História Vertvil e os Grandes Segredos - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Originais
Tags Alquimia, Aventura, Luta, Magia, Mistério, Policial, Sobrenatural
Visualizações 2
Palavras 674
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Magia, Mistério, Policial, Romance e Novela
Avisos: Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 2 - Apenas uma Noite na Cidade


Fanfic / Fanfiction Vertvil e os Grandes Segredos - Capítulo 2 - Apenas uma Noite na Cidade


     Eram quase 1 da manhã. O frio da noite era intenso, ainda mais para quem estava na rua, que era exatamente onde Victor estava. Havia tido um dia bem estressante.
Apesar de Vertvil ser uma cidade bem tranquila, para um detetive, ou policial, não era bem isso. Ele estava tentando procurar pistas sobre um assassinato que havia acontecido dois dias atrás. Era o terceiro na semana, todas do mesmo jeito: 3 Tiros, um na cabeça e dois nos braços, era um tipo de padrão. Victor procurou pistas em todo lugar. Não haviam testemunhas na cena do crime, nem câmeras, nem nada, tudo que ele sabia era sobre o padrão de tiros. Já havia tentado analisar as vítimas, e não havia nenhuma ligação entre elas. Eram totalmente diferentes. E agora? O que iria fazer? 
Victor andava pela calçada de uma rua não muito movimentada. Vestia um terno azul escuro, seus cabelos castanhos estavam penteados para trás, semblante sério. Estava a poucos metros da delegacia de Vertvile, indo até seu carro, não muito longe dali. 
Entrou em seu carro, ligou o mesmo, e começou a dirigir, rumo a sua casa. Estava fazendo o caminho normal de todo dia, quando se deparou com uma cena incomum: Havia alguém deitado, de braços abertos, no chão, perto de um beco. No mesmo instante, Victor parou o carro e foi até o homem deitado, vendo que o mesmo estava morto, com 3 tiros, exatamente como as outras vítimas. O assassino devia estar por perto. Foi quando ele olhou para o beco e viu alguém correndo ao fundo, e começou a correr atrás dele. Seria ele o assassino? O homem correu até o final do beco, que revelou ser sem saída. Victor correu atrás dele e parou, sacando sua arma e apontando para ele.


- PARADO! - Disse.
- É sério isso? - Respondeu o homem, rindo fraco e se virando para ele.
O homem usava um terno vermelho, cabelos escuros e bagunçados e um rosto não tão jovem. Tinha uma marca esquisita no rosto, um símbolo, que Victor não conseguiu ver direito.


- EU DISSE PARADO! SENÃO EU ATIRO!
- Bom, dois podem jogar esse jogo. - O homem de vermelho sacou sua arma e começou a atirar na direção de Victor, que conseguiu se esconder atrás de uma lata de lixo e algumas caixas. 


Victor então mirou no homem e atirou, acertando sua barriga. O homem caiu no chão, e Victor foi até ele. Quando ele foi até o homem, foi empurrado no chão. Victor olhou para os lados, procurando quem havia feito aquilo, e não viu ninguém. Foi quando alguma coisa começou a brilhar no homem em que Victor havia atirado, e continuou brilhando, até o homem se levantar rapidamente, sem nenhuma marca, totalmente curado, e atirar no peito de Victor, que deitou no chão, gemendo de dor.


- Então você acha que pode me matar? - Perguntou o homem, indo até Victor, e pisando em sua cabeça.
- O que.. o que você é? - Perguntou Victor.
- Eu sou um Mobius, idiota. 
- Você é um demônio.
- Verdade, e logo iremos nos encontrar lá em baixo! - E o homem sorriu, atirando na cabeça de Victor. - Se tivesse ficado quieto na sua.. - E saiu andando calmamente.


Enquanto isso, não muito longe dali, dois homens encapuzados estavam escondidos, andando pelos becos da cidade.


- Que idiotice a sua.. sair na rua com essa roupa. E se alguém ver a gente? - Disse um deles.
- Não importa agora, temos que achar aquele Mobius maldito logo.. antes que ele faça mais vítimas. - Respondeu o outro.
- Por que o chefe se preocupa tanto com eles? Não era ele que dizia "Quanto menos pessoas, melhor para se governar um lugar"?
- O problema não são as pessoas mortas, e sim por quem são mortas. O chefe odeia os Mobius, pois eles podem acabar com todo o plano. Tudo pode acabar, se eles quiserem.
- Entendi.. 


E ambos continuaram andando, até encontrarem o corpo de Victor.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...