História Verhouding - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Neo Culture Technology (NCT)
Personagens Doyoung, Jaehyun, Jisung, Johnny, Mark, Personagens Originais, Taeyong, Ten
Tags Jaeyong, Johnten, Marksung, Marksung!menção, Taejae
Visualizações 40
Palavras 965
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fluffy, LGBT, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi! Como vão? Inciando mais uma fanfic hihi

Essa daqui visa mais mostar um dos problemas de uma relação: a desconfiança. É bem pequena, serão no máximo uns 5 capítulos (assim pretendo).

Espero que gostem, me desculpem qualquer erro <3

Capítulo 1 - Jantar e pedido.


Taeyong fora convidado para um jantar a sós com Jaehyun, e ele não podia estar mais nevorso. Jaehyun era seu amigo e também sua paixonite não tão secreta. Digamos que os dois eram amigos coloridos.

Botou a roupa mais elegante que tinha em seu guarda-roupa, seu perfume mais caro e até ousou passar um pouco de maquiagem.

Os dois se viam apenas na empresa, onde trabalhavam juntos, e em alguns encontros entre amigos que tinham em comum; quase nunca estavam arrumados propriamente. Por isso, Taeyong resolveu produzir-se tanto, queria mostrar mais de sua beleza; tinha bastante confiança sobre ela.

Levantou-se em um pulo do sofá ao ouvir a busina familiar soar do lado de fora de sua casa.

Já havia ouvido diversas vezes a busina do carro de Jaehyun. Principalmente quando ele via Taeyong na rua por algum acaso e businava-lhe.

A primeira coisa que notou ao sair de sua casa, foi o quanto Jaehyun estava bonito. Meu Deus, aquele homem era a sua perdição. Como podia ser tão perfeito assim, da cabeça aos pés? Até suas falhas eram bonitas, na verdade, se houvessem falhas em Jung Jaehyun.

— Boa noite, hyung. Você está lindo! — distanciou-se do carro, onde estava encostado, ao terminar de falar e aproximou-se de Taeyong, dando-lhe um selinho. O mais velho ficou corado.

— Obrigado. Você também está, Jae. — respondeu ao elogio, com suas bochechas vermelhas e um sorrisinho meigo.

— Vamos? — estendeu-lhe a mão. — Eu reservei o lugar, e já estamos atrasados.

Taeyong entrelaçou sua mão a de Jaehyun e deixou-se ser levado. Jaehyun abriu a porta para Taeyong entrar no carro e a fechou, como um cavalheiro. O Lee confessa ter estranhado tal ação, mas não prolongou tanto com os pensamentos, focando-se agora na paisagem através da janela; o carro já havia dado partida.

Durante o percurso, Jaehyun permitiu-se colocar sua mão sob a coxa de Taeyong, o que assustou ao mais velho, até então concentrado no que via através do vidro. Não era acostumado com esses toques, somente trocavam beijos, nada mais.

Chegaram poucos minutos depois. O restaurante não era muito longe, de toda forma.

Jaehyun só foi retirar sua mão da coxa de Taeyong, quando precisou pegar sua carteira no porta luvas e sair do carro. E não demorou para Taeyong também está de fora do veículo.

Entraram no local, que era muito bonito e chique por sinal. Taeyong não frequentava lugares assim, então ficou bastante surpreso com tamanha elegância.

Jaehyun falava com a atendente, enquanto Taeyong andava pela recepção olhando cada ponto do lugar. Era de se admirar; havia luminárias por todo cômodo e suas paredes eram de cores claras, além de vários detalhes que tornava aquilo tudo mais bonito, como alguns quadros e seus objetos de madeiras, todos muitíssimos refinados.

O mais novo chamou Taeyong, que estava em seus devaneios, e eles adentraram finalmente. Ficaram em uma mesa perto da cozinha, onde se podia sentir o cheiro das mais diversificadas comidas. Era de dar água na boca.

Quem iniciou a conversa foi Jaehyun, falando sobre o lugar e suas experiências nele. Disse que sempre vinha em jantares profissionais ou familiares, resumindo, um lugar que já havia vindo muitas vezes.

— Hyung? — chamou a Taeyong, fazendo com que os olhos do mais velho pairassem sobre os seus. Antes os pensamentos de Taeyong estavam sobre a cozinha, a qual estava olhando.

— Sim?

— Preciso te falar algo. — o menor parecia nervoso, Taeyong constatou.

— Pode falar. — disse calmo, em um tentativa de deixar Jaehyun menos nervoso.

— Eu… — hesitou. — Eu… Gosto muito de você, Hyung. Na verdade, sempre gostei, desda primeira vez que botei meus olhos em você. E eu queria saber se você… Aceita namorar comigo? — fechou os olhos, no intuito de não querer ver a reação do outro com sua fala.

— Abra seus olhos. — falou-lhe em um tom calmo, como sempre fazia, e o menor abriu. — Eu também sempre gostei de você, Jae, sempre mesmo. Não sabe o quanto eu estou feliz agora, o quanto me sinto animado com a ideia de firmamos algo. É claro que aceito!

Jaehyun sorriu e levantou-se de sua cadeira, indo abraçar seu hyung e pondo-lhe uma aliança, a qual esquecera de mostrar antes. Ao retornar para seu lugar, não pôde evitar sorrir novamente ao ver seu hyung sorrindo. Ele lhe transmitia emoções que nem sabia ser capaz de sentir.

A comida chegou segundos depois e eles continuaram se olhando, apaixonados. Taeyong foi o primeiro a cortar os olhares, agora dispondo toda sua atenção na deliciosa comida em sua frente. Como estava ansioso para experimentar os pratos daquele lugar, não aguentava mais a tortura de sentir apenas o cheiro.

O jantar seguiu calmo e com conversas singelas, hora ou outra paravam para trocar carinhos, mas eram bem simples, como apenas toques de mão. A comida acabou rápido demais na visão de Taeyong, porém não demorou para chegar a sobremesa, fazendo seus olhos brilharem novamente. Amava comer, confessava.

O jantar foi acabar realmente às meia-noite, um horário tarde quando se tinha trabalho pela manhã, o que era a situação dos dois. Jaehyun pagou todo o jantar, depois de insistir à Taeyong que ele não precisava pagar nada, e seguiram até o carro. Andaram de mãos dadas durante todo o mini percurso.

Como chegaram no restaurante rápido, chegaram a casa de Taeyong também rápido. Quando o Lee vira já estava na porta de sua casa. Se despediram com um beijo, também tranquilo.

Taeyong preferia as coisas assim, pacíficas, não era muito de realizar nada rápido demais. Chegava a ser chamado de chato, porém não ligava e continuava com sua mania/jeito. O mais velho entrou dentro de casa, tomou banho e se deitou bobo, demorando para pegar no sono devido as lembranças do pedido que não saíam de sua cabeça. Resultou que Taeyong adormeceu sorrindo.


Notas Finais


Provavelmente, ainda esse final de semana ou até mesmo hoje, posto o dois. Beijão.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...