1. Spirit Fanfics >
  2. Vendido a um JEON -Jikook- >
  3. Um.

História Vendido a um JEON -Jikook- - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Oi meus amores! Venho trazendo essa nova fanfic. Fazia muito tempo que não escrevia, estava precisando disso.
Estou com essa idéia, e pra mim, está incrível. Tenho quase certeza que vão gostar. Enfim, chega de enrolação, e vamos ao que interessa.
Boa leitura, espero que gostem!♡

Capítulo 1 - Um.


O ar estava rarefeito, e até um pouco difícil de respirar com tanto medo que eu sentirá. Minha cabeça batia violentamente  outra a lateral do porta malas. Me sentia até um pedaço de carne jogado ali. A questão era, o porque, eu já não sabia.

— Ei.. você tá vivo? - ergo o rosto e encaro um ser a minha frente. Ele tinha cabelos grandes, pele pálida e parecia estar com medo tanto quanto eu. — Eu sou Tae, Taehyung. Qual é o seu? 

— Jimin - Falei mais como um sussurro.

— Está indo prós Jeon também? - Assenti com a cabeça. — Você é um ômega? - Assenti novamente e ele riu baixinho. — Você não fala? - Fui pego de surpresa e acabei rindo abafado. 

— Só estou.. estranhando tudo.

— É, eu também estou.

O veículo para é rapidamente o menino me encara arregalando os olhos, o que me fez sentir ainda mais calafrios. Voltei a abaixar a cabeça fechando os olhos com todas as forças que poderia ter naquele momento. Tudo era incerto, e eu não poderia imaginar o que viria pela frente. Se iam ficar comigo ou simplesmente vender de novo. Se iam ao menos me dá um abrigo e comida como pagamento. Se eram bons, justos ou apenas homens rancorosos que só pensavam no lucro. 

— Tem dois aí atrás.  O Jeon não vai se importar, só é levar ele pro deposito. Rápido, vai! - escutei alguém falar do lado de fora e bruscamente o porta malas e aberto, com a claridade invadindo o pequeno espaço que havia ali entre mim e o garoto.

— Ah, são ômega? 

— Claro né imbecil. Tira logo eles! - Abri os olhos encarando os homens a minha frente. Eles puxaram Tae e logo eu. Nos guiaram por um corredor. Enquanto um não saia do celular, o outro se mantinha-se atrás de nós. As paredes dali eram todas em um tom de branco gelo, com apenas algumas manchas, como se tivessem sido pintadas a pouco tempo. Entramos por uma porta preta, o que me fez duvidar do que poderia ter lá dentro. Com uma luz fraca iluminando o local, havia várias cadeiras enfileiradas uma do lado da outra. E eles nos empurraram para nos sentar.

— Aí - Tae rosnou assim que os homens se afastaram. — É agora que começa...

— O que é agora? - Perguntei encarando duas feições que se variavam em medo e ansiedade.

— Eles trazem as pessoas pra cá, todas. Aí os Jeons vem, vêem, e escolhem as que eles querem que fique. 

— todas? Tem mais? 

— muito mais! Não tá vendo esse tanto de cadeira? - Ele perguntou e eu virei para observar mais uma vez as cadeiras. Meu coração acelerava a cada segundo. E minha respiração já nao tinha um ritmo certo. Olhei para a porta, no qual os homens tinham saído, mas logo voltei a Tae.

— E se eles não nos quiserem?

— Acho que eles nos vendem de novo. O pior de todos os Jeons é o senhor Jungkook. Você o conhece? -  neguei com a cabeça, prestando atenção em cada palavra que seria dita por ele. — Bom, falam que ele não tem piedade de ninguém. Mas a verdade é que ele já sofreu muito..

— Com o que? - Perguntei curioso.

— O ômega dele morreu a alguns anos atrás. E ele estava esperando um filho do senhor Jungkook. E desde então ele não consegue amar ninguém, muito menos ter piedade de alguém.

— Como você sabe de tudo isso? 

— Bom, é o que falam. - Ele deu de ombros, como se tivesse contado um milhão de vezes aquela história. Respirei fundo tentando processar tudo aquilo. A porta se abre novamente e várias pessoas, tanto ômegas como alfas, são encaminhados até onde estávamos. Todos se acomodam preenchendo as cadeiras e logo os homens ficam a nossa frente. 

— Bom, os patrões já estão chegando. Espero que se comportem bem e tenham sorte, senão, já sabem. - Ele fala rindo, como se achasse uma brincadeira tudo aquilo.

— Eles vão olhar cada um de vocês. Estão marcados com números. Eles vão escolher você pelos números. De um a vinte e cinco. - Assim que ele fala, abaixei a cabeça para olhar o pequeno plástico pregado a minha blusa, correspondendo ao número 3. —  Casos eles não queiram, a gente leva vocês prós outros caras. Mas rezem para ficar, vocês nao vão gostar de ficar com a família Churchill.

— Eles são maníacos. - Tae sussurrou no meu ouvido. Mordi o lábio inferior apreensivo, e juntei as mãos em cima do colo.

— Nervoso?-  Olhei para o outro lado e vi um menino me encarando com expectativas.

