História Vida de Garota - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Alzack, Cana Alberona, Charlie, Droy, Elfman Strauss, Erza Scarlet, Gajeel Redfox, Gildartz, Gray Fullbuster, Happy, Jellal Fernandes, Jet, Juvia Lockser, Laxus Dreyar, Levy McGarden, Lisanna Strauss, Loki, Lucy Heartfilia, Makarov Dreyar, Mavis Vermilion, Meredy, Minerva Orland, Mirajane Strauss, Natsu Dragneel, Pantherlily, Rogue Cheney, Rufus Lore, Sting Eucliffe, Ultear Milkovich, Wendy Marvell
Tags Amizade, Drama, Fairy Tail, Gruvia, Jerza, Nalu, Revelaçoes, Romance, Segredos
Visualizações 33
Palavras 1.134
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Ecchi, Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 5 - Desencaminhada


Fanfic / Fanfiction Vida de Garota - Capítulo 5 - Desencaminhada

Pov. Evergreen

Quando Erza estacionou o carro na garagem eu finalmente estava livre, livre da escola e das meninas petulantes da república.

Nem entrei na república, dei meia volta em direção à rua e me dirigi ao único lugar que eu podia ser eu mesma, falar o que quiser e fazer o que bem entender sem precisar se preocupar com as opiniões alheias.

Atravessei as 4 quadras, dobrei a primeira esquerda e eles já estavam lá. A tarde já dava sinais de ir embora quando eu abri a porta improvisada no muro e entrei no terreno baldio.

Aquele era o nosso ponto de encontro, ninguém entrava ali. Nas primeira vezes eu ficava com um pouco de medo de encontrar marginais no terreno, quando me dei conta de que isso não era necessário, pois eu nada mais era do que parte deles.

- Preparada pra hoje ? – Freed abriu um sorriso ao me ver.

- Não consigo me aguentar de ansiedade, vamos conseguir muitas coisas – Bickslow completou rindo.

- Espero que você não amarele como da última vez Evergreen – Laxus falou com um tom ríspido.

- Já disse que não vai acontecer – Falei.

- Ótimo, porque da última vez você congelou e quase fomos pegos – Lembrou Laxus, ao ascender um cigarro e colocar em sua boca.

- Quer fumar Ever? – Perguntou Bickslow ao estender a mão para me dar um cigarro.

- Não obrigada, não to com muita vontade agora – Falei.

- É melhor aproveitar, o nosso estoque já ta acabando – Completou mostrando sua língua nojenta e tatuada pra mim.

- Estamos muito decadentes, sinto falta da erva de qualidade que tínhamos... – Reclamou Freed.

Laxus o secou com o olhar.

- Vamos ter dinheiro depois dessa noite, ai podemos comprar erva, pó ou qualquer coisa que quisermos – Respondeu Laxus.

Laxus era o nosso “chefe”. Ele que armava nossos esquemas e trocava pelas nossas recompensas, que envolviam sobretudo drogas. Eu não era muito fã na verdade, mas me acostumei com o tempo, afinal era o que me mantinha junto deles. Eu gostava da companhia deles, sentia que com eles estavam vivendo de verdade, fazíamos coisas divertidas e emocionantes, bem longe da realidade de todas as intriguinhas e fofocas de garotinhas normais.

- Bom vamos indo, já esta escurecendo! – Falou Laxus.

# Quebra de tempo #

Fizemos o nosso caminho até o shopping de Magnólia, era um dos maiores de Fiore e estava bastante cheio naquela noite.

- Tem certeza que devemos fazer isso aqui? – Perguntei a Laxus – Tem muita gente em volta.

- Ever, Ever ... É por isso mesmo que torna o local perfeito – Ele me respondeu com desdém.

- Aonde iremos? – Questinou Freed.

- Estão vendo aquela loja ali? – Falou Laxus ao apontar para a loja.

Fiore Fashion, a loja tinha uma porta gigante, era vigiada por seguranças dos dois lados e muitas pessoas entravam e saiam de lá.

