História Ver o sol nascer - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Stray Kids
Personagens Lee Felix, Seo Chang-bin
Tags Changbin, Changlix, Felix, Tiawang
Visualizações 149
Palavras 3.158
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção Adolescente, Fluffy, Lemon, LGBT, Literatura Feminina, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá <3
ChangLix? ChangLix!
Essa coisinhas veio de uma Soulmate AU! que eu fiz um tempo atrás e decidi postar no twitter, como essa OS faz parte dela resolvi postar também e eu realmente amo isso aqui T^T espero que gostem também e.e'
É +18 sim, apesar das coisas aqui não serem tão detalhadas e explicitas ainda sim é +18 caso não gostem, me desculpem, mas é só não ler :)
Não é necessário ler a AU para entender essa aqui.
Simbora e Boa Leitura <3


_Fanfic não betada e sujeita a mudanças_

Capítulo 1 - Capítulo Único


 

 

Pé ante pé e com toda cautela do mundo andava pelo corredor até a porta de saída, tentando ao máximo não respirar de forma alta buscando escapar ileso de ser pego, não que corresse muito risco já que seu irmão não deveria estar ouvindo coisa alguma ocupado demais com o namorado no próprio quarto. Mesmo assim, lá estava Felix parecendo um ladrão com um capuz na cabeça, celular no silencioso, chave apertada entre os dedos para evitar chacoalhar e fazer barulho, pisando de mansinho com um par de tênis embaixo do braço “fugindo” de casa sem BangChan saber.

Coisas que Felix nunca fez na vida ele começava a fazer depois de conhecer o irmão mais novo do namorado de seu irmão, não que ChangBin fosse má influência, Felix apenas gostava de sentir toda aquela adrenalina ao saber que no meio da madrugada deveria sair de casa sem barulho porque BangChan não confiava tanto assim em deixá-lo sozinho com ChangBin por muito tempo, menos ainda por Felix não ser o ícone de responsabilidade e ChangBin o ser humano mais sensato do mundo. Felix não era uma criança, sabia muito bem o que estava fazendo, mas para BangChan ele ainda tinha dois aninhos, coisas típicas de irmãos mais velhos que cuidam como se fossem pais.

Assim que passou porta afora a fechou devagar sem ruídos maiores e calçou os tênis enquanto corria atrás das escadas, evitando o elevador que demorava demais, quase caiu um lance inteiro enquanto tentava amarrar o cadarço e descer o degrau. Tudo feito passou a descer de dois em dois chegando na portaria apenas dando um aceno para o senhor de idade que era o porteiro e acenou mais uma vez depois que o portão foi destravado, ajeitou o capuz escuro na cabeça enfiando as mãos frias no bolso da calça jeans andando calmamente até a esquina onde o carro preto tão conhecido estava parado, pegou o celular voltando a ativar o som de notificações dele e parou ao lado do carro abrindo a porta e se jogando no banco. Puxou o capuz da cabeça passando os dedos pelos fios loiros jogando o celular no painel a frente.

  – Fugindo de casa, que coisa feia. _ O moreno falou com um sorriso torto nos lábios.

  – Culpa de quem não é mesmo!? _ Riu movendo-se no banco deixando um selar sobre os lábios rosados do mais velho voltando a sentar direito no banco passando o cinto de segurança.  - Onde vamos?

  – Ver o sol nascer. _ Respondeu ligando o carro pegando a rua vazia àquela hora da madrugada de um sábado.

  – Não 'tá meio cedo pra isso? _ Questionou mexendo no rádio do carro atrás de uma estação com músicas agradáveis para ambos.

  – Daqui até lá é uma hora e depois podemos apenas esperar, não é como se fosse ruim apreciar o momento de paz que seu irmão não dá. _ Felix riu.

  – WooJin vai passar a noite lá, duvido que ele se lembre de mim tão cedo. _ Sorriu maldoso dobrando uma das pernas para cima do banco enquanto olhava pela janela.

  – E quando o WooJin não passa a noite lá? Às vezes acho que moro sozinho. _ ChangBin estalou a língua pelo ato do irmão mais velho passar maior parte das noites na casa de BangChan.

  – Antes era o contrário. _ Felix riu.

Um silêncio se fez presente dentro do veículo por parte dos dois, mas uma música tocava no rádio, bem baixinha, algum clássico do rock que era agradável para ambos naquele momento em que o carro percorria as ruas vazias de Seul em direção a algum lugar que Felix não conhecia, mas também não estava preocupado com tal. ChangBin era alguém responsável sim, ao menos consigo, e para um batedor de mochila pelo mundo, Seul não era lá grande coisa.

Desde que atingiu a maioridade ChangBin pegou o dinheiro que guardou toda sua vida que a mãe dava e saiu de Seul para explorar cada pequeno canto do mundo ao qual ficava curioso, enquanto era adolescente suas aventuras eram por ali mesmo, as ruas de Seul, Busan e todo lugar que podia ir sem a autorização de WooJin, o irmão mais velho que lhe criou desde os quatorze anos quando a mãe se mandou para fora do país deixando um filho de dezesseis anos responsável pelo outro de quatorze. WooJin fora um bom irmão, alguém muito preocupado, mas ChangBin também não era o adolescente mais fácil de lidar, por isso quando seus dezenove anos bateram na porta ele catou sua mochila e deu um tchau ao irmão, ele sempre voltava, mas também não ficava muito. Dessa vez ele ficará seis meses, desde que voltou para Seul e conheceu o irmão mais novo do namorado de seu irmão mais velho, Felix lhe fez ficar e de certa forma não era algo ruim, só a parte em que BangChan era um verdadeiro pé no saco quando queria.

ChangBin sentia-se mais envolvido do que deveria com o garoto loiro e ainda menor de idade. Felix cheirava a problema, a famosa chave de cadeia que atraia demais ChangBin, embora o garoto soubesse bem o que estava fazendo, ainda tinha só dezessete anos, por isso todo zelo de BangChan, e ChangBin não tinha uma fama muito boa de seus envolvimentos passados, embora Felix fosse diferente de todos e ele não tivesse a menor intenção de magoar o garoto, ainda era…. Delicado.

Após uma hora de percurso, e uma pausa em um drive thru, o carro parou em um lugar alto, parecia uma montanha, era afastado da cidade, completamente silencioso, um carro ou outro a alguns bons metros de distância, algumas barracas montadas na parte gramada dali, dava para ver Seul inteira daquele lugar. Felix observava pelo vidro os pontos acesos lá embaixo e o quanto o céu parecia mais iluminado dali com pequenos pontos brilhantes e a lua cheia parecia bem perto deles deixando o carro meio iluminado apesar dos vidros escuros e fechados.

  – Aqui é bonito. _ Murmurou sorrindo.

  – Gostava de vir aqui com WooJin, Minho e o HyunJin… me acalmava e sempre que eu causava problemas eles me traziam aqui para aquietar os pensamentos. _ Deu um sorriso pequeno na direção do loiro que sorriu de volta.  - Montamos barracas, gritavamos, atormentavam as pessoas das outras barracas e batia nos vidros dos carros. Jisung caiu aqui uma vez, bateu o queixo no chão correndo, foi quando ele e o Minho se beijaram pela primeira vez e a tatuagem dos dois se formou completamente. _ Contou em meio a um sorriso nostálgico.  - WooJin e Chan também se encontraram aqui pela primeira vez, no final HyunJin e eu sobramos feio. _ Riu e Felix o acompanhou. - Logo depois eu comecei a viajar e nunca mais voltei aqui… Faziam dois anos.

  – Então é a primeira vez que vem aqui sem eles e depois de tanto tempo? _ ChangBin acenou com a cabeça.  - Fico honrado. _ ChangBin riu encostando a cabeça no banco. - É bom conhecer algum lugar que esteve e que foi importante pra você. _ Felix inclinou-se para frente tocando o nariz no do outro antes de selar os lábios puxando o boné do outro jogando para o lado.

O beijo era calmo, algo deles, como se estivessem conhecendo um ao outro, embora já houvessem trocados outros beijos eles sempre pareciam únicos. Ainda faltava mais de duas horas para o sol nascer e eles tinham aquele tempo só deles para curtirem um pouco a paz que lhes era negada de ter quando os olhos afiados e protetores de BangChan estavam sobre eles, não era contra os dois, mas também não era totalmente a favor, tinha medo pelo irmão mais novo, ChangBin era alguém imprevisível, uma hora ele estava ali e não outra poderia não estar mais e o maior medo de BangChan, assim como de WooJin, era que Felix saísse ferido naquela história louca, afinal, o inexperiente era ele, ao menos achavam assim.

Em pouco tempo os dois passaram para o banco de trás, era melhor e ficariam mais próximos sem aquele vão os separando. ChangBin empurrou os bancos mais para frente deixando um espaço maior ali atrás para poder esticar as pernas, Felix estava meio deitado sobre seu corpo com as pernas dobradas sobre o banco de costas para o volante do carro, usava uma mão de apoio ao lado de ChangBin e a outra descansava sobre o peito do moreno, apenas os estalos causados pelas bocas acompanhava as músicas baixas que ainda saíam pelo rádio ligado.

As mãos de ChangBin bagunçaram os fios loiros, puxava e revirava, tocava o pescoço meio exposto pelo moletom, descia e subia pela cintura esguia que, apesar da roupa, moldava-se perfeitamente em seus dedos.

Felix sentia o braço cansado de lhe dar apoio, havia perdido o equilíbrio dele algumas vezes naquele apoio precário e o subiu até o pescoço de ChangBin arrastando o corpo de forma bagunçada pelo banco batendo a cabeça no teto do carro por ser alto demais para fazer movimentos tão rápidos, mas conseguiu fazer o que queria. Sentou sobre as pernas do mais velho usando o encosto do banco como descanso para seus braços ao lado da cabeça de ChangBin que lhe olhava de baixo, o corpo havia escorregado mais pelo banco o deixando quase deitado. Os joelhos dobrados ao lado do corpo do moreno escorregaram pelo couro do banco e o corpo de Felix se colou mais ao do outro, curvou-se para frente mordendo o lábio inferior um tanto inchados, e vermelhos pelos beijos trocados, do mais velho dando início a outra sessão agradável de beijos estalados, mordidas desejadas e sugadas inesperadas que causavam sons roucos em ambos. As mãos de ChangBin dançavam para lá e pra cá no corpo do garoto, às vezes brincavam com os rasgos na calça apertada, outras subiam até o quadril dedilhando devagar o lugar, subiam mais um pouco até a barra do moletom e voltavam as coxas dedicando apertos nada delicados ali que arrancavam suspiros pesados do loiro acima de seu corpo. Felix puxava os fios negros entre seus dedinhos, agarrava o pescoço alheio com as unhas, apertava os ombros com a palma e movimentava-se sobre as pernas de ChangBin tornando o contato entre eles algo maior, mais intenso, quente, quase insuportável de não suar, sentia o calor se alastrar por seu corpo fazendo seu couro cabeludo ficar úmido e a respiração algo ainda mais descompassada que o normal.

Jogou a cabeça para trás interrompendo os beijos tentando respirar direito, ou algo parecido com recuperar o fôlego e talvez o restinho de sanidade que tinha, mas era bem pouquinho mesmo, pois não era de agora que ele vinha sentindo coisas cada vez mais intensas com os beijos que trocava com ChangBin, já não era toques tão castos quanto antes e ele não odiava isso, de forma alguma, só tinha receio de onde aquilo pararia e insegurança de que ChangBin pudesse cair fora depois disso. Confiar ele confiava, mas sempre tinha aquela pontinha de insegurança pairando, ChangBin era um cara de vinte e um anos e ele um adolescente de dezessete, não era uma diferença tão grande assim, mas tinha uma escala perceptível entre; Homem X Adolescente.

Ele se entregava com mais intensidade, não por inexperiência, ingenuidade, o fato era que para Felix as coisas eram 8 ou 80 e com ChangBin era 80 demais para que ele puxasse as rédeas naquela altura do campeonato vencido pelo mais velho sem forças demais. ChangBin já chegou chutando aquela porta de ferro que Felix colocava em seus interesses por outras pessoas, e ele abriu com um chute só deixando Felix meio perdido.

Felix tinha uma vida totalmente contrária aquela, ele não deixava as pessoas chegarem da forma que ChangBin chegou mexendo de forma intensa e insana com sua cabeça, e pior, com seu coração. Não seguia a política que aquela tatuagem atrás de seu ombro esquerdo queria, aquele desenho não fazia diferença alguma quando ele se envolvia com alguém, o problema era que ela sempre esquentava quando ChangBin estava perto, embora ignorasse aquela coisa toda de “alma gêmea” Felix queria acreditar que o calor na sua não queria dizer que ChangBin a completava, pois odiava toda aquela história, todo aquele contexto banal de complementos, e por mais que gostasse, muito, de ChangBin não queria aquilo.

Seus dedos acariciavam a pele do rosto do mais velho, esbarravam nos lábios entreabertos, dedilhavam suas perfeições e também imperfeições, bagunçaram o cabelo negro, tocava o queixo fino, o maxilar destacado na pele, decorava ChangBin inteiro como se tivesse medo dele sumir dali em segundos como areia ao vento.

  – Sentimentos sempre estragam as coisas. _ O loiro murmurou debruçando o corpo de volta para perto do outro.

  – Está agora? _ A voz baixinha e rouca questionou acariciando um pedaço de pele que aparecia por um dos rasgos nada pequenos da calça jeans do mais novo.

  – Me deixa confuso. _ Respondeu igualmente baixo beijando o rosto alheio.  - Me faz perder tempo de fazer o que quero fazer. _ Colou a testa a do moreno roçando o nariz ao dele.

  – E o que quer fazer? _ Indagou selando os lábios aos dele levemente.

  – Deixar que esse desejo seja sanado… _ Abriu os olhos encarando os do outro diretamente, tão de perto, tão intenso, tão deles.  - Quero só ser levado pelos seus toques, sentir cada um deles, sendo eu e você, sem ligar para esse coração disparado enlouquecido no peito, apenas fazer ser seu e meu. _ Fechou os olhos devagar recebendo um beijo lento em sua bochecha.

  – Apenas se desligue dele… o meu também bate desenfreado, procurando respostas para algo que não tenho. _ A voz de ChangBin era baixa, reconfortante.  - Deixa ele bater, não é tão ruim assim sentir o descompasso do seu junto com o meu. _ Sentiu o sorriso de ChangBin sobre sua pele.

Sentimentos são difíceis de serem compreendidos, algumas vezes sentidos, outras apenas temidos, mas podem ser deixados de lado algumas vezes, agir por impulso causa consequências, no entanto, nem todas são ruins.

Lábios grudados, corações agitados, satisfação de ambos os lados, vontades cedidas, barreiras caídas, apenas eles ali. Felix ergueu o corpo deixando o moletom ser tirado de seu corpo e jogado para trás, aquela sendo a única peça de roupa que cobria seu tronco, os dedos quentes de ChangBin subiram por sua cintura, os olhos cravados na barriga lisa, na barra da cueca exposta pela calça baixa, as mãos firmes nas laterais do corpo acima do seu acariciando as costas do mais novo com delicadeza. Felix não se sentia envergonhado, embora fosse a primeira vez que ChangBin lhe via daquela maneira, estava a vontade por ser ele ali, o mais velho desencostou-se do banco ficando reto selando os lábios aos do loiro, descendo pelo pescoço de veias saltadas sentindo o arrepio que percorreu toda a pele clara do mais novo, desceu as clavículas salientadas na pele, descendo pelo meio peito até o alto do estômago, seus dedos quentes desceram pela linha da coluna de Felix o fazendo arquear as costas e soltar um som rouco firmando as mãos em seus cabelos, aquele grunhido rouco se tornou um gemido audível, rouco, arrepiou cada pelo do corpo de ChangBin, os lábios do mais velho prenderam o mamilo eriçado o envolvendo com a língua e os dedos presos em seus cabelos tinham um puxar dolorido, mas não lhe fazendo soltar o botão rosado o puxando com os dentes. Felix tremeu por inteiro, seus olhos revirando nas órbitas, cada pelo de seu corpo de pé chegando a doer na pele, a voz naturalmente grossa saindo alguns tons mais roucos, os dedos trêmulos contra a cabeleira de ChangBin, sentiu os dedos do mais velho descendo mais pela linha de sua coluna parando na base e ele trocando o alvo de sua boca para o outro mamilo sem atenção, não sabia o quão sensível era naquela área até ChangBin tocá-la de tal maneira lhe fazendo perder a noção de como se respira.

Puxou a camisa do mais velho para cima o afastando de si para se livrar da peça indesejada percorrendo com os dedos o corpo mais trabalhado que o seu em músculos, ChangBin não era o cara mais definido do mundo, mas também não era só um corpo magrelo, era perfeito aos olhos do loiro. Felix deixou-se levar pelo calor do momento, a falta de vergonha lhe permitindo arranhar o torso desnudo a sua frente o vendo arquear o corpo com a ardência que suas unhas causavam na pele, sorriu satisfeito colando o peito ao do outro suspirando com o contato direto das peles juntas, o corpo de ChangBin era extremamente quente, bom demais para ser verdade, e Felix afundou-se naquele fervor sem medo de queimar-se.

Beijou, mordeu, sugou, marcou, envolveu-se inteiro no calor de ChangBin até que ele o habitasse também, tão fervoroso e intenso quanto. A boca aberta soltava arfares doloridos, mas não menos prazerosos por isso, aquele carro abafado e desconfortável para uma primeira vez não foi um problema, suas pernas vermelhas depois de apertos mais intensos e as costas completamente arranhadas de ChangBin eram a prova de que o pouco espaço não fora problema. Os vidros embaçados, a música baixa, o olhar fixado um no outro, a pouca luminosidade que vinha da lua lá fora deixava um tom prateado nos corpos suados e unidos no banco traseiro daquele carro.

Os movimentos eram calmos, sem pressa, os gemidos envolvidos captados com precisão, algumas vezes engolidos por beijos necessitados, a intensidade com que tudo acontecia os envolvia, os abraçava como um momento único apenas deles independente de onde estavam, em momento algum os toques decaíram, perderam o que era desde o início, não era uma coisa carnal, havia muito mais ali e o problema era ambos ignorarem isso por puro medo.

ChangBin envolveu os fios loiros de Felix entre seus dedos trazendo o rosto do outro para junto do seu, as testas coladas, os olhares cruzados, sentimentos passando ali com toda força sem necessidade de serem verbalizados, mas, para o desespero de ambos, Felix fechou os olhos se negando a ver o que sentia, abriu a boca, apertou as unhas nas costas do mais velho o abraçando sendo vencido pelo próprio corpo que cedia ao limite de tudo aquilo e apertava obrigando ChangBin a ceder também.

Os sons produzidos pelas bocas ao fim eram mais pesados do que queriam que fosse, talvez o fim fosse de fato o problema.

Lá fora o véu da escuridão começava a ceder espaço para a luz do dia e os corpos deitados de forma desajeitada naquele banco traseiro se acariciavam e trocavam olhares ternos, embora os coração estivessem apertados no peito.

Não fazia diferença ignorar, eles sabiam o que sentiam e esse era o medo, saber e se negar a aceitar, fingir que não existe. Aquilo machucava, mas talvez fosse necessário só ignorar, ainda tinham tanto a aprender com a vida, com aqueles sentimentos.

 

 


Notas Finais


é isso ai ashusahu'
Obrigada a quem leu, comentou e favoritou <3
Link da Au caso alguém queira -> https://twitter.com/wangtuanwt/status/1024134386944487426
XoXo da Tia :*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...