História Vermelho - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Fugaku Uchiha, Hashirama Senju, Hinata Hyuuga, Karin, Mikoto Uchiha, Mito Uzumaki, Naruto Uzumaki, Sasuke Uchiha
Tags Bagunça, Cor, Hinata, Karin, Naruto, Sasukarin, Sasuke, Vermelho
Visualizações 24
Palavras 1.863
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá.😍
Muito obrigado a quem está acompanhando.
Beijos e boa leitura.

Capítulo 7 - 07. O que aconteceu?


Faz pelo menos uns vinte minutos que eu estou acordada esperando o meu celular tocar... já estou começando a ficar com raiva, não é possível que eu tenha acordado tão cedo.
Como se não bastasse ter dormido extremamente tarde devido os "acontecimentos", aparentemente acordei muito cedo.

Será que o meu despertador está errado?

Me virei com preguiça e joguei meu braço sobre a bancada onde sempre o deixo.

Nada.

Me sentei na cama procurando o indivíduo e veja só, meu celular sumiu.
Me levantei e saí em busca do aparelho por todo o quarto. Merda! Eu preciso mesmo é de um relógio.

A sala!

Sai correndo quase tropeçando nos degraus da escada dando de cara com Naruto sentado no sofá comendo um dos sanduíches que preparei na noite passada junto à um suco.
Meu olhar correu direto para o celular largado em cima da mesa de centro.

Naruto me olhou com incredulidade.

- e o seu trabalho?

Ouvi a pergunta enquanto já corria de volta pro quarto.
São quase dez horas da manhã. Merda! Estou com vontade de chorar.

- me esquece Naruto!

Ok. Estou pra lá de mal educada.

Verifiquei se havia alguma mensagem no wattzap e felizmente ou infelizmente, não tinha absolutamente nada.

Tomei um banho correndo, me arrumei correndo e quando cheguei na cozinha com pressa e morta de fome, passei a ser perseguido por meu irmão.

- ei! O que houve? Aconteceu alguma coisa, você está doente?

Ele parecia bem agitado e preocupado, enquanto eu o respondia de forma monossílaba ou só com gestos.
quando eu comecei a comer, Naruto segurou meu rosto com força verificando se eu não estava com febre.

- karin!

- eu apenas dormi de mais, não é nada surpreendente, não precisa de tudo isso.

Mesmo falando de boca cheia ele me entendeu. Meu celular apitou alertando a chegada do taxi e eu me levantei pegando qualquer coisa que me fosse possível comer no caminho.

- calma, eu te levo no seu trabalho.

- não precisa.- mostrei o celular pra ele.- taxi me espera. Quando eu te ver de novo, você me explicar por quê ainda está em casa a essa hora.- dei um beijo na bochecha dele é fui saindo.

- hoje eu só tenho estágio.

O loiro me seguiu e me acompanhou até entrar no táxi.

Minha nossa, ainda não acredito que isso está acontecendo... o caminho é de uns trinta minutos, em cinco minutos de trajeto o motorista ligou o rádio e o nome uchiha soou justamente quando eu comia o último pedaço do meu salgado.
Me engasguei a um ponto que fiquei da cor do meu cabelo e o motorista parou o trajeto preocupado.

Realmente.

Que espécie de dia é esse?

Ah! Deve ser o dia pôs Sasuke uchiha.
Uma completa bagunça recheada de coincidências não muito boas.

Quando eu finalmente cheguei no trabalho o gerente disse que eu não estou com uma aparência muito saudável, que por hoje eu estou livre.

" vá pra casa... amanhã você volta a sua rotina normal."

Certo... agora eu estou parada em frente uma loja vendo a Karin do reflexo que nem de longe parece ser eu.

Estou com o cabelo solto e bagunçado , tão espalhado quanto espanador, roupas amassadas e olheiras nada amigáveis embaixo do meu olho.
Eu devia ter me maquiado e arrumado melhor, na pressa eu acabei piorando Minha situação.

- hoje é o meu dia...

Eu sempre fui uma pessoa muito sensível, a proposta de Sasuke na tarde anterior foi a cereja do bolo... completou a minha cota de preocupações mentais.

Bem... é melhor eu ir pra casa me recompor, afinal fui dispensada do meu trabalho por hoje.

Peguei meu celular para verificar a hora enquanto esperava o ônibus e no mesmo momento ele vibrou.

Quê isso?

Mágica?
Macumba?
Uruca?

Não, é só o poder de Sasuke uchiha.

" você provavelmente só verá isso no seu intervalo de almoço do trabalho, eu tenho estágio as 13hs podemos almoçar juntos? É importante."

Almoço? Trabalho?
Ganhei folga forçada e acabei de tomar café meu filho. Mas já que é importante...

Quando eu comecei a digitar, lembrei da minha aparência e tive uma pequena luta interna se deixava ele me ver no estado em que estou ou se ia em casa me "organizar".

Bem... eu teria que dar explicações ao meu irmão e que droga é essa? Eu não preciso me preocupar com isso!

Ele é só um namorado falso, volta pra terra Karin Uzumaki.

Decidida eu o respondi.

" eu estou próxima ao meu trabalho, se não estiver ocupado, podemos nos encontrar agora."

Ele respondeu de imediato, deve estar surpreso coitado.

" me passa a localização certa, chego em vinte minutos."

Sério isso?
Onde será que ele mora?

Mandei a localização e meio receosa prendi meu cabelo.

Tentei me distrai olhando ao redor, mas acabei me fixando nos carros... bem, Sasuke está sem acesso a carros, certo?

Um carro esporte cinza e muito bonito parou bem a minha frente e baixou o vidro, olhei para o interior do veículo vendo Sasuke todo Lin... arrumado.

- pode entrar.

Eu abri a porta e entrei me sentindo um pouco agoniada.
Droga! Será que esse meu cabelo melhorou nem que seja só um pouco?

- bom dia.- eu disse enquanto prendia o cinto e o carro já se movia.

- bom dia Karin, me desculpe a intromissão mas,- ele me olhou brevemente.- aconteceu alguma coisa?

Eu respirei fundo.
Aconteceu.
Você aconteceu meu querido!

- nada... apenas eu e meus dilemas.

Vi certa diversão passar nos olhos dele, dessa vez vou deixar passar, tenho fé que um dia ainda vou encontrá-lo em uma situação pior que a minha.

- já são onze horas, vamos para um restaurante ok?

- quer começar a tratar o assunto desde agora? Eu não me importo.

- não precisa, no restaurante será mais confortável.

Só espero de todo coração que não seja um lugar refinado, não tô podendo.

- bem... mesmo que não você não vá falar agora, eu vou chutar.- é um pouco estranho perceber como a atenção de alguém que nem pode te encarar está toda voltada pra você.- você já conversou e acertou alguma coisa com seu pai, em resposta você tem seu carro e cartões de volta a normalidade.

- quase. Você é muito boa em dedução.

- é o costume.- eu esfreguei meus olhos devido o sono, acho que agora eles ficaram vermelhos.- no meu trabalho eu tenho que ler as entrelinhas e imaginar a situação em que cada cliente se encontra quando busca algum móvel ou objeto em particular.

Sasuke me olhou brevemente.

- você... é uma mulher muito interessante.

Eu sei que não sou uma garota comum. Sou estranha, mas esse cara tinha que colocar a frase dessa forma?
Cuidado Karin...

- eu preciso tomar cuidado.- o encarei buscando o ler.- você gosta de estudar as entrelinhas não é?

Oh! Isso me pegou de surpresa.
Não quero que ele saiba que provavelmente ler ele, venha se tornar o meu futuro hobby.

- admito que eu tento...

- admita que consegue.

Senti meu coração dar um salto quando o carro parou e ele me encarou daquela forma que eu não consigo ler.

- você está errado.

Ele sorriu levemente.

- eu gosto disso, quando você é honesta.

Ah! Vá a merda!

A porta ao meu lado foi aberta, era o manobrista.

