História Viandante - Jikook - Capítulo 14


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags 3some, Bangtan Boys, Bts, Chaelisa, Jikook, Jimin, Jungkook, Kookmin, Power!bottom, Sebaek, Taeyoonseok, Threesome, Vhope, Yoonseok
Visualizações 820
Palavras 4.154
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção Científica, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Sci-Fi, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Não achei que ia ficar grande o capítulo, mas não teve como ser diferente.
Nessa fase da fic sempre será um capitulo do Jimin, e outro de Jungkook/outros.
Hoje tem as aguardadas interações com o Yoongi, eu gostei bastante, espero não decepcionar vocês.
Boa leitura ;)

Capítulo 14 - Eu odeio o passado


1° dia

- Mas Jungkook. Você poderia só fazer a gente voltar pro dia de hoje quando tudo se resolver.

Enquanto Yoongi estava na sala, distraidamente assistindo TV, os outros três se encontravam sentados ao redor da mesa da cozinha, tomando um café e discutindo alguns pontos que precisavam ser resolvidos. Taehyung estava preocupado porque Hoseok trabalha em uma empresa e para ficar com eles resolvendo o assunto de Jimin teria que ficar muitos dias afastado.

- Não posso fazer isso. – o mais novo tenta explicar.

- Por que não?

- A viagem no tempo é uma coisa muito séria, nunca foi usada antes, e só fizemos isso porque era emergência e porque seria pra uma época muito distante. Não é como se pudéssemos ficar indo e voltando ao nosso bel prazer. Se fizer algo assim com vocês, voltar num tempo tão próximo, isso poderia alterar muitas coisas por aqui, como um efeito borboleta. É muito perigoso.  Além disso eu até já expliquei pro Jimin mais ou menos como fazemos essa viagem, que existem dimensões ocultas, e que de acordo com a física no meu tempo, se vocês por exemplo voltassem para 15 dias atrás, surgiria um universo paralelo. Em um vocês não voltaram no tempo e em outro sim. Entende quantas coisas podem acontecer?

- Aaahhh que saco! – Taehyung faz bico, frustrado por não poder testar a viagem. Desde que soube de tudo ele tinha muita vontade e curiosidade para saber como era.

- Tudo bem, eu já tenho uma solução. – Hoseok intervém – vou ligar pro Namjoon e ele faz um atestado pra mim.

O marido de Jin é médico, e poderia dar um jeito nisso até que pudessem resolver as coisas.

- E aí Jungkook? Você tem algum plano? – Hobi questiona.

- A gente tem que interagir com ele, senão não vai adiantar nada... – ele diz preocupado.

- Tá uma torta de climão essa situação.

- Mas é difícil interagir com aquele ser, ele fica ali, paradão, com aquela carão de viadão! – Taehyung gesticula, apontando para a sala.

- Eu só “aprendi” a ter sentimentos com o Jimin, minha relação com ele foi me despertando pouco a pouco. Temos que dar um jeito dele ser nosso amigo...

- Olha, eu acho que é possível fazer ele sentir alguma coisa, mas ser nosso amigo acho difícil, ele nem percebeu que já não gosta do Tae! – Hoseok também havia reparado nisso. - E eu tenho muita vontade de chamar ele pra sair, mas é sair na porrada.

E realmente era preocupante, já havia se passado um dia inteiro que Yoongi estava com eles, mas enquanto estavam juntos o clima era pesado, e nas poucas vezes que Taehyung tentava iniciar uma conversa, recebia um olhar matador do soldado, que parecia querer fuzilá-lo.

- Vocês não estão com fome? – o mais novo lembra que já era noite e nenhum deles tinha comido nada o dia todo.

- Eu tô morrendo, só que é tanto estresse que eu até esqueci que não tinha comido ainda. Amor, faz alguma coisa pra gente? – Tae pergunta. – Sem o Jimin você é o cozinheiro menos pior dessa casa.

Enquanto Hobi analisa a geladeira e armários quase vazios afim de preparar algo, Jungkook vai conversar com seu colega na sala.

- Yoongi, posso perguntar uma coisa?

- Pode. – ele sequer tira o olho da TV para encarar o mais novo, não que estivesse prestando atenção à programação, apenas tinha vontade de mostrar ao outro seu descontentamento através do desprezo.

- Você tem comido os alimentos daqui?

- Não, eu e Sehun trouxemos cápsulas de suplementos, não preciso dessas coisas estranhas. – ele continua com seu falar arrastado e entediado.