— ah, sim...

— Eu sou Suga, prazer. Não precisa ficar nervoso, você é bonito. Os Jeons sempre ficam com os bonitos, bando de filha da puta.- Fala olhando pra frente, enquanto balançava a cabeça. 

— E como você sabe disso? - Perguntei observando suas feições. 

— Sabendo. - Ele falou voltando a me olhar com um pequeno sorriso nos lábios. Olhei para a porta e vi três homens entrando. Eles eram altos, bonitos e bem vestidos. O que sugeri ser os Jeons. Eles falaram algumas coisas com os homens que já estavam ali e logo passaram os olhos sobre nós. Abaixei a cabeça me impossibilitando de ver que não seria aceito. Eu já esperava isso. Teria que ficar com a outra família, os tais maníacos, o que me deixava ainda mais nervoso e apreensivo.

— Por que está de olhos fechados? - ouço uma voz grave, diferente, que me fez arrepiar instantaneamente. Nunca tinha ouvido aquela voz. Volto meu olhar para cima, encarando o homem a minha frente. Roupa social, braços cruzados, realçando seus músculos e olhos negros. — Eu lhe fiz uma pergunta.

— É, esse não. Já sabe que esse não Jungkook. - Um dos seus irmãos fala me olhando e anotando no papel. Mas, Jungkook não tiverá mexido um músculo do lugar, nem mesmo seu olhar sobre mim.

— Só estou com medo. - Falei o encarando, mas logo percebi a proporção das coisas e abaixei rapidamente a cabeça. 

— E porque está com medo?

— Eu.. não sei lhe dizer, senhor. - Falo e logo sinto sua mão sobre meu queixo, o erguendo. Engulo em seco e fito seus olhos enormes a me encarar. Ele parecia fascinado com alguma coisa, na qual eu não fazia idéia. 

— Número 3. - Ele disse soltando meu queixo e indo em direção aos irmãos. 

— Que? Já tínhamos tirado esse. - Um dos irmãos suspira.

— Número 3. - Jungkook insiste.

— Porque? - O irmão mais velho encara Jungkook.

— Meu número favorito. - Jungkook fala com um pequeno sorriso nos lábios. Soltei o ar que estava preso e logo sinto uma cotovelada de leve no braço. 

— Você já foi escolhido. Que sorte! Meus parabéns. - Tae sussurra rindo, enquanto me olhava. 

— Acho que vou desmaiar de tanto nervosismo... - Suspirei passando a mão sobre o peito tentando recuperar o fôlego e a calma. Volto minha atenção aos Jeons e percebo que eles me encaravam enquanto cochichavam. Jungkook da uma última olhada na minha direção e sai pela porta, logo seus irmãos o acompanhando. 

Um dos homens passa a anunciar os nomes que ficariam, e pela minha sorte eu realmente tinha ficado e Tae também, meu único amigo. E até Suga, o alfa que eu acabará de conhecer. Todos passam a sair e caminhar em direção a um prédio. No total, só onze ficaram, o resto foi levado para os veículos de novo. E entre os onze, a maioria era ômegas. Havia três hotéis de cinco andares um do lado do outro. E presumi ser ali nossa nova moradia. 

Eles dividiram os ômegas dos alfas e entrei junto a Tae no Hotel só de ômegas. Tudo ali era antigo, até mesmo os moveis. Em cada andar havia três quartos, e os quartos eram em dupla. Então, rezei mentalmente para ficar junto a Tae. Antes mesmo de eu ver quais quartos estavam disponíveis, um dos homem me puxou pelo braço me distanciando dos demais. 

 — É, você teve sorte. - Franzi o cenho.

— Sorte? 

— Só o senhor Jungkook queria você.  - Fiquei paralisado o olhando. — E ele quer cinco ômegas lá ainda hoje, incluindo você. Então faz isso a mim? Chame mais quatro ômegas, e quando estiverem prontos, me chame. - Assenti o vendo sair pela porta. Pisquei algumas vezes tentando processar tudo que tinha acabado de escutar. 

— Ei.. Ei, Jimin? - Virei vendo Tae me encarando com um olhar preocupado.

— Oi. O que foi? 

— Tá tudo bem? - Assenti. 

— Sim. 

— O que ele queria? - Tae fala apontando para a porta onde o homem saiu. 

— O senhor Jungkook precisa de cinco ômegas lá, ainda hoje. E ele me pediu pra escolher os cinco.

— Mas tirando você né? - Neguei.

— Não..

— Com você também? Como assim?

— Eu não sei, mas ele disse que queria a mim lá, ainda hoje. - tudo estava me deixando muito confuso.  Mas eu não tinha o que fazer, a não ser obedecer. Eu agora era propriedade dele. Eu, Park Jimin, era propriedade dos Jeons.








Notas Finais


THATHATHAAAAAAAAAA
LEVANTA A MÃO QUEM TAMBÉM GOSTARIA DE SER PROPRIEDADE DOS JEONS! 🙌 Kkkkkkkkkkkkkkkk
Eae, gostaram? Comentem, pleace!
Preciso saber se estão gostando pra poder continuar a fanfic.
Então, até o próximo capítulo, bjs!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...