1. Spirit Fanfics >
  2. Vermelho com Açúcar >
  3. Reino Gelado

História Vermelho com Açúcar - Capítulo 8


Escrita por:


Notas do Autor


Oiiiii.
Bora ler :p

Capítulo 8 - Reino Gelado


Fanfic / Fanfiction Vermelho com Açúcar - Capítulo 8 - Reino Gelado

Eu e Jake tivemos que voltar para o Reino Doce, pois já era tarde da noite quando deixamos o Reino de Fogo. Precisávamos descansar e pegar roupas quentes. Até porque, se fossemos direto para o Reino Gelado, o choque térmico na pele seria mortal.

Passamos a noite na minha casa, mas eu não consegui dormir um segundo sequer. Em minha mente, um turbilhão de pensamentos me torturava. Todos eles voltados à vampira. Alguns raivosos pela cena com a Flame, outros arrependidos por tê-la mandado ir embora, mas o pior de todos eram os pensamentos tristes por ela nem ter olhado pra trás. Resumindo, minha noite foi banhada de angústia em todos os sentidos.

Levantei assim que a luz do sol se fez presente em minha janela, não aguentaria nem mais um minuto deitada sozinha naquela cama. Fui até meu armário e apanhei todo o aparato de inverno que você possa imaginar. Como casacos, toucas, cachecóis, entre outros. Enfiei as vestimentas em minha mochila e fui em direção ao quarto de Jake.

- Vamos, Jake. Já amanheceu. - Disse assim que abri a porta, acordando o cachorro.

- O quê...? - Respondeu ele ainda bem sonolento. - Bonnie, mal passou das cinco horas da manhã.

- Não importa. Vamos logo resgatar o Finn e acabar com isso. - Disse séria.

- Uoooaaaah. - Bocejou Jake. - Tá bem... - Respondeu levantando da cama e se espreguiçando.

Pegamos algumas frutas na cozinha e tomamos nosso caminho até o Reino Gelado. O reino era longe, levaria algumas horas para chegarmos. O trajeto foi torturante... Por conta da áurea péssima que eu exalava, Jake passou a maior parte do tempo em silêncio. Este fator permitiu que minha mente viajasse pra onde não devia e meus sentimentos mergulhassem novamente em toda angústia que senti na noite passada.

- Como você tá, Bonnie? - Perguntou o cachorro, quebrando o silêncio de algumas horas após a saída do castelo.

- Do que está falando, Jake? - Perguntei sem encará-lo.

- Não se faça de desentendida, mulher. - Bufou o amarelo.

- Eu tô bem, como pode ver. - Menti. - Tive uma bela noite de sono, estou super descansada e concentradíssima na missão. - Menti mais ainda.

- Vamos passar na casa dela, Bonnibel. Ela merece estar junto quando encontrarmos o Finn.

- Ta maluco? Claro que não! - Bufei. - Ela sabe onde vamos estar. Se ela quiser, ela que venha atrás da gente!
            - Esqueceu que VOCÊ que a mandou embora? Se eu fosse ela, não voltava nunca mais... - Disse o cachorro com sinceridade, eu não pude deixar de fazer um bico. Mas meu orgulho era maior.

- Ninguém mandou ela fazer merda. Dá pra gente parar de falar disso? - Acelerei meus passos. Pude ouvir Jake atrás de mim suspirando.

- Como quiser, princesa. Como quiser...

 

***
 

A brisa congelante já condenava a localização do Reino Gelado e logo foi possível avistar a grande cadeia montanhosa coberta de gelo e neve no horizonte. Eu e Jake vestimos as roupas de inverno antes que nos aproximássemos demais. Poucos metros à frente, a grama fresca já dava lugar a uma grama marrom e seca, logo após, a neve já cobria todo o solo.

- Uuuuuh, que frio... - Disse Jake abraçando seu próprio corpo.

- Tá mesmo. Cof! Cof! - Tossi. - Essa história de ir de um extremo ao outro está acabando com minhas fibras.

Em pouco tempo, o cenário já mudou para um completo mundo Frozen. Neve para todo o lado, rios de água congelante, uma cordilheira com picos altíssimos em torno da gente, até haviam alguns pinguins perdidos por ali. O castelo se localizava na montanha mais alta do Reino. Era possível vê-la de longe. Eu e Jake não perdemos tempo em seguir para lá.

