História Vida Hackeada - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Brasileiro, Isekai, Morte, Otaku, Outra Chance, Reencarnação, Universo Alternativo, Vida
Visualizações 12
Palavras 2.254
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Ficção, Fluffy, Magia, Mistério, Romance e Novela, Survival, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Nudez, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Ta aí gente mais uma delicinha de capítulo, aproveitem e falem o que gostaram <3

Capítulo 3 - Meu Rank e A Vila Destruída


Eu olho pra Shiro e vou pra guilda que fica duas esquinas a frente, na entrada tem duas portas marrons com verniz, janelas grande em forma de arco em cima e quadrado embaixo, eu entro na guilda com Shiro e logo quando entramos somos encarados igual ao restaurante eu passo normalmente e Shiro fica encarando as pessoas de cima do meu ombro, chego no balcão e sou atendido por uma garota de cabelos azuis, olhos azuis e pele branca.


Recepcionista: O que o senhor deseja?

Diego: Eu gostaria de me inscrever na guilda, e colocar meu guardião comigo.

Recepcionista: Para se inscrever você precisa fazer um teste de mana e um físico, em seguida avalio seu status e já faço seu cartão, a taxa de inscrição é de 5 cobres.

Diego: Está bem, vamos aos testes.


Coloco a mão no bolso e pego 5 moedas de cobre e entrego pra ela, ela pega as moedas e coloca em um compartimento que brilha.


Recepcionista: Siga-me senhor.

Diego: Pode me chamar de Diego, por favor.

Lyfa: Está bem Diego, eu me chamo Lyfe Reiche.


Ela sobe uma escada ao lado do balcão e eu sigo ela com Shiro ainda no meu ombro, lá em cima ela abre uma sala onde tem uma mesa com uma pedra transaparente, eu olho aquela pedra e tenho um mal presentimento, ela vai até o outro lado da mesa e se vira pra mim.


Lyfa: Aqui será o teste de mana, coloque a mão na pedra e despeje seu mana nela, dependendo do brilho definirá seu ranking.

Diego: Quais são os ranks?

Lyfa: Os ranks são F, E, D, C, B, A, S e SS, dependendo do rank tem uma taxa de missões por tempo, exemplo um rank F precisa fazer uma missão a cada semana, um E a cada duas semanas, e SS só quando e convocado.

Diego: Tenho uma pergunta.

Lyfa: Qual?

Diego: Tem como não falar pros outros o resultado dos testes?

Lyfa: Os resultados só são passados pros meus superiores, e é segredo por que muitas vezes as pessoas querem esconder sua força, mas uma coisa que eu sei é que não dá pra esconder pra sempre.

Diegos: Está bem, bom vamos fazer isso de uma vez, e por favor não se assuste.

Lyfa: Eu já vi de tudo acontecer aqui.


Eu vou até a mesa e coloco a mão sobre a pedra, me concentro e despejo toda a minha mana na pedra sem deixar um pouco sequer faltando, a pedra brilha numa luz ofuscante que começa a queimar a volta dela na mesa, eu continuo com o brilho até a Lyfa pedir pra mim parar, eu paro e olho pra ela que está pálida, Shiro está calmo no meu ombro até agora, acho que esse gato preguiçoso ta até dormindo, eu paro esperando Lyfa se recupera.


Lyfa: D-desculpe, vamos para o teste físico.

Diego: Está bem.


Ela anota algumas coisas em uma prancheta, saindo da sala tem outra recepcionista com uma garota de cabelos roxos, eu olho pra garota e sinto uma sensação familiar, Lyfa me direciona pra uma sala enorme que mais parece uma arena, ela indica pra mim ficar no meio, ela fica em um palanque me olhando.


Lyfa: Haverá cinco atividades a primeira é levantar uma rocha, a segunda é jogar o outro lado da arena, terceira é quebrar a pedra, quarto é dar 30 voltas na arena e por último pular o mais possível, não se preocupe não há limite no teto.


Ela faz uma rocha enorme surgi no lado esquerdo da arena, quando ela faz o sinal eu vou pegar a pedra, levanto a pedra sem mínimo esforço e jogo ela pro outro lado da arena com um aceno de mão, vou até a pedra dou um tapa que faz ela se despedaça e uma cratera se forma, vou pra frente do palanque e me preparo pra correr, Lyfa faz o sinal cinco segundos depois eu paro e olho pra ela, ela faz um sinal com a cabeça e eu pulo e parece ser verdade que não tem limite o teto, eu olho pra baixo e a arena vai ficando cada vez menor até sumir do meu campo de visão, eu espero até que começo a descer e a sensação é muito louca dá um frio na barriga e um calafrio na espinha com uma adrenalina forte, eu vou chegando até a arena e me preparo pra queda, quando bato no chão sobe uma nuvem de poeira, segundos depois eu saio da nuvem e a Lyfa desce do palanque e para na minha frente.


