1. Spirit Fanfics >
  2. Vida Dupla (Reescrita) >
  3. Mentiras e mais mentiras

História Vida Dupla (Reescrita) - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Volteii

(Ainda me pergunto se alguém vai ler isso)

Ainda não tenho uma data fixa para postar capítulos, então sempre que puder estarei postando.
Espero que gostem e boa leitura! <3

Capítulo 2 - Mentiras e mais mentiras


Minhas missões daquele dia foram encerradas depois do ocorrido pela manhã, agora eu poderia ir para casa, passei somente na enfermaria antes para poder cuidar dos machucados causados pelos estilhaços de vidro do carro na hora da fuga, quando já estava com os curativos sai da agência e peguei meu carro, hora de ir para casa.

Entrei no veículo e antes de sair peguei meu celular outra vez vendo novamente as mensagens enviadas por meu namorado e minhas amigas, Camilla, Kristal e Roxanne, está última me perguntava se viria para casa almoçar, eu lhe respondi que sim e em seguida abri o próximo chat para ver as mensagens de Baek.

Bom dia meu amor, que tal vir aqui no dormitório hoje a noite? Dei um jeito de expulsar os meninos daqui para ficarmos só nós dois.

Eu lhe respondi que sim, é claro que aceitaria passar um tempo com ele, já fazia alguns dias que uma oportunidade dessas não surgia para nós, quando não era BaekHyun que estava ocupado fazendo shows e eventos era eu quem não podia ir por estar na agência fazendo alguma missão.

Mensagens respondidas e tudo estava agora devidamente acertado, pude enfim dirigir até o apartamento onde morava com minhas três amigas ditas anteriormente, morávamos ali desde que nos mudamos para cá há quase cinco anos, Camilla e eu tínhamos conseguido uma bolsa de estudos em uma faculdade aqui e juntando um dinheirinho conseguimos comprar o apartamento após um ano morando no dormitório da faculdade, nisso conhecemos Kristal e Roxanne, duas americanas que iriam começar um intercâmbio em Seul e precisavam de um lugar para ficar, Camilla sugeriu que elas ficassem com a gente, dando um aperto aqui e ali as duas poderiam caber no apartamento, e não foi que deu certo? Viramos todas grandes amigas e hoje dividimos todos os custos igualmente já que todas trabalhamos, quer dizer, todas menos eu de certa forma.

Foi na faculdade que conheci a agência, eles mantinham agentes infiltrados pelo Campus e um deles após meses me analisando me fez o convite para conhecer um pouco a vida de um espião, eu me apaixonei por tudo aquilo. Quando na minha vida eu poderia sonhar em ver de perto agentes secretos de verdade? Parecia até coisa de filme! Eles sugeriram fazer um teste comigo e se eu estivesse apta poderia me tornar uma agente como eles, bem, já sabemos qual foi o resultado.

Como grande parte do meu tempo eu passava na agência nunca consegui manter um emprego por mais de uma ou duas semanas, até que a própria agência me ajudou com isso, para manter as aparências de uma "pessoa normal" comecei a trabalhar na universidade que me formei como bibliotecária, uma grande farsa já que eu só dou as caras por lá uma vez na semana, mas eu não podia reclamar, com aquele trabalho falso minhas amigas nunca desconfiaram dos meus sumiços repentinos, na maioria das vezes eu simplesmente mentia dizendo que precisei participar de uma palestra, evento ou assistir e avaliar um TCC. Eu odiava mentir para minhas amigas e meu namorado, mas era preciso.

Quando cheguei no prédio onde morava deixei o carro no estacionamento e subi de elevador até meu andar, eu mal abri a porta de casa e já fui recebida por um bombardeio de informações.

— Ah S/n ainda bem que chegou! Kristal quase colocou fogo no apartamento quando inventou de fazer o almoço! – Disse Roxanne enquanto segurava o que restou de um pano queimado.

— Como se você não tivesse culpa, foi você quem esqueceu de apagar o fogo! – Rebateu Kristal ofendida, as brigas entre nós quando aconteciam pareciam com briguinhas de crianças, acusávamos uma a outra, rebatíamos as acusações e ao final pedíamos desculpas. – Eu deixei bem claro Roxanne, apague o fogo daqui trinta minutos, mas você não me ouviu!

