1. Spirit Fanfics >
  2. Vendido - Jikook (jjk pjm) >
  3. Quadragésimo;

História Vendido - Jikook (jjk pjm) - Capítulo 41


Escrita por:


Capítulo 41 - Quadragésimo;


Li-jun passou a noite na casa de Kyung-hil, por pedido do próprio garoto de cabelos brancos, e tiveram uma noite agradável e calma, compartilhavam dos mesmos gostos e interesses, o que tornava a conversa entre ambos extremamente prazerosa. Desde que chegaram na casa do rapaz, passaram a madrugada inteira conversando sobre livros, séries antigas e histórias curiosas. Kyung-hil cedeu ao sono quando o sol já dava o ar de sua graça, e Li-jun dormiu logo após. Estavam ambos cansados, porém, além de felizes, dormiam leves, a Jeon adormeceu com um sorriso por finalmente ter um amigo, e Kyung dormiu alegre por ter encontrado uma amiga que compartilhava seus mesmos gostos, que era inteligente, discreta e com uma voz amável de escutar. Além dos gostos pelas mesmas coisas, Li-jun e Kyung-hil entendiam como era não ter nenhum amigo, como era nunca ter alguém com quem compartilhar os interesses, querer pôr algo para fora, fosse a experiência de algum livro, ou algum problema pessoal difícil de enfrentar, e ter de ficar calado, pois não havia com quem desabafar. Kyung e Li-jun já passaram diversas vezes por situações como essas, mais do que gostariam de admitir, e tal fato estreitavam os laços criados entre os dois naquela madrugada. Era difícil para a Jeon saber que tivera de matar o próprio pai, e ter visto sua mãe tirar a própria vida na frente de seus olhos, era difícil ter crescido numa família desestruturada e errada, e saber que agora tudo que restava de seus familiares era Jungkook, seu irmão caçula, e seu irmão mais velho, que fugiu para longe de casa, e nunca mais comunicou a irmã, sumiu no mundo, deixando o passado para trás, saber disso entristecia Li-jun, por dias pensava por que não pudera ter uma família normal e amorosa, mas o simples fato de ter encontrado uma amizade a alegrava, pois nos olhos de Kyung-hil, a Jeon era capaz de ver verdade, de ver toda a bondade que o jovem tinha, a energia do de cabelos brancos era pura e boa, acalmava a alma da morena. Era bom saber que tinha um amigo para contar nos momentos ruins. Quando já passara da hora do almoço, o de cabelos brancos despertou, precisava cuidar do resto do dia, já que perdera boa parte dormindo, tinha que começar a cozinhar o que ele e Li-jun iriam almoçar, e ainda tinha que limpar a sala, a qual Kyung limpava apenas de quinzena em quinzena. Embora limpinho, bem vestido e sempre cheiroso, o de cabelos brancos não era o melhor faxineiro do mundo, às vezes só vinha a limpar e organizar sua casa quando já estava praticamente impossível conviver com tamanha sujeira e tralhas.

- Li-jun. - O de cabelos brancos chamou, cutucando a garota. - Acorda, Li-jun. Vai, acorda, 'tá na hora.

- Hm? - Resmungou a garota, se encolheu, indo para longe dos toques do amigo.

- O que 'cê quer almoçar?

- Eu quero dormir. - Respondeu a Jeon, sem ter entendido a pergunta anterior. Kyung riu, cobriu a amiga com uma coberta fina e delicada, e foi em direção da cozinha, escolheria qualquer prato para cozinhar e torceria para ser do agrado de Li-jun.