- O Hoseok está na cozinha preparando algo para jantar, eu gostaria que você experimentasse. – Jungkook usa um tom solícito.

- Não estou afim.

- Por favor, isso faz parte do nosso trato. Você precisa se entregar às situações e coisas aqui dessa época para dar certo. Encare como um experimento. Por favor!!!

- Tá, - ele concorda a contragosto – me chame quando estiver pronto.

- Ok. – Jungkook se retira, deixando-o novamente sozinho.

Apesar de não estar dando muita bola para a série que passa na TV, o soldado algumas vezes se atenta às reações das pessoas, como risos altos ou choro, lembrando dos relatórios que seu colega havia passado durante sua estadia no ano 2017. Para ele aquelas reações eram incompreensíveis, e quando ele viu uma cena de beijo chegou até a achar um pouco nojento.

“Eu nunca vou conseguir entender essas pessoas, elas são muito estranhas...”

Passada meia hora Jungkook voltou para lhe chamar. Ele se sentou à mesa junto com os outros, e Hobi lhe serviu com o kimbap recém preparado.

- É uma pena você não poder comer o que o Jimin faz, ele é um cozinheiro maravilhoso! – o mais novo lhe diz.

- Valeu a força aí hein! – Hoseok brinca com ele.

- Não despreze a comida do meu mozão, ele é esforçado. – Taehyung fala de boca cheia, e Yoongi olha para ele com cara de nojo.

- Pare de ser porco Taetae! – o namorado do menino lhe chama a atenção. E internamente Yoongi agradece por alguém lhe compreender.

Depois de umas três garfadas Jungkook pergunta o que ele está achando do prato.

- É diferente, pra gente que é acostumado a não sentir nenhum sabor. Quando você comeu pela primeira vez o que achou?

- A primeira vez que comi foi no restaurante do Jimin, eu achei que o pessoal da nossa época merecia experimentar isso, achei incrivelmente bom, nunca mais na minha vida eu quis usar o plasma ou as capsulas de nutrientes!

- Eu nem sei o que dizer... Mas não posso discordar que nem se compara! Isso aqui é muito bom.

Jungkook sorri contente por ver Yoongi saborear a refeição e ainda repetir o prato, e pela primeira vez ver a expressão dele mudar. O rosto entediado às vezes mostrava sinais de satisfação enquanto mastigava, e ao terminar ele passou a mão pela barriga, suspirando alto, de tanto que havia comido.   

- É Hoseok né? – ele pergunta ao rapaz, fingindo não lembrar seu nome.

- Sim. – a resposta é carregada de ressentimento.

- Obrigado por preparar isso, estava ótimo.

Hobi olha para os lados, meio sem saber como reagir, não esperava nem um tipo de bom tratamento vindo daquele homem que ele mal conhecia mas já odiava pacas.

- Olha só, que evolução!!! O verdinho sendo educado uma vez na vida... – Tae não perde a oportunidade de zoar.

- Tá falando comigo?

- Não tô vendo nenhum outro autista de cabelo verde por aqui...

- Bom, vocês me dão licença mas agora eu quero dormir. – como sempre ele ignora o mais alto.

Jungkook permanece dormindo no quarto de Jimin, e Yoongi fica com o quarto de hóspedes que está sobrando. Os dois soldados do futuro não conseguem dormir direito, o mais novo porque está preocupado demais com o que pode estar acontecendo com Jimin, e o mais velho intrigado com os barulhos estranhos provenientes do quarto ao lado.

•••••••••

2° dia

Na manhã seguinte o casal do quarto barulhento é o primeiro a acordar. Hoseok gosta de começar o dia animado, já abre a janela, deixando o sol invadir o ambiente.

- Mas que porra! – o mais novo diz com sua voz ainda mais grave que o normal ao acordar. – Fecha isso!

- Bom dia pra você também! – Hobi sorri para ele, tentando afastar seu mau humor matinal.

- Todo dia você faz isso e não me deixa dormir, seu chato! – os lábios de Tae são calados por um selinho carinhoso.

- Eu tô com tanto medo pelo Jimin Tae – o mais velho senta na beira da cama e acaricia os cabelos do namorado que ainda está deitado. – Temos que fazer alguma coisa logo.

- Você não tem vontade de ir lá também? No futuro? Fico imaginando como deve ser... E se todo mundo lá é tão bonito assim.