— Você disse quarenta minutos e não trinta! Posso ser lerda Kristal mas não sou surda!

— É mesmo? Eu estou começando a duvidar disso!

Roxanne iria dizer algo quando Camilla apareceu falando ao celular, nossa atenção se voltou para ela, quando ela encerrou a ligação e percebeu que todas estávamos a encarando começou a rir.

— Liguei para um restaurante aqui perto, a comida chega em meia hora.

— Ótimo – Disse Roxanne antes de sentar-se no sofá sem nem lembrar mais da briga boba com Kristal. – Como foi o trabalho pela manhã S/n?

Era incrível como as brigas aqui eram esquecidas tão facilmente, eu gostava disso, ver que nossa amizade era maior que qualquer coisa era incrível.

— Ah foi o de sempre, ajudei estudantes a achar livros, arrumei prateleiras, nada fora do normal.

— Você tem certeza? E o que é esse machucado no seu braço?

Kristal apontou para o curativo em meu braço resultante do ocorrido pela manhã, tive de pensar em uma desculpa rapidamente.

— Ah isso? Bem, vocês se lembram da altura daquelas estantes de livros não é? E de como aquela escada é uma porcaria? Pois bem, um aluno me pediu um livro que estava no alto da estante e eu tive que ir pegá-lo, quando subi a escada um dos degraus de madeira cedeu e então eu caí. – Todas me olharam espantadas, quando se está trabalhando como agente há tanto tempo você se torna bom em mentir. – Felizmente só tive alguns arranhões já que não cai de uma altura tão grande, mas ainda assim eles me dispensaram pelo resto do dia.

Todas acreditaram na minha falsa versão do que aconteceu, acho que sinceramente esta versão era muito mais fácil de se contar do que "Ah esses arranhões? Foi porque me saí mal em uma missão e fui obrigada a fugir as pressas, os caras que me perseguiam atiraram no carro onde eu estava e então um pedaço de vidro cortou meu braço. Nada demais né?" Levar minha vida de espiã não era fácil, envolvia muitas mentiras, mentiras sobre mentiras. As vezes eu me cansava disso, parava para pensar e dizia "Cara, por que estou fazendo isso?" Talvez fosse a maior pergunta de toda a minha vida, porquê eu estava fazendo tudo aquilo, acho que nunca iria obter uma resposta para ela.

— Oh my God S/n! Mas você está bem? – Gritou Kristal assustada, eu lhe garanti que estava bem e ela pode relaxar mais.

— Você tem certeza? Esse corte não foi muito profundo? – Roxanne também se preocupou, apesar de seu jeitinho mais durão no fundo ela se preocupava muito com todas nós.

— Acalmem-se! Já disse que estou bem, foi apenas um corte e logo vai cicatrizar, fora isso eu estou ótima!

— Da próxima vez tome cuidado S/n, não queremos te encontrar em um hospital! – Disse Camilla ao final, eu sempre achava muito fofo o jeito que elas se preocupavam comigo e queriam o meu bem do mesmo jeito que eu queria o delas.

Isso me fazia lembrar todas as vezes em que me machuquei no trabalho e elas cuidaram ou se preocuparam comigo, foram diversas vezes em que já cheguei aqui com curativos ou as vezes machucados amostra quando não tinha tempo de passar na enfermaria da agência.

Me lembro de uma vez em que fizemos uma ação na floresta, estávamos caçando um ladrão pela mata e eu cheguei bem perto de pegá-lo, estávamos correndo desviando das árvores e arbustos até que em um salto eu o agarrei pela perna, ele por ser obviamente mais forte me empurrou, acabei rolando pelo chão e batendo as costas em uma árvore, Jeremy me ajudou a voltar para casa, foi difícil arranjar uma desculpa decente naquele dia para dizer as meninas porquê estava cheia de arranhões e uma dor horrível nas costas. Não só a elas, BaekHyun também ficou preocupado quando soube mas também foi enganado por mim e acreditou na minha mentira.

