História Vidas trocadas ( Drarry - Romione) - Capítulo 1


Escrita por: e esposadoloki

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Alvo Dumbledore, Andromeda Tonks, Angelina Johnson, Arthur Weasley, Carlinhos Weasley, Cassandra Trelawney, Cedrico Diggory, Cho Chang, Colin Creevey, Dênis Creevey, Draco Malfoy, Fred Weasley, Gilderoy Lockhart, Gina Weasley, Gregory Goyle, Gui Weasley, Harry Potter, Louis Weasley, Lucy Weasley, Luna Lovegood, Lysander Scamander, Molly Weasley, Percy Weasley, Severo Snape, Sirius Black, Ted Lupin, Tiago Potter, Viktor Krum
Tags Drarry, Lunarry, Romione
Visualizações 100
Palavras 3.043
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Fluffy, LGBT, Romance e Novela, Yaoi (Gay)

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá! Acho que fazem séculos que eu não posto uma fanfic Drarry, mas agora eu voltei.
Os personagens principais serão Draco, Harry, Hermione e Rony. Eu sei que alguns não gostam de casais heteros, mas prometo tentar forcar mais em Drarry.

Se alguém gostar, comente e favorite! Sério, eu adoro ler os comentários dos meus leitores e também é uma forma de me dizer se devo continuar ou não.
Me perdoem qualquer erro e me avisem por favor, inicialmente eu tinha feito essa fanfic com outros casais.

Muito obrigada por tudo ❤
Boa leitura

Capítulo 1 - Capítulo 00


- Aquela Barbie tem uma cara suspeita. - comentou Hermione, encarando fixamente os objetos postos sobre a mesