1. Spirit Fanfics >
  2. Vidas Passadas >
  3. Vestígios.

História Vidas Passadas - Capítulo 27


Escrita por:


Notas do Autor


Hello peoples... Desculpa mesmo pela demora... Minha mãe esta doente e internada.. Então nao tenho tido muito tempo... E eu tambem tive um pequeno bloqueio... Mas enfim... Não vim aqui dar desculpas do porque não tenho escrito nada pra vocês.. Peço desculpas pela demora.. E espero que gostem do capítulo... Beijos.

Capítulo 27 - Vestígios.


Fanfic / Fanfiction Vidas Passadas - Capítulo 27 - Vestígios.

Clary olhou pro céu, ela sabia que aquela era a hora exata de fugir. Não teria outra chance se não fosse agora. Ela levantou do colchão e caminhou até a porta que rangeu um pouco conforme fora puxada. Ela parou por um segundo, e colocou o pé na frente da porta. Ela tirou o telefone do bolso, olhou a porcentagem de bateria, estava boa. Ela colocou o aparelho no silencioso. Seu cérebro na hora lhe deu um alerta, e ela foi verificar se o aparelho possuia rastreador. Por ele ser um pouco antigo, ela pensou que seria impossivel, mas logo descobriu que não. Ela ligou o rastreador, e no mesmo momento pensou em Jace. Ela puxou um pouco mais a porta e saiu. Ela caminhou lentamente pra fora do galpão, e abriu a imensa porta enferrujada. Ela fez um barulho considerável, mas não acordou os dois que dormiam profundamente em cadeiras reclinaveis velhas e sujas que ja haviam ali. Clary correu assim que conseguiu sair, olhou o relógio, eram exatamente 5 da manhã. Clary se sentia exausta, mas iria sair dali. Ela guardou o aparelho e correu. Enquanto corria, ela olhou pra trás, pra ver se algum dos homens a seguia, mas não havia ninguém. Quando se vorou pra correr novamente, Clary se chocou contra algo. Era forte, mas não como Jace, e era alto, mas não tanto. Ela caiu no chão de costas, batendo a cabeça com força. Ela levantou o rosto, apoiando o peso do corpo nos cotovelos.

--Sebastian? Ela perguntou meio tonta.

--Oi ruiva. Ele respondeu com meio sorriso.

--O que você tá faze.... Clary apagou, por causa da pancada na cabeça.

Sebastian pegou Clary no colo e saiu com ela pro seu carro. Ele colocou ela no banco de trás, e dirigiu até o galpão. Chegando la ele encontrou dois idiotas deitados em cadeiras sujas, e dormindo peofundamente como se nada acontecesse.

--Ei idiotas. Ele gritou com raiva.

Os dois levantaram atordoados pelo sono, olharam um para o outro, e em seguida caminharam até Sebastian.

--Oi chefe. Victor disse enquanto o outro só observava.

--Onde está a garota? Sebastian perguntou com raiva.

--Está dormindo la em cima. Respomderam em coro.

--Sera que algum dos dois patetas, pode ir la verificar? Pergumtou irônico.

--Sim chefe. Victor falou e em seguida correu escada acima.

Alguns segundos depois Victor desceu até metade das escadas.

--Ela Não está aqui em cima. Ele gritou pro comparsa.

--Impossível, eu a deixei dormindo aí ontem a noite. Disse com certo desespero.

--Idiotas. Sebastian disse levando as mãos até o rosto.

--Foi só um segundo de distração chefe, não vai se repetir. Nós vamos encontra-lá. Disse James com medo.

--Eu vou pagar vocês, porque não aguento mais suas incompetências. E quanto a garota, não se preocupem, ela já está em um local seguro. Sebastian disse se virando pra ir até seu carro. 

Sebastian tirou uma maleta do banco do carona, e jogou para Victor, que pegou e agradeceu com um aceno de cabeça. Sebastian então entrou no carro e dirigiu para o seu apartamento na cidade. 

Algumas horas depois Clary acordou com dor de cabeça, em uma cama macia. Ela olhou aquele lugar, não reconheceu de imediato, mas alguns minutos depois, ela pode ver onde estava, no apartamento de Sebastian.

Ela se Levantou e caminhou com dificuldade até a porta, pois ainda estava muito tonta. Quando ela levou a mão até a maçaneta, percebeu que estava trancada por fora, mas assim que removeu a mão, a porta fora aberta. Sebastian entrou no quarto fazendo com que Clary recuasse.

--Não tenha medo querida. Afinal, eu a salvei. Ele disse com com um sorriso.

--Como você sabia que eu estava lá? Como me achou tão de pressa? Ela pergintou desconfiada.

--Seus amigos me contaram. Eles vieram te procurar na minha casa, e acabaram soltando que você havia sido sequestrada. Ele mentiu sem nenhuma dificuldade.

