1. Spirit Fanfics >
  2. Vermelho Escarlate >
  3. Cassie Cage and Skarlet

História Vermelho Escarlate - Capítulo 1


Escrita por: e Rapmon_Clarke


Notas do Autor


Oi amores! Tudo bem com vocês? Espero que sim.
Bom, no dia de hoje, estou trazendo uma one que escrevi em parceria com a Rapmon_Clarke.

Esperamos que gostem; produzimos com muito carinho.

Boa leitura.

Capítulo 1 - Cassie Cage and Skarlet


. Vermelho Escarlate.

 .Amara_Malfoy e Rapmon_Clarke. 

POV Cassie Cage On.

Meus passos eram calmos. Minha bota batia sobre as pedras causando barulhos que para mim, são irritantes. O sol logo ira sumir e a noite parece mais agradável, principalmente para treinar.

— Cassie! — Viro-me para traz para poder ver Jade. As roupas verdes com preto revelam seu corpo bronzeado e sexy. As longas madeixas estão presas por um coque e hoje ela não usa sua máscara.

— Jade! — Aceno. Ela se coloca ao meu lado e juntas caminhamos calmamente, como se fosse normal. Porem todos esses tempos em que passamos lutando do mesmo lado e as vezes, de lados diferentes. Acabei criando uma amizade com a princesa demônio. Além disso, depois que ela e Scorpion assumiram um relacionamento esquisito, eu sinceramente deixei de entender os lutadores.

— Skarlet estará aqui essa noite. — Ela diz balançando seu bastão. — Aquela sanguessuga vai vir te ver. — Então ela ri.

— O que quer dizer? — Encaro-a.

— Não seja ingênua Cass, sei o que rola entre você e a ruivinha. Na verdade, todos sabem. Até seu pai diz que vai apoiar cem por cento o que rola entre você duas. — Acerto seu braço e ela ri.

— Não há nada entre mim e Skarlet! Somos apenas conhecidas e as vezes treinamos juntas. — Falo convicta.

— Não seja tola Cassie. Sabemos que quer foder com a ruivinha. — Dessa vez quem aparece do nada é Kitana. — As costumeiras roupas azuis, como seu namorado sub-zero.

— Não venham com essa. Eu não vou pegar um lutador, ou melhor, uma lutadora. Sou responsável por manter a linha desse lugar e não perde-la chupando Skarlet. — Cruzo os braços e ouço ambas rirem.

— Se você diz. — Jade dá de ombros.

— É! Vamos fingir que não sabemos de nada Jade. — Kitana diz piscando para a verdinha e bufo. Assim que avisto as barracas dos meus soldados, dois seres brotam do nada me causando um baita susto.

— Céus.

— Infernos! Loira. — Scorpion diz de sobrancelha arqueada.

— Deixe-a acreditar que este é o céu. — Sub diz ao irmão. — E ai Cage, está preparada para uma noite quente com a sanguessuga? — Reviro os olhos novamente.

— Eu não tenho nada com Skarlet. Agora vê se me deixam em paz. — Falo seria causando risadas entre eles. — Eu só não mato vocês porque eu tenho um por cento de sentimento por cada um.

— Ata. — Jade me abraça de lado.

— Você é uma mentirosa até nisso. — Scorpion diz puxando Jade para si. — Se me dão licença, Jade e eu vamos treinar. — A malicia na voz do mesmo me deixa de sobrancelhas arqueadas.

— E nós também. Tenho que mostrar o que aprendi a fazer com a boca. — Sub agarra Kitana e logo me vejo sozinha. Reviro os olhos e bufando caminho até a minha casa. É, ser filha de agentes poderosos me dá certos privilégios.

[...]

A luva em minha mão está quase rasgando devido aos golpes que dou no saco de areia. O suor escorre pelo meu corpo e meus cabelos estão grudados na testa. Quando cheguei, eu estava de roupas de treinamento. E agora, estou somente de regata e calcinha preta.

Se Jade e Kitana e os irmãos do inferno pudessem me ver agora. Diriam que é porque espero Scarlet.

E eu espero?

Admito que tivemos um lance. Não passou de um beijo, até porque eu tinha preferencias masculinas até o beijo. Talvez seja o estresse ou somente fogo de momento.

—Você cresceu garota. — Olho para trás vendo Skarlet.

A dona da cabelos vermelhos usava suas típicas roupas vermelhas, a única diferença é que estava sem seu capuz e sem sua máscara, deixando sua boca bem desenhada a mostra.

— Você também, Skarlet. — debocho voltando a minha atenção para o saco de areia. Volto a bater com força, causando um enorme barulho na sala de treinamento.

— Está mexendo demais sua cintura. Se mantê-la parada terá mais estabilidade. — a ruiva começou a dizer enquanto se aproximava de minha pessoa.

Paro de bater e suspiro fundo.

— Obrigada. Mas não preciso da sua ajuda. — respondo séria, tiro minhas luvas rasgadas e as jogo junto das outras peças de roupas estavam.

— Não seja tão dura, Cassandra. — sua voz calma estava cada vez próxima, me causando certo desconforto. — Eu estou apenas tentando lhe ajudar.

