1. Spirit Fanfics >
  2. Vida Real >
  3. Eletric Love

História Vida Real - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Espero que quando você ler essa história, além de aproveitar e se distrair, também reflita sobre as relações a sua volta como um todo; enfim, bom proveito.

OBS: todos os capítulos vão ter nomes de músicas que me fazem lembrar de algo em relação a história então, já fica a dica para uma possível playlist ;)

Capítulo 1 - Eletric Love


Fanfic / Fanfiction Vida Real - Capítulo 1 - Eletric Love

No dia 06 de Outubro, completávamos um ano de namoro mas muito mais que um ano juntos, a questão na verdade, é que nosso relacionamento nunca foi fácil, não digo isso em relação a brigas ou de ser um relacionamento abusivo, muito pela contrário, era e é perfeito! Sempre me senti segura, desejada e incrível ao lado de Diego, ele é aquele tipo de cara que você facilmente dá risada quando está perto e quando vê, sua mente já está criando armadilhas do tipo: "eu gosto do sorriso dele" ou " será que ele vai ligar hoje ? ", e depois disso já é tarde, você está apaixonada. Comigo não foi diferente, embora que quando realmente nos conhecemos, não foi paixão a primeira vista, porém aos olhos de quem nos vê hoje, não pensa em outra coisa a não ser no próprio destino, mas essa é uma história pra outra hora.

Talvez eu até ouse dizer que hoje em dia eu tenho o relacionamento que sempre quis ter, obviamente essa é a frase que todo casal vai dizer ou já disse mas, eu falo de verdade, eu me sinto amada, acolhida, apaixonada e o mais importante, eu me sinto segura ao lado dele, alguns vão dizer que isso é apenas a adolescência, afinal temos apenas 18 anos, porém essa é a grande questão da nossa vida não é ? Se a pessoa com quem estamos hoje nos faz tão bem ao ponto de realmente chegarmos a imaginar um futuro ao lado dela, independente de qual seja o seu objetivo, ninguém quer ficar sozinho, todos nós buscamos um "alguém"; Eu não sei qual o seu tipo, ou se você tem algum, ou até mesmo se você gosta de pessoas em si, só sei que sempre me considerei hétero, sempre gostei de garotos, gosto dos olhares, da conquista, das mensagens, do frio na barriga,  de sentir algo ali e bom...cá entre nós que sempre fui muito eclética em relação ao "meu tipo", alto, baixo, negro ,loiro, ruivo enfim, você entendeu, só para especificar mais um pouco já que você está me acompanhando até aqui me conhecer melhor, não, por mais que as coisas estejam caminhando pra esse lado, eu sou hétero, bom...pelo menos até esse ponto da história, e também nunca fiquei com uma pessoa só ( ou namora ou fica, nunca tinha ficado sério até então), mas voltando, já fiquei com várias pessoas, já tive um antigo relacionamento ( que não durou lá muita coisa, afinal, terminamos com 2 meses) que acabou, já tive casos intensos por assim dizer, que inclusive, notação importante ou.. não, mas eu perdi a virgindade com um cara desses casos e bom, foi o.k, na época eu não tinha noção de muita coisa e na verdade sempre quis perder logo, porque achava que seria melhor eu fazer isso com um cara qualquer e "ganhar experiência" ( como se fosse uma espécie de bônus)  do que eu sofrer por "me entregar" literalmente pra alguém que eu gostasse e ele me fizesse sofrer, e também porque não queria dar o gostinho de "eu fui o primeiro dela" pra alguém que eu gostasse porque sinto que de certa forma, eu iria acabar me odiando por dentro por isso poder ser um troféu sendo que...eu não estaria ganhando nada em troca então...optei por resolver esse "problema" de uma vez por todas quando comecei a gostar de um cara ( que não era Diego) e acabei decidindo isso de última hora quando estava ficando com outro garoto ( sim, como eu disse, nunca fui de uma pessoa só até então) que jurava que nunca ia mais ver na vida, e no final das contas, infelizmente, acabei me envolvendo com esse garoto e esqueci do outro cara de quem gostava na época, mas isso eu prefiro pular.

