1. Spirit Fanfics >
  2. Vida dupla ( Bakudeku - Katsudeku ) >
  3. Uma ligação sendo encerrada, no pior momento possível

História Vida dupla ( Bakudeku - Katsudeku ) - Capítulo 27


Escrita por:


Notas do Autor


Opaaaaaa sz
Tudo bom meus amores?
Espero que estejam ótimos nhaaa sz
Então!?
Aqui nesse cap, eu acho!?
EU TENHO CERTEZA!
Que vocês irão ficar muito confusos
Bem, traumas são algo difíceis
Eu falo isso com toda certeza
Eu coloquei o meu trauma no Katsuki, justamente para as pessoas entenderem melhor
Quero mostrar como isso aqui funciona
Quero tentar fazer as pessoas entenderem
O que muitos acham birra, manha, frescura
Bem, não é assim, tenham mais sensibilidade com os outros
Eu acho que as pessoas cutucam demais as outras
Só acho!
Nadie :
ABSOLUTAMENTE NADIE :
Final do cap : a
Todos os meus leitores : Ô SUZANAAAAAAA, COMO ASSIMMMM?????
CALMA!
MANTENHAM A CALMA!
É só isso mesmo sz
Espero que gostem nhaaa sz
Desculpem erros meus amores nhaaa
Tenham uma boa leitura sz beijinhos sz

Capítulo 27 - Uma ligação sendo encerrada, no pior momento possível



- então é aqui que nos despedimos, Izuku! - o seu corpo inteiro gelou, até parece que perdeu todo o seu sangue, olhou para o loiro de relance, a sua vontade é o abraçar e lhe impedir disso, pois não sabe o que pode ocorrer se ele sumir.

- pois é... - engoliu em seco tentando limpar sua garganta pra falar algo à mais, porém a sua voz está morta, com certeza precisa de coragem, com certeza precisa falar algo para ele.

Soltou o ar disfarçadamente para ele não note a sua inquietação, a sua vontade é de correr para as montanhas, quando chegar lá irá mentalizar um assunto, logo após volta e conversa com ele, pois ficar nesse silêncio é doloroso demais, não sabe o motivo, mas sempre que estão juntos o silêncio chega em algum momento, sempre que estão juntos há um enorme vazio, isso dói demais!

Quando estava supostamente casado com ele, tudo era diferente de agora, as suas conversas duravam horas, até o modo que a voz dele surgia era diferente dessa, gostava do tom doce e carinhoso, assim como gostava do modo que ele corria a mão por seus cabelos, sim, tal jeito era fascinante, realmente sente muita falta daquele tratamento, aquele era um tratamento único, era como se estivesse no paraíso, mas agora não pode fazer mais nada.

- você tem muitos pacientes pra atender hoje? - fora aí que criou coragem e o fitou, analisou o rosto dele devagar e de forma disfarçada, ele é muito lindo, não importa a forma que o olhe, ele continua incrível!

- eu não sei ao certo... eu sempre sei quando falo com a Mina, é ela que divide os pacientes de todos, então eu nunca sei o número de pessoas que irei atender, as vezes tenho apenas 1, outros dias tenho vários, nunca dá pra saber - ele apenas fez um aceno de cabeça para si, engoliu em seco mais uma vez, mas infelizmente não consegue falar nada, sempre que acaba o assunto fica bem nervoso.

Apertou a calça com toda a sua força se permitindo sentir o ardor se apossar de suas mãos, realmente precisa achar um modo para que, o assunto não morra, porquê se não o fizer, com certeza irá ficar nesse clima tenso para sempre, só de ficar nesse silêncio o seu corpo gela, só de ficar nesse silêncio o seu corpo fica bem trêmulo, precisa encontrar um assunto o mais rápido possível, de preferência agora mesmo, tudo a sua volta silenciou ao ver ele abrir a boca.

- eu não teria paciência para ser médico! - sorriu de forma larga para o mesmo, sim, isso realmente é verdade, ele não é do tipo paciente, muito pelo contrário, ele é irritado demais, explosivo demais.

- eu amo cuidar das pessoas! - um sorriso de canto surgiu nos lábios rosados do mesmo, sim, mesmo sendo um sorriso ínfimo é algo lindo, esse sorriso combina perfeitamente com ele, quer poder tirar uma foto dele sorrindo!

- eu notei! Você cuidou bem demais de mim, você é um ótimo médico, Izuku! - todos os pelos de seu corpo erriçaram completamente, o motivo? Bem, ele tem uma mania de passar a língua no canto da boca, ela é perfeita! Sensual, claro, mas perfeita.

