História Vida de Garota - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Alzack, Cana Alberona, Charlie, Droy, Elfman Strauss, Erza Scarlet, Gajeel Redfox, Gildartz, Gray Fullbuster, Happy, Jellal Fernandes, Jet, Juvia Lockser, Laxus Dreyar, Levy McGarden, Lisanna Strauss, Loki, Lucy Heartfilia, Makarov Dreyar, Mavis Vermilion, Meredy, Minerva Orland, Mirajane Strauss, Natsu Dragneel, Pantherlily, Rogue Cheney, Rufus Lore, Sting Eucliffe, Ultear Milkovich, Wendy Marvell
Tags Amizade, Drama, Fairy Tail, Gruvia, Jerza, Nalu, Revelaçoes, Romance, Segredos
Visualizações 45
Palavras 2.068
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Ecchi, Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 7 - Empurrãozinho


Fanfic / Fanfiction Vida de Garota - Capítulo 7 - Empurrãozinho

Pov Juvia

Eu estava sentada na areia enquanto fitava aquele lindo mar azul transparente com um sol escaldante acima da minha cabeça. As palhas dos coqueiros balançavam e a brisa vinda do oceano me acalmava, estava tudo perfeito.

Gray saia da água sem camisa com um peixe que acabara de pescar em umas das mãos e com a outra bagunçava seu cabelo molhado.

- Desculpa a demora meu amor, está com fome?

- Morrendo – Ri.

Ele foi assar o peixe enquanto eu trazia os pratinhos improvisados de casca de coco que eu mesma fiz mais cedo.

- Sabe Juvia.. – Gray me interrompeu.

- Oi minha vida? - respondi

- Eu achei que ficarmos presos nessa ilha deserta seria o nosso fim, mas na verdade foi a melhor coisa que já me aconteceu.

- Você acha mesmo?

- Claro, olha só isso aqui, estamos em um paraíso, só eu e você...

Corei

Comemos o peixe que ele havia pescado, estava uma delícia. Ele não tirava os olhos de mim em nenhum momento enquanto eu comia.

- Depois de comer podemos deitar um pouco na rede e depois darmos um mergulho, tem muito peixe bonito lá no fundo.

- Aquela rede mal cabe um de nós dois – Ri.

Ele me devolveu um sorriso malicioso.

Terminei de comer o mais rápido que pude e corri pra rede, ele foi logo em seguida me envolvendo em seus braços. Deitamos ali e olhamos ao redor, aquela linda e deserta ilha paradisíaca. O mundo era nosso, só meu e de Gray Fullbuster.

- Não me aperta muito, estou cheia – Eu disse rindo.

- Me desculpa – Disse ele acariciando meu rosto e me olhando nos olhos.

- Eu te amo – Soltei.

- Eu também te amo – Disse ele enquanto aproximava a sua boca da minha.

- ACORDEEEEEEEEEEEEEMMMMM

#############################################################################

Dei um pulo de susto

- JÁ ESTAMOS ATRASADAS PRA AULA BANDO DE GENTE MORTA!!!

Bufei. Limpei meus olhos e me virei para o porta-retrato que eu tinha feito dele ao lado da minha cama.

- Foi apenas um sonho não foi? Um belo e impossível sonho...

Peguei-o de leve e pousei a mão sobre ele. Pensativa.

- TODO DIA É ISSOOOOOOOOOOO – Ouvia as meninas gritando umas com as outras do lado de fora do quarto.

Olhei para a foto mais uma vez, deixei-a no criado mudo, me vesti e desci.

- A bisca chegou tarde ontem e saiu cedo com o Alzach??? - Perguntava Lucy para as outras meninas enquanto eu entrava na cozinha

- Que danadinha – Cana Riu

- Danada por que? O que ela fez? - Perguntou Wendy

- Deixa pra lá – Interferiu Erza - Vou conversar com ela depois.

- Fico feliz em saber que eles se reconciliaram – Disse Levy

- Eu também, depois de toda aquela situação na escola – Falou Mira

 - Teria sido mais fácil se você tivesse apoiado ela Mirajane, e não aquelas nojentas  – Lucy estava indignada até agora.

- Eu não defendi ninguém, somente falei o que eu vi – Respondeu Mirajane.

- Bonito colar a propósito... – Alfinetou Cana. Se referindo ao colar que todas já vimos no pescoço de Angel e que agora estava no pescoço da Mira.

Mirajane colocou o pão-de-queijo no prato e se levantou

- Se vocês querem me dizer alguma coisa vão em frente..

- Cuidado com essas meninas Mira, elas não são boas pessoas – Disse Cana bebendo um saquê as 6:30 da manhã.

