1. Spirit Fanfics >
  2. Venus y Marte- JJK >
  3. Chapter 30: colisión de estrellas

História Venus y Marte- JJK - Capítulo 31


Escrita por:


Capítulo 31 - Chapter 30: colisión de estrellas


 

– Era para significar exatamente isso, mi corazón.

– De onde tá vindo todo esse fogo. Hein?

– Reza pra minha mãe não ir embora agora, se não... Si no, haría muchas cosas con tu cuerpecito... – Ele praticamente gemeu enquanto ele falava palavras fazendo o uso de não- eufemismo.

– O que exatamente você estava planejando fazer comigo? – Perguntei boba.

– Vou te castigar de tantas maneiras, mommy... – Ele sussurra palavras quentes no pé do meu ouvido, palavras tão estúpidas e agradáveis de ouvir.

– Jungkook não fala assim não. Por que se não você ergue até o pau imaginário que eu tenho... Então pare já! – Praguejei.

– Eu não vou parar de te provocar. Eu sei que uma hora usted vai ceder.

Ele ri das minhas expressões sabendo que estava conseguindo torturar de modo psíquico. Logo a sua mãe vira-se para mim então em par de segundo ela deixa o quarto. Dada a saída de minha sogra com a mesma fechando a porta, nós caímos na risada. Jungkook aproveitou a brecha da saída de sua mãe, então me virou de frente para o mesmo.

— Está ciente de que hoje você será a minha submissa. Não?

  Fomos interrompidos. Sol retornou ao quarto, então nos flagrou em um momento íntimo, não estávamos desnudos nem nada. É só que Jungkook estava usando palavras de baixo calão enquanto tateava a minha epiderme.

– Desculpa atrapalhar a conversa do casal, mas eu preciso ir embora. Hoje eu só vim ver como o Jungkook estava e como ele está em ótimas mãos, acho que não devo mais me preocupar né? – Sol nos explica o seu retorno.

– Exatamente. Agora eu acho que é a hora certa pra você ir embora, mamá.

– Jeon Jungkook. Pare já de ser rude com a sua mãe, se não eu vou... Eu vou.., – Eu não conseguia falar diretamente pois suas mãos estavam hospedadas em meus ombros.

– Se não você vai fazer o que? – Ele estava me desafiando.

– Ai nada demais Jungkook! 

– Você já está úmida ou estou errado? – Ele não poupava as palavras de baixo calão mesmo estando diante de sua mãe.

– Não eu não estou úmida, coisa alguma... – Pior que fosse ele estava certo. Eu estava úmida, mas tudo por culpa de seus atos arteiros e contínuos.

– Eu sei os seus pontos fracos, baby girl.. – Sussurrou no pé do meu ouvido.

– Ok que ótimo, Jungkook agora sim você conseguiu o que mais queria... Satisfeito?

Sol nos olhou atônita.

– Perdão Sol, seu filho não está colaborando comigo ultimamente...

– Mas eu não fiz nada– Jungkook veste uma camisa enquanto suas tatuagens são exibidas de modo explícito.

– Ok... Essa é a minha deixa, amores. Espero que você se comporte, já que a sua namorada vai passar alguns dias no mesmo teto que você.

– Mamá, eu não sou mais criança! Eu sei me cuidar... – Ele não tinha tanta certeza, talvez Jungkook queria mostrar a sua mãe que já era maduro. Pois a insistência daquela que o criou em chamá-lo de criança ele já não tolerava mais ficar de boca fechada.

– Kookie-ah. Não fale dessa forma rude com a sua mãe, ela veio te visitar. Deveria ao menos demonstrar empatia em ela ter te procurado.

– Adios mis amores.

– Cuide-se senhora Sol, e mande lembranças se possível a Yang. Tá bom? – Tomei a frente mostrando o quanto me importava com a ilustre visita de minha sogra.

– Que gentil Luna. Ah! Não se preocupe eu irei me cuidar, agora devo ir mesmo. Tenha um ótimo dia!

– Tchau mãe. – Jungkook continuou agindo da mesma maneira, então como uma mãe belisquei o seu braço. Ele ficou me encarando esperando uma resposta, então dei meu silêncio como resposta.

– Vai já dar um abraço na sua mãe, e detalhe dessa vez eu que estou mandando... – Murmurei entre dentes.

– Eu estou farto de ser tratado como criança por ela. – Desabafou com um suspiro.

Não que Jungkook estivesse mal humorado naquela manhã. Ele só estava aborrecido por sua mãe nunca o ver como um adulto responsável. Antes que sua mãe fosse embora. Jungkook puxou-a pelo braço de modo delicado. Eles se abraçaram, foi tão lindo todo aquele momento fraterno entre mãe e filho.