Lyfa: Diga "Revelar Status"

Diego: Revelar Status!


Uma aba diferente com só meus atributos aparece pra nós dois.


Nome: Diego Santos

Idade: 19

Classe: Multiaction

Level: 1

Raça: Humano

HP: 100.000.000

MP: 100.000.000

Força: 100.000.000

Destreza: 100.000.000

For. Mágica: 100.000.000

Def. Mágica: 100.000.000


Eu olho ela observando meus status com uma cara séria, ela se vira pra mim e fica me olhando por um tempo, ela se vira pra aba de novo e anota algumas coisas, depois ela me leva pra fora da arena, descendo pra parte do balcão da recepcionista ela indica uma cadeira pra mim sentar, eu sento e só três minutos depois ela volta e me chama no balcão.


Lyfa: Aqui está seu cartão, você foi selecionado direto para o rank SS tem alguma objeção?

Diego: Tenho, vou poder fazer missões ainda ou só quando for chamado?

Lyfa: Você pode fazer qualquer missão mas, deve priorizar as convocações da guilda.

Diego: Entendi, onde fica o mural de missões?

Lyfa: A sua esquerda você verá um grande quadro, só precisa pegar a missão que quiser fazer e depois que terminar me trazer seu cartão e o panfleto da missão.

Diego: Então vou indo já, tchau Lyfa.

Lyfa: Tchau senhor Diego.


Eu acho que ela não entendeu que eu não quero ser chamado de senhor, bom depois aviso ela, vou pro quadro e literalmente ele é grande mas é grande pros lados, vai de uma ponta a outra da parede, tem várias missões e o melhor é que eu consigo ler.


Diego: Shiro por que eu consigo ler?

Shiro: É a bênção de compreensão do Kursch-sama.

Diego: Então por isso que eu entendo as pessoas?

Shiro: Sim.


Depois de falar telepaticamente com Shiro eu vou ver o que vou fazer como minha primeira missão, olhando as missões elas são separadas por setores de rank, vou direto pro rank S e SS, vejo missão de matar um bando de orcs, um necromante, um mago que está tentando destruir uma vila inteira, um demônio de alto nível que ta matando todos na região leste, escoltar uma princesa até uma reunião, proteger um forte que ta sendo atacado por besta inferiores e finalmente a mais épica missão que se espera encontrar subjugar um dragão que ameaça uma vila na região leste, eu pego a do demônio e do dragão na região leste, saindo da guilda vou andando pro portão leste que demora quinze minutos andando, um soldado pergunta o que irei fazer mostro o cartão da guilda e ele deixa eu passar, pergunto onde é a vila Enes que ta sendo atacada pelo demônio, ele aponta pra minha direita, eu faço posição de corrida e ativo [Velocidade], cinco minutos chego no que parece ser a vila, ela está destruida pela metade, caminho entre as ruas a procura de algo ou alguém pela vila, ouço barulho de destroços se mexendo e vou na direção do barulho, tem uma pessoa com a mão pra fora do escombros que eram de uma casa, eu pego as pedras da volta e jogo longe, minutos depois eu consigo liberar a pessoa que ensanguentada e é uma mulher, eu coloco a mão no pescoço dela e ainda sinto pulsação.


Diego: Shiro, quais as minha habilidades de cura?

Shiro: Você tem [Ressuscitar], [Cura Completa] e [Recuperação].

Diego: Acho que [Recuperação] vai servir.


Eu coloco a mão no peito dela e me concentro.


Diego: [Recuperação]!


Um brilho amarelado cobre o corpo dela e os ferimentos aparentes começam a se fechar velozmente, eu paro a habilidade assim que ela mostra já estar bem, ficando olhando ela nos meu braços até que ela pisca algumas vezes bem fraco.


Mulher: O-onde estou?

Diego: A senhorita estava na casa destruída, acabei de usar uma habilidade de cura e você está melhor agora.

Mulher: A casa, a vila, minha filha, por favor faça algo pra salvar a minha filha.

Diego: Cadê sua filha?

Mulher: Ela tava no quarto, mas não consegui chegar a tempo, quando cheguei em casa ela caiu em cima de mim, não sei como não morri, muito obrigado pela ajuda.

Diego: Vou procurar sua filha.

Mulher: Obrigado.


Ela chora sentada enquanto eu me levanto e ajudo ela a se levantar, olho pra casa inteira e penso em uma maneira de mudar aquela cena que eu via de destruição.


Shiro: Quer uma ideia?


Shiro me assusta falando quando to muito concentrado.


Diego: Qual a sua ideia?

Shiro: Usa a habilidade [Controle de Matéria], e tira todos os escombros.

Diego: Como funciona essa habilidade?

Shiro: Você pode qualquer que tenha matéria desde dos elementos naturais até construções, mas ela gasta 100 de mana por minuto.

