História Vidas Opostas - Yoonkook - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Yoonkook
Visualizações 1.319
Palavras 1.270
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Lemon, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


voltei, obrigada pelos comentários e favoritos meus chuchus 💕
Ps: já estou escrevendo a segunda temporada de uma aposta, acho que amanhã eu posto ela.

Agora vamos ao capítulo.

Capítulo 4 - Três


O tempo passou voando e falta apenas algumas horas para todos os alunos terem a primeira aula nesse lugar. Como será que vai ser? Os professores e os alunos vão ser legais comigo? Espero finalmente fazer alguma amizade que não seja o Tae.

— Terra chamando Yoongi! - Taehyung grita e me joga uma almofada em meu rosto.

— Aish, seu bruto - resmungo pegando a almofada e colocando ela do meu lado.

— Nem sou - ele debocha.- Você vai?

— Ham?

— Só me responde, vai ou não?- ele pergunta.

— Depende, nem sei do que você está falando, Taehyung - resmungo pegando meu celular.

As vezes ele sabe ser bem louquinho quando quer.

— A festa de boas vindas. Todo colégio tem isso, Yoongi - ele revira os olhos e coloca algumas roupas em cima da cama.

— Todo colégio não, o nosso colégio nunca teve isso.

— Ahh claro. Ia ter o que lá? Um culto católico? - diz e ri.

— Não mas...

— Um satânico seria melhor.

— Kim Taehyung! - falo seu nome alto e irritado.— Não fale isso nem brincando.

— Uh Ok, senhor certinho. Esqueci que você sempre fazia as coisas que eles pediam mesmo.

— Você quebrava todas as regras - digo me lembrando de todas as vezes que o frei superior mandava ele se ajoelhar na capela e ficar rezando a tarde inteira. Coisa que ele não fazia, claro. Sempre levava seu celular junto.

— Não me arrependo de nada - ele diz debochado - Aqueles freis chatos sem um homem para dar-lhes uns amassos ou uma mulher mesmo.

— Que horror - digo colocando a mão em minha boca.

— Pare de ser a madre Tereza, Yoon - diz me olhando bravo - Você não está mais lá naquele colégio chato, agora você está aqui. Viu o tanto de gatinhos que tem espalhados em cada corredor? Cada sala... Cada lugar? Nunca vi tantos em minha vida.

Ele diz e se abana com as mãos. Agora é minha vez de lhe jogar a almofada. Que garoto safado, olha o que ele fala, estamos em um colégio não em um harém.

— Eu não sou desses meninos que com certeza vão para o inferno - digo com raiva. - E eu vou arranjar uma moça de família para casar e seguir com os negócios dos meus pais.

— Para com isso, você se casando com uma mulher? - ele começa a rir - Sua mãe não está aqui, pode se soltar, pode dizer que achou muitos meninos bonitos. Somos só nós dois aqui, não tem câmeras nenhuma. Já se interessou em alguém?

O que? Ele só pode estar com algum tipo de problema. Porque né...

— Não... Eu não me interessei por ninguém e nem vou. Pelo simples fato de que isso daqui é um colégio e não um lugar onde se encontra uma namorada.

— Não estou falando de namorada ou namorado. Estou falando de beijinhos - diz ele - Ficante... Peguete... Namorico... Dê o nome que quiser.

— Eu não ouvi isso - digo escondendo meu rosto entre as mãos - Seus pais deixam você namorar?

— Olha, deixar não deixam mas nas férias eu ia pra casa e ficava com alguns dos meus primos as escondidas e os amigos dos amigos deles também. Então.... Escondido é mais gostoso - ele diz e sorri.

— Que sorriso é esse?- pergunto fazendo careta.

— É um sorriso malicioso - bufa brincando - Será que vou ter que te ensinar tudo?

— N-não precisa - olho para a porta e depois chego mais perto do mesmo - Você ficou com seus primos, Taehyung? Com meninos?

— Grande coisa. Quem nunca ficou com um primo na vida? - o mesmo arqueia a sobrancelha e ri - O que tem haver ficar com um menino, você tem preconceito?