O assunto "machucados da S/n" teve fim quando o entregador chegou com a comida, Camilla pagou e depois fomos todas almoçar, estávamos conversando animadas quando eu contei que iria ver Baek essa noite, é claro que todas elas lançaram olhares maliciosos e riram muito, sempre era assim desde que eu anunciei que estava saindo com um cara, isso há um ano atrás, depois quando eu contei para elas quem ele era todas duvidaram, mas passaram a acreditar em mim quando na noite seguinte BaekHyun apareceu na porta do meu apartamento, ele veio me deixar em casa e ao perceber que deixei o celular no carro subiu para me entregar, Kristal quem abriu a porta naquele dia e quase caiu quando o viu parado ali, pensei que ela teria um troço.

— Olha vai ser uma pergunta idiota mas, só para confirmar, você vai dormir lá?

Disse Roxanne, minha colega de quarto, ela perguntou aquilo pois tinha sono leve e odiava ser acordada, então se eu avisasse que iria voltar para casa e dormir aqui ela provavelmente iria ficar me esperando pois não iria querer ser acordada com meus barulhos ao entrar no quarto de madrugada.

— Não sei Anne, sabe como é, ele divide o dormitório com os meninos e não quero incomodá-los, Baek já disse que deu um jeito de tirar todos de casa a noite, mas mesmo assim, me incomoda saber que todos eles tiveram que sair por minha causa.

Isso era um ponto que me incomodava, saber que por minha causa 5 pessoas tiveram que sair de casa, e antigamente ainda era pior pois eram 7 pessoas, Xiumin e D.O estavam agora cumprimento o alistamento militar, o único do grupo que nunca incomodei foi Lay, este por estar na China.

— Faz sentido, acho que eu também me sentiria mal, poxa, eles vivem fazendo shows e eventos e devem se sentir cansados as vezes, eles tem que aproveitar os momentos no dormitório para relaxar!

Kristal falou, ela não teve intenção de me afetar mas acabei me sentindo pior ainda.

— Seu comentário ajudou muito Kristal. – Disse Roxanne ao perceber meu estado. – Olha S/n, na minha opinião vocês dois precisavam de um lugar onde vocês poderiam se encontrar.

— Sim, seria uma boa, ou talvez sair para encontros, já tentaram isso? – Camilla disse aquilo com tanta inocência, mas logo voltou a realidade. – Oh perdão, esqueci do que aconteceu no último encontro…

No meu último encontro com BaekHyun fomos a um parque dar uma volta, algumas fãs acabaram nos reconhecendo e fomos cercados, ao final Baek passou a tarde autografando coisas e tirando fotos e eu fiquei de longe observando para não atrapalhar, ah e quase me esqueci, no final um paparazzi nos perseguiu.

— Vou falar com Byun sobre isso, talvez haja alguma solução.

E assim o almoço seguiu, as horas passaram e logo estava eu me arrumando para ir ver meu namorado, Camilla e Kristal me ajudaram com a parte de maquiagem e roupas, quando estava pronta coincidentemente BaekHyun me mandou uma mensagem avisando que já estava em frente ao prédio me esperando, eu então me apressei para não deixá-lo esperando por muito tempo.

— Juízo em S/n! – Brincou Camilla. – Se divirtam bastante e usem camisinha por favor, não estou afim de ser tia!

— Besta! Eu vou logo antes que BaekHyun decida ir embora sem mim, tchau pra vocês!

Mandei beijinhos para todas e sai apressada, BaekHyun me esperava em seu carro na frente do prédio, assim que atravessei a portaria e o vi dentro do carro acenei para ele, Baek sorriu todo bobo me esperando, ah como eu amava aquele sorriso.

— S/n! – Disse ele quando entrei no carro, Baek novamente sorriu mas desta vez além disso se aproximou e me beijou. – Você está tão linda.

— Obrigada, você também está lindo Baek.

Ele sorriu todo convencido e eu não me aguentei, caí na risada com aquela cena, BaekHyun as vezes parecia fazer isso de propósito só para me ouvir rir.

— Bem, vamos indo? Tem um jantar delicioso preparado pelo chefe Byun nos esperando.

— Uh sério? Então vamos, quero ver o que este chefe preparou.

E assim Baek deu partida no carro e fomos. 


Notas Finais


É isso, até a próxima pessoas.

Beijinhos! :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...