- Eu escolhi esse lugar porque as câmeras do shopping não pegam sua porta, além de não ter sensores magnéticos na saída – Explicou Laxus.

- Tudo bem vamos lá, e lembrem-se da sua função, não vou tolerar falhas dessa vez – Disse Laxus indiretamente pra mim.

- E entrem separados uns dos outros... – Ele nos lembrou.

Depois de todos entrarem foi a minha vez... Passei pela porta e vi os olhos atentos dos seguranças que monitoravam quem entrava e quem saia dali, eu passei os olhos nos objetos que estavam a venda e me deparei com uma vitrine cheia de brincos e colares, peguei uma porção e os levei a um lugar com um espelho maior para experimentar.

Ali eu tinha certeza que não haviam câmeras, com o tempo você aprende algumas coisas como os lugares em que são proibidos de o estabelecimento possuir policiamento, como banheiros e provadores.

Escondi quase todos dentro do sutiã de modo que não me machucassem, não dava pra perceber porque eu tinha um par de seios grandes, a menos que eu tirasse a blusa é claro. Depois de guardar quase todos, deixei de fora um par de brincos e um colar que pareciam os mais baratos, para parecer que queria levá-los.

Dei mais uma volta e me deparei com um óculos muito bonito e caro, sua armação era talhada a ouro e estava no topo do expositor.

- Pode pegar esse para que eu possa provar por gentileza? – Perguntei ao vendedor, com um ar de quem parecia cagar dinheiro.

- Com certeza madame – Ele respondeu.

Peguei os óculos e os coloquei na cabeça, eles claramente reluziam e ressaltariam minha beleza, pensei. Continuava com eles no rosto fazendo poses e mandando beijo para o espelho, quando uma outra mulher chegou e ocupou a atenção do vendedor.

Ouvi um tumulto barulhento vindo do final da loja, certamente era a distração que Freed e Bickslow haviam criado. Desviei o olhar e vi que os seguranças da porta corriam em direção à bagunça, e essa era a minha deixa.

Peguei outro óculos com uma armação de ouro e o coloquei no expositor, discretamente enquanto o vendedor estava ocupado me dirigi a saída em passos rápidos, porém não correndo para não chamar a atenção. Atravessei a porta e sai da loja me dirigindo à fonte que ficava no centro do shopping, aonde nos separamos.

Pude ver que Laxus saia logo atrás de mim e me fez um sinal com o dedo para que virássemos no corredor. Chegando lá ele me deu um sorriso malicioso ao ver os óculos roubados descaradamente na minha cara.

- Esse é um dos caros, mandou bem – Sorria maliciosamente.

- E não é tudo! – Falei enquanto tirava vários brincos e colares de dentro do meu sutiã.

- Você se superou dessa vez – Sorriu.

Freed e Bickslow explodiram em uma gargalhada ao virar o corredor que se afastava da loja.

- Você viu a cara de preocupação daquela senhora quando começamos a brigar? – Riu Bickslow.

- O melhor foi quando caímos em cima daquela pilha de sapatos, me segurei pra não rir – Freed disse.

- Aquela escorada foi forte, quase pensei que estávamos brigando pra valer – Comentou Bickslow ainda rindo.

- Vamos comemorar, nós já podemos ser atores profissionais – Falou Freed.

- Vocês terão coisas mais importantes pra comemorar – Laxus os cortou, abrindo seu casaco gigante e mostrando cerca de 10 celulares postos nos tantos bolsos que foram adaptados justamente pra isso.

- Acho que até amanhã a noite eu já consigo vendê-los – completou.

Fomos embora antes que pudessem notar a falta de algo, no caminho para o nosso esconderijo fiquei pensando em como eu tinha me divertido naquela noite. Apesar de sempre estar excluídas das outras garotas da república eu me sentia em casa ali. Apesar de politicamente incorretos, esses 3 eram a minha família e no final eu tinha uma vida tão cheia de emoções que elas jamais poderiam imaginar.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...