Entretanto, acredito que de certa forma eu nunca fechei as portas completamente, digo de um relacionamento, só nunca tinha conhecido alguém que quisesse chegar nesse nível comigo e até então, estava tudo ok! A questão foi que...durante os meses em que estava ficando com o garoto citado antes que vamos apelidar carinhosamente de : Embuste, comecei a conhecer melhor Diego, afinal, ele ainda tinha meu número e como ele havia me chamado, e sempre gostei da companhia dele ( mais tarde explico essa parte) deixei me envolver, e quando digo envolver, falo de tudo mesmo, desde ligações todos os dias, a mensagens todos os dias, saiamos sempre que dávamos e PORRA como eu amava a companhia dele ! Óbvio que suspeitava que ele sentia algo por mim porque...bom, teve o dia em que eu particularmente estava muito mal, em relação a problemas em casa e simplesmente Diego apareceu na porta do meu prédio com um chá de gengibre pedindo pra me ver ( o chá era porque estava chovendo e eu estava com dor de garganta) e por mais clichê que pareça, deu certo ! Talvez tenha sido o chá, ou o colo em que recebi naquela noite, coisa que nunca ninguém tinha feito isso por mim antes, ou então aqueles grandes olhos castanhos, pode até ter sido o jeito desengonçado que me faz rir até hoje, ou também as madrugadas conversando sem perder o assunto mas ah, enquanto tudo isso estava acontecendo, todos esses sentimentos de reconhecimento e carinho que passavam na minha cabeça acabaram se misturando quando literalmente descobri que era amante, sim repito, amante do Embuste! Ódio, raiva, sensação de perda, ego ferido, baixa auto estima, tentativa de sair por cima pois nós não tinhamos nada sério e afinal, era só sexo casual; tudo em um pensamento embaralhado e confuso, fiquei muito mal depois disso e sinceramente, foi difícil superar, mas como o que estava quebrado era o ego e não a boca, continuei ficando com outros garotos e até então tudo bem; Não esperava, ter um possível relacionamento com Diego porque, o próprio tinha uma certa fama e bom, suas atitudes condiziam com as fofocas, porém mais tarde, só fui notar e realmente acreditar de que era apenas o seu jeito carismático e convidativo de ser que certamente podia ser confundido com inúmeros flertes. Imaginava sim, um possível relacionamento porque...ah era tão bom passar horas, a madrugada conversando com Diego, era tão fácil, era tão bom poder beija-lo e não ter a sensação de que ele iria sumir, ou parar de responder, sem querer eu já confiava ( não 100%), e esperava que ele me ligasse todas as noites para falamos de todos os assuntos possíveis, não aquela introdução chata de " o que você fez de bom hoje ? " ou então " o que você tá fazendo ? ", Diego já era praticamente minha prioridade, eu esperava sair com ele e gostava muito de sua companhia mas infelizmente não sabia se era reciproco, eu só...imaginava em um possível talvez. Se você um dia conhecer Diego, confesso que vai ficar com dúvidas se ele flertou com você, ou foi só educado e gente fina, porque ele é assim, ele faz carinho no seu cabelo, te elogia, sorri pra você e te faz sorrir, te abraça nas horas difíceis e te dá colo quando precisa, conversa com todo mundo e deixa muito bem claro que não se intimida com ninguém, acho que pra ser sincera, leveza é o que o define e nem comecei a falar de sua aparência porque confesso que sinto ciúmes rs, mas é impossível não falar de seus olhos castanhos, grandes, que penetram em você e não tem como desviar, suas sardas fofas ao redor das bochechas, embora que Diego não seja tão alto, ele tem a medida exata de que você precisa, cabelo quase sempre bagunçado e nunca com gel, mas sempre com corte, e aquela boca macia que te envolve em um beijo lento te provocando a querer mais e com um sorriso contagiante, e eu nem cheguei a falar de sua risada gostosa e cativante; Não sei como você o imaginou agora, mas a realidade é que você nunca vai conseguir  realmente saber e bom...te garanto que a realidade é muito melhor.

Estávamos em uma quarta-feira, dia 06 de Outubro, o relógio marcava 12:00 e eu já estava com ele, andávamos de mãos dadas e era mais um dia comum e não iríamos ficar muito tempo juntos nesse dia pois minha mãe na época odiava saber que eu estava fora de casa acompanhada por um garoto, por mais doce e gentil que Diego fosse, mas... nesse mesmo dia, não parecia estar tudo bem, Diego estava calado, quieto e...distante e eu já imaginava o que estava por vir mas...eu não queria aceitar de que...eu não teria mais momentos com ele ou então de que eu não teria mais seu contato...então perguntei:

- Ei, aconteceu alguma coisa ? Você tá quieto demais hoje Kk ! - falei em tom de brincadeira

- Eu ? Tô normal, quer que eu te deixe em casa ? - disse Diego em um tom neutro porém quase seco

-  Se for tudo bem pra você, quero sim, mas você sabe que pode falar o que quiser comigo né ? - tentando ao máximo fazer com que ele me falasse logo de que não queria mais ficar comigo pra não termos o constrangimento de ter que falar isso no portão do meu prédio.

Diego ficou quieto por um tempo e nesse tempo, estava dando mais espaço a ele porque não queria mais ficar grudada...já estava doendo e eu não queria aceitar de que ia acabar ali, com ele caminhando comigo olhando para o chão, até que ele abre a boca, e as palavras que saem são:

- Até quando você acha que isso (nós) vai durar ? - disse ele no mesmo tom, neutro e direto

Meu coração quase saiu pela boca, e eu não sabia o que responder, então só fiquei em silêncio por um tempo e...

                                                                    Continua


Notas Finais


Espero que tenha gostado desse primeiro capítulo, peço perdão pela escrita amadora mas, em breve estarei de volta s2


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...