- Esse é o problema de todo mundo, de vocês e delas, se vocês parassem de julgar e se dessem um chance de se conhecer, todo mundo poderia ser amigo

- Mira para de ser ingênua – Disse Erza – Elas não querem a nossa amizade

- Eu não sei se você presta muito atenção nas coisas Mira, mas essas meninas infernizam a minha vida desde sempre – Lucy completou

Eu gostava muito da Mirajane, mas as vezes ela era tão boazinha que sua tentativa de ser amiga de todos me irritava, sempre em cima do muro, pelo menos ela não ficava em cima do meu Gray.

A Discussão delas foi interrompida quando Ever entrou na cozinha.

- Falando em pessoas desencaminhadas – Cochichou Cana

- Que horas você chegou ontem a noite? - Erza voltou sua atenção para Evergreen

- Tarde...

As garotas se entreolharam. Sabíamos que tinha ficado até tarde fumando uma com sua galera da pesada.

- Tudo bem Juvia? Você parece distante – Disse Levy quebrando a tensão

- Não é nada - Respondi

- Sonhou com o Gray de novo?

Fiquei em choque.

Como ela sabe? – Pensei comigo mesmo

- Você fala dormindo sabe... – Disse Levy respondendo minha pergunta mental. As meninas concordaram rindo.

Fiquei vermelha e não disse nada.

- Não se preocupa, é normal se interessar por garotos na nossa idade – Completou Levy.

Uma pausa de 5 segundos reinou na cozinha.

- Quer compartilhar algo com a gente Levy? Nunca ouvi você falar de garotos – Perguntou Lucy

- Deixa de ser boba, eu falei de um modo geral – Respondeu a garota

Quando terminei o café fui para o carro Lucy me parou.

- Ahn..Juvia?

- Sim – Respondi.

- Você gosta mesmo dele né?  - Disse a loira meio sem graça.

- Eu acho ele bonitinho, só isso – Falei sem jeito, amenizando o real sentimento que eu sentia por ele.

- Bom, eu sou amiga do Gray, se você quiser  eu posso falar com ele..

Corei com a possibilidade e Lucy riu

- Mas não se preocupa, não vou ser tão direta assim né, vou falar de um jeito que não dê a entender que você quer muito isso.

Fiquei sem resposta por um tempo. A verdade era que eu morria de ciúmes da Lucy por ser próxima do Gray, mas ela nunca deu em cima dele, eu saberia se tivesse dado porque tenho uma lista de todas as minhas potenciais concorrentes.

- Se você não se importar – Falei querendo pular em cima dela.

- Claro que não, moramos na mesma casa, eu vou te ajudar com certeza – Disse ela sorrindo com o desafio, como se eu fosse o projeto de verão dela.

Eu nunca tinha pensado nessa possibilidade, mas se ela realmente me ajudasse não teria mal algum, pensei.

 

Pov. Wendy

As meninas haviam me deixado na porta da escola para depois se dirigirem ao anexo que fazia parte da universidade.

Pensei se Charles estava bem.

 Pela madrugada eu desci para o porão da república e separei uma tigela de leite e alguns biscoitos. Eu sei que era arriscado ela ficar na casa e ainda que quase nunca alguém fosse ao porão, cedo ou tarde alguém iria. Eu tinha que encontrar algum outro lugar pra ela...

Enquanto minha cabeça estava longe pensando nas possibilidades de continuar encobrindo Charles, eu me desconcentrei no momento em que subia a escada e então escorreguei. Ainda estava nos primeiros degraus quando cai então não me machuquei, mas os papéis que eu carregava pelos braços voaram e se espalharam por todo o pátio.

- Ah não... – Bufei para pegá-los.

- Pode deixar que eu ajudo você – Disse um garoto enquanto se agachava para me ajudar.

- A.. Hm... obrigada! – Disse meio envergonhada pela situação.

- Não tem de que...  – Ele falou – Meu nome é Romeo, Romeo Colbolt!

- Wendy Marvell – Falei tímida.

- É um belo nome – Falou devagar e pensativo – Wendy...

- Obrigada pela ajuda – Falei – Eu já vou indo para não me atrasar...

- Espera ai – Ele me interrompeu - Você é de que turma?

- 2º ano turma C – Respondi.

- Legal somos do mesmo ano...  – Ele falou sorrindo - Mas sou da turma A...

- É... que pena... – Falei embolada -  Ér... quer dizer... Que legal que somos do mesmo ano.

- Bom, espero que você derrube seus papéis mais vezes para que possamos conversar outro dia – Disse ele piscando pra mim e indo em direção a sua sala.

Corei e dei um sorriso em resposta.