Diego: Gasta mana? As outras não gastavam?

Shiro: Bem [Velocidade] não gasta, mas [Recuperação] gasta 1000 de mana por uso, apesar, de que você tem mana quase infinito né trouxa.

Diego: Que falta de respeito é essa? Ah deixa pra lá qual vai ser o plano? Já que controlo toda matéria não posso acabar mesclando a filha dela com os escombros.

Shiro: Isso é fácil, é só controlar tudo que não é natural nessa área.

Diego: Ta, vamos por isso em prática logo.


Eu fecho os olhos e levanto as mãos como se estivesse pedindo algo, ativo [Controle de Matéria] e seleciono cada coisa que quero controlar, sinto a matéria do corpo da garota em baixo dos escombros, faço todos os escombros e pedras se juntarem em uma bola que cresce cada vez, depois de juntar tudo que consigo da casa eu pego a bola de matéria e lanço longe, caminhando pra onde ficava a casa eu encontro o corpo da garota, coloco a mão no pescoço pra sentir a pulsação só que não tem, fico pensando por um tempo até que tenho uma ideia, coloco a mão no peito da garota e me concentro de olhos abertos.


Diego: [Ressuscitar]!


Uma aura verde cobre o corpo da garota, uma fumaça parece entrar pelo nariz dela e ela volta a respirar, eu paro a habilidade e me concentro denovo.


Diego: [Recuperação]!


A aura amarela cobre ela e todos os ferimentos que tinha por causa dos escombros se fecham, eu pego a garota nos braços e carrego até chegar na mulher que ao ver a filha já começa a chorar, coloco a garota no chão e ela parece despertar devagar, eu fico ao lado da mãe dela, ela abre os olhos e olha pros lados.


Garota: O que aconteceu?

Mulher: Nós fomos soterradas filha mas este homem nos salvou, agora ta tudo bem filha.


A garota parece se lembra do que aconteceu, ela abaixa a cabeça e depois olha pra mim, eu estendo a mão pra ela e ajudo ela a se levantar, ela agradece e abraça a mãe dela, elas se olhan e vem pra perto de mim.


Mulher: Deixa nos apresentarmos direito, primeiro minha filha.

Lucy: Eu me chamo Lucy Jaspe é um prazer lhe conhecer - Ela faz uma mini reverência.

Glenda: Eu sou Glenda Jaspe e também é um prazer lhe conhecer - Ela repete o gesto.

Diego: É um prazer conhecer vocês, meu nome é Diego Santos.

Lucy: Diego? Nome estranho.

Diego: Acho que isso é por eu não ser natural daqui eu acho.

Glenda: Você vem da onde senhor Diego?

Diego: Não precisa me chamar de senhor, só Diego ta bom, eu vim de uma espécie de província chamada Brasil.

Lucy: Brasil? Quero conhecer algum dia.

Diego: Tenho uma pergunta pra vocês.

Glenda: Qual seria Diego?

Diego: Onde está o demônio que atacou a vila de vocês?

Glenda: Ele atacou e só saiu quando nós já tinhamos ficado soterradas.

Diego: Entendo, bom eu vou ter que ir achar ele, minha missão é matar ele.

Glenda: Matar um demônio de alto nível? Você precisa ser forte pra isso.

Diego: Também fiquei sabendo disso, Shiro tem alguma habilidade de localização também?

Shiro: A habilidade [Escanear] também detecta seres vivos e objetos.

Lucy: Um caitsith!!

Shiro: Eu não sou um caitsith, sou um espírito guardião do garoto.

Lucy: Ata, foi mal então.


Eu fecho os olhos e começo a sentir tudo a minha volta.


Diego: [Escanear]!


Recebo muitas informações na mente de tudo que tem num raio de 3 quilômetros a minha volta, eu sinto os animais, plantas e sinto a presença do demônio indo pra leste mais a fundo.


Diego: Achei ele, bom tenho que ir já.

Glenda: Hmmm diego.

Diego: O que foi?

Glenda: Podemos ir com você?

Diego e Shiro: O quê!?

Glenda: É que ficamos sem casa então não temos pra onde ir.

Diego: Bem já que eu tenho certa culpa nisso também, mas preciso que vocês façam uma coisinha.

Glenda: O que?

Diego: Fiquem aqui por um tempinho, está bem?

Glenda: Você vai vir nos buscar?

Diego: Prometo que vou.

Glenda: Está bem, vamos esperar com paciência.

Diego: Não vou demorar.


Me viro pra direção que foi localizado o demônio, guardo Shiro na minha palma denovo, eu ativo a [Velocidade], correndo eu demoro só um minuto pra chegar onde eu localizei o monstro, chegando perto ela me olha nos olhos tentando me intimida, parece que vai começa minha primeira batalha nesse belo mundo.


Notas Finais


Pronto, agora só domingo eu lanço o próximo, nesse horário denovo <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...