História Vergonha no Ar. - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Visualizações 8
Palavras 1.446
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Comédia, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 1 - Capítulo Único


Numa tarde de primavera, os canadenses que decidiram viajar naquele dia para Paris não imaginavam que o voo de que demoraria oito horas seria um pouco diferente do usual. Eles não esperavam que teriam que passar aquelas oito horas dentro de um avião presos com um casal maluco. Não esperavam que o Comissário de Bordo e o Co-piloto estavam namorando e iriam aproveitar que iriam pra um dos lugares mais românticos do mundo para terem um encontro e comemorarem seu aniversário de um ano de namoro.

                O Comissário de Bordo, John, era um homem alto, caucasiano, com lindos olhos verdes, loiro, musculoso, bem vaidoso e que gostava de aparecer. Já o Co-Piloto, Dan, um homem com altura média, um pouco acima do peso, com cabelos ruivos,olhos castanhos, um homem muito esperto que adora pegadinhas. Ambos estavam na casa dos trinta anos. E ninguém imaginava que eles fossem passar as oito horas de voo discutindo sobre seu relacionamento de uma forma em que todos do avião, incluindo os passageiros escutariam.

                John e Dan se conheceram há dois anos. Se conheceram no trabalho durante um voo. Começaram a conversar quando o piloto daquele voo teve diarréia no meio do voo e quando John foi ver o prato de comida do piloto viu que tinha laxante. Naquele momento ele não conseguia suspeitar de ninguém além do “retardado” do co-piloto que não conseguia parar de rir. Mesmo com o avião no ar, Dan não poderia perder a piada. Naquele momento John foi até Dan já sabendo que ele era o culpado, mas perguntou mesmo assim se ele sabia alguma coisa, Dan na hora negou, mas não conseguia parar de rir nem por um minuto. Naquele momento John também não conseguiu ficar sério e começaram a rir juntos, nesse momento a amizade começou e pouco depois eram melhores amigos.

                Há pouco mais de um ano, Dan decidiu que iria dar uma chance para seu amigo que vivia tentando aparecer e pagar de fodão para impressionar à todos, toda hora e que também vivia o chamando para sair e mandando cantadas durante o trabalho e durante o dia a dia. Assim então eles começaram a sair e não demorou muito tempo para oficializarem seu namoro, mesmo que não fosse muito profissional da parte deles e mesmo vivendo em um mundo com uma sociedade tão preconceituosa.

                Agora voltando ao dia da viagem, Dan decidiu que iria fazer uma pegadinha pra “comemorar” o aniversário antes do horário do voo. Dan então decidiu que usaria laxante no almoço de John, para que sentissem a “nostalgia” do momento que se conheceram.

                Quando você é um homem adulto e gay que gosta de aparecer e está prestes a ir em uma reunião no seu trabalho com seu chefe pouco antes de decolar, você não ficaria muito feliz ao se cagar na frente de seu chefe homofóbico, que por um acaso já não gostava de você por sua escolha sexual e agora por você ter sujado a sala dele. E ficaria muito menos feliz se soubesse que isso foi culpa do seu namorado e que isso foi uma tentativa de provar o amor dele por você e não havia mais nenhum suspeito na mente de John além de seu amado Dan.

                Após o “acidente” de John na sala de seu chefe, ele decide confrontar Dan e perguntar o motivo dele ter feito aquilo sabendo que havia uma importante reunião que ele precisava ir. Quando John chegava perto da sala em que Dan estava, de longe já era possível escutar a gargalhada daquele palhaço. A gargalhada não parava nem por um minuto. John enfim chega na sala e Dan começa a rir mais ainda quando vê a cara brava de John. Dessa vez, John não achou tão engraçado quanto achou no dia que se conheceram. John com raiva decidiu confrontar Dan de vez, o chamando de infantil, dizendo que ele é um irresponsável que só sabe brincar e que fez ele passar por uma humilhação. Dan continuava rindo mais e mais alto. Foi nesse momento em que John chorando de raiva decidiu que queria terminar com Dan. Naquele momento a gargalhada parou e naquela sala, o silencio reinou por alguns minutos.

                Enfim chegou o horário do voo começar, o capitão chegou na sala em que o casal estava se encarando em silencio e avisou para se apressarem. Naquele momento, ambos foram para o avião,  sem nem mesmo uma palavra saindo da boca deles.

                Pouco após isso, o avião saiu do chão e a viagem começou normalmente.  Uma hora e meia após o inicio da viagem, um dos passageiros que tinha medo de altura, teve uma crise de pânico. John como Comissário de Bordo o ajudou normalmente e precisava avisar aos outros passageiros - que estavam preocupados com a situação - e para a equipe que havia conseguido controlar a situação e que aquele passageiro estava bem, para isso ele precisou ir à sala dos pilotos e pegou um microfone e disse:

- Senhores passageiros, tudo está sob controle, podem voltar ao normal.

                Dan não tem maturidade o bastante para ficar quieto e naquele momento o piloto foi ao banheiro, deixando os dois sozinhos. Então decide falar. Porém eles se esquecem de desligar o microfone antes.

- Parece que alguém ativou o microfone, mas não ouço ninguém falando – disse Dan

- Deixa de ser uma criança – Respondeu John

- Disse o cara que tem pinto de criança, mas quer ser o ativo – disse Dan

- Cala a boca! Só brochei uma vez... – responde John

                Diante daquela situação, os passageiros e toda a equipe da companhia aérea ficam sem graça e começam a se encarar sem saber o que fazer. O piloto que tinha ido ao banheiro estava perplexo com a situação e não sabia o que fazer.

- Uma vez por dia? Bwahahahah – pergunta Dan

- Você é um merda – diz John sem graça

- Merda é você na cama – sussurra Dan

                Naquele momento o piloto entra correndo na sala e avisa que o microfone estava ligado o tempo todo para eles. Dan e John nunca sentiram tanta vergonha sem suas vidas. Naquele momento mesmo sentindo tanta vergonha, decidiram que precisavam pedir perdão aos passageiros e aos seus colegas pelo ocorrido e usam o microfone mais uma vez.

- Peço perdão a todos da equipe e aos tripulantes pelo ocorrido – disse o co-piloto, Dan

- Peço perdão pelo co-piloto ser um merda e não saber a hora de parar de fazer merda – disse o Comissário de Bordo, John

- Sério que quer começar de novo? – Pergunta Dan

- Ninguém vai começar nada! – Disse o Piloto, que logo após isso desliga o microfone e pede para que John volte para seu posto de trabalho, já que Dan estava no dele.

                Ainda constrangidos com a situação, ninguém fala mais nada. E então se passa mais três horas e não há nenhuma troca de palavras entre Dan e o piloto, que também estava constrangido por ter escutado aquela conversa.

E então para quebrar o gelo, o piloto decide perguntar o que aconteceu para Dan, que conta a sua versão da história onde ele fez uma piada que John levou muito a sério e então terminou o namoro sem motivos. Logo após, o capitão sai da cabine e vai até John para perguntar sobre a sua versão da história, onde Dan é infantil e não sabe quando parar de fazer piadas. Nesse momento o piloto volta para a cabine, ativa o microfone e chama John, inventa um motivo qualquer no microfone para Dan não se preocupar e não chamar a atenção dos passageiros e nem do resto da equipe. Quando John chega, o piloto sai da cabine e os deixa trancados até que eles se resolvam. Porém, o capitão também esqueceu o microfone ligado.

- Que idiotice – comenta Dan

- Concordo – diz John

- Acho que eu... Posso ter passado um pouco dos limites – diz Dan

- Jura? Nem notei... – Diz John estressado

- Me perdoa, bebê... Não consigo passar essa viagem inteira sem me resolver com você... – Diz Dan arrependido pela brincadeira

- Eu não consigo ficar irritado contigo... Além do mais, com quem mais eu podria me divertir no hotel que alugamos? – Pergunta John

- Parece que a Torre Eiffel não vai ser a única que você vai ver em Paris – Responde Dan rindo

                Nesse momento o Piloto destranca a porta correndo para avisar que mais uma vez o avião inteiro conseguiu ouvir a conversa. Constrangidos mais uma vez, Dan e John voltam ao trabalho. Porém, dessa vez tinham resolvido os problemas e iriam ser profissionais até o fim do trabalho para que pudessem chegar em Paris e se divertir sem constrangimento.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...