Droga! É um restaurante de alta classe, esse uchiha infeliz fez de propósito.

Eu e ele descemos do carro, ele entregou a chave para o rapaz e eu esperei ele seguir prédio a dentro, mas ele ficou parado, ficamos de frente um pro outro.
Foi quando percebi que ele estava me avaliando.

- licença.- eu dei um passo surpresa pra trás quando ele tocou minha testa. ele retirou a mão enquanto eu o olhava.- que bom... você não tem febre.

Sasuke é um homem diferente... Sasuke pra mim, por mais que eu não o conheça como se é devido, é alguém que me traz confiança...

Se não fosse ele, eu teria afastado a mão da forma mais bruta possível.
Pois da última vez que alguém tocou em minha testa foi pra me empurrar com força...
Me agredir...

Droga, esse tipo de lembrança é...

- eu estou bem, é apenas de sono, de verdade.

Me sentindo um pouco melancólica eu sorri pra ele, querendo tranquilizar.

- eu realmente prefiro quando você é honesta.

Eu fiquei sem palavras enquanto ele segurou minha mão e me levou prédio a dentro.

Nos sentamos em uma mesa confortável e reservada.
Sasuke fez os pedidos.

- sobre o que eu queria conversar.- ele começou a falar, quebrando o silêncio que eu produzi.- eu conversei com meu pai ontem.- o encarei de imediato.- não falei nada sobre ter uma namorada, eu apenas disse claramente que não vou oficializar nada no próximo sábado.- Sasuke me pareceu feliz, relembrando a cena talvez?- como resultado, eu fui expulso de casa, estou atualmente, por pouco tempo, sendo mantido pelo meu irmão. Isso até nosso pai puxar o tapete de Itachi também.

Nossa, a vida de Sasuke parece um drama.
Bem, não posso jugar, minha vida não anda lá essas coisas também.

Comédia romântica?
Prefiro fingir que não pensei nisso.

- hm... acho que eu entendo o que você quer fazer...- eu o olhei maquinando, colocando em ordem minha linha de raciocínio.- você quer arrastar sua queda de braço com seu pai, enquanto "constrói" nosso relacionamento, para parecer o mais natural e verifico possível...

Sasuke tem esse olhar frio e geralmente parece como se estivesse me estudando.

- é, mas ao mesmo tempo eu preciso acelerar, eu não tenho tempo e nem saco para lidar com essas loucuras do meu pai. Eu preciso me focar 100% na medicina.- ele está sério, me pergunto o que a medicina é para ele.- é por isso que esse almoço é o nosso primeiro momento como amigos.- sinceramente, ele me parece estar com uma áurea de badboy.- precisamos nos conhecer melhor.

Ah! Eu o encarei com um sorriso debochado, não pude evitar.
Quem disse que eu quero que você me conheça querido?
Essa é a minha linha de proteção, não vou deixar você me conhecer.

- o que quer saber? minha data de nascimento? Meu signo? Cor favorita?

Eu estou fugindo, mas ele parece muito sério.

- você é realmente honesta a sua maneira...- Sasuke sorriu presunçoso.- eu só preciso disso.

Pois é...
Eu sei... eu acredito que um gesto vale mais que mil palavras... mas existem coisas que se não forem ditas permaneceram escondidas até a morte...

- não se ache tanto Uchiha...- eu o encarei querendo mostrar que não brinco.- você também parece a cada momento mais transparente...

O garçom chegou trazendo os pratos e quando ele se foi, Sasuke parecia um pouco diferente... de certa forma, para minha enorme surpresa, parece intimidado.

- no sábado...- ele parecia calmo de mais, desconfio.- vamos sair, em um encontro.

Eu exitei e por fim concordei com um aceno...

Esse cara...

Eu preciso me cuidar, sinto perigo de ser arrastada para aquilo que mais odeio...

Eu odeio pensar que aprendi alguma coisa quando só errei...

Por favor...

Que Seja verdadeiro.










Notas Finais


😍
É isso.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...