— Eu nunca fiquei com primos, e sobre beijar meninos... i-isso é errado, Tae.

— Ah você não conta, nunca ficou com ninguém mesmo e nem é errad-

A porta se abre rapidamente e uma garota com cabelos verdes nos olha assustada e logo depois começa a rir.

— Você nunca ficou com ninguém? - pergunta como se eu fosse um extraterrestre.

— Quem é você? - pergunto emburrado pela invasão - E por que entrou no nosso quarto sem bater?

— Ahh, ela é minha nova amiga - Tae diz.- Ela não precisa bater.

— Isso - a tal menina com os cabelos verdes diz.- E você, é verdade mesmo? Nunca beijou?

— Eu-

— Nunca - Tae me interrompe - O que você acha de levarmos ele para a festa de boas vindas para perder esse karma?

— karma? Isso não é nenhum karma não - digo e cruzo os braços.

— Ahhh mas é sim - a verdinha diz e começa a rir - Deixe os meninos saber disso, principalmente as meninas do nosso grupo.

— Meninos e meninas? Grupo?- pergunto sem entender coisa alguma.

— Somos em seis - ela diz - Eu, Hoseok, Jimin, Jungkook, Suzy e Yerin.

— E qual é o seu nome?

— Dahyun - a garota sorri e estende sua mão.- Pode apertar, meus cabelos não vão grudar em você.

— Por que seus cabelos são dessa cor?- pergunto e aponto para sua cabeça.

— Por que eu pintei, oras. Deixe-me ver a sua reação ao ver a cor dos cabelos da Yerin. Simplesmente coloridos.

— Como um arco íris?

— É...- ela ri e olha para Tae - Como um arco íris.

Eles começam a rir e eu fico sem entender nada de novo. Eu hein.

— Vamos na festa, se levanta daí e vai já para o banho - Tae diz se levantando e andando até minha cama.

Ele puxa meu braço e me empurra para a porta do banheiro.

— Eu não vou - digo parando no lugar e cruzando os braços.

— Ahh vai, vai sim - meu melhor amigo começa a me empurrar e fazer cócegas, das quais eu começo a me esquivar.

— Vamos menino, as festas são apenas finais de semana ou fora da escola, e são sem o consentimento do diretor - Dahyun diz.

— Piorou. Eu não vou numa festa, nunca fui em uma - digo tentando criar mais argumentos para lutar contra duas pessoas loucas em festas.

— Por favor, vamos vamos Yoonie - Tae implora - Já sei por que você não vai.

— Por que?

— Porque faz tudo que a sua mamãezinha quer e ela quer que você seja um bom menino e se tranque no quarto para não curtir a vida como um adolescente normal - ele diz.

— Isso não é verdade - digo emburrado e viro o rosto pro lado.

— Não? Tem certeza? - ele ri - Quem é o adolescente de dezessete anos que faz biquinho, hein? Que chora por tudo? Que estuda 23 horas por dias? Qu-

— Tenho certeza e pare de pegar no meu pé - o interrompi.

— Se tem certeza por que você não vai, então? - Dahyun pergunta colocando a mão na cintura.

— Porque... Porque eu não estou afim e porque é errado.

— Viu, eu te disse - Taehyung diz e começa a rir.

— Mas que merda! - exclamo - Eu vou nessa festa, que seja, mas eu vou voltar super cedo e vocês vão me trazer a hora que eu quiser... e uh, desculpe pelo palavrão.

— Fechado. Vai tomar banho enquanto escolhemos suas roupas - eles falam animadamente.

— Eu escolho minhas roupas também, senão nem vou - digo e entro no banheiro enquanto eles fazem uma carranca horrorosa.

Era só o que me faltava ter que ir numa festa para provar pra eles que eu não faço tudo o que minha mãe pede.... mas a quem eu quero enganar? Eu sempre faço o que ela me pede e eu sinto que se ela descobrir sobre essa festa vai querer me dar uma surra.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...