Clary levou alguns segundos para dissolver a informação, mas logo se lembrou que Simon não diria a Sebastian, e nem a procuraria na casa dele. Ela se afastou mais e encarou Sebastian.

--Não. Simon não diria nada. E neme procuraria aqui. Ela disse em tom de afirmação. --Foi você. Você me sequestrou! 

--Achei que não descobriria tão cedo, mas você é esperta demais pra isso. Tédio deu com um sorriso enorme.

--O que você quer? Dinheiro? Impossível. Você é podre de rico. Clary disse fazendo uma careta.

--Esta certa. Não quero dinheiro. Eu quero você. Quero que pague pela humilhação que me fez passar. Disse com raiva.

--Eu não te fiz nada! Você se fez sozinho. Escondendo quem você realmente era. Clary disse com lágrimas nos olhos.

--Acha que eu não sei que foi VOCÊ que disse em qual balada eu estava?! Ele falamos caminhando mais pra perto.

--Eu não falei nada. Você sabe que eu não faria isso, sabe que eu nunca te prejudicaria. Sabe que eu nunca prejudicaria ninguém! Ela disse com certeza.

--Naquele dia, na balada, quando eu cheguei naquele lugar com você e Simon, eu vi aquele homem, e ele tambem me viu, até sorriu pra mim. Eu juro que eu pensei em me controlar, mas era forte demais. Depois de um tempo, eu vi que você estava se divertindo com o Simon, eu fui até ele. Eu o levei até o canto mais escuro, Clary, onde ninguém poderia nos ver. Depois eu daria uma desculpa, diria que estava cansado e fui pra casa, ou que passei mal. Diria até que minha avó morreu. Mas você não descobriria, nao descobriria que eu sou gay. Até que a senhorita perfeição, resolveu ir me procurar. Quando você nos viu, e correu, eu quis ir atrás, mas eu estava drogado, ele tinha me dado êxtase em beijo. E eu fiquei lento. Então ele me disse pra ir pra um motel com ele e eu topei. Assim que saímos, eles estavam lá, todos aqueles paparazzo. Tirando fotos fazendo perguntas. Eu não estava muito consciente, mas me lembro que o homem fazia umas poses, e acenava. Mas naquele momento, aquele maldito momento, eu só pensava em você. Que você poderia ter me dedurado, pra se vingar de mim. Sebastian falou secando as lágrimas, e limpando o nariz com as costas das mãos.

--Sabe que Eu nunca faria isso Sebastian, você sabe que eu amava você. Ela disse com olhar de pena.

--Não me olha assim. Não preciso da sua pena. Ele disse virando de costas.

--Sebastian, você sabe, que eu mais do que ninguém, te apoiaria se você tivesse me dito. Se tivesse me contado. Claro, eu ficaria triste pelo fato do cara que eu amava ser gay. Mas nunca exporia você assim! Ela disse deixando algumas lagrimas caírem.

--Isso não importa mais. O único jeito de voltar atrás é você se casando comigo. E mostrando pro meu pai que aquilo era só fofoca. Sebastian falou com a voz de um louco psicopata.

--NÃO! Clary quase gritou. _--Não vou me casar com você pra você voltar a ser rico. Ou mentir pro seu pai! Ela afirmou é soltou uma risada no final.

--Isso não é uma opção, Clarissa. Você vai se casar comigo, ou eu vou transformar sua vida num inferno! Ele afirmou olhando Clary nos olhos.

--Me deixa sair Sebastian. To falando sério. Ela disse olhando ainda nos olhos dele.

--E eu tô falando maos sério ainda. Ele disse Sorrino feito um doente.

Quando Sebastian se virou, Clary tentou correr pra porta, mas ele era mais forte. Ele agarrou nos cabelos ruivos de Clary, e a jogou pra trás. Ela se levantou é tentou a investida novamente. Mas Sebastian deu um soco em seu rosto que a desmaiou. Sebastian se virou, abriu a porta e saiu, trancando a por fora.

Clary se levantou algumas horas depois, com um hematoma enorme no rosto e muita dor. Ela andou até a porta e girou a maçaneta varias vezes, mas estava trancada. Ela se virou e foi até o banheiro olhou no espelho, e começou a chorar. Naquele momento ela implorou pra que Jace a encontrasse, e só então ela se lembrou do telefone. Ela passou a mão pelo corpo, mas não conseguiu senti-lo. DROGA! Ela pensou. Onde tinha ido parar? Sera que Sebastian tinha encontrado? Impossível! Ela ainda estava com as roupas que havia chegado. Mas não importava onde estava. O que importava era que Jace tinha que vir logo. Mas claro que isso demoraria, pois Jace havia quebrado o telefone que tinha o número do que estava com Clary. Ela teria que aguentar.





Notas Finais


Desculpa mesmo a demora!😢
Espero que gostem!❤😘
Boa leitura!📚


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...