- Como é que é? – Hoseok agora puxa o cabelo dele, com ciúmes.

- Ai amor! – Taehyung protesta. – Mas vai dizer que não é verdade? O Jungkook e o Yoongi são a imagem da perfeição, desde que não abram a boca! – ambos dão risada do comentário maldoso.

- Pois é né amor... Eu acho que eles devem ter sentimentos lá no futuro sim, só que não sabem. Porque se realmente eles fossem assim tão mecanizados, seriam todos iguais. Talvez seja porque o Kookie já mudou, sei lá, mas ele sempre pareceu tão bobo e inocente que chegava a ser cômico. Já esse Yoongi é mau humorado, azedo, eles são bem diferentes.

- Eu tenho uma ideia! Vamos acordar eles... – o mais novo pula da cama, puxando o outro para chamarem os viajantes.

Quando todos se reúnem no andar de baixo, já devidamente vestidos depois de Taehyung invadir os quartos pegando Yoongi semi nu na cama, o que gerou muitos gritos e palavrões, o garoto finalmente propõe a atividade para aquele dia.

- Que tal a gente passar o dia na cachoeira? O tempo está bom e podemos fazer um piquenique!

- Aff Tae, a gente aqui preocupado com o Jimin e você me vem querendo se divertir! – Hobi o repreende, tendo o apoio de Jungkook e um Yoongi aparentemente não se importando com nada.

- Mas gente, a proposta não era dar um jeito no verdinho? – ele olha para o general. – Ficar aqui olhando um pra cara do outro nesse clima de funeral não vai resolver nada! Jungkook, nós temos que mostrar as coisas boas da vida pra ele.

- Tá certo Tae, você tem razão. Vamos preparar tudo e ir até a cachoeira...

 

Como o perfeito casal que se completa, Hobi cuidou de levar lanches para o dia, e Tae da bebida alcoólica. Jungkook levou uma caixa de som bluetooth para ouvirem música, e conversou um pouco com Yoongi enquanto os outros dois nadavam e tomavam sol um pouco mais afastados deles.

- Posso sentar aqui? – Jeon oferece um drink ao seu superior, sentando ao lado nele no gramado.

- Essa paisagem é bonita. Eu sabia que aqui as coisas eram diferentes mas é tudo mais bonito que lá. Tem tantas cores, desde que chegamos eu tenho observado isso... – ele começa a bebericar, sentindo a ardência do álcool em sua garganta. – Eca! Por que as pessoas bebem isso? É horrível!

- Eu também achei, mas continue e vai descobrir porque é bom...

- Você acha que vai valer a pena as pessoas do nosso tempo ficarem assim que nem eles? – Yoongi observa o casal brincando na água e acha eles bem idiotas.

- Ter sentimentos é incrível, você não tem noção. A gente nunca sabe se vai ser bom ou ruim, mas mesmo assim é tão melhor do que nossa apatia! Por exemplo, eu sou tão feliz quando estou com o Jimin, ele me faz rir, cuida de mim, me ensina muitas coisas, me compreende, me proporciona sensações de prazer e alegria que eu nunca imaginei que pudesse ter!

- Mas e agora, que ele não está aqui?

- Aí são outros sentimentos que aparecem... Dói muito pensar nele, forma um bolo na minha garganta e tenho vontade de chorar, de gritar. Me preocupo com ele o tempo todo, a sensação é muito ruim, porém não sentir nada é ainda pior que sofrer.

- Sua cara está péssima, então não me parece tão bom assim...

- Mas olhe pra eles dois. – Jungkook aponta para os amigos. – mesmo com toda essa merda eles tem um ao outro, veja como nesse momento eles se divertem.

Yoongi já observava os dois desde que chegou, achando-os muito estranhos. Para ele era como observar o comportamento animal em um programa do Discovery Chanel. Eles pulavam na água, gritavam, corriam, riam alto, se agarravam o tempo todo. Ele reparava em como Hoseok, que em sua presença sempre ficava de cara fechada, sorria abertamente para o namorado. Achava que os cabelos molhados lhe caiam bem, e reparava que seu corpo apesar de magro tinha músculos bem definidos. Já o garoto insuportável, olhando assim de longe parecia que nem era tão chato. Seu sorriso quadrado lhe dava vontade de sorrir também... Esse pensamento fez Yoongi arregalar os olhos e refletir um pouco.

