1. Spirit Fanfics >
  2. Vidas Destruídas (Vondy) (Delena) >
  3. Capítulo 8

História Vidas Destruídas (Vondy) (Delena) - Capítulo 10


Escrita por:


Capítulo 10 - Capítulo 8


Fanfic / Fanfiction Vidas Destruídas (Vondy) (Delena) - Capítulo 10 - Capítulo 8

Christopher e sua mãe depois que saíram da clínica voltaram direto para casa. Christopher estava quieto. Não disse nenhuma palavra desde que saíram da clínica onde Dulce estava.

Chris: eu vou tirar a Dulce daquele lugar. (disse depois de um tempo quieto)

Ale: como pretende fazer isso filho. Eu tenho certeza que as únicas pessoas que podem fazer isso são os pais dela.

Chris: vou fazer o que tiver que fazer. Mas vou tirar a Dulce daquele lugar! Porque percebi que ninguém está fazendo nada pra ajudá-la. Já se passaram 10 anos e ela continua daquele jeito. (dizia indignado)

Ale: você tem razão. Dá pra ver que os pais dela não fizeram nada para que ela melhorasse. É uma pena.

Chris: vou levá-la pra capital. Até um especialista. Dulce não vai ficar daquele jeito. Não se depender de mim.

Ale: sabe que pode contar comigo para o que precisar.

Chris: eu sei. Pelo menos, ela reconheceu a senhora.

Ale: mas parece que ela nem percebeu que você estava lá. Será que ela irá te reconhecer?

Chris: não sei. Mas espero que sim.

**************************************

Alguns dias depois, Christopher conseguiu tirar Dulce da clínica, depois de pagar uma boa quantia em dinheiro ao diretor da clínica. Em seguida ele a levou para capital para se consultar com o melhor especialista do país. O médico disse que não seria fácil Dulce recuperar a sanidade, ainda mais porque já tinha se passado muito tempo. Mas Christopher não iria perder as esperanças.

Depois da consulta, Christopher a levou para casa. Casa que ele comprou, pois queria que Dulce ficasse num lugar mais aberto e não num apartamento para se sentir presa.

E os dias foram passando. Alexandra cuidava de Dulce com a ajuda de uma enfermeira que Christopher contratou. E eles percebiam a melhora. Não era muito grande, mas Dulce parou de se alterar. Mas ainda não reconhecia Christopher e tinha medo quando ele se aproximava dela.

**************************************

6 anos depois...

Cidade do México, México.

Era uma linda manhã, Dulce percebeu isso ao se aproximar da sacada de seu quarto. Christopher já devia ter ido para a empresa, pensou ela indo para o quarto de sua filha mais nova.

Dulce conseguiu recuperar sua sanidade, e voltou a ser a mesma. Graças ao amor de Christopher e o carinho de Alexandra. Foi difícil, mas ela conseguiu. E depois de se recuperar, Dulce e Christopher se casaram e tiveram outra filha, e puseram o nome de Mariana, que agora está com 4 anos.

Dulce entrou no quarto de Mariana e a viu dormindo ainda.

Dulce: meu amor, acorda.

Mariana aos poucos foi acordando e ao ver a mãe, lhe deu um enorme sorriso.

Dulce: bom dia princesa. (sorrindo)

Mariana: bom dia mamãe. (disse indo para o colo de Dulce)

Dulce: vamos tomar café com a vovó Alexandra?

Mariana: vamos.

Dulce pegou Mariana no colo e desceu com ela para a cozinha, onde sabia que Alexandra estaria.

Marina: bom dia vovó. (disse saindo do colo de Dulce e indo abraçar Alexandra)

Ale: bom dia minha princesa. A vovó fez seu bolo favorito.

Mariana: oba. A vovó fez bolo de laranja mamãe.

Dulce: que bom meu amor. (disse colocando ela sentada na cadeira)

Ale: e você, como está se sentindo? (disse se aproximando de Dulce)

Dulce: bem nana.

Ale: você não me engana Dulce. Sei que dia é hoje. E também sei como você deve estar se sentindo.

Dulce sabia que não podia enganar Alexandra. Ela era como sua mãe e sabia com Dulce estava se sentindo pelo dia de hoje. Já que hoje seria o aniversário de 16 anos de filha perdida. 16 anos que haviam se passado e não tinham nenhuma pista de onde ela estaria. Do que aconteceu com ela. Não tinham nada.

Há 6 anos Christopher tinha contratado um detetive particular, para encontrar a menina. Mas estava sendo difícil, pois não tinham nenhuma pista de onde ela estaria.

Dulce: eu estou bem nana, não se preocupe. - (sorrindo para acalmar Alexandra) – E Christopher, porque ele saiu mais cedo hoje?

Ale: ele disse que tinha um assunto importante pra resolver. Mas pediu pra te avisar que vai chegar antes do almoço.

**************************************

Christopher chegou em casa antes do almoço, como tinha avisado a sua mãe. Assim que entrou foi direto atrás de Dulce, pois precisava conversar com ela. A encontrou brincando com Mariana no jardim.