– Agora vou deixá-los a sós, eu prometo. – Brincou.

– Mãe...

– Sim Jungkook? – Ela o olhou com um grade afeto.

– Me desculpe por ter sido arrogante com você. Me desculpa de verdade, eu não queria ter te tratado daquela forma.

– Eu sei que não fez por querer mi ángel. Mas agora devo ir pois vocês precisam ficar sozinhos... – Sua mãe diz com uma piscadela discreta, mas Jungkook acaba dando risada da piscadela da mãe para concluir que devíamos ter mais momentos íntimos e intensos.

– Não conte esse nosso segredo a ninguém. – Ela brincou então deram-se um último abraço. Assim que ela deixou o quarto, Jungkook a acompanhou até a porta. Quando chegaram a porta, sua mãe deixou um conselho ao mesmo dizendo:

– Cuide bem de Luna. Ella es el mayor tesoro que puedes tener, Jungkook. – Aconselhou o filho e seguidamente deram outro abraço, seguido de algumas lágrimas por Jungkook ficar emotivo com algo que diz respeito a mim, tu eterno amor. 

–  Eu cuidarei, a senhora pode ter certeza.

–  Hey! Não estou tão velha para me tratar por senhora. - Sol gostava de brincar, mas as vezes Jungkook pensava que a mãe estivesse falando com toda a seriedade do mundo.

  Os dois se despediram. Então como estava na ponta da escada, e vi Jungkook fechar a porta dando adeus a mãe. Corri novamente para o quarto, então fingi que não espiei os dois. Ele adentrou no quarto abrindo a porta, então me viu o encarar.

– Aí gostei de ver. Agora sim, esse é o garoto que eu sou apaixonada de verdade. – Elogiei-o.

– Desculpa. É que eu realmente não suporto mais ser tratado como uma criança indisciplinada pela minha mãe.

– É. Eu sei como é. Mas tambem sua mãe deveria saber que não tem como você criança, pois está fora de cogitação uma criança fazer sacanagem com outra – Brinquei não tão inocente.

– Exatamente. Agora vamos parar de papo furado? Eu quero muito te levar em um lugar peculiar.

– Peculiar? Vai me levar no motel?

– Não... Não é no motel, isso eu posso te garantir.

– Então onde? Eu não estou acostumada a ir aos lugares que você vai ou com esse pronome de tratamento.

– Apenas vista a roupa mais linda que encontrar.

– Você quem manda, seu manda chuva.

– Ai ai Luna Caroline. As vezes parece que você adora insultar a minha inteligência com essa carinha de não foi eu.

– Para a sua sorte eu não estou tão maliciosa hoje. Então aproveite todo o seu romantismo para me surpreender.

Ele sorri ladino. Logo procuro dentro da minha mochila uma roupa mais formal, uma que fosse dar um ar de inocência. No tempo em que estou guardando o restante de peça de roupas que eu não usaria dentro do guarda-roupa. Jungkook fica observando cada uma das minhas ações enquanto estou procurando algo realmente formal e meigo para vestir.

De repente encontro uma peça de short, então lanço a peça em sua direção. Jungkook alcança no ar a peça, então olha para a mesma franzindo o cenho. Acho que ficou mais que notável que ele não se agradara com a peça "curta."

Não bastou um sorriso de minha parte que Jungkook começou a choramingar.

– Eu não curti esse short. Esse short parece muito justo pra você, a poupa do seu bumbum vai ficar aparecendo.

– E isso é um problema? Você não confia na mulher que tem em mãos? – Acho que acabei pegando pesado com ele. Jungkook não costumava ter uma expressão baixa e argumentativa.

– É uma peça vulgar... – Depôs ainda pensativo.

– Eu não acredito no que estou ouvindo do meu namorado – Bufei e logo revirei os olhos.

– Só estou argumentando que não é uma peça que passa a imagem de inocência que você sempre expressou ter Luna...

– Ah então esse é o seu medo, Jungkook. Você tem receio do que vão achar? Eu acho que você está sendo crítico demais em tão pouco tempo de namoro. – Me posicionei como mulher.

– Juro que não quis parecer ridículo ou tampouco extremista, mas isto é curto justo demais para o lugar que vamos. Desculpa ser tão chato?

– Está desculpado. E pode ficar tranquilo, você caiu numa pegadinha. Caso não tenha notado estamos no inverno, então por que eu vestiria algo de malha justa? – Falei vestindo a primeira camiseta que encontrei e separei para vestir. É uma camiseta da banda Nirvana, seguido isso calcei um all-star azul para completar o meu look meigo.

