História Vegeta e Bulma- Irreversível - Capítulo 11


Escrita por:

Postado
Categorias Dragon Ball
Personagens Bulma, Personagens Originais, Vegeta, Yamcha
Tags Amor, Bulma, Bulma E Vegeta, Ficks, História, Revelaçoes, Romance, Saga, Vegeta
Visualizações 94
Palavras 1.923
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, LGBT, Lírica, Literatura Feminina, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Musical (Songfic), Orange, Poesias, Policial, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hoje acordei com o coração fora do corpo,
vez por outra é assim, porque?
Porque sinto demais.

Daiana Calixto

Capítulo 11 - Frente e Verso - Frente


Fanfic / Fanfiction Vegeta e Bulma- Irreversível - Capítulo 11 - Frente e Verso - Frente

Vegeta e Bulma-Irreversível

 

Frente e Verso

 

Frente

 

 

 

Vegeta saiu com tanta raiva daquele quarto, que nem viu para onde ia, apenas voava muito rápido… rápido de mais e parou num lugar que chamou sua atenção, um cânion, com paredões de rocha escuros e profundos era uma visão absolutamente impressionante ele achou. Também tinha formações rochosas verticais que brotam da terra até alturas bem elevadas, pensou por alguns instantes que poderia esta em outro planeta, mas tinha consciência que não estava mais ali seria um excelente lugar para liberar energia, e ele tinha energia, estava com ela acumulada desde a noite do pesadelo até a discussão com a terráquea. Ele virou e procurou a posição do sol, e se assustou em ver que já estava se ponto.

Acumulou uma bola de energia em suas mãos e lançou em uma parte dos cânions fazendo um enorme buraco, seria ali seu pouso de descanso nos próximos dias.

 

Ele passou a treinar forte, Vegeta estava colocando cada fibra muscular para trabalhar e ele via que os dias que passou treinando na cápsula realmente o fez melhorar muito… - Maldita terráquea inteligente… Ele estava em plena forma e isso facilitava cada nova rocha que ele destruía ou cada novo cânion que ele criava.

Por um tempo isso bastou, pois, passava o dia inteiro se arrebentando e aplicando todo ódio que sentia em não poder acertar as contas com aquele verme que feriu sua terráquea, além da imensa fome que tinha em ter por inteira aquela mulher e de noite dormia de exaustão.

Mas a saudade começou a cobra-lo e o ódio dava lugar a ausência de sua terráquea e nada era tão forte quanto a sensação de estar sozinho, o que para ele não seria nada de mais, a solidão nunca o incomodou em suas inúmeras viagens de conquistas, mas ele já tinha se acostumado com a rotina com sua terráquea ainda mais quando se tem como companheira a saudade do cheiro dela, e a maciez de seus lábios, e descobriu que a distância também machuca.

Ele olhava a lua que insistia iluminar aqueles olhos negros e em noites assim desde a sua chegada ali ele sussurrava bem baixinho o que queria dizer a sua Bulma.

... O tempo me devora minha linda, minha alma está indo embora sem você… E em pensamento desejava que a lua tivesse escutado e que entregasse essa mensagem a sua Linda terráquea.

Mais Vegeta não deixava de pensar em tudo que ela havia dito e acontecido com ela e mesmo tendo achado um belo lugar para treinar a vontade de ver a terráquea o estava consumindo, mas esse sentimento novo de saudades fez ele agregar algo novo a sua rotina…ele ia toda manhã, bem antes do sol nascer ver sua terráquea.

Vegeta não conseguia lidar com todo esse sentimento novo, então ainda de madrugada, voava de volta a corporação e num lugar seguro observava com muita maestria, cada lugar, antes de fazer alguma aproximação, quando se sentia seguro fechava os olhos e sentia onde o Ki da sua terráquea estava, e não era nenhuma surpresa de senti-la no laboratório.

Ele se aproximava e observava pela janela, e sempre a encontrava dormindo de exaustão em meio a papéis, calculadoras, ferramentas…

-Queria te colocar na cama minha linda.

Mais ele não podia, pois, corria o risco de acordá-la e ela o veria, não queria isso de forma alguma, pois não tinha ainda digerido bem aquela briga dos dois, então ficava pairando em frente a janela, até ela acordar meia torta e perceber que mais uma vez tinha desmaiado por lá, ou até seus pais ou um dos funcionários a acordarem.

Ele notou que ela estava diferente, menos curvilínea, nada que tirasse o encanto dela, mas não gostou de vela mais magra e isso o fez pensar que talvez ela não estivesse se alimentando direito.

Em outras manhãs ao procurar o ki dela percebia que não estava no laboratório e era gratificante achá-la na cama em seu quarto e lá ele sempre entrava, pois, raramente Bulma fechava o vidro de correr e por fim ele podia vê-la mais perto.

E la, ela estava com uma das suas roupas de dormir, que pareciam apenas um pedaço de pano que deixava muita pele à disposição de seus olhos que percorria cada parte do corpo dela e imaginava o gosto da curva de seu queixo até o pescoço imaginava a virando e indo até a nuca e descendo com a língua suas costas parando em seu quadril e começando a subir até sentir o gosto de suas orelhas.

E resolveu se aproximar mais dela parando ao lado da cama e se abaixando. Falou baixinho de olhos fechados sentindo seu cheiro que tanto amava um cheiro adocicado que só ela tinha.

-Mulher quem me dera poder não apenas sentir teu cheiro novamente assim tão perto mas também poder tocar seu corpo pela manhã, contemplando por um breve momento seu sono minha linda.

Seus olhos percorriam suas coxas que estavam expostas. Ele estava com uma vontade louca de tocar essa pele macia, tateando cada centímetro dela, querendo muito beijar e cheirar e quem sabe morder bem de leve.

Mas parecia que a energia do seu desejo escapou de seu corpo indo ao encontro de sua terráquea que se mexeu, fazendo ele se levantar. Era o máximo que ele chegava nas manhãs que vinha vê-la e essa movimentação era a senha que mostrava que estava na hora de ir embora, pois sentia o Ki da terráquea elevar…ela ia acordar e abrir aqueles imensos olhos azuis, mas ele já não estaria lá para vê-los.

Cada vez que tinha que retornar a sua caverna e campo de treino, sentia o quanto era difícil se afastar da terráquea que estava fazendo da sua vida uma bagunça, era um ser tão pequeno, frágil, força física equivalente a de uma formiga, mas tinha um gênio forte, inteligência fora do comum e era linda.

 A vida estava levando ele a querer estar cada vez mais com ela, e isso não seria algo fácil para ele que sempre teve controle de tudo e todos a sua volta, e quando não tinha apenas pulverizava para servir de exemplo a qualquer um que tentasse enfrentá-lo e essa mulher estava o testando muito e pior, ele estava se deixando testar,

Nada que ele buscasse no passado servia como base para lidar melhor com todo esse novo mundo de sentimentos que o rodeava. Basicamente em sua infância ele teve que ver todo o seu planeta ser destruído, e ver seu pai sendo torturado e assassinado friamente.

E como a maior parte dos saiyajin, possui uma personalidade fria e impiedosa e ele tendo como agravante ser um príncipe, Vegeta não tinha escolha a não ser ocultar estes sentimentos e manter a honra que é tão valorizada por ele, pois ele foi criado pelo Imperador do Universo, que ensinou a ele que um guerreiro de verdade deve sempre ocultar seus sentimentos e emoções e destacar suas habilidades sem demonstrar sentimentos.

 E ele era bom nisso, seu talento natural fazia com que ele se sobressaísse e superasse todos os desafios e obstáculos.

Foi crescendo nesse tipo de ambiente, não teve ninguém que mostrasse o que era carinho ou amor e após seu planeta ter sido destruído ele tinha que obedecer as ordens de Freeza, mesmo que por dentro ele o detestasse se não o fizesse o castigo era a morte.

E essa sombra do passado estava voltando, contudo nesses dias longos que passava ali, e tudo que até então sabia como certo até chegar a Terra estava sendo derrubado dia a dia. Era uma mistura do Velho e do novo, mais o velho era conhecido, sentimentos conhecido quase que uma vida inteira.

E tudo que ele enfrentou nesse planeta  ate o momento era novo, primeiro, ao lutar com Kakaroto ficou pasmo que um saiyajin de classe baixa, pudesse ser tão forte, ou até mais forte do que ele. Segundo, foi conhecer a terráquea que abalou sua estrutura mental.

Ele não acreditava que uma mulher dos seus 1,65 de altura e 49kg tivesse tendo tanto poder assim sobre ele, sobre o corpo dele.

 E pensar no corpo dela imagina que eram os 49kg mais bem distribuídos que ele já tinha visto e sentiu a parte de baixo do seu uniforme apertar…alguém já resolveu se fazer presente, pensar em sua terráquea estava ficando complicado, mas no estado que estava, qualquer pensamento com ela o fazia ficar potente.

Então de olhos bem fechados ele abaixou seu uniforme e colocou seu membro pra fora e massageava imaginando suas mãos pegando os seios fartos de sua terráquea e descendo pelas curvas bem delineadas indo até aquele pedaço de pano que ela chamava de calcinha e ia invadindo esse espaço bem devagar massageando… o membro de vegeta estava puro vulcão de tão quente e ele não parava de imaginar, tudo que poderia fazer com ela deitada a mercê dele, imaginou arrancando sua calcinha e chupando cada pedaço molhado daquela delícia, só pra a fazer tremer. Mas vegeta já estava quase em convulsão imaginando sua boca na intimidade de Bulma e se massageando mais rápido e forte não demorou e gozou soltando junto um urro de alívio... To com muita saudade de você minha linda, do teu corpo, do teu cheiro, realmente está fazendo falta...

Os dias se passaram e Vegeta já não conseguia se concentrar em seus treinos como antes, e a vontade de estar sempre observando sua terráquea estava indo além de seu controle, ela parecia um imã que o chamava... estava foda.

Passou a ficar mais que só as poucas horas de madrugada, quando percebia estava passando o dia inteiro escondido, se posicionado nas sombras para não ser visto, mais um belo dia de manhã ele viu uma grande movimentação na corporação e isso não fazia parte da rotina da qual ele já tinha se acostumado.

Os Verdes estavam todos animados, juntamente com os funcionários da terráquea, que iam e vinham com mesas e panos, bandejas. Procurou o Ki de sua terráquea e atrás de todos ele viu saindo toda animada, gesticulando e falando com todos de dentro do refeitório a razão do seu desassossego e da sua falta de paz a sua terráquea.

Ela estava como sempre, organizando todos para algum evento que ele desconhecia e ela fazia isso com total maestria. Vegeta ficou escondido em uma árvore, sentado enquanto via aquele alvoroço só aumentar, então ele viu a sua terráquea se afastar de todos e vim em direção a árvore da qual ele estava…será que ela me viu? ...ele pensou, mas ela passou pela árvore e seguiu em direção a mata fechada que circundava a corporação e isso já fez seus instintos ficarem em alerta imaginando onde aquela doida ia sozinha no meio de uma mata daquelas.

Ele se elevou da onde estava e sem fazer nenhum barulho começou a acompanhá-la pronto para intervir em qualquer coisa que se aproximasse dela, vez ou outra ela parava e olhava para trás e depois continuava, até que chegou a um descampado que dava para uma vista de um grande lago e viu ela se sentar em uma pedra e abaixar a cabeça e chorar.

Isso o fez querer morrer, porque ela estava ali chorando, sozinha. E quem era o responsável por fazê-la derramar essas lágrimas?

Então ele escutou sua terráquea chamar seu nome o que o fez perder a concentração. Era ele o responsável das lagrimas de sua linda... Ele desceu e pousou atrás dela.

E ela se virou…



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...