— Irá me ajudar muito se afastando de e não dirigindo a palavra mais a minha pessoa. — respondo rude, virando meu rosto e meu corpo de volta para o saco de areia.

— Tem certeza se é isso que você realmente quer? — perguntou com seu corpo perto perto do meu. Abraça minha cintura por trás, sua respiração perto de meu pescoço. Sua aproximação me deixava exitada, não consigo negar isso.

— Tenho. — tento me soltar mais Skarlet era mais forte. Ela gruda seu corpo coberto pelo uniforme preto e vermelho no meu. Suas mãos apertam minha cintura, me fazendo gemer baixo.

— Tem mesmo?. — tornou a perguntar, seus lábios próximos ao meu pescoço, distribuído pequenos beijos. Sua boca causava arrepios em minha pele, Skarlet parece que gostou de saber o que suas atitudes causavam em mim. — Muita? — lambeu meu pescoço até chegar em minha orelha, deixando um mordida no glóbulo.

— Eu...É...— minha boca não conseguia formular uma só frase completa. Eu estava querendo a ruiva, eu estava quero foder com Skarlet, Jade tinha razão.

Resolvo esquecer o politicamente correto e a moralidade, mando tudo para puta que pariu e me viro para a serva de Shao Kahn. A beijo em um piscar de olhos. Nossas lábios se grudam de uma maneira cheia de química e luxúria reprimida.

Sua mãos apertam minha cintura e me puxam para cima, fazendo minhas pernas se enlaçarem em sua cintura. Nossos lábios estão conectados, peço passagem com a língua que logo é concedida pela avermelhada.

Com cuidado Skarlet caminha comigo ainda em seu colo na parede mais próxima. Quando a acha me gruda, gemo com o impacto.

Aos mãos ágeis da combatente tiram minha blusa a jogando no chão, me deixando apenas de roupa íntima azul. Alisam minha barriga chapada subindo para meu busto. Skarlet tira meu sutiã, que no mesmo instante teve o mesmo destino da blusa.

— Seu corpo é perfeito. — falou maravilhada analisando cada pedacinho de corpo, principalmente meus seios descobertos. Vejo sua boca salivar de desejo.

— Tinha alguma dúvida disso? — pergunto sorrindo.

— Não. — pronunciou sorrindo, suas mãos agarram meu seio direito e o levam até sua boca. Arqueio minhas costas com a sensação gostosa que isso me proporcionava.

Seus lábios faziam um ótimo trabalho, além de chupar meus seios, seus dentes deixaram pequenas mordidas no bico rígido. Ela contorna sua língua em torno de meu peito, minha calcinha já se encontrava molhada de excitação.

Dois dedos de sua mão direita descem até o meio de minhas pernas e se posicionam em minha parte íntima. Gemo ao sentir seus dedos esfregaram minha vagina, sinto minha lubrificação natural molhar seus dedos.

— Tão molhada. Tão deliciosa. — Skarlet diz em êxtase de puro prazer, depois de ter deixado seus lábios de meus seios, que agora estavam com marcas roxas de chupões.

— Cai de boca. — digo com convicção flexionado seus dedos no meio de minhas pernas.

— Safadinha. — a ruiva interpela rouca de tesão, tiro minha pernas de sua cintura dando mais facilidade a outra.

Skarlet se ajoelha ficando no meio de minhas pernas e a cabeça próxima a minha cintura. Retira minha calcinha, deixando me despida de tecidos. Sinto sua boca tocar minha buceta fazendo meu corpo se estremecer. Coloco minha perna direita em seu ombro, deixando minha intimidade mais acessível para a ruiva. Sua língua passeava em toda minha vagina, ao chegar em meu clitóris Skarlet começa a chupar, enquanto seus dedos começaram a fazer movimentos de vai e vem. Estocando minha buceta.

Eu ficava enlouquecida a cada gesto da dona da magia de sangue. Levo minhas mãos para seus ombros os apertando, minha unhas cravaram em minha pele após a ruiva ter estocado meu ponto G.

Rebolo buscando mais atrito entre minha intimidade, seus dedos e sua boca. Meus gemidos eram o único som presente na sala. Ouço um barulho vindo da porta, olho de relance e sorrio envergonhada ao ver que era Erron Black nos olhando com safadeza. Desço meus olhos e vejo o caçador de recompensas aperta sua ereção por cima da calça. Desvio meus olhos da porta e volto a encarar o rosto de Skarlet novamente. Sua boca fazendo sexo oral em minha intimidade a deixavam mais linda.

— Gostosa. — disse dando um tapa forte em minha bunda com sua mão livre.

— Estou quase gozando. Oh. — enunciou com dificuldades devido aos gemidos que deixavam minha boca.

Com minha fala sinto Skarlet aumentar a velocidade de seus movimentos, resquícios de sangue saíam de seus braços devido ao arranhões que minhas unhas deixou em sua pele. Grito de prazer e chego ao ápice de prazer, meu gosto invadindo a boca da mais velha.


Notas Finais


Gostaram? Comentem o que acharam.

Beijos da Amara e da Clarke 💋💋


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...