1. Spirit Fanfics >
  2. Daryl, Matt, Ryan - Vidas que cruzam - Is it Love? >
  3. Liv e Ryan - Uma noite quente

História Daryl, Matt, Ryan - Vidas que cruzam - Is it Love? - Capítulo 6


Escrita por:


Capítulo 6 - Liv e Ryan - Uma noite quente


Fanfic / Fanfiction Daryl, Matt, Ryan - Vidas que cruzam - Is it Love? - Capítulo 6 - Liv e Ryan - Uma noite quente

Cheguei no meu novo lar, um prédio alto, mais uma vez elevador. E qual era mesmo o número do apartamento? Eu tinha esquecido completamente. Mandei mensagem para Lisa.

LIV “Minha cabeça está falhando, onde eu moro mesmo?”

LISA “Achou ao menos o prédio? �� 610.”

LIV “Obrigada, sou capaz de me perder dentro do elevador”

LISA “É o efeito Ortega”

LIV “��”                                 

Cheguei no dito 610 e ao abrir a porta tive uma surpresa. Um loft gigante. Eu achei exagero, eu ia morar sozinha, mas a verdade era que o apartamento acabava por ser a cara do Ryan, sobriedade e requinte.

Eu nem sabia em qual restaurante iríamos jantar, mas em se tratando do Ryan presumi que seria um lugar refinado. Separei um lindo vestido cereja, com decote assimétrico na linha do pescoço, mangas compridas e suaves pregas que criavam um efeito de contorno no corpo.

Exatamente no horário marcado a campainha tocou, fui até a porta e era o Todo Poderoso.

Abri a porta e minha surpresa ao ver que ele não estava sozinho. Veio acompanhado de um chefe de cozinha.

-Você está linda! – disse-me dando um beijo no rosto. – Vamos estrear seu loft com um delicioso jantar. Este é o renomado chef Augusto Carrara.

- Ahhh, olá. Entrem, por favor. – Como era um loft a cozinha ficava ali mesmo, ele seguiu com sua caixa de produtos, para prepará-los. Fique à vontade!

Ryan e eu fomos até o sofá, ele parou, abriu os braços, apontou a vista – E então? O que achou do seu novo lar.

-Grande! Na verdade imenso! E muito elegante. Obrigada.

- Senta aqui. – Apontou para o sofá. – Trouxe o seu vinho do Porto. Vou nos servir. Está muito cansada? Como foi o primeiro dia?

- Estou mentalmente cansada, mas fui acostumada a rotinas extenuantes no balé.- Sentei e esperei que Ryan nos servisse e sentasse ao meu lado.

Ergui minha taça e toquei na dele em um brinde. – Um brinde a nossa parceria!

Ryan sorriu e repetiu as minhas palavras.

- E o que quer saber? Como foi meu dia? Ryan, foi ótimo! Estão me explicando tudo do departamento, fui muito bem recebida. Temos pessoas competentes e o mais importante, elas sabem trabalhar em grupo. Cuidam um do outro. E só tive o vislumbre de um dia de trabalho. Mas...

-Mas o que? -ele ergueu uma sobrancelha esperando eu responder.

-Mas, me explica qual a função daqueles cubículos? 

- Eu diria que é para ter mais atenção ao trabalho, ficar mais focado.

- Então, seguindo sua lógica. Se eu tirar você de sua sala ampla com visão da cidade e te colocasse em uma sala pequena e sem janelas, você seria mais produtivo? - Tomei um pouco vinho.- Mmmm, vinho delicioso.

Ryan soltou uma risada. - E o que você sugere?

- Eu sugiro que antes de retirar todas aqueles cubículos, fosse feito uma consulta às pessoas do departamento, pra ver a opinião deles.

- Então vou te deixar encarregada disso. -Ele resolvia tudo com muita calma. - E o que você decidir, será feito. Parabéns pela observação.

Conversamos mais alguns assuntos relacionados à Carter. O chef serviu a mesa, agradecemos, depois Ryan o dispensou e fomos para a mesa, conversamos algumas coisas triviais e jantamos.

- Agora chega de falar de trabalho. Você está me devendo dois beijos. -Ele riu da cara de incrédula que fiz. No momento seguinte sorri e dei dois selinhos nele. – Pronto, pago!

-É – disse consternado. É um começo. Mas, então me dê ao menos a honra de uma dança. – Ele colocou uma música suave.