Quando chegamos, Simon, conhecido como o louco Rei Gelado, estava na porta, como se estivesse nos esperando. Sua pele é azulada, possui longos cabelos brancos e é dono de uma enorme barba volumosa. Sempre está usando uma espécie de vestido azul que vai até os pés, além da característica coroa de três pedras.

- Olá, crianças! Bem vindas ao meu humilde castelo! - Disse o rei abrindo os braços de uma maneira receptiva.

- Simon, estamos atrás do nosso amigo. Soubemos que você o trouxe pra cá. - Disse ao velho barbudo.

- Amigo? Não, não, não, não... Não há nenhum rapaz aqui. Há apenas meus fofos habitantes do frio, minha noiva e eu.

- Sua noiva? - Eu e Jake perguntamos juntos.

- É. Venham, quero apresentá-la a vocês. - Disse Simon nos empurrando para dentro do castelo completamente feito de gelo. Toquei no ombro de Jake.

- Você já entendeu o que aconteceu aqui, né, Jake? - Sussurrei para meu amigo.

- Já sim, Bonnie... - Respondeu o amarelado.

Entramos em um grande salão circular. Nele havia um tapete vermelho que ligava a entrada onde estávamos até o limite do espaço, onde haviam dois tronos feitos de gelo esculpido. Para nosso alívio, Finn estava bem ali, sentado em um trono menor, ao lado do principal. Graças a Glob ele aparentava estar bem, porém, estava acorrentado.

- Olha, meu amor! Temos visitas! - Disse Simon.

- Pessoal? - Finn abriu um grande sorriso ao nos ver. - Vocês vieram!

- Fionnaaaaaa! - Disse Jake quase chorando e indo em direção ao nosso amigo. O cachorro pulou para abraça-lo, mas uma grande mão de neve o segurou, impedindo o contato.

Era um enorme golem gelado, devia chegar a quase três metros de altura. Não tínhamos o visto antes, pois estava camuflado nas paredes de gelo do salão.

- Não chegue tão perto assim da noiva dos outros, meu jovem. - Disse o rei em um tom ameaçador. - Vá procurar a sua. - O golem, então, jogou o cachorro de volta para perto da entrada, onde estava eu e Simon.

- Simon! Ele não pode ser sua noiva! Cof! Cof! Ele é homem! - Tentei explicar.

- Não diga bobagens. - Disse o rei indo em direção a seu trono e sentando ao lado de Finn. - Eu sei bem reconhecer uma linda mulher quando vejo uma, não é, meu amor? - Disse colocando a mão no queixo do nosso amigo.

- Não adianta, Bonnie. Ele não acredita! - Gritou Finn. - Eu já tentei de tudo, mas ele continua achando que sou mulher!

- Tolice! - Gritou Simon. - Eu não quero mais ouvir uma palavra sobre este assunto! - Se levantou e foi em nossa direção novamente. - O casamento será amanhã. Ficarão para a festa? - Perguntou sorrindo, com as mãos para trás. Mas logo fechou o semblante. - Se não forem ficar, deem o fora daqui e não nos atrapalhem mais. - Disse de forma fria e assustadora.

- Nós ficaremos! - Respondi prontamente.

- Ficaremos? - Perguntou Jake.

- Sh! - O repreendi.

- Excelente! - Gritou o rei. - Como é bom ter convidados, ui! - Disse saltitando pela sala. - Será uma grande festa! Com muita música, muita comida e muita alegria para o mais novo casal de Ooo! Rei e Rainha Gelados! - Então, parou no meio do salão. - Mr. Berg! - Gritou Simon olhando para o grande golem. - Leve nossos convidados para seus aposentos. Devem descansar pois amanhã será um grande dia!

O monstro, então, nos pegou com suas mãos enormes e nos levantou.

- Pessoal... - Choramingou Finn, tenso e claramente assustado.

Pisquei para o garoto, que entendeu o recado e relaxou.

Fomos deixados em um belo quarto no alto do castelo, digno de realeza. Tudo era feito de gelo, a perfeição dos detalhes era magnífica em cada canto do quarto. Tanto nos móveis, como nos azulejos presentes nas paredes. Apenas o que não era de gelo, era o colchão, aparentando ser macio como se fosse fabricado com plumas de cisne.

