1. Spirit Fanfics >
  2. Vida Difícil >
  3. Primeiro Encontro

História Vida Difícil - Capítulo 2


Escrita por:


Capítulo 2 - Primeiro Encontro


Kristofer 

Começo a conversar com Eduardo através de um site de amizades, para a minha surpresa ele estuda na mesma universidade que estou matriculado, ele está no terceiro período de arquitetura, é moreno, tem a mesma altura que eu, mas diferente de mim assumiu para a toda a sua família a sua orientação sexual e é respeitado por todos.

Sinto-me tão bem quando estamos conversamos, ficamos horas falando e nunca nos falta assunto, após três dias começo a pensar que estou mais íntimo de uma pessoa que nunca vi pessoalmente que da minha própria família ou dos amigos que cresceram ao meu lado.

No dia que completei 18 anos recebi do meu pai um Ford Escort do ano 2009, não esperava ganhar um carro de presente de aniversário mas sei que os meus pais possuem condições financeiras de me dar tudo o que desejarem, já fazia dois meses que estava na autoescola e estava perto de conseguir a minha CNH.

Estamos no meio de janeiro, como quase não saio de casa e quando faço isso geralmente é na companhia dos meus pais, então é muito raro utilizar o meu carro, mas agora estou aliviado por o ter já que não preciso dar satisfação exatamente do lugar onde irei pois eles não deixam-me utilizar os transportes coletivos, assim encontrarei o meu amigo sem ninguém saber.

Moramos em uma cidade próxima a Curitiba, apesar de possuir muitos habitantes é um lugar tranquilo para se viver, mas estudarei na capital e para não ficar dirigindo o que equivalente a duas horas contando ida e volta, meus pais alugaram um apartamento para mim onde morei perto da universidade e o melhor, morarei sozinho.

Sei que não é o correto mas sinto que não posso enganar a mim mesmo, então decidi que mudarei de curso, farei moda como sempre desejei, já olhei que a mensalidade de direito é mais cara então não terei que pagar nenhuma diferença do valor que os meus pais me que enviaram todos os meses para pagar a faculdade e ainda sobrará dinheiro para fazer procedimentos estéticos que eles jamais me permitiriam fazer por acharem que são femininos.

A primeira coisa que farei é pintar os meus cabelos de azuis e os deixar crescer, estou cansado de ser loiro e ter cabelo curto, já até consigo imaginar as minhas mechas longas, farei depilação a laser no meu corpo inteiro, não suporto pelos, eles não combinam com a minha beleza que é naturalmente mais feminina por ter nascido bem parecido fisicamente com a minha mãe, também comerei mais frutas e verduras, não desejo engordar e o cardápio da minha casa tem muita fritura, carnes e massas e o melhor finalmente pararei de fazer musculação que o meu pai obrigava a fazer todos os dias desde que entrei na adolescência, ele dizia que um homem tem que ser forte e não adiantava falar que não queria aquilo pois brigava comigo e no final tinha que fazer a sua vontade.

Finalmente chegou sexta-feira e estou muito ansioso para encontrar o meu amigo, marcamos de irmos em um barzinho que tem música ao vivo e é bastante frequentado por homossexuais, nunca fui em um lugar assim, nem sou de beber mas estou precisando de divertir, sei que beber pouco de vez em quando não faz mal e tenho certeza que estarei em ótima companhia.

Tomo um banho demorado, coloco o meu melhor perfume, coloco uma calça jeans preta, camisa vermelha de mangas curtas e um tênis preto, penteio os meus cabelos, olho-me no espelho, estou muito bonito, pego a minha carteira, a chave do carteira e saio de casa.

Após dirigir uns vinte minutos chego no lugar combinado, coloco o carro no estacionamento, entro no estabelecimento e abro um sorriso ao ver que Eduardo já chegou, como tínhamos nos visto por vídeo chamada não havia chance de não o conhecer, ele levanta da mesa e dá-me um abraço que retribuo imediatamente, o seu cheiro por alguma razão deixa-me mais tranquilo, sinto uma sensação de paz com esse contato.

Nos sentamos na mesa, pedimos taças de chope, tira gostos e começamos a conversar, em algum momento meus olhos vão para a sua boca e fico alguns instantes imaginando como seria ter os seus lábios nos seus, é a primeira vez que desejo beijar alguém, sinto sua mão em meu rosto e isso tira-me dos meus pensamentos.

Eduardo: Você é lindo, desejo muito lhe beijar mas esperarei até sentir-se a vontade, não precisamos termos pressa, mas quero que saiba que gostei muito da sua companhia essa noite e espero lhe rever em breve.

Kristofer: Foi um prazer lhe conhecer pessoalmente e também quero que tenhamos outras noites juntos.

Despeço dele com um abraço e volto para casa, percebo que não o desejo somente como um amigo, isso deixa-me inseguro e um pouco nervoso mas estou decidido a não lutar contra os meus sentimentos, deixarei que as coisas aconteçam naturalmente, a única coisa que tenho certeza é que não quero ficar longe daquele moreno que fez o meu coração bater mais rápido.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...