Eu sorri peguei a mão que ele havia estendido. - Agora você acertou meu ponto fraco. Dançar.

Levantamos e fomos para o meio da sala. Ele puxou devagar meu corpo perto do dele. A boca dele perto da minha orelha. O perfume masculino. Ele estava brincando com fogo. Entrelacei meus dedos atrás do seu pescoço e ficamos face a face. Deixei propositalmente meus lábios perto. Ryan estreitou o olhar, desceu as mãos pelas minhas costas parando-as na minha cintura. Apertei meus lábios, superior contra inferior. Eu queria beijar a boca dele. E eu sabia que ele queria o mesmo. Ele abriu um pouco os lábios e eu não esperei que ele falasse. Beijei-o sem censura, sem poréns. Um beijo cheio de desejo. Ele retribuiu. Lábios colados, a língua explorando a boca. Instintivamente puxei a camisa dele para fora das calças. Ele me deu um olhar feroz. Me pegou no colo e me levou até a cama. Sem nenhuma palavra nos despimos, um ao outro. Ryan parecia um lobo voraz. Beijou todo meu corpo. Me fez gozar com sua boca, todo meu corpo tremeu. Suas mãos deslizavam em minhas coxas. Então puxei-o para mim. Ele veio com os olhos vidrados em meus seios. Me penetrou vorazmente enquanto beijava meus seios. Era interessante vê-lo com tanta vontade de mim. Eu ainda suspirava de prazer. Deslizei a mão sobre suas costas, nádegas. Ryan gemia, os lábios entreabertos. Ele me apertou em seus braços e soltou um gemido alto, buscou os meus lábios e eu os dele. Ficamos assim por um tempo. Um possuindo o outro. 

Depois nos soltamos e cada um caiu de um lado da cama. Ryan logo me puxou para ele. Olhei em seus olhos.

- Nem pense em me mandar em ir embora. - disse em tom de ordem.

- Está bem! Ok... - Levantei e fui em direção ao banheiro. Ele veio atrás, entrei no box e liguei a ducha. Ficou me olhando pelo vidro. Eu provoquei ensaboando meu corpo. Ryan abriu o box e me pegou por trás, sua ereção me fez querer ele dentro de mim de novo. Ele afastou minhas pernas, parou sua mão em meu clitóris, quando eu estava quase gozando me penetrou sem aviso. Logo estávamos os dois gozando e gemendo em uníssono.

Por fim, fomos para cama e adormecemos. Ryan fez questão de que eu dormisse em seus braços. Mas no meio da noite acabamos nos separando, pois acordei com o toque do celular e ele não estava ao meu lado.

Era minha mãe, logo pensei se meu pai estava bem, mas a voz feliz dela me fez perceber de antemão que era algo bom.

-Minha querida filha!! Eu e seu pai estamos tão felizes!!! 

-O que foi, mãe? -falei ainda com voz rouca de quem tinha acabado de acordar. Por que estão tão felizes?

- O Ryan me ligou... Já estou sabendo que vocês estão namorando.

Eu sentei na cama. Não... Nós transamos... Não estamos namorando!! Eu me calei não iria falar isso.

-Liv? Liv!! Você está aí? Alô... 

-Aahhh... estou... Eu... só...

-Já sei, ele chegou né. Estou indo, filhinha. Teu pai manda beijos. Tchau querida. 

Eu me levantei, tomei um banho e fiz uma. Vesti um macacão preto e sai soltando fogo pelas narinas. Liguei para o Ryan. Deu apenas um toque e ele desligou. Eu ia lá na sala dele. Como assim ele falou com meus pais?

 Já estava na Carter, no elevador quando meu telefone tocou. Era a Lisa.

- Liv, O Sr. Carter avisa que está em reunião e te retorna assim que a mesma acabar.

- Está bem. Bom dia, Lisa. Sabe se essa reunião demora? 

-Acho que não. O que você quer com o chefão logo pela manhã? 

-É uma longa história, Lisa. -Suspirei.

-Tá! Eu adoro histórias. Vamos marcar um dia de meninas e você me conta.

Nos despedimos e fiquei com raiva. Desliguei meu celular e fui para o departamento de design. 


Notas Finais


Liv está uma fera. Eu acho que esses dois não vão dar muito certo juntos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...