- Qual é o plano? - Perguntou Jake.

- Eu não sei. - Respondi rindo de desespero.

- VOCÊ NÃO TEM UM PLANO? - Gritou o cachorro.

- Eu vou pensar em alguma coisa, calma.

- Rum... - Bufou ele. - Se não fosse aquele boneco de neve do inferno, daria pra gente tirá-lo daqui facilmente.

- Tem razão... Agora preciso pensar. - Disse sentando na cama macia e colocando a mão no queixo. - Cof! Cof!

- Você ta bem? - Jake se aproximou de mim preocupado. - Você está tossindo desde cedo.

- Não se preocupe, é só por causa da divergência de temperatura. Eu vou ficar bem. - Sorri. - Agora me ajude a pensar no que fazer.

Ele sentou ao meu lado e ficamos vários minutos em silêncio, bolando diversas maneiras mirabolantes de resgatarmos nosso amigo.

- Há! - Falei.

- Aaahh! - Gritou Jake, pulando pro lado. - Que susto, Bonnie!

- Faz quanto tempo que o Finn se transformou em mulher?

- Han... - O cachorro ficou pensativo. - Acho que seis dias, por que?

- Excelente. O veneno da planta não dura mais que uma semana, ou seja, o efeito está prestes a acabar. Quando acabar, Simon verá que ele é um garoto e o libertará!

- Perfeito, Bonnie! - Jake se animou. - Mas e se por acaso não acabar até a hora do casamento?

- Isso não vai acontecer. Eu trouxe alguns ingredientes básicos de poções para caso precisasse, e acho que tenho as coisas necessárias para a criação de uma droga que acelere a cura do veneno. Deixa eu ver aqui...

Busquei em minha mochila os itens que eu precisava.

- Vamos lá. Raspas de açúcar ácido, sementes de cacau silvestre torradas, fungos frescos, dente de macaco morto por intoxicação, seiva de pinheiro ártico e... E...? Ah não... Mentira que esqueci isso!

- O que? O que foi? Não tem tudo?

- Não... Faltou o item mais básico da poção... O pólen da orquídea rosa choque, a planta que envenenou Finn... Como pude esquecer!? - Choraminguei.

- Espera, eu acho que sei como resolver. - Disse Jake revirando os bolsos.

- Como assim? - Perguntei curiosa.

- Tcharam! - Ergueu em suas mãos, como um troféu, um tênis preto.

Silêncio.

- Não entendi. - Fiz cara de tacho.

- Este é o tênis que o Finn usava no dia do acidente! Quando ele foi sequestrado, isto acabou sendo deixado pra trás. Eu o carreguei comigo todo esse tempo como um amuleto da sorte... Agora você pode analisar para ver se o não tem pólen agarrado aí. - Disse eufórico e sorridente.

- VOCÊ É UM HERÓI! - Gritei, pegando o cachorro no colo e rodopiando com ele pelo quarto. Após alguns giros e quase cair de bunda devido a tonteira, me sentei novamente na cama. - Me dá, me dá! Deixa eu ver!

Jake me deu a peça e, após uma rápida avaliação, pude encontrar resquícios do pólen no couro do tênis.

- Ali, me dá aquele jarro! - Apontei para um jarro de plantas em cima de uma mesinha de centro. O amarelado correu até ele, retirou as plantas e o trouxe pra mim.

Dentro do jarro, coloquei a seiva primeiro e depois as raspas do açúcar e misturei. Salpiquei as sementes de cacau e um punhado de fungo, misturando novamente. O dente foi por último, junto com o pólen que raspei do tênis de Finn direto para o líquido gosmento. Misturei até tudo ficar homogêneo e adquirir uma tonalidade roxa.

- Está pronto!

- Yahooooo! - Comemorou Jake. - Mas pera. O Finn vai beber isso aí?

- Vai sim. - Sorri.

- Tá nojento. - Falou o cachorro com uma expressão de desagrado e colocando a língua pra fora.

- Eu sei. Mas é melhor do que casar com Simon.

- É, tem razão.

- Vamos tirá-lo daqui! - Disse correndo em direção à porta do quarto.


Notas Finais


Esse capítulo foi mais tranquilo, hein
Finalmente encontraram Finn ><
Gostaram?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...