– Eu não tinha me tocado em duas coisas... - Ele disse pensativo.

– Duas coisas? Hm e o que são essas duas coisas, posso saber? – Fingi demência.

– Claro que pode saber. Vejamos, a primeira coisa é que você conseguiu me enganar e eu caí como um patinho e a segunda coisa é que você é a mulher mais linda desse universo.

– Que clichê, mas eu gostei de ouvir isso, kookie-ah.

– É claro. Eu sou um clichê, mi amor.

– Eu sei. Aí as vezes acho que sou completamente boiola por ti, Jungkook.
Eu amo você, seu otário.

– Nem pensar, eu quem amo mais...

– Impossível, eu não acho possível você me ame mais que eu...

– Mas eu amo e quer ver o por quê? – Não estava em meus planos ficar pela primeira vez se argumentos que pudessem no fim me livrar.

– Hmm... Fala aí.

– Tá, eu não sei como vou provar que eu amo você mais do que você me ama, Jungkook-ah.

– Tá vendo, eu disse que isso era inimaginável.

– Você é muito convencido Jeon Jungkook.

– Claro se eu não fosse tão convencido, esse não seria eu.

Assenti com um riso, logo tive uma breve paranóia. Não havia notado o quanto estava amassada a minha camiseta do nirvana. Diante desse terrível incidente resolvi procurar mais peças que não estivessem por fim amassadas. Depois de muita luta para encontrar uma vestimenta casual, encontrei em minha mochila uma camiseta de mangas largas. Que tem estampa e detalhes com todos planetinhas compostos no sistema solar.
Jungkook não parava de olhar para o relógio que fazia tic tac em seu pulso. Quando tirei a camiseta, Jungkook ficou por um momento fascinado olhando para as minhas curvas enquanto eu retirava a camiseta da cabeça para puder vestir a outra peça menos amassada.

– Perdeu alguma coisa? Parece que está babando. – Pergunto enquanto estou ajeitando o meu sutiã.

– Talvez, eu só tenha perdido a minha dignidade...

– Caramba. — Eu não sabia o que dizer então simplesmente sorri.

– Seu corpo é um paraíso e não deveria pensar o contrário, meu anjo – Ele murmura enquanto seus olhos estão sendo hipnotizados e roubados por minhas linhas corporais.

– Ai parece que você nunca me viu nua antes na sua vida. Kookie-ah, pare já de ficar olhando pra mim desse jeito porque assim parece que você quer me comer com os olhos.

– Vontade de te foder pra sempre é o que não me falta, garota. – Jungkook estava secando o meu corpo de cima a baixo na maior cara dura.

– JUNGKOOK OPPA? – Chamei a sua atenção de forma dominante.

– O que posso fazer se as suas curvas são hipnotizantes? Que culpa eu tenho se me sinto completamente atraído por elas?

– Ok... Talvez eu esteja sendo um pouco maldosa com você...

– Maldosa é pouco, você tá conseguindo ultrapassar os limites da maldade. – Resmugou manhoso.

–  Você quase nunca é manhoso. A não ser que você queira mais do que atenção. –  Falei pensativa.

– Dá carinho para o seu Kookie-ah. – Demandou adorável.

–  Você é mesmo surpreendente, Jeon Jungkook.

–  Não sei. Só sei que te ver nua me dá um misto de excitação com vontade de te colocar num potinho.

– Entendi. Sabe, eu ainda estou curiosa para saber aonde vai me levar.

– Pra que tanta curiosidade, Mi Luna?

– Poxa, você fala tudo em curtas palavras. Isso parece maldoso demais para um ser que é demasiado curioso.

– Maldoso? – Jungkook ri jogando os ombros para trás. 

– Nossa! Agora sim que eu tô com medo dessa risada malévola.

– Você realmente não sabe o que é ser maldoso, mi cariño.

– Quando é que eu vou saber onde você vai me levar. Hein? – Voltei no mesmo assunto. Eu realmente queria saber para que tanto mistério para revelar o lugar em que ele iria me levar. – Falei me aproximando do mesmo envolvendo meus braços em volta de seu pescoço enquanto fazia nossos olhos se colidirem como duas estrelas ao sofrerem uma explosão no céu.

– Ai mommy... Pare de brincar com fogo, por que uma hora você vai se queimar...

– Eu não ligo de brincar com fogo...  Sabe Jungkook, eu adoraria me queimar. – Conclui sagaz.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...