Longe e afastados da cidade, Jimin e Jungkook estavam juntos na banheira, relaxando e tomando um merecido banho após terem passado a manhã brincando pela floresta e nos trilhos do trem. Brincar com seu coelhinho fez Park esquecer do que acontecera na noite passada, e por mais que alguns músculos seus ainda doessem, divertir-se com seu coelhinho o fazia esquecer daqueles problemas, sua felicidade ao lado de Jungkook era imensa demais para Jimin prestar atenção num incomôdo tão pequeno. Brincar com seu coelhinho cercado pela natureza era uma das coisas que o loiro mais gostava de fazer, fazia bem para sua saúde física e mental, e além de diverti-lo e relaxá-lo, era ainda mais perfeito pois era na companhia de Jungkook, do homem que significava absolutamente tudo para Jimin. As dores se tornavam algo insignificante nesses momentos. A água morna limpou o suor que se espalhou pelo corpo dos dois durante a brincadeira, e os esquentou do frio que fazia do lado de fora da casa. Era um começo de tarde de neve, o inverno começava a dar as caras e consigo trazia frio e flocos de neve caindo do céu nublado, era uma das estações favoritas de Jimin e Jungkook, brincar na neve, fazer anjinhos no chão, fazer bonecos e guerra de bolinhas de neve era sempre ótimo. Após terminarem o banho, o loiro vestiu-se, e ajudou o moreno a agasalhar-se bem, com luvas e um lindo cachecol com desenhos de coelho bordados, deixou Jungkook quentinho suficiente para que pudessem descer e observar a neve sem risco de adoecerem pelo frio. Jimin desceu com o coelhinho até a porta da cozinha e sentou primeiro no batente, olhando a neve cair delicada sobre o chão e formar uma camada pesada, porém fofa, geladinha, e gostosa de deitar em cima. Jungkook sentou em seguida, deitou a cabeça no peito de seu hyung, se deixando relaxar ali, se permitiu fechar os olhinhos, apenas sentindo os flocos de neve caindo em seu corpo, era uma das melhores coisas que o coelhinho podia sentir, toda a proteção, carinho e amor fornecidos por Jimin deixavam Jungkook num estado de pura paz e calmaria, levinho como nuvem, sua única preocupação era ter a neve caindo em seu corpo, e suas orelhinhas de coelho captando cada sonzinho da natureza em volta. Momentos tão simples, mas com tanto significado.

- Raiozinho de sol.

- Sim, amor?

- Podemos fazer amor hoje à noite? - Jimin riu, concordou com a cabeça para o coelhinho, aquele tipo de pedido já não lhe era mais constrangedor, nem preocupante, significava que Jungkook também sentia prazer nas relações sexuais que tinham, a ponto de querer repetir, e que confiava sempre em seu hyung para as realizarem, Jeon amava fazer um amor debaixo das cobertas com Jimin, e aquele clima de frio era perfeito para isso. E Park, por sua vez, amava transar com seu namorado, com tanto amor transbordando de ambos, o prazer do sexo, misturado com as emoções de olhar para Jungkook e saber que ele era o amor de sua vida, o homem que verdadeiramente o amava como ninguém e estaria para sempre ao seu lado, deixavam Jimin mole de tanto amor que seu coração tinha de suportar.

- Podemos fazer a hora que você quiser. - Beijou a testa do coelhinho.

- Depois do jantar?

- Sim, amor. - Park sempre cedia às vontades de Jungkook, elas eram sempre maiores que as suas, a prioridade de Jimin era sempre proteger, agradar e alegrar seu coelhinho.

Jeon sorriu, descansou durante muitos minutos no colo de seu hyung, recebendo os mimos e carícias em seus ombros, pescoço, cabelos e orelhinhas de coelho, Jimin deslizava com calma e carinho sua mão pelo corpo do moreno, descendo e subindo, fazia carinho entre as orelhas do pequeno, e descia novamente, repetindo esses movimentos, vendo o sorriso estampado no rosto de Jungkook. O Jeon amava os carinhos de seu hyung, e manhoso como era, nunca os negava, podia ficar horas recebendo os mimos vindos das mãos de Jimin, e Park não se incomodaria de ficar o dia inteiro fazendo carinho em seu namorado para vê-lo sorrir daquele modo tão lindo que o loiro tanto amava. Jimin não temia em confessar que era um verdadeiro sortudo por ter seu coelhinho em sua vida. Sentia que o mundo problemático de hoje já não importava mais, pois o loiro enxergara finalmente que a vida era linda apesar de todos os problemas, e que nada o importava além de vivê-la ao lado de Jungkook. Ficaram por muito tempo ali, até que a quantidade de flocos de neve a cair sobre o chão começou a aumentar e ficar consideravelmente mais forte, ocasionando uma nevasca, e então os dois optaram por entrar em casa. Jimin trancou bem as portas e janelas, ligou o aquecedor geral da casa, e após jantar com seu coelhinho na cozinha, subiu com ele para o quarto, não precisando falar nada, nem ser lembrado por Jungkook do que estavam prestes a fazer. O loiro foi quem iniciou o beijo, mas Jeon teve a iniciativa de deitar-se na cama, e puxar seu hyung pela camisa até que ele estivesse sobre seu corpo. Jeon amava sentir o corpo de Jimin junto ao seu, era como se estarem perto daquela maneira durante o sexo aumentasse e fortificasse ainda mais os laços que tinham, que já eram absurdamente inquebravéis.

