História Viagem de caminhão - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Voltron: O Defensor Lendário
Personagens Keith, Lance
Tags Caminhao, Klance, Voltron, Voltron Yaoi, Yaoi
Visualizações 46
Palavras 850
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Slash, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 6 - Conversando sem nada a dizer... Por enquanto.


Lance acabou não dizendo nada por um tempo, o que os amigos de Keith disseram sobre ele no restaurante não saia de sua cabeça. Que razão Keith teria para lhe dar uma carona assim, de bom grado se não era de seu feitio? Estava tão mergulhado em seus pensamentos que levou um grande susto ao ouvir a buzina do caminhão.

- O que foi isso? – Ele perguntou com a mão no peito – Quer-me enfartar?

- Está assustado? Só buzinei para um carro que não saia da frente.

- Sem graça.

- Posso te perguntar uma coisa?

- Claro.

- Eles não te disseram nada enquanto eu não estava presente, ou disseram?

- Hum... Por que quer saber?

- Aqueles caras tem o dom de me constranger às vezes. Eles não te disseram nada?

- Bem... Não.

- Droga. – Keith bateu no volante.

- O que foi?

- A gasolina está quase no final. Tomara que agüente até o próximo posto.

- Se não o que? Vamos ter que ir a pé para pegar?- Lance perguntou rindo, mas fechou a cara quando o outro murmurou um sim.

O caminhão logo chegou até um posto, não sem que a seta apontasse para o vermelho.

Ambos desceram, enquanto Keith abastecia Lance pegou sua carteira para comprar alguma coisa para comer.

- Ei, Keith quer alguma coisa? Eu to pagando.

- Pegue algo pra beber. – Ele respondeu concentrado na bomba.

- Alguma preferência?

- Eu não sei. Pega qualquer coisa.

- Tudo bem.

Não demorou para que os dois estivessem no caminhão continuando viagem.

A viagem seguiu calma, apenas com conversas bobas que arrancavam risadas dos dois. Logo, começou a anoitecer e mais uma parada se fez necessária.

Keith arrumava as coisas para dormirem enquanto Lance falava ao telefone.

- Eu sei mãe. Olha, eu estou indo o mais rápido que eu posso. Sim, eu lembro a oficina em que deixei o carro. Eu volto com o pai para pegar. O que ele disse?

Keith olhou discretamente para Lance, tentando não dar na cara que estava prestando uma pequena atenção na conversa.

- Fala pro meu cunhado que quando o caminhão do cara que me deu carona criar asas eu chego mais rápido. Olha mãe, eu estou com sono. Estamos ajeitando as coisas pra dormir ta? – Keith o olhou preocupado quando Lance afastou o telefone da orelha e respirou forte – Eu estou tentando chegar aí, ta bom? Só me esperem ta? – Lance desligou o celular e caminhou cabisbaixo até o caminhão para pegar algumas coisas para tomar banho.

- Algum problema?

- Qual quer que eu diga primeiro?- Disse irônico

- Não sei. Talvez a troca de farpas com o querido cunhado?

Lance bufou e o olhou irritado.

- Ele é um idiota. É só isso. – Disse alto e ríspido e foi para o banheiro.

- Ok... Eu só perguntei.

Quando Lance voltou para dormir nenhum deles disse uma única palavra. O clima estava mais pra lá do que pra cá.

- Desculpe... – Lance murmurou.

- O que?

- Por gritar com você.

- Tudo bem. – Keith disse enquanto se virava, ficando cara a cara com Lance. – Mas se fizer isso de novo eu te largo na rua na hora.

- Certo. – Lance tinha certo receio na voz, não tinha muitas duvidas de que o outro poderia mesmo fazer isso.

- Mas se quiser falar... Aproveite que não estou com sono ainda.

- Ok. Por onde eu começo? A casa da minha irmã está lotada de parentes, uma tia está dormindo no sofá da sala porque minha irmã está segurando o quarto de hospedes pra mim. E o meu querido cunhado – Keith não pode deixar de perceber a ênfase irônica que ele dera na palavra querido – Quer que eu chegue logo. Ele tem um tio que detesta dormir no chão, mesmo com colchão. Disse que tenho que chegar logo ou ele vai dar o meu quarto pra ele.

- Posso saber qual é dessa richa com seu cunhado?

- Boa pergunta. Mas a resposta é não.

Keith piscou algumas vezes, como se processasse o que lhe foi dito.

- Que?

- Não estou dizendo que não posso te contar, mas eu ia ter que começar te contando sobre algo de alguns anos atrás até chegar no Q da questão.

- Do jeito que fala parece ser algo grande.

- Bem... Pra mim é, sabe? Mas agora é sua vez.

- O que?

- Eu contei um pouco da minha vida pra você e agora é sua vez.

- Não me diga que me contou isso só pra saber de algo sobre mim...

- Digamos que você é meio intrigante.

- Então, aquela história de não querer saber algo sobre mim?

- É é. Era só por falar. Mas e então.

- Seguindo sua linha de raciocínio eu também não vou contar.

- O que? Por quê?

- Eu ia ter que começar lá da minha infância.

Lance bufou, Keith apenas riu.

- Vou dormir agora. Boa noite.

- Boa noite. – Lance respondeu, não conseguiu ficar bravo com o outro por muito tempo. – Até amanhã.


Notas Finais


Olá. Estavam com saudade? ( da história, não de você, não se iluda)
Acho que estou pegando uma gripe, pudera? Onde moro, quando faz calor é pra valer e quando faz frio é pra valer e dobro, escrevi o cap enrolada na minha coberta. Até a próxima atualização :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...