1. Spirit Fanfics >
  2. Vidas Destruídas (Vondy) (Delena) >
  3. Capítulo 12

História Vidas Destruídas (Vondy) (Delena) - Capítulo 14


Escrita por:


Capítulo 14 - Capítulo 12


Fanfic / Fanfiction Vidas Destruídas (Vondy) (Delena) - Capítulo 14 - Capítulo 12

Caroline e Elena entraram arrasadas em casa. Elas tinham acabado de voltar do enterro da mãe. Ana amiga de Liz estava com elas.

Ana: meninas, eu já vou. Se precisarem de qualquer coisa, me avise. Ta bom.

Caroline: obrigado dona Ana.

Ana: de nada meninas. – (disse indo em direção a porta) – Ah! Antes que eu me esqueça. Tome Elena. – (disse entregando a carta) – Liz pediu para lhe entregar esta carta depois que ela partisse.

Elena: obrigado dona Ana.

Ana: de nada. Descansem tudo bem. Já sabem qualquer coisa me avise. (disse e saiu)

Caroline: o que será que a mamãe escreveu?

Elena: eu não sei.

Caroline: você não vai ler?

Elena: agora não. Não quero saber o que está escrito aqui. Pelo menos não agora. (disse triste)

Caroline: tudo bem maninha. - (disse a abraçando) – Vamos descansar.

**************************************

Na semana seguinte à morte de Liz, Elena começou a trabalhar na fazenda Herrera junto de Caroline. Não estava sendo fácil, já que Anahí e Nikki a humilhavam sempre que podiam. Alfonso ficava a olhando com malícia, o que deixava Elena muito incomodada e assustada. Então fazia de tudo para evitá-lo. Os únicos que a tratavam bem eram Damon e Stefan. Tanto que Elena e Damon tinham se tornado amigos, porém mantiveram isso escondido.

Elena estava na cozinha com Caroline quando a governanta entra.

Amélia: Elena vai limpar o quarto da senhorita Nikki, por favor.

Caroline: dona Amélia, eu posso ir limpar. A Elena fica aqui pra ajudar a senhora a servir o café da manhã.

Amélia: não vai dar Caroline, a senhorita Nikki pediu para que a Elena vá limpar o quarto dela. Sinto muito querida.

Disse para Elena, pois sabia que Nikki e Anahí adoravam humilhar Elena.

Elena: tudo bem. Não tem problema. (disse pegando a vassoura e um balde)

Elena vai para o quarto de Nikki. Mas ao passar pelo corredor deu de cara com Alfonso.

Alfonso: olá Elena.

Disse sorrindo malicioso olhando Elena dos pés a cabeça como se fosse comê-la com os olhos.

Elena: bom dia senhor Herrera.

Disse meio assustada. Não gostava de Alfonso. Na verdade Elena tinha medo dele. Ele não lhe inspirava confiança.

Alfonso: o que você está fazendo?

Elena: vou limpar o quarto da senhorita Nikki. Com licença, senão ela vai achar ruim comigo.

Disse e se afastou de Alfonso quase correndo indo em direção ao quarto de Nikki. Elena bate na porta e Nikki a manda entrar.

Elena: com licença senhorita.

Nikki: até que fim. Por acaso se perdeu no caminho? (ignorante)

Elena: desculpe, o que a senhorita quer que eu faça?

Nikki: dobre minhas roupas e as guarde no closet. Depois limpe o banheiro e o quarto e troque os lençóis da cama. (disse terminando de jogar as roupas no chão)

Elena: mas eu arrumei suas roupas no closet ontem.

Nikki: pois arrume de novo. Eu não gostei! (disse saindo)

**************************************

Depois de fazer tudo o que Nikki mandou, Elena voltou para a cozinha ajudar a preparação do almoço. E assim passou o dia, trabalhando e sendo humilhada por Nikki e Anahí. Logo a noite chegou e quando todos foram descansar, Elena decidiu dar uma volta. Precisava respirar um pouco. Ela foi até perto do lago que tinha na propriedade e se sentou no chão.

Elena pegou a carta que Liz tinha escrito e a ficou encarando. Fazia uma semana que Liz tinha falecido e Elena não teve coragem de abri-la. Quando finalmente decidiu ler o que sua mãe tinha escrito, alguém se aproxima.