- c-como não iria cuidar bem de você? Você é uma pessoa muito especial, Katsuki - mais uma vez um sorriso surgiu de canto surgiu nos lábios alheios, sim, é essa cena que quer ver para todo o sempre, ele feliz lhe deixa muito bem.

- você me salvou de uma overdose, mesmo que eu não quisesse ser salvo, mesmo assim você estava bem ali, me animando, me motivando, dando todo cuidado do mundo, cuidou de mim, ficou o tempo todo ao meu lado, vem tentando me levantar, sempre tenta me fazer parar de fumar, para não acabar meus pulmões, mesmo que eu sempre queira um cigarro, eu nem sei como te agradecer por tudo, sabe!? - sua mente girou cerca de 360 graus com tal coisa, teve que respirar fundo para não falar algo atoa, santo Deus, esse comentário com certeza acabou com sua sanidade. 

pode pagar com um pedido de namoro 

pode pagar ficando comigo para sempre 

pode pagar ficando ao meu lado 

pode pagar me dando um beijo 

pode pagar transando comigo 

- não há motivos para pagar nada, eu não fiz nada esperando algo em troca, muito pelo contrário, esse é o meu trabalho, também eu só queria te ver bem, sem contar que eu já te dei muita tristeza na vida, estou apenas tentando pagar um terço da metade do que fiz, então não fique falando que deve algo, sou eu que fiz algo errado aqui, eu machuquei demais você, eu estou apenas buscando rendição, mas eu sinto que nunca vou ter pelo o que fiz, então se for me tratar mal, eu juro que irei entender - ele simplesmente afagou os seus cabelos, o fez de um modo carinhoso, um modo tão fofo também, essa é a primeira vez que ele faz isso depois de tudo.

- como eu disse antes, você me deu os melhores 2 meses da porra da minha vida, eu sorri em 2 meses o que não sorri em anos, eu realmente amei aqueles 2 meses, eu simplesmente fiquei puto por tudo ser mentira, tudo que eu acreditei era a desgraça de uma mentira e, eu odeio mentiras, justamente por ter me fodido pra caralho com muitas, eu estava colocando expectativa demais em tudo que estava vivendo ali, estava tentando me prender ao Izumu como nunca antes, tentando acreditar que iria em frente daquela vez, por que ele estava bem mais carinhoso que as outras vezes que mudou, estava tão verdadeiro e isso me deixou nas nuvens, a forma como você era gentil comigo, a forma como me tocava e me beijava, me fazia crê que ele iria me amar outra vez, que novamente ele iria se apaixonar por mim e, me fazer o homem mais feliz do mundo, quando descobri o que aconteceu de verdade, eu meio que não pensei em nada, apenas pensei na porra da minha decepção e, em tudo que passei nas mãos do Izumu, eu apenas pensei que você tinha planejado tudo com ele, pensei que os dois estavam planejando me foder ainda mais e tipo, eu já fui fodido para um caralho, sem contar que acabei te falando algo que não merecia, foi mal Izuku! - levou a mão direita até a testa alheia, logo afastando alguns fios dourados de tal local com carinho, sim, ouvir isso realmente lhe agrada, lhe agrada muito.

- na verdade eu ainda nem expliquei a história toda para você, com certeza eu já deveria ter o feito, você deve!?... 

- não! Relaxa! Você explica isso tudo depois, se falar agora vai acabar se atrasando, nós dois vamos na verdade, eu já passei da hora de estar dentro daquele inferno, tem pacientes te esperando lá dentro, sem contar que tenho que ir para a empresa agora, tenho uma caralhada de coisas pra resolver, nos vemos depois, ok? - assentiu prontamente o vendo sorrir de forma ínfima, está tão feliz por sua relação com ele está evoluindo, isso é algo ótimo, por isso irá se esforçar para não acabar com ela.

- você agora tem meu número agendado, se precisar de algo pode ligar, não importa a hora, nem o momento, apenas ligue quando quiser, eu irei atender, boa sorte no trabalho e se cuide, ok? - apertou a calça com toda a sua força se permitindo sentir o ardor se apossar de suas mãos, a sua vontade é o abraçar bem forte, mas ele pode não querer isso.

- claro! Cuide-se também! - assim que ele começou a caminhar para longe de si, o seu coração apertou, a sua vontade é ir atrás dele para evitar algo ruim ocorrer, porém não pode, tem pacientes lhe esperando lá dentro, que dia! 

                  04:30 

Continua fitando o teto branco do seu quarto, com certeza não deveria ter pensado tanto quanto fez, não deveria ter cogitado tantas coisas estranhas, agora não consegue dormir nem com reza brava, agora só quer um abraço de um certo alguém, um cafuné também seria muito bem-vindo, mas infelizmente não pode o obter, não sabe o que ele está fazendo agora, mas espera que ele esteja bem. 