“Por que eu quero sorrir também? Que coisa estranha, deve ser esse tal líquido que estou tomando... Não vou falar isso pro Jeon, mesmo que eu desenvolva sentimentos não vou contar pra ele.”

- Você não quer ir um pouco lá com eles?

- Não, estou bem aqui e acho que essa coisa altera meus sentidos. – o mais baixo responde erguendo o copo.

- Era disso que eu estava falando, você vai gostar!

Mas na realidade conforme o dia passava mais ele odiava o quanto se sentia bem. Não queria de forma alguma que isso acontecesse. Sua vontade era apenas continuar sendo quem ele era e quando fosse a hora voltar pra sua vida. Não acreditava que seria possível sentir algo, e não iria admitir que a bebida lhe dava uma sensação boa, como se o vazio que tinha dentro dele desaparecesse.

Durante a tarde, evitava olhar para Hoseok que começou a dançar no ritmo do hip hop que Jungkook escolheu. A música era agradável para seus ouvidos, e os movimentos do rapaz eram envolventes e praticamente perfeitos.

- O mozão pratica dança desde criança sabiam? – Tae diz orgulhoso. – já até trabalhou com isso, mas aí ele resolveu fazer faculdade porque dizia que tinha que ter um trabalho mais estável para cuidar de mim... Eu fui totalmente contra mas quando o Hobi enfia algo na cabeça não tem o que tire.

- Você parece bem grandinho pra precisar que cuidem de você! – Yoongi dessa vez olha para ele ao falar, o que deixa Taehyung um pouco perdido, já que normalmente o rapaz não se dirige diretamente a ele, sempre olha pros lados.

- Não precisa ser tão amargo só porque eu sou maior que você Verdinho! – ele demora um pouco pra responder, devido à confusão mental que o olhar do soldado lhe causou.

- Amargo? – Yoongi franze o cenho, confuso.

- Eles falam assim de quem está bravo ou de mau humor. – Jungkook esclarece a dúvida.

- Ou seja, você sempre! – Tae dá um sorriso irônico, que lhe deixa com ainda mais raiva.

- Eu posso ser menor que você mas pode ter certeza que te quebro no meio sem fazer esforço.

- UUUhhhh que medinho... – Tae finge que as mãos estão tremendo. 

- Conseguiram fazer o inexpressivo falar! – Hobi para de dançar e empurra as pernas do namorado para sentar entre elas, sendo abraçado por trás. Ele já está bem mais animado depois de beber, mostrando mais do seu lado feliz e escandaloso de quando estava descontraído.

- O Min Amargo Yoongi disse que vai me quebrar no meio! – Tae faz uma careta pervertida ao afirmar.

- Como é que é Taehyung? – ele belisca o braço do mais novo, que dá um grito em protesto - Ele que tente!

- Eu vou voltar pra casa porque vocês já estão me irritando!

- Que? – Jungkook olha para o mais baixo, espantado.

- Não, eu quis dizer que estou fisicamente cansado... – ele gagueja tentando se justificar. – Aish! Eu só vou pra casa tá!

- Ok, até depois. – Hoseok se despede.

Jungkook sente uma chama de esperança se acender, se realmente Yoongi ficou irritado com os garotos, talvez houvesse chance de seu plano dar certo. Só precisava fazer ele sentir coisas boas para que mudasse de ideia.

•••••••••

3° dia

Jungkook estava sentado na área da casa, olhando para a paisagem pensativo, tomando uma xicara de café. O casal havia saído para fazer algumas compras e Yoongi ainda não tinha saído do quarto. Sua mente imaginava se estava tudo bem com Jimin, como estariam o tratando no futuro, se  ele não estava triste por estar longe de todos. Até mesmo sua pele que sempre fora perfeita encontrava-se arroxeada na área abaixo dos olhos pela falta de sono e pela leve fraqueza que sentia devido ao fato de sua pressão baixar desde que estava no passado.

- Olá Jeon, os seus amigos não estão aqui? – Yoongi chega de mansinho, tirando o mais novo de seus pensamentos.

- Foram ao mercado. Como você se sente? – ele tenta cutucar o general.

- Não sei do que está falando.

- Estou falando do fato de você odiar o Taehyung. Ou de ter ficado fascinado observando os dois ontem...

- Eu não odeio ninguém, nem sei o que é isso. Mas já que tenho que perder meu tempo nessa porcaria de passado, por favor me distraia. Me conte como você deixou de ser um soldado eficaz e competente para se tornar um insubordinado que fica chorando pelos cantos por causa de uma cobaia.

