História Viajante - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Viagem
Visualizações 3
Palavras 1.802
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Aventura, Ficção Adolescente, Shounen
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 1 - Chapter One


Lara acabara de acordar. Mal abrira os olhos, já tinha que se arrumar. Seu pai, Peter Norris era muito duro,e agressivo com sua filha e sua esposa, Catarina. Ah,acho que eu não vou levantar não,pensou Lara. Mas eu acho melhor trabalhar do que apanhar das piores "armas de tortura". Lara para não ter que apanhar das mãos pesadas de seu pai,decide então levantar e trocar de roupa. Estava com um vestido azul claro de descia até o joelho.

Ao se arrumar,ela sai de seu quarto,e vai para a cozinha para comer um pão com manteiga. Comera tão rápido que nem sentira o sabor do café da manhã. Ao sair de casa,Lara apressou-se para ir até um lixão perto de sua casa,onde trabalharia como de costume.

O dia se passou,e Lara trabalhava muito,junto com seus pais,e outras pessoas que também estavam no lixão. Fora sido um dia cansativo para Lara,mais cansativo que o normal. Lara havia se cortado algumas vezes com cacos de vidro, entre outras coisas que cortam. Tinha marcas de corte pelas pernas,e em poucas partes do braço.

- Ai mãe,calma aí! - Reclama Lara da forma como sua mãe passa um pano com álcool em sua perna. - Af mãe,por que você não passa mais devagar? 

- Você não vive dizendo que é uma menina forte? Se é uma menina forte, com certeza você deveria aguentar isso! - Retruca Catarina.

- Eu sou uma menina forte sim,e odeio sensibilidade,mas você está me machucando. Esses cortes nas pernas são maiores,e por isso,se passar um pano encharcado de álcool,de forma bruta, é óbvio que vai machucar!

- Isso é pouco! Já devia estar acostumada! - Peter se intromete. - Quando eu era criança,eu já trabalhava no lixão! Certo dia,eu trabalhei tanto que minhas pernas eram sangue puro!! Cortes profundos, sangue para todo o lado,era isso todo dia. Mas eu não ficava reclamando da vida igual você faz! Eu seguia em frente,sem deixar que nada me parasse! Nunca reclamei de dor,nem nunca choramjnguei por estar com a perna queimado por causa de álcool! E olha que os caras com quem eu morava não eram nada bonzinhos! Eles passavam o pano com uma força tremenda,e se reclamasse de dor,ou algo do tipo,eles te machucavam só para você ter que aguentar mais dor,sem reclamar!

- Nossa,que vida, hein! - Debochou Lara.

- Está debochando de mim? - Peter se enfureceu.

- Quem? Eu?? Nããão,como pode pensar isso de mim?

- Ah é? Então toma!! - Peter dá um tapa na cara de Lara. - Isso é pra você aprender a não debochar de mim!!

Lara não dissera nada,apenas ficou em silêncio.

- Viu só Lara? - Disse Catarina. - Viu só? A culpa é sua,no caso de sempre apanhar de seu pai! Deu sorte dele não ter batido com o cinto,nem com nada pior!

- Para mãe! - Retruca a menina com a bochecha vermelha. - Por que você tem sempre que ficar do lado do meu pai? Por que não enxerga nem quando ele está errado?

- E você? Por que tem que ser contra tudo que seu pai faz,ou diz? Por isso que sempre apanha!

- É mesmo é? E pra falar a verdade,eu já cansei de apanhar como um animal! Já cansei de viver nessa miséria de vida! Já cansei de ir trabalhar no lixão,e chegar em casa com feridas! 

- Pare... - Manda Catarina.

- Já cansei de ser tratada como um animal qualquer! 

- Chega... - A voz de Catarina começa a engrossar.

- Já cansei de vocês!!!

- Cala boca!! - Catarina dá um tapa na cara de Lara.

- Lara vira o rosto para sua mãe,e olha fixamente em seus olhos. Não tinha raiva, não tinha tristeza, não tinha nada. Lara olhara para as mãos de sua mãe,e depois olhara para Peter,seu pai.

- Bem feito!! Foi mais que merecido!! - Disse Peter.