Damon: também está sem sono?

Elena: oi Damon. (disse sorrindo)

Damon: o que está fazendo aqui sozinha? – (perguntou se sentando ao lado dela) – Já está tarde.

Elena: como você disse. Também estou sem sono.

Damon: que carta é essa?

Elena: minha mãe deixou essa carta pra mim antes de morrer.

Damon: e você já leu o que está escrito?

Elena: ainda não tive coragem.

Damon: por quê?

Elena: não sei. Sinto muita falta dela. (disse deixando uma lágrima escorrer pelo rosto)

Damon: não fica assim. – (disse secando o rosto de Elena) – Não gosto de te ver triste. (acariciando o rosto dela)

Elena e Damon ficaram se olhando intensamente. Não conseguiam desviar o olhar um do outro. Damon então se aproxima mais de Elena e a beija. A mesma se assusta no começo, mais acaba se entregando. Elena não podia negar, tinha se apaixonado por Damon. E também sabia que era impossível. Já que ele era rico e ela não tinha onde cair morta. Sem contar que tinha Nikki na história. Então Elena interrompe o beijo e volta para dentro da casa deixando Damon confuso.

**************************************

Semanas depois...

Amélia: Elena, eu preciso que você vá até o centro comprar essas coisas pra mim.

Elena: tudo bem dona Amélia.

Elena pega uma cesta grande e o dinheiro e a lista que Amélia deu e saiu. Mas no meio do caminho, acaba encontrando Damon. Já que depois do beijo deles, Elena o evitava de todas as formas.

Damon: aonde você vai Elena?

Elena: até o centro. Com licença.

Damon: espera Elena. Porque você está me evitando?

Elena: eu não estou te evitando. (disse não conseguindo o encarar)

Damon: se foi por causa do beijo, por favor, me perdoe. Eu prometo que não irá mais se repetir. Mas por favor, volte a falar comigo como antes.

Elena: tudo bem. - (sorrindo) – Agora tenho que comprar as coisas que a dona Amélia me pediu.

Damon: eu levo você. É muito longe daqui até o centro pra você ir andando.

Elena: não se preocupe. Eu estou acostumada a andar.

Damon: Elena, eu não vou aceitar um não como resposta. – (sorrindo) – Agora vamos. (disse indo até o carro sendo seguido por Elena)

**************************************

Enquanto Elena comprava as coisas que Amélia pediu, Damon a esperava no carro.

****: Elena?

Elena: oi dona Dulce. - (sorrindo) – Como a senhora está?

Dulce: bem querida. E você como está? Soube que sua mãe faleceu.

Elena: eu estou bem. Mas não posso negar que ela faz falta.

Dulce: sinto muito. Queria poder fazer algo pra não te ver triste.

Elena: obrigado. A forma como à senhora me trata pra mim já basta. - (sorrindo) – A senhora é a única ricaça que trata as pessoas como eu bem. (disse fazendo Dulce rir)

Dulce: Consuelo me disse que você parou de vender empadinhas aqui na praça.

Elena: parei sim. Agora eu trabalho junto com minha irmã numa fazenda.

Dulce: por isso que não te vi mais por aqui. E que fazenda é essa?

Elena: na fazenda dos Herrera.

Dulce: Elena será que posso te dar um conselho?

Elena: claro dona Dulce.

Dulce: tome muito cuidado lá. Você e sua irmã.

Elena: porque a senhora está dizendo isso?

Dulce: porque sei que tipos de pessoas moram lá. Tome muito cuidado, principalmente com Alfonso.

Elena: pode deixar, vou tomar cuidado.

Dulce: qualquer problema que você ou sua irmã tiver podem me procurar.

Elena: obrigado dona Dulce. (disse a abraçando pela forma que Dulce se preocupou com ela e Caroline)

Dulce: de nada. Não se esqueça que você pode me procurar sempre que precisar de ajuda.

Elena: tudo bem. Agora tenho que ir. Estão me esperando.

Dulce: até logo Elena.

Elena: tchau.

**************************************

 


Notas Finais


Continua...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...