História Parabellum - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Visualizações 1
Palavras 1.515
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 8 - Estrada para lugar nenhum


Fanfic / Fanfiction Parabellum - Capítulo 8 - Estrada para lugar nenhum

- vidas passadas?

- sim. Deixa eu te explicar como tive essa ideia... 

Camila falou por por  vários minutos depois falou de uma prima próxima do Henry, Emily Murray uma terapeuta que faz algumas seções com o tema vidas passadas.

O que a Camila falou não pareceu fazer sentido no inicio, então tudo começou a fazer sentido, meus sonhos, minhas dores, tudo. 

Quando acabei o trabalho fui pra casa, enquanto estava parada na porta não  consegui parar de pensar que vidas passadas poderiam mesmo existir. Me destrai tanto que esqueci minhas chaves na empresa, eu voltei correndo. Quando cheguei trombei com Henry saindo:

- Srta. Griffin...

- Chefinho...- disse zombando

Ele ri e diz:

- o que faz aqui tão tarde... Princesa?

- esqueci minhas chaves, vou pegar e já vou embora

- an... As chaves são as que você esta segurando?

Eu tinha me destraído tanto que não reparei que segurava as chaves em minhas mãos. Sem graça eu começo a rir:

- haha me desculpe haha

- haha, vamos Ady, eu te acompanho ate em casa

- ta bem, obrigada.

Henry me acompanha a pé e começamos a conversar:

- Perai... Então seu nome completo é Henry Mackenzie Carter?- pergunto segurando a risada

- é, agora faz outra pergunta

- an... Sei lá já falamos de tudo... Ah, já sei, idade e data de nascimento

- ta bem. 15 de Abril de 1991 tenho 28 anos

- 28? Já ta bem velho hein?- falo brincando

- ah para, vai fala, idade e data de nascimento

- 26 de Outubro de 1998, tenho 21 anos.

- perai eu só contrato quem tem mais de 22, como você...

- minha irmã

- ah

- vai me demitir?

- claro que não- ele diz

- parece que chegamos- eu falo parando no primeiro degrau da porta do prédio.

- então tenha uma boa noite Princesa

- você também chefinho- eu entro

Quando estava deitada na cama com minha cadela entre as minhas pernas eu não parava de pensar no que a Cami disse sobre vidas passadas. Com o tempo acabei dormindo e sonhei novamente.  Eu estava deitada na neve com o vestido branco havia sangue para todo lado, na neve e em mim, logo alguém chega, ele estava desesperado mas eu não conseguia ver seu rosto nem ouvir o que estava dizendo. Só sei que eu estava com dor e que estava morrendo, então fecho meus olhos e sinto meu coração ficando mais lento e o ar dos meus pulmões desaparecendo. Sinto minha alma deixando meu corpo. Eu morro, mas acordo em um lugar diferente, outra época os tempos de hoje, eu estou em meu quarto na casa de minha mãe, era de noite, dou a volta na casa. Eu estava sozinha. De repente escuto uma voz me chamando, estava ficando cada vez mais alto "Adalind venha ate mim. Adalind eu vou te achar" era o que a voz dizia. Eu acordo. Eu respiro fundo e me levando para beber água e voltei a dormir.

Naquela manhã eu e o Josh iriamos sair, ele não me disse onde, só disse que seria uma surpresa. Eu coloquei um vestido azul claro com cinto preto com pedrinhas brilhantes, uma bolsa preta e um salto preto. Quando Josh chegou reparei que ele estava muito feliz, então ele me deu a mão e saimos.

Quando chegamos eu estava de olhos fechados. Josh disse:

- pronta?

- sim- respondo

- então abra seus olhos

Eu abro meus olhos, e vejo um homem, devia ter uns 40 bem vestido parado na frente do museu da cidade. Eu falo com o Josh

- minha surpresa é o museu ou o homem ali

- os dois. Adalind eu te trouxe para uma... Visita Guiada- ele diz com animação

Eu sempre amei ir ao museu, mas sempre odiei visitas guiadas ao museu. O Josh sempre gostou de fazer surpresas, mas nem sempre eram boas, bom... Suas surpresas são horríveis mesmo, não tem jeito. Mas eu sorri e fingi que tinha amado a surpresa, não queria decepcionar meu namorado, é bem difícil conseguir uma visita guiada hoje em dia. Então o tempo todo que estava lá dentro eu sorri, apenas sorri contando os minutos para a tortura acabar e eu ir pra casa. Duas horas depois meu desejo se tornou realidade. Finalmente eu estava livre do Sr.Kirin o guia do museu. 

Eu e o Josh estávamos no carro, estávamos chegando na minha casa ate que paramos no sinal e Josh aproveitou para dizer:

- que tal a gente almoçar naquele restaurante novo?