Lara não dissera nada,apenas levantara do sofá em subira para o seu quarto. Ao entrar lá,se jogara na cama e deu socos em seu travesseiro.

- Ugh,que droga,eu não posso comentar nada nessa casa que já tenho que apanhar!! Ai,que saco de vida! Eu não aguento mais! Já deu por hoje,e sempre!! Aah,que raiva!! Agora,eu preciso apenas dormir, senão eu passo mal com esse povo injusto!!

Lara dormiu por duas horas,e quando acordou,olhou no relógio do quarto dela e viu que já estava tarde. Como dormiu antes de jantar, já era de se esperar que ela acordaria com fome. 

- Ai,que fome do cão!

Lara andou até a porta do quarto e não ouviu barulho algum,e então deduziu assim que seus pais já estavam dormindo. Então ela abre a porta suavemente,tomando cuidado para não fazer nenhum ruído. O quarto de Catarina e Peter é do lado do quarto de Lara, então ela andou devagar,sem fazer nenhum barulho. Quando Lara estava prestes a descer as escadas,ela ouve umas risadinhas baixinhas vindo do quarto de seus pais. Curiosa,Lara foi averiguar o que era. Ficou ouvindo da porta tudo que estava acontecendo ali dentro.

- Então a gente pega a arma que tá na minha gaveta de cuecas,e fugimos sem ninguém nos ver! - A voz revelava que quem havia dito isso era Peter.

Lara arregalou os olhos,e se pergutou "Como assim,uma arma??". Lara ouviu atentamente a tudo que estava sendo dito ali.

- E quanto a Lara? - Catarina pergutou.

- Ela? Ela a gente deixa aqui! Aqui vai ser o primeiro lugar onde a polícia vai procurar! Eles irão encontrá-la,e ela estará ferrada! Hahahaha!!

- Ei,shhhh! Dê baixas risadas,para não acordá-la!

- Tem razão! Amanhã mesmo começamos o combinado! Ok?

- Ok!!

Lara depois de ouvir isso,entrou em seu quarto devagar,sem fazer um pio,deitou em sua cama,e começou a pensar. O que será que eles estão tramando? Eles vão me deixar aqui para a polícia me pegar? Bom...se tem polícia envolvida, não é coisa boa...mas e essa tal de arma? Meus pais? Polícia? Arma? Estou completamente confusa!

Lara mal conseguiu dormir naquela noite,pois o que ouvira não a acalmava de modo algum. Poucas horas depois,ainda no nascer do sol, os pais de Lara, entraram em seu quarto e perguntam:

- Oi filha! Tudo bem com você? - Catarina perguntou.

- Pior que não! - Responde Lara - Eu estou com uma dor de cabeça que não quer passar! Estou com essa dor desde ontem à noite! Mal consegui dormir essa noite! Ai,ai,ui! Dói muito,ai ai ai!

- Ah então dessa vez você pode ficar em casa! - Disse Peter. - Dessa vez apenas!! Mas não se acostume! Essa é a primeira e última vez que pode ficar em casa!!

- Tá ok! - Responde Lara.

Quando os pais de Lara saem de seu quarto,Lara corre para a porta para ouvir se eles diziam algo. E sim,ela estava certa.

- Essa dor de cabeça veio ao nosso favor!! Parece que o destino quer nos ajudar,hehe!! - Peter disse.

- Ai,tadinha! Eu acho que ela está muito mal!! Será que seja melhor eu ficar e cuidar dela?

- Claro que não,idiota! Essa dor de cabeça vai deixá-la aqui, enquanto isso,a gente foge! Vê se pensa,sua idiota!

- Aai, desculpa! Então vamos embora!

- Vamos! Pegou a arma? - Peter pergutou.

- Ah,esqueci dela! Vou pegar!

Lara quando ouviu sua mãe dizendo que iria pegar a arma,teve uma idéia genial,e então correu para cama,e gritou.

- MÃE!! PAI!! - Lara gritou.

- O que houve Lara?? - Peter e Catarina entraram no quarto de Lara para saber o porquê do grito da "doente".

- Mãe,pode ir no banheiro comigo? 

- Aah,agora? - Peter pergutou.