Subi a escadas, dessa vez com cuidado porque eu ainda estava pensativa, mas não era Charles que preenchiam meu pensamento. Aquele garoto parecia ser gentil e pelo que tudo indicava parecia que ele tinha gostado de mim e talvez... Eu tivesse gostado dele.

Até então eu nunca tive namorado, para falar a verdade eu nunca tinha beijado ninguém. Quando eu tinha 9 anos um garoto cujo nome eu não me lembro tentou me beijar, mas eu fiquei envergonhada e antes que ele pudesse eu sai correndo.

Mas eu sei quem poderia me ajudar nisso... Chelia era desinibida e muito mais extrovertida que eu... Ela com toda certeza já devia ter beijado vários garotos e poderia me ajudar com o Romeo, me dar dicas, falar de mim pra ele e até dar um empurrãozinho.

 Me sentia aliviada por ter uma melhor amiga que eu podia contar sempre, não existiam segredos entre nós...

Quando eu adentrei na sala, Chelia me deu um sorriso animado e me chamou com a mão para que eu pudesse me juntar a ela.

- Eu tenho uma super noticia para te contar – Disse Chelia enquanto seus olhos brilhavam radiantes.

- Que ótimo, eu também tenho que te contar uma coisa muito importante – Falei – E espero poder contar com a sua ajuda para isso...

- Pode contar comigo não importa o que for...  – Disse ela me trazendo para o canto da sala para que pudéssemos falar secretamente.

- Bom... Eu estou gostando de um garoto... – Disse Chelia sorrindo.

 Incrível. Foi o que eu pensei, nós duas agora adentramos em uma nova fase das nossas vidas, a de relacionamento e faríamos tudo para nos ajudar, não podia ser mais legal. Duas amigas apaixonadas.

- Que demais, ele é daqui da sala? – Perguntei.

- Não, acho que você não o conhece... – Ela falou – Ele se chama Romeo Colbolt e é de outra turma.

Meu sorriso se desfez.

Quais eram as chances disso acontecer? Por que tinha que ser ele dentre tantos garotos? E por que tinha que ser logo a Chelia gostando dele?

- Ele faz curso de línguas na minha turma a noite – Continuou Chelia – Ainda estamos nos conhecendo... Mas ontem fomos tomar sorvete no shopping depois do curso e conversamos bastante.

Eu estava mesmo frustrada.

- Esta tudo bem Wendy? – Ela perguntou – Você não parecesse muito feliz por mim...

- Não, Não é isso... – Falei – Que legal que você encontrou alguém.

- Hm... – Ela me olhou desconfiada – Mas e você? Em que precisa da minha ajuda?

- Bom eu... Achei uma gata – Disse sem pensar muito.

- Uma gata? – Disse confusa.

- Sim, foi ontem quando eu estava indo embora a pé, eu a encontrei em um beco no caminho – Disse – E então a levei para casa!

- A pé? Por que foi embora a pé? – Perguntou – Já não estava quase anoitecendo?

- As meninas me esqueceram – Falei – Você sabe como elas são...

- E a Erza não ficou zangada por você ter ido sozinha? – Questionou Chelia.

- Bom sobre isso... – Falei meio envergonhada – Eu disse que você e sua irmã me deixaram em casa.

Ela me olhou um pouco sem reação.

- Desculpa, mas não podia deixar elas saberem da Charles – Falei – Animais são proibidos e se soubessem que eu fui a pé...

- Tá, já entendi – Ela falou – Mas por que você levou essa gata com você?

- Ela estava abandonada Chelia, sozinha e... – Falei enquanto ela sorriu e me interrompeu.

- Você é muito boa Wendy, mas não pode sair por ai pegando animais de rua e levando pra casa... – Falou.

- Eu não consegui deixá-la naquele lugar... – Disse.

- E como você quer que eu ajude? – Questionou.

- Ela pode ficar na sua casa? – Perguntei – Só enquanto eu procuro um lar pra ela... É só uma questão de tempo até alguém a encontrar no porão...

- Wendy eu disse que te ajudaria – Falou decepcionada – Mas na minha casa também não permitem animais, fora que não tem aonde eu escondê-la.

- Tudo bem então...  – disse chateada.

- Não fica assim... – Ela falou – Nós vamos dar um jeito, talvez eu possa cuidar dela, mas não garanto nada.

- E você ainda pode me ajudar com Romeo – Disse animada – Não vai ser demais?

Vai sim... vai ser incrível... – Falei cabisbaixa.

Então me veio uma cena à cabeça. Chelia estava no sofá vendo algum filme romântico com Romeo ao seu lado e Charles no seu colo quando o alarme que avisa que a aula começaria soou.

Nunca tinha gostado tanto de ouvi-lo.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...