- Ei, moreninho, o hyung vai tirar suas roupas, ok? - O moreno concordou, lá fora podia estar frio, mas o quarto permanecia aquecido e Jungkook sabia que fazer amor esquentava seu corpo, o fazia queimar como brasa, além de ser prazeroso e deixar o coelhinho extremamente satisfeito e feliz. Jimin tirou as luvas, o cachecol, a camisa e a calça do namorado, e com a ajuda dele, tirou a própria camiseta em seguida. - Não está com frio? - Park sempre preocupava-se com o bem-estar de seu coelhinho, e isso sempre fazia um sorriso aparecer nos lábios fininhos. Era bom saber que seu hyung o amava e se preocupava tanto consigo. Era maravilhoso.

- Não, raiozinho de sol, não precisa se preocupar com isso. - Afirmou o Jeon, Jimin concordou, e voltou a beijá-lo, colocando-se novamente sobre o corpo de seu namorado. O beijo era carregado de carinho, de amor e de desejo por ambas as partes, e além disso, Jungkook agora já sabia como beijar melhor, deixava a experiência ainda mais gostosa e satisfatória, tanto para ele quanto para Jimin. Separaram o beijo depois de alguns segundos, o moreno segurou nos cabelos de seu hyung, ao que o mais velho descia lentamente pelo corpo do namorado, até chegar em seus mamilos.

- Se você não gostar, eu paro, tudo bem?

- Tudo bem, solzinho. - Respondeu Jungkook, mesmo tendo certeza de que iria gostar, pois Jimin já fizera aquilo uma vez, e fora maravilhoso. E, como já esperado, a língua de Jimin em seus mamilos fez Jungkook gemer tímido, da boca do moreno saiam barulhinhos confusos e satisfeitos, aquilo era realmente magnífico, Jeon sentia-se no céu toda vez que seu hyung passeava a língua por seu botãozinho amarronzado, e Park lambia-os pela satisfação de deixar seu coelhinho cheio de prazer, e ouvi-lo gemer tão dócil e manhoso, mais do que Jimin era acostumado a ver no dia a dia. - Eu amo quando faz isso, raio de sol.

- E eu amo quando me chama assim. - Respondeu o loiro, se sentia privilegiado por poder ser chamado daquela maneira pelo anjinho que era Jungkook, poder amá-lo e ser tão amado por ele. Aquela sorte de encontrar alguém como Jeon era rara, e Jimin a tivera sem sem procurar, então jamais deixaria que ela escorresse por seus dedos, nunca deixaria que tirassem seu coelhinho de si, suas almas já haviam se entrelaçado demais para que fossem capazes de se separarem, ou serem separados por alguém. - O hyung vai fazer uma coisa, e você vai gostar, ok?

- Pode fazer. - O moreno roçou seu nariz com o de seu hyung, e o viu descer sobre seu corpo até chegar à altura de seu pênis, Jungkook achou que seu raiozinho de sol chuparia-o como fez da primeira vez que fizeram amor, mas Jimin lançou-o um sorrisinho manso, tranquilizador para o moreno, e se aproximou da bunda de seu namorado. Jeon o olhou confuso, sentia a respiração de seu hyung próximo à sua pequena entrada, já encharcada pelo líquido que sempre escorria por ela quando o moreno excitava-se, era comum durante o sexo de ambos que Jungkook liberasse aquela lubrificação de seu ânus, e um cheiro doce, patecendo açúcar queimado. - Solzinho?

