         ―Ok então. ― Chaz concordou e subiu as escadas.

         Justin foi andando, enquanto segurava firme a cintura de Ashley, assim ele foi conduzindo a garota até chegar no sofá, onde Justin caiu sentado e levou Ashley consigo, fazendo com que ela sentasse em seu colo. Quando a falta de ar não era mais suportável eles sessaram o beijo. Ambos ficaram se encarando sem dizer uma única palavra, somente com as testas coladas um no outro e respiração se misturando.

         ―Eu estava sentindo falta disso. ― Justin falou cortando o silencio. Ashley riu. ― estava sentindo falta do seu beijo, do seu cheiro, da sua pele. De tudo em você. ― a beijou novamente.

         ―Eu também. ― respondeu em um sussurro. ―Você não sabe o quão torturante é ficar sem você.

         Justin  riu anasalado.

         ―Então que tal matarmos um pouco dessa saudade? ― o garoto sorriu de lado.

         ―Eu acho ótimo. ―sorriu da mesma forma.

                   ***

                  17 horas e 30 minutos.

         Enquanto Justin e Ashley ainda estavam no sofá, Chaz desce as escadas tranquilamente com o celular na mão e passa perto deles, parando logo em seguida.

         ―Eu não quero atrapalhar o clima de romance nem nada, mas daqui a meia hora a mãe já Ashley está aqui para busca-la. ― falou olhando para o casal deitado no sofá.

         ―Meu Deus. ― a garota sentou rapidamente. ― mas já?

         ―Sim. ― Chaz respondeu como se fosse obvio. ― não beijaram o suficiente? ― perguntou ironicamente.

         ―Não. ― Justin falou puxando Ashley para deitar novamente. ― Chaz, faz um lanche para nós.

         ―Está muito folgado. ―o amigo falou. ―ok, vou fazer. ― Justin sorri de lado. ― mas não se acostuma.

         ―Você é o melhor. ― Justin falou. Chaz mostrou o dedo no meio.

         Justin ficou rindo até seu amigo entrar na cozinha, logo depois voltou sua atenção para Ashley, que o olhava, ele deu-lhe um selinho seguido de um afago nos cabelos.

         ―Justin. ― a garota chamou em um sussurro.

         ―Fala, meu amor. ― sussurrou de volta.

         ―Eu estava pensando e cheguei a uma conclusão. ― ela falou enquanto desenhava linhas imaginarias no peito do dele. Ele a olhou confuso. ― eu estou preparada.

         Justin franziu o cenho, tentando compreender o que ela estava dizendo, e quando sua mente clareou, sua expressão mudou para de surpresa e felicidade. Ele sentou rapidamente no sofá e começou a encara-la com um sorriso nos lábios.

         ― Isso é sério? ― perguntou ainda sem conseguir acreditar.

         ―Sim. ― Ashley respondeu com receio e logo depois deu um sorrisinho.

         ―  Eu não sei o que dizer. ― falou ainda desacreditado. ― qua-quando seria? ― perguntou com um sorriso nos lábios.

         ―Eu não sei. ― olhou para suas próprias mãos. ― eu ainda não tinha pensado nisso. ― retorceu os lábios. ― eu só sei que estou pronta. ― o encarrou e sorriu fraco.

         Justin sorriu da mesma forma.

         ―Vai ser meio difícil, já que meu pai me proibiu de te ver e tudo mais. ― bufou. ― eu não quero que seja uma coisa as presas. Entende? ― o encarou mais uma vez.

         ―Entendo, amor. ― deitou novamente. ― faz assim. ― a encarou. ― um dia da semana você fala que precisa vir mais cedo. Que horas seu pai sai do trabalho e chega em casa?

         ― Por volta das sete horas, de segunda a quinta, quatro horas nas sextas e nos sábados que ele trabalha é às duas da tarde. ― falou.

         ― Ok! ― Justin respirou fundo. ― já vi que dia de sábado e sexta nem rola, né? ― Ashley assentiu. ― tem que ser de segunda a quinta. ― retorceu os lábios. ― se você vier para cá por volta das duas da tarde, e sua mãe vier te buscar as seis, teremos quatro horas. Estou certo?

         ―Sim.

         ―Então, hoje é quarta  e amanhã quinta, último dia útil para nós. ― riu fraco. ― Então só semana que vem gatinha. ― a olhou.

         ―Semana que vem? ― resmungou.

         ―Sim. ― assentiu. ―Ou você tem alguma amiga na qual possa dormir na casa dela, porque se você tiver te busco e vamos para minha casa.  

         ―Não tenho amiga. ― retorceu os lábios. ― o único amigo que tenho é o Malk, e ele não gosta de você. ― o olhou.

         ―Como você não tem uma única amiga? ― a encarou incrédulo. ― nem uma prima?

         ―Minhas primas moram longe. ―respondeu.

         ―Então só semana que vem gatinha. ― sorriu de lado. ― a não ser que você queira amanhã. ― arqueou uma sobrancelha.

         Ashley o encarou e ficou em silencio por alguns segundos, respirou fundo e  respondeu:

         ― Amanhã.

         ―Sério? ― Justin falou surpreso. Assentiu. ― wow!

         ―Está ruim para você? ― perguntou receosa.

         ―Não existe hora ruim e momentos inoportunos para demostrar amor e carinho. ― a abraçou. ― amanhã para mim está ótimo. ― sorriu.

         ― Ok! ― resmungou e abraçou forte o garoto.

         ― Eu não quero estragar a vibe de vocês. ― a voz de Chaz soou um pouco longe. ― mas o lanche já está pronto? ― chegou perto do sofá.

         ―Que horas são? ― Ashley perguntou?

         Justin olhou em seu relógio de pulso e respondeu:

         ― seis horas.

         ―Nossa, não dá mais tempo. ― Ashley sentou. ― minha mãe... ― antes de terminar a frase eles ouviram o barulho da campainha.  ― minha mãe. ― falou meio assustada.

          ―Justin, se esconde. ― Chaz falou.

         O amigo levantou rapidamente, pegou sua blusa e jaqueta, que estavam no sofá, enquanto Ashley ajeitava os cabelos e a roupa.

         ―Rápido. ― Chaz insistiu quando ouviu a campainha tocar mais uma vez.

         Antes de se esconder Justin puxou Ashley para um beijo de despedida.

         ―Eu te vejo amanhã. ― o garoto falou quando seus lábios desgrudaram dos da garota.

         ―Ok!


Notas Finais


É TARDE DEMAIS PARA PEDIR DESCULPAS?
Amore, eu juro para vocês que eu colocaria o hot nesse cap, mas não rolou por dois motivos, primeiro, o cap já tinha ficado enorme e com o hot ia ficar imenso, e segundo, e sempre escrevo hot em primeira pessoa, e eu não sei escrever em terceira pessoa, pois a fic está toda em terceira pessoa, então, terei que me virar para aprender e fazer uma coisa boa ...

Bjs
não me matem #comentem
proximo cap tem hot sem falta


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...