- Deixa só eu ir no banheiro com ela! Enquanto isso, você vai e pega o negócio!

- Ah, é! Vai logo,e não demora!

Lara e Catarina desceram as escadas, enquanto Peter entrara em seu quarto para pegar a arma que ele escondia em sua gaveta de cuecas. Lara e Catarina chegaram na porta do banheiro, então Lara pensou, "Essa é minha chance perfeita!".

- Mãe,pode entrar no banheiro primeiro? - Pergunto Lara,com um plano.

- Mas por quê? - Pergutou Catarina.

- Entra,rapidinho! Por favor! - Implorou Lara.

- Tá bom, então né!

 Catarina,a pedido de Lara,entrou no banheiro, então Lara rapidamente empurrou Catarina para dentro, fechou a porta,e como havia uma tranca do lado de fora da porta,Lara trancou a mãe Catarina lá.

- Lara que brincadeira é essa? - Catarina pergutou. - ME SOLTA LARA!!!

- Não é brincadeira nenhuma "mamãe",eu sei o que e o "papai" estão planejando! Vão me deixar aqui,e por algum motivo,a polícia vai me pegar né?

- NÃO É NADA DISSO,ME SOLTA AGORA!!

- NÃO!! - Lara retrucou com voz grossa. - Agora só falta meu pai!

No quarto de Catarina e Peter,havia um armário que tinha dez gavetas,cinco em cada lado. As duas primeiras eram as gavetas de cuecas,e Peter não se lembrava em qual das duas ele havia posto a arma, então ele havia procurado na gaveta da direita. Como não encontrou na da direita,foi procurar na gaveta da esquerda. Revirou a gaveta inteira por seis segundos,e por fim, encontrou sua arma. Era uma pistola preta.

- Por fim,eu a encontrei!! - Disse Peter segurando a pistola. - Agora já posso ir!!

- HÁ!!! - Gritou Lara.

- AAARGH!! - Berrou Daniel,e caiu no chão desmaiado.

- Desculpa, "papaizinho", mas hoje não é seu dia de sorte!! - Lara havia lhe batido na cabeça com uma garrafa vazia de cerveja que Peter havia bebido.

Lara agora percebendo que não há motivo para ficar ali, pegou a pistola da mão de Peter,e pusera em seu bolso,saiu do quarto de seus pais,entrou correndo em seu quarto,abriu seu guarda-roupa,e pegou uma mochila marrom que tinha coisas que ela tinha posto na madrugada,antes de dormir. Naquela mochila,tinha umas roupas,grana, um pente, desodorante,creme para cabelo,e creme hidratante para o corpo,é um casaco lilás. Ela vestiu o casaco lilás,pegou a grana que estava na mochila,colocou a mochila,e saiu de casa.

Primeiramente,ela correu até uma longa distância de sua casa,e depois que viu que já estava longe,parou de correr,e andou normalmente.

Quando andou mais um pouco,ela parou e começou a esperar um táxi,e quando se aproximou um,ela fez sinal,mas o táxi não parou para ela,pois o que uma criança iria fazer num táxi sem seus pais? Apareceram por volta de uns três táxis,mas nenhum parou para ela. Lara já estava se irritando,e então quando apareceu mais um,ela entrou no meio da rua,na intenção de parar o táxi. O motorista,como não queira atropelar a garota,freiou com tudo,e o carro só parou quando estava a um centímetro de distância de Lara. O motorista abre a janela do carro e grita:

- Você tá maluca pirralha??

Lara abriu a porta do carro e saiu entrando,como se ele estivesse lá para pegá-la.

- Ei,ei,ei,que abuso é esse? Cadê seus pais?

- Estão em casa! - Disse Lara enquanto colocava o cinto de segurança.

- Em casa né? Você fugiu de casa? 

- Sim! Foi necessário! - Lara ainda estava colocando o cinto de segurança.

- Ah,sim! Então,SAI DO MEU CARRO,PORQUE EU NÃO VOU DAR CARONA PARA NENHUMA FUGITIVA DE CASA!!!

Lara tirou a pistola de seu bolso,e apontou para o motorista do táxi. - Você quer tentar a sorte?



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...