O loiro teve problemas demais, ele ainda tem muitos problemas aliás, só não sabe exatamente como eles são, sem contar que muitos deles agravaram por sua causa, até hoje se irrita consigo mesmo, deveria ter lido aquele contrato antes de assinar, deveria ter lido tudo mesmo com seu irmão apressando, assim como deveria não ter machucado o loiro, só de lembrar dele em uma maca lhe deixa incrivelmente triste.

Katsuki é alguém muito sensível, sim, ele tem uma aparência forte, ele tem uma personalidade forte também, mas sabe perfeitamente que por debaixo daquela armadura superficial, existe um homem machucado, existe um homem frágil, existe um homem que quer e precisa ser amado, existe um homem que precisa ter todas as cicatrizes fechadas, está bem disposto para as fechar se ele deixar.

Quer muito merecer a dádiva de ser o honrado nisso, quer poder cuidar daquele loiro todo santo dia, quer poder o mostrar que não é como ele pensa, mas não sabe se isso irá ocorrer, mesmo avançando ainda o sente longe demais, mesmo avançando sente algo faltando, algo muito grande, nem sabe se ele está pensando em viver muito, as vezes só quer voltar no tempo e consertar tudo que fez, isso iria facilitar tudo, mas é impossível!

Soltou um suspiro alto e cansado o ouvindo se alastrar pelo vão, assim como por seus ouvidos, sente uma enorme necessidade de socar a sua própria cara, precisa sentir dor para entender que, tivera machucado o melhor ser desse mundo, precisa entender que alguém sofreu por sua causa, sim, isso machuca demasiado, porém irá fazer de tudo para o curar, isso irá ser bem difícil!

Olhou rapidamente para a escrivaninha ao lado da cama, o motivo? Bem, a vibração do seu celular lhe chamou a atenção no mesmo instante que se fez presente, nessas horas só pode ser uma rosada bêbada, ela sempre lhe liga e fala coisas bem estranhas, pensou em o deixar tocar, pensou em fingir está surdo, para não ouvir tal coisa, mas simplesmente pegou o aparelho e o atendeu, sim, é um idiota!

- alô!?... 

- Izuku!? - todos os pelos de seu corpo erriçaram completamente com tal voz, sem pensar duas vezes sentou-se na cama, precisa acalmar o coração, precisa respirar, pois não pode morrer.

- aconteceu algo com você!? - perguntou curioso com um misto de preocupação, pois a crise sempre ataca na madrugada, agora está com medo, agora está com vontade de ir até a casa dele!

- bem, você disse que eu poderia ligar à qualquer momento, a hora que eu quisesse, pensei que era verdade, mas se caso eu esteja atrapalhando... 

- não! Não! Você não atrapalha em momento algum, o que eu disse era verdade, claro que era verdade, você pode ligar sempre que quiser, não importa a hora, nem o momento, eu não mudei de opinião e não irei mudar, não se preocupe com isso, por favor - apertou a calça com toda a sua força, talvez esteja parecendo muito desesperado, mas isso não lhe incomoda nenhum pouco agora, tudo que importa é o bem-estar dele.

- bem, eu quero saber sobre a história do contrato do Izumu, você iria falar antes, mas quero saber agora, pode ser!? - respirou fundo tentando manter a calma, com todo cuidado do mundo voltou a deitar na cama, quer ficar bem, mesmo que não consiga o fazer.

- olha!? A minha relação com o Izumu sempre foi ruim, nós sempre discutimos quando criança, só não brigavamos, porquê eu tinha medo de acabar apanhando muito, depois de adolescentes ele ficou com o papai, ele só me procurava quando queria algo, então um dia ele chegou no postinho que trabalhava, ele chegou como quem não queria nada, até pensei que era um paciente, perguntei o que ele queria, ele simplesmente falou " nada, apenas vim te ver ", eu sabia perfeitamente que não era isso, pois ele sempre me procurava querendo algo, até que ele me pediu para assinar um papel, assinar em uma linha específica, só que eu pedi para ler, ele falou que não precisava, eu insisti, mas de tanto que ele ficou apressando tudo, puxando e virando os papéis, eu acabei por assinar sem ler tudo, só que dois dias depois ele me ligou, disse que queria me encontrar em um restaurante, só que quando nos vimos, ele já foi retirando os papéis da pasta e, me falando o que eu tinha que fazer, eu realmente sinto muito, Katsuki - um suspiro alto e cansado fora ouvido no outro lado da linha, a forma como ato lhe entristece é assustador, mas está tudo bem, ao menos é o que quer crê, claro.