- ah Josh, eu adoraria mas estou muito cansada. Meus pés estão me matando- disse tirando um dos saltos

- tudo bem então

Chegamos na minha casa e Josh nem chegou a entrar só me deixou lá e foi embora. Acho que percebeu que eu não gostei muito da surpresa dele. Eu troquei de roupa. Coloquei uma calça bomber preta, um moletom de cropped camuflado e meias. Me joguei no sofá. Estava muito cansada. Nem sabia o porquê, eu tinha acabado de começar o dia.

Eu aproveitei que estava em casa atoa e marquei um horário com Emily Murray naquela tarde. Na hora de sair eu continuei com a mesma roupa apenas acrescentei um all Star de cano alto camuflado, pego minha bolsa e saio. Ao chegar no consultório da Drta. Murray tive que esperar até me chamarem. Demorou bastante, mas finalmente tinha chegado minha vez. Eu entrei em seu consultório. As paredes eram beje, o chão e o teto branco, um armário do lado direito, no fundo uma mesa na frente de uma janela. Mais para frente um sofá beje com almofadas brancas e uma poltrona branca com almofadas bebês. A porta de madeira lisa marrom. A Drta. Murray estava sentada em sua mesa, ela tinha cabelos castanhos que batiam um pouco abaixo de seus ombros, eram lisos e tinha olhos cor de Âmbar. Eu me sento em sua frente e ela pergunta:

- bom dia Srta. Griffin sou a Drta. Murray como você está?

- por favor me chame de Adalind, eu... Bem eu vim aqui por recomendação de uma amiga. Camila

- Camila Silver?

- sim ela mesma, você a conhece?

- sim, somos amigas de infância

- nossa! Que legal!- falo espantada

- então me diga o que te trouxe até aqpessoas, éu tenho tido alguns sonhos estranhos como se fossem reais entende? Ai a Camila disse que pode ser coisa espiritual, tipo vida passada.

- ah sim. Eu tenho uma técnica para poder descobrir o passado espiritual das pessoas, é infalível. Quer tentar?

-pode ser

- deite-se por favor

Eu me deito no sofá e ela se senta na poltrona. Então começa a me dar instruções do que fazer:

-  antes de começarmos beba isto. É para ajudar a ir ao mundo dos sonhos, agora feche seus olhos e se imagine em sua vida passada pelo que você já sabe. Espere alguns segundos. Pronto, agora diz o que você vê

- an... Não vejo nada

- hum. Pode abrir os olhos. Com quanta frequência você tem esses sonhos?

- é irregular. As vezes vem por dias seguidos, mas as vezes eu fico um tempo sem sonhar.

-hmm. Parece que suas memorias se manifestam apenas pelo sonho, quando elas acham que devem aparecer

- entendi.

- quando você tiver outro sonho estranho, você pode me ligar se quiser ok?

- sim, muito obrigada Drta. Murray

Eu sai de seu consultório e vou para casa passar um tempo com a Molly. Eu fico bastante tempo brincando até que me canso e peço comida tailandesa e vou ate o supermercado que fica na esquina comprar uma garrafa de vinho argentino. Quando a comida chega já era tarde da noite, então quando eu termino tento dormir mas não consigo. Eu me sento no sofá e procuro um filme na Netflix, acabo escolhendo um filme que tinha acabado de estrear seu nome era "Amor Infinito" o filme falava sobre uma garota que se apaixonou por um príncipe no passado, o príncipe estava noivo e não podia se casar com uma garota do campo, então eles viveram um amor proibido. É uma história verídica, muito bonita, mas a cena final do filme me assustou muito. Na cena final ela é esfaqueada no baile e morre nos braços do príncipe. Como no meu sonho. Eu fiquei assustada então pesquisei o nome do príncipe no Google e apareceu o seguinte:

" o principe Harry ||| governou entre os anos de 1605 à 1655 com a Lady Jane Tower, eles se casaram em 1602 um ano depois da morte de uma camponesa cujo o príncipe se apaixonou, seu nome era Aurora. Ela foi assassinada brutalmente em um baile onde o príncipe Harry iria anunciar seu amor pela donzela. A triste, porém encantadora história do casal inspirou o filme Amor Infinito já disponivel na Netflix..." 

Quando terminei de ler o artigo eu fiquei paralisada, "vidas passadas existem mesmo" , " eu sou a camponesa Aurora" , " então nessa vida quem será o príncipe Harry?", " será que irei me apaixonar por quem quer que seja ele nessa vida?"... Esses e muitos outros pensamentos se passavam pela minha cabeça. Eu estava tão pasma que nem consegui dormir. Vários pensamentos se passavam na minha cabeça, mas o que mais me preocupava era que eu podia morrer como Aurora morreu. 


Notas Finais


Oi seguimores 😘😍 os próximos capítulos serão biográficos OK? Mas logo depois irei retomar a história, um beijo e que Deus os abençõem ❤️🙏


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...