Mariana: papai! (disse correndo até Christopher)

Chris: oi princesa! - (disse a pegando no colo se aproximando da esposa) – Oi meu amor. – (disse dando um selinho em Dulce) – Como você está? (perguntou preocupado)

Dulce: bem Christopher, não se preocupe. (disse sorrindo)

Chris: que bom. Porque eu preciso conversar com você.

Dulce: o que foi?

Chris: meu amor, vai brincar no seu quarto, porque eu preciso conversar com sua mãe. (disse colocando Mariana no chão)

Mariana: ta papai. (disse correndo para dentro da casa)

Dulce: o que foi Christopher? Dá pra ver que é sério.

Chris: Dulce, o que você de voltarmos a morar no interior?

Dulce: sério?

Chris: sim. Mas se você não quiser...

Dulce: Christopher, eu quero voltar. (disse sorrindo)

Chris: você está bem o suficiente pra voltar? Porque você sabe que se voltarmos, iremos acabar encontrando com seus pais e Alfonso alguma hora. (disse sério)

Dulce: estou. Não se preocupe, porque não vou voltar a ficar daquele jeito novamente. Estou forte o suficiente para enfrentá-los quando chegar a hora. (disse séria)

Chris: então nós vamos no sábado.

Dulce: mas já. – (surpresa) – Meu amor, primeiro precisamos ver onde vamos ficar. E também tem sua empresa aqui na capital.

Chris: não se preocupe com isso, porque já cuidei de tudo. Vou deixar pessoas da minha confiança cuidando da empresa, e só vou vir uma ou duas vezes por mês pra ver como estão as coisas por aqui. E sobre onde vamos morar, acabei de comprar uma fazenda lá. (disse sorrindo)

Dulce: o que? Porque você não me disse?

Chris: queria fazer uma surpresa.

Dulce: eu quero ver como ela é.

Chris: você sabe qual é. É a maior fazenda da cidade. O antigo dono da fazenda morreu e os filhos a puseram à venda. Estava tentando entrar num acordo com eles a semana toda. E hoje fechamos negócio.

Dulce: que bom meu amor. – (disse o abraçando) - Aquele lugar é lindo.

Chris: eu sei. Por isso a comprei.

Dulce: vamos dar a notícia a sua mãe. Acho que ela vai adorar voltar.

Chris: vamos.

**************************************

Yucatán, México.

Na casa de Liz:

Liz estava na cozinha junto de Caroline preparando um café da manhã surpresa para Elena. Já que a mesma estava fazendo 16 anos. Assim que Elena entrou na cozinha, se deparou com essa surpresa, que a mãe e a irmã preparam.

Liz e Caroline: surpresa!

Liz: feliz aniversário meu amor. (disse abraçando a filha)

Elena: obrigado mamãe.

Liz: de nada meu amor.

Caroline: parabéns maninha! (disse abraçando a irmã)

Elena: obrigado Caroline. - (disse abraçando a irmã) – Vocês duas são incríveis! Não poderia ter melhor mãe e irmã que vocês. – (disse emocionada) – Amo muito vocês duas.

Liz: nós também te amamos muito filha.

Caroline: bem, agora assopre as velinhas e faça um pedido.

Disse aproximando um pequeno bolo para que Elena apagasse as velas. Elena fez seu pedido e em seguida apagou as velas. Depois ela, Caroline e Liz tomaram café juntas. Porém Liz começou a se sentir mal, pois a mesma estava muito doente.

Caroline: mamãe, porque a senhora não vai se deitar.

Elena: Caroline tem razão. A senhora devia ficar de repouso.

Liz: eu estou bem meninas. Não se preocupem.

Caroline: mamãe, não seja teimosa.

Elena: por favor, faça isso por nós duas. A senhora tem que descansar para se recuperar.

Liz: tudo bem meninas. Eu vou me deitar. (disse indo se deitar)

Caroline: Elena eu já vou trabalhar. Senão a senhora Herrera arranca meus olhos se eu me atrasar.

Elena: tudo bem Caroline. Eu vou pedir para dona Ana ficar de olho na mamãe, pra eu poder ir vender as empadinhas na praça.

Caroline: porque não fica em casa hoje. É seu aniversário.

Elena: não Caroline. Você sabe que a gente precisa do dinheiro pra comprar os remédios da mamãe. E só você trabalhando não vai dar conta de todos os gastos. Por isso que comecei a vender empadinhas na praça. Pra te ajudar e ajudar a mamãe que não pode mais trabalhar.

Caroline: eu sei maninha. E eu te agradeço muito por isso. - (disse sorrindo) – Bem deixa eu ir senão vou me atrasar. A noite a gente se vê.

Elena: tchau e bom trabalho.

Elena se despediu da irmã, e foi avisar a mãe que já estava saindo, porém Liz estava dormindo. Depois pegou sua cesta onde estavam as empadinhas que ela tinha preparado na noite anterior, foi até a casa de Ana que ficava ao lado e pediu para que ela ficasse de olho em Liz e depois foi caminhando até a praça vender as empadinhas.

**************************************


Notas Finais


Continua...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...