- está tudo certo! Eu só queria saber como essa porra aconteceu, queria entender o início, sabe Izuku!? Eu tenho um trauma desde os meus 5 anos, mas não acho que você queira saber...

- eu quero!... quer dizer, se não for lhe machucar... se não lhe machicar, eu quero muito saber desse seu trauma - fechou os olhos devagar ouvindo melhor a respiração alheia, ela é pesada, compassada e muito gostosa, ama demais ouvir essa respiração.

- desde os meus 5 anos eu tenho muita dificuldade em confiar nas pessoas, eu obtive um trauma quando notei que, não posso confiar em ninguém ao meu redor, por que todos acabam me machucando pra caralho, quando sinto alguém sabendo demais de mim, eu meio que acabo tremendo um pouco, tremendo no corpo, não por dentro, se bem que por dentro fico trêmulo também, pois sei que estou me abrindo demais outra vez, sei que vou me foder no final de tudo, isso está acontecendo com você, eu estou contando demais, você tem um jeito único de ser, me deixa bem relaxado em tudo, então acabo soltando tudo com facilidade, mas isso me assusta pra porra, por que eu sei que tudo irá acontecer de novo! - voltou a abrir os olhos devagar se deparando com o teto branco do seu quarto, ele é liso e bem feito, seja lá quem o fez está de parabéns, tivera feito um bom trabalho!

- o que irá acontecer de novo? - ele soltou o ar pesadamente, sim, talvez não devesse ter feito tal pergunta, talvez deva controlar a sua língua agora mesmo, talvez!? Bem, tem absoluta certeza que deve controlar a língua!

- irei ser descartado outra vez! - seu coração apertou com tal afirmação, a forma como ele é pessimista lhe deixa mal, lhe deixa muito mal, pois sabe que ele está mal, ele estando dessa maneira lhe deixa louco e, não é do modo bom.

- não! Você não irá!...

- todos falam isso! Não é como se eu estivesse cobrando algo de você, não é como se eu estivesse esperando algo, você não deve entender esse trauma, eu tenho muito, muito medo de confiar em alguém, é um medo maldito que me cerca cada dia mais, para muitos parece frescura, manha, birra, mas quando eu vejo que alguém que confio, que me apego, esquece ao menos algo importante pra mim, eu me afasto, corro igual o demônio foge da cruz, logo após vem a dor, vem o peso, vem o sagramento no coração, por que se essa pessoa esquece algo importante pra mim, com certeza ela irá me esquecer em um piscar de olhos, com certeza ela irá me trocar, com certeza ela irá me deixar de lado, até porquê!?... quem caralhos iria querer ficar comigo? Quem caralhos iria ficar ao lado de alguém como eu? Tipo!? Eu sou completamente insuficiente, eu sou a pessoa mais descartável desse mundo - a respiração dele saiu arrastada, por um momento pensou que ele fosse chorar, mas isso não veio ocorrer, será que ele está bem? Deus, quer tanto o ver agora.

- você não é a pessoa mais descartável desse mundo! Olhe Katsuki, eu serei bem sincero agora, eu não sei como seus traumas funcionam, eu não sei como tudo ocorre dentro de você, dentro da sua mente, mas sei que você precisa ser menos paranóico por assim dizer... ai meu Deus, eu usei a palavra errada, me perdoa...

- tudo certo! - deu um tapa forte na própria testa, porque tivera usado uma palavra tão ofensiva com ele? O quão idiota é? Você é tão imbecil, Izuku! - não precisa bater na testa, como eu disse antes, está tudo certo! - ficou impressionado com a forma que ele lhe conhece, sim, os dois meses que viveu com ele resultou em algo, não pode negar que está muito feliz!

- olhe!?... você precisa parar de ser tão pessimista assim, você é uma pessoa maravilhosa em todos os sentidos, eu não posso falar que sou a pessoa com a melhor memória do mundo, eu já esqueci tantas datas de tantas pessoas importantes, mas eu nunca troquei ninguém e nunca irei trocar, eu sempre peço desculpas quando me esqueço e, logo após faço de tudo para mostrar a importância que a pessoa tem para mim, no seu caso não deve adiantar muito, pois envolve algo bem maior, eu não sei os seus medos, não sei as suas cicatrizes, não sei dos seus traumas, mas a minha vontade é saber todos e, tentar te ajudar com todos eles, mesmo que você não acredite muito, você é incrível! Você é importante pra mim, Katsuki! - tudo a sua volta silenciou ao ouvir a ligação sendo encerrada, retirou o celular do ouvido e sim, ela realmente fora encerrada, tentou ligar de voltar mais não deu em nada, não falou mais com ele na madrugada.








Nem no dia seguinte, nem no outro e muito menos no resto da semana.


Notas Finais


Obrigada por lerem sz


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...