As palavras ferem Jungkook mas ele não quer brigar, a necessidade de fazer Yoongi entender é muito maior que a vontade de quebrar seu nariz.

- No começo eu não entendia nada. Achava as pessoas estranhas, assim como você. Eu assistia filmes, observava elas na rua, pra aprender mais sobre sentimentos e poder fingir um pouco quando me aproximasse do Jimin. Não deu muito certo, porque ele vivia dizendo que eu era esquisito... Mas com o passar do tempo, quanto mais me aproximava dele, mais eu mudava. No inicio eu tinha vontade de sorrir quando via ele sorrindo. – Yoongi não consegue deixar de se identificar, lembrando do sorriso de Taehyung. – E quando a gente se beijou, eu senti como se todas as terminações nervosas do meu corpo tivessem despertado.

- Ah tá. – o outro desdenha – é tipo conto de fadas então que um beijo de amor verdadeiro cura qualquer coisa!

- Não Yoongi, porque apesar de eu achar que o beijo despertou tudo em mim, isso era só o começo, tem tantas outras coisas que despertam muito mais, você nem faz ideia. – ele sorri de lado lembrando dos bons momentos que teve com Park.

- Tipo o que?

- Eu não sei explicar, só sentindo pra saber. Ou você pode ver vídeos sobre isso, tem na internet.

- Eu não, quero distancia dessas loucuras de vocês.

- Eu entendo que esteja na defensiva. Já que tem medo de realmente desenvolver sentimentos e ter que cumprir com sua promessa. – Jungkook ri do mais velho.

- Não estou na defensiva!

- Ai Yoongi, você é ridículo... Mas enfim, eu ainda não estou familiarizado com tudo, existem sentimentos que eu não compreendo como por exemplo ciúmes e vergonha. Só que eu tenho certeza que se você se permitisse, saberia o quanto é bom.

- Eles estão chegando. – o mais velho encerra o assunto, salvo pelo carro que se aproximava.

Taehyung senta em uma das cadeiras da área, com Hoseok chegando logo atrás, depois de terem estacionado na garagem.

- Nem pense em sentar, ainda tem que guardar as compras! – Hobi dá uma bronca no namorado.

- Ah nãoooo amor, eu já fui até o mercado com você, não quero guardar, isso é muito chato!

- Não sou empregado de vocês não gracinha, pode vir! – com as mãos na cintura, o rapaz parece uma mãe zangada.

- Vai ajudar ele lá verdinho, agora é sua vez. – Tae pede.

- Não recebo ordens suas.

- Por favorzinho! – ele lhe encara solicito, fazendo carinha de pidão.

- Tá! – Yonngi revira os olhos e vai ajudar o outro a carregar as sacolas e guardar as coisas na cozinha, deixando os mais novos continuarem na área.

- Quanta coisa! Tudo isso é só de comer? – o soldado pergunta, impressionado com a variedade.

- Sim, vocês não comem no futuro mesmo?

- Comemos, mas é sempre a mesma coisa.

- Que bosta, não me admiro que não tenham sentimentos.

- Você concorda com o Jeon? – Yoongi guardas as coisas do armário enquanto Hobi cuida da geladeira – acha que eu vou me tornar outra pessoa?

- Ele não se tornou outra pessoa depois do Jimin, a essência dele ainda é mesma. Você tem medo de mudar?

Sim, ele tinha medo. E não sabia nem porque estava falando disso com Hoseok, apenas precisava tirar suas dúvidas com alguém. Sabendo que Jungkook iria desconfiar que ele estava sim começando a sentir coisas diferentes, e que falar com Taehyung sem querer matá-lo era impossível, só lhe restou uma opção.

- Ele parece péssimo com a falta do Park, não quero ficar assim.

- Ele está assim porque ama o Jimin, e quer salvar ele. Mas existem sentimentos bons, coisas que fazem a gente se sentir bem, como a comida por exemplo. – ele aponta para o pacote de frango em sua mão.

- É, de fato eu gostei de comer. – Yoongi concorda. – eu li no relatório do Jungkook que quando vocês se sentem bem, sorriem. Se eu quiser sorrir é porque me sinto bem?

- Sim, eu gostaria muito de ver essa sua bela cara de cu se transformar em um sorriso.

- Como uma cara pode ser de cu?

- Aigo! Você e o Kookie precisam de um dicionário de figuras de linguagem. – Yoongi continua lhe olhando sem entender. – Mais alguma coisa que queira perguntar?

