1. Spirit Fanfics >
  2. Viciada >
  3. Isto será possível?

História Viciada - Capítulo 18


Escrita por:


Capítulo 18 - Isto será possível?


Fanfic / Fanfiction Viciada - Capítulo 18 - Isto será possível?

Carlota Elias

- Como… - eu estava a frente sentei-me na cadeira. -  Como é que conheces o Zayn? O que te aconteceu para estares morto e agora estás vivo? Como posso confiar em ti? O que aconteceu? – perguntei rapidamente.

- É uma história complicada. – ele disse.

- Como posso confiar em ti se continuas a mentir-me? – eu disse. – O que fazes todos os dias  para chegares as tantas a casa? Diz-me… - eu disse.

- Carlota…

Interrompe o pensamento dele.

- Carlota nada… responde-me agora. – disse nervosa.

- CARLOTA. – abri os olhos e vi que estava em pé ao lado do quarto da Micaela.

- Queres fazer alguma pergunta? – ele disse

- Como… - ele interrompeu-me.

- Eu gosto de ti, mas tenho uma reunião, já falamos.  – ele disse e desceu as escadas rapidamente. Que raio.

Entrei no quarto da Micaela e vi a Olga a coloca-lá na cama, eu sorri para a mesma e saí do quarto. Entrei no meu quarto, quando me sentei na cama reparei que hoje era Domingo e o meu padrinho tem o escritório fechado aos sábados e domingos levanto-me e recebo uma mensagem do Liam.

Mensagens

Liam

“Olá macaca, olha amanhã posso ir buscar-te para ires comigo  para a escola?” – 20:08

“Olá girafa, sim podes.– 20:09

“Boa, o teu padrinho ficou chateado?” -20:10

“Não, ele foi razoável” -20:10

“Boa, linda, tenho que ir, a minha mãe disse para vires cá um dia” -20:12

“Tenho que ir.” -20:14

Desliguei o telemóvel, arrumei as coisas para a escola, uma coisa que não faço a semanas, tomo banho, e desço para jantar, jantei com a Olga e o Matheus aliás como já era normal.

- O teu padrinho nem sempre está ausente, mas quando é preciso ele está. – o Matheus disse, raciocinem que estive a falar da Micaela.

- Ela sente a falta do pai. – a Olga disse. – Mas ele dá sempre o jeito dela não ficar com saudades, vais-te habituar querida. – ela disse-

- Olga? – chamo-a, assim que pôs o prato na máquina.

- Sim? – ela disse.

- Nada, esqueça. – disse e subi para o meu quarto, voltei a pegar no telemóvel e vi 22:00 marcado no ecrã de bloqueio.

Era tarde revolvi ir dormir. Já que a conversa tinha que ficar para outro dia.

No dia seguinte

No dia seguinte acordei cedo, lavei o que tinha para lavar, vesti-me, lavei os dentes e espero pelo Liam do lado de fora.

Vi o meu padrinho levar a Micaela ao colo, colocou-a dentro do carro, prendeu-a, fez-me adeus e saiu, minutos depois vi o carro do Liam entrar pela residência no meio do nada. Entrei no carro, e beijei as bochechas do mesmo, ele arrancou e passados 10 ou 15 minutos já estávamos a porta da escola, ele estacionou, tirei o cinto e sai do carro, fechei a porta e ouvi a porta ele fazer o mesmo, bater, vi de relance  Daniel e o Zayn juntos, o Daniel tinha o olho negro, e o Zayn a boca inchada.

- Nem sabem… - disse o Louis assim que chegamos perto dele. – Vieram juntos? – afirmamos. – Fizeram as pazes? – afirmamos. – Esqueçam ouçam nas férias da Páscoa, os meus pais alugaram uma casa e podemos ir para lá passar as férias o que acham? – Todos começaram a celebrar, e admito que estava com saudades deles.

- Finalmente chegaste a horas. – a Milena disse.

- Que engraçada. – eu disse.

- Tu tens que apresentar ali os teus amigos. – ela disse no meu ouvido. Eu neguei e comecei-me a rir.

- O que tu lhe fizeste Liam! – O Harry disse.

- Nada. – ele disse.

- Harry relaxa ok. – eu disse e segui em frente com as meninas.

- Isto não está certo. – o Louis disse.

- O que não está certo? – perguntou a Jade.

- A Carlota tar de bom humor. – ele disse.

- Posso ficar de mau humor e acabar contigo. – eu disse.

- Calma Rosa, não é preciso afiares os espinhos. – ele disse.

- Louis, cala-te. – a Melissa disse.

- Com tudo o prazer, amor. – ele disse e calou-se agradeci a Melissa, o professor de Matemática entrou na sala e começou a dar a aula. No meio da aula, o meu cérebro parou, as minhas veias ficaram bem salientes, olhei para o relógio. O meu coração acelerou, e eu comecei a suar. Lembrei-me que era a está hora que metia a droga no meu corpo, acho que o meu corpo habituou-se a hora, será isso possível? Larguei a caneta, engoli a seco, sentia o meu coração acelerar mais, levanto-me de repente. E todos olham para mim.

- Está tudo bem menina Carlota? – o professor pergunto.

- Posso ir a casa de banho? – pergunto rápido.

- Não consegue esperar 5 minutos? – neguei. – Vá lá é a última vez, peguei numa mala mais pequena de dentro da minha mala e foi a correr para a casa de banho, entrei apressada numa cabine e sentei-me mesmo no chão, peguei no comprimido, partido e todo esmigalhado. Respirei fundo, e snifei aquilo, o meu coração acelerou, as minhas veias saltaram, e depois relaxou. Deitei o papel onde estava aquilo pela sanita abaixo, puxei é o papel foi-se. Peguei na minha pequena mala, abri a porta, certifiquei-me que estava tudo limpo, olhei para o espelho e vi que as minhas pupilas estavam dilatadas, quase que não se via a cor dos meus olhos. Sai da casa de banho, e entrei de novo na sala, e depois tocou. Guardei as minhas coisas e sai, ninguém disse nada do ocorrido acontecimento e eu agradeci mentalmente. Quando entramos de novo para a aula de Português recebo uma mensagem do Zayn.

“O que aconteceu!”

Respondi “Zayn? Nada.” Entro na sala.

Vi a mensagem seguinte.

“Só quero o teu bem, só quero saber se estás bem.” Antes de responder vi o Harry sentar-se ao meu lado.

- Posso? – ele pergunta. Afirmo com a cabeça.

“Estou bem Zayn!” – respondi e guardei o telemóvel.


Notas Finais


Espero que tenham gostado


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...