- Relaxa, moreninho, você vai gostar.  - Jungkook concordou, buscou apenas relaxar sobre a cama enquanto deixava seu hyung fazer tudo, por mais que não soubesse o que ele estava fazendo, ou planejando fazer, Jeon confiava cegamente em seu raiozinho de sol para tudo, ele nunca o machucaria, Park fazia de tudo para agradar seu coelhinho e o moreno reconhecia isso. Jimin começou fazendo pressão na entradinha pequena e fechadinha de seu coelhinho, já podia ouvir os gemidinhos tímidos vindos do namorado, e se tornaram mais altos quando o loiro deu a primeira lambida em seu ânus. Jeon contraiu seus dedos, aquilo era magnífico, o moreno podia afirmar com toda certeza que foi uma das melhores sensações que já teve na vida, sentir a língua de seu hyung naquele lugarzinho o causava arrepios, sua barriga se contraia de tanto desejo e prazer que Jimin o proporcionava naquele momento.

- Hyung-mmhn... - Park sorriu, antes de começar a fazer o beijo grego no namorado, teve medo dele acabar por não gostar tanto, se sentir incomodado ou sufocado, mas Jungkook não só pareceu gostar muito, como chegava a erguer o quadril para que Jimin alcançasse todas as áreas possíveis mais facilmente, queria mais da língua de Park em sua entradinha, queria sentir mais daquilo, era um prazer quase que divino para Jeon, maravilhoso em todos os sentidos. Seu hyung dissera que seria bom, e como era um homem de palavra, estava sendo incrível, uma nova experiência tanto para Jungkook para Jimin, o loiro estava fazendo um beijo grego pela primeira vez, pois Jeon foi o único homem com quem se sentiu bem e confortável o suficiente para realizar aquele fetiche, que além de prazer, rendia a Park e a Jeon um grau ainda maior de intimidade e cumplicidade entre os dois.

- Você gostou, moreninho? - Jungkook concordou rápido, Jimin se sentiu extremamente satisfeito por ter agradado seu coelhinho, e continuou o que estava fazendo, se deliciando com a lubrificação e o aroma adocicado que seu namorado tinha naquele lugarzinho. Park ficou minutos entretidos ali, passou a língua em cada cantinho de seu moreno, lambuzou-o inteiro naquela partezinha de seu corpo que apenas ele tinha permissão de tocar, e se encantou com os gemidos manhosos e cheios de dengo do mais novo. Jeon nunca pensou que ter seu hyung lambendo aquele lugar fosse ser tão magnífico e prazeroso, estava cheio de tesão, embora não soubesse o que aquilo queria dizer, e com os hormônios a flor da pele, louco para ter uma explosão de orgasmos junto com seu querido hyung. - Moreninho... - O mais velho chamou baixinho quando se afastou da bunda do namorado.

- Hm?

- Você tem um corpo muito bonito, sabia? - Jimin assistiu os lábios do moreno formarem um lindo sorriso.

- Verdade, raiozinho de sol?

- Sim, amor. - Park lentamente beijou seu coelhinho, passeou suas mãos por seu corpo, num carinho que fez o moreno abrir mais um de seus sorriso durante o beijo. - Quer que eu penetre?

- Quero. - O loiro ajeitou-se sobre o namorado, pegou as pernas grossas e pôs ao redor de sua cintura, e puxou Jungkook para mais perto de si. - Não se preocupe, solzinho, você não me machuca. - Jimin sorriu, iniciou mais um beijo junto com Jeon, e penetrou-o calmamente, entrou devagar dentro de seu namorado, e não separou o beijo nem ao menos quando já estava com todo seu pênis dentro do moreno. Jungkook sorriu quando sentiu-se preenchido por seu hyung, apertou suas pernas em volta da cintura fina do mais velho e sorriu novamente, sentia uma sensação deliciosa quando Jimin entrava por inteiro dentro de si, tanto ele quanto o loiro haviam aprendido que prazer e amor juntos era bem melhor que o prazer puro sem sentimentos. - Isso é delicioso.

- Você tem razão. - O Park riu, segurou as mãos de seu coelhinho e entrelaçou seus dedos com os dele, mordendo fraquinho o lábio inferior do moreno. - Vou começar, certo?

- Certo.

O loiro começou as estocadas, lentas e sútis, gemia baixinho conforme seu pênis explorava cada pequena parte interna de Jungkook, por mais que as conhecesse bem, eram sempre novas sensações a medida que ia e vinha dentro do corpo do moreno. Jeon apertou as mãos do loiro, satisfeito com as sensações proporcionadas por Jimin, seu corpo inteiro parecia responder bem aos estímulis e estocadas vindas do mais velho, o amor que faziam nunca era igual, Park sempre dava um jeito de inovar e deixar mais gostoso e prazeroso para ambos, principalmente para seu coelhinho. O loiro ondulava o quadril enquanto estocava, cada ponto de prazer do mais novo era acertado, e todo o pênis de Jimin era abrigado dentro da entrasa quentinha do moreno.

- Hyun-nhmg. - O Park mordeu o lábio quando o chamado de Jungkook se estendeu em um gemido, e teve mais vontade ainda de fazê-lo gemer novamente daquela maneira. - Quero te abraçar. - Jimin sorriu, tímido, também tendo vontade de agarrar seu coelhinho, gozar juntinho dele, dormir abraçado e soltá-lo apenas no dia seguinte, quando fosse hora de acordar.

- Venha cá, meu bem. - Abraçou com força o moreno, trouxe-o para cima até que ele estivesse sentado sobre si.

- Solzinho... - Sussurrou o híbrido, abraçado em seu hyung, mexeu seu quadril para frente e para trás, causando efeitos pesados em Park, fazendo da boca do mais velho saírem gemidos altos. - Isso é delicioso.

- Eu sei, amor, é divino. - Enquanto seu moreno mexia seu quadril, mesmo que desajeitado, Jimin começou a mexer o seu para cima e para baixo, estocando seu namorado, vendo a barriga dele eufórica demais, contraindo-se a todo momento. Tinha certeza que logo Jungkook gozaria. - Vamos gozar juntos, uh?

- Uhum. - O moreno apertou o abraço, e inconscientemente, chupou o pescoço de seu hyung, podendo ouvir o urro de prazer vindo dele quando sentiu a boquinha quentinha do moreno sugando sua carne tão sensível. - Solzinho.

- Sim, amor?

- Eu quero que você-nghm... Que você aperte meu rabinho. - Jimin se assustou com o pedido naquela ocasião, e até parou de estocar por alguns instantes, fazendo o coelhinho resmungar baixo. Park sempre pensou que aquele fosse uma área que provocava cócegas no moreno, não prazer. - Por favor. - O mais velho, mesmo assustado, concordou, continuou os movimentos de antes, e como pedido, apertou o pompom fofo de Jungkook. Suas costas foram arranhadas pelo moreno, e um longo gemido se estendeu pelo quarto, manhoso e deleitoso, Park assistiu de pertinho o rosto de seu namorado contorcido em uma expressão de prazer, com as madeixas coladas na testa, o corpo suado e quente, Jimin não aguentou-se com tal visão, e gozou junto com seu moreno, o acompanhando em um gemido alto e prazeroso. Levaram alguns minutos para se recuperar do orgasmo, Jungkook desabou sobre o corpo de seu hyung, sendo acolhido por ele e sentindo a respiração pesada e ofegante em seu pescoço. - Obrigado, raiozinho de sol.

- De nada, moreninho. - Jimin beijou a cabeleira de seu namorado, segurou-o sobre seu colo, e ajeitou-se com ele no colchão macio. - Está cansado?

- Bastante. - O pequeno mal podia abrir os olhos pelo cansaço que o orgasmo o causara, mas seu sorriso no rosto não negava o quanto havia gostado daquilo.

- Então vamos tomar um banho e dormir?

- Eu disse que estou cansado, não que não vou descansar e fazer amor com você mais vezes. - O loiro riu, cobriu o namorado com o edredom, ainda com um enorme sorriso no rosto. Jungkook era extremamente adorável, o amor de Jimin por ele mal cabia dentro de seu peito, não seria exagero dizer que era infinito. - Na verdade... - O moreno abriu os olhos, e Park contemplou toda a imensidão das orbes escuras e o olhar inocente e doce de Jeon. - Acho que estou pronto para mais uma.


Notas Finais


mimos para vocês

se eu fizer um capítulo do passado da li-jun e do kyung-hil, vocês vão ler? Sejam sinceros


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...