- Como você suporta namorar com aquele menino? – ao ouvir a pergunta Hoseok solta uma gargalhada.

- Eu sei que ele pode ser uma peste quando quer, mas o Tae é muito divertido, fofo, esperto, me faz sentir especial todos os dias, além de ser lindo né, e muito bom de cama.

- Bom de cama?

- Ai, chega! Você não entende nada e eu não tenho paciência com isso.

O resto do dia ocorre normalmente, nenhum incidente mais sério apesar das picuinhas de Tae com Yoongi. Os quatro ficam vendo filmes, tentando fazer uma lavagem cerebral no soldado com comédias, romances e terror, mas ele parece não reagir. Porém internamente ele continua achando estranho cenas de beijo, principalmente quando eram ao vivo, entre Hoseok e Taehyung, que a intervalos regulares paravam de prestar atenção na tela para se pegarem freneticamente. Aquilo lhe causava um estranhamento que ele não sabia definir se era bom ou ruim.

4° dia

Naquela noite Yoongi não ouviu barulhos vindos do quarto do casal, e conseguiu dormir bem finalmente, no entanto ao amanhecer o som de gemidos e da cama batendo na parede o acordaram, deixando-o zangado já cedo.

Ele precisava ir ao banheiro, então levantou, mas no corredor a porta entre aberta chamou sua atenção. Os sons estavam ainda mais altos, e a curiosidade lhe invadiu, mesmo ele nem sabendo que estava curioso. Se aproximou e olhou pela fresta da porta, vendo uma cena que lhe causava novamente mais sensações estranhas. Taehyung estava sentado sobre os joelhos, com Hoseok sobre si, também sentado na mesma posição, ambos nus. As costas do mais velho estavam encostadas no peito do namorado, e sua cabeça inclinada deitada em seu ombro, dando espaço para o mais novo beijar e moder o pescoço dele. Hobi gemia manhoso rebolando, num movimento de vai e vem, enquanto Tae apertava seu mamilo esquerdo com uma mão e seu pênis com a outra.

Yoongi queria sair dali imediatamente, assustado com aquilo, porém não conseguia, tinha vontade de continuar olhando a maneira como o quadril de Taehyung se movimentava, tentando adentrar ainda mais fundo no namorado, que parecia gostar cada vez mais do que faziam. Ele sentia calor, seus olhos estavam arregalados e sua garganta seca, seu coração palpitando com mais força que o normal.

Quando sua consciência conseguiu vencer sua vontade de ficar olhando ele voltou rapidamente para o próprio quarto e trancou a porta, respirando pesado e tentando voltar a raciocinar normalmente.

Obviamente que não comentou com ninguém o ocorrido, só queria esquecer o que tinha visto, mas sua mente não permitia, e ele mal conseguia olhar para nenhum dos dois, evitando-os o dia inteiro.

No fim da tarde Jungkook foi atrás dele para conversar.

- Os meninos fizeram alguma coisa?

- N-não... Por quê?

- Você está estranho com eles, mais que o normal.

- Só estou cansado daqui, queria ir embora logo.

- Posso te pedir uma coisa? – Jungkook pergunta angustiado.    

- Diga.

 - Pergunta como ele está. Por favor? Eu não vou aguentar viver desse jeito.

- Ah Jungkook. – o mais velho pensa sobre o assunto.

- Não custa nada, é só uma mensagem. Pra eu ficar menos preocupado. Eu imploro, faço o que você quiser!

- Tá. Vou verificar. – ele pega um aparelho parecido com um tablet muito fino e envia a mensagem, pedindo se podem informar a situação de Jimin. Não demora muito para receber uma resposta.

“A viagem foi bem sucedida, ele chegou bem, dormiu por bastante tempo devido à medicação.

Já está começando a se familiarizar com o ambiente.

Porém alguns imprevistos aconteceram, radiação dos exames era alta demais para seu corpo, que sofreu algumas queimaduras. Está se recuperando no momento.

General Oh Sehun”

 

- E aí? – Jungkook pergunta ansioso.

- Ele está bem, não precisa se preocupar. 


Notas Finais


Será que as coisas do tempo estão ficando claras? kkkkkkkkkk
Será que Yoongizinho vai se render? Será que esse capítulo ficou bom?

Preciso agradecer a Paola por me divulgar, ganhei muitos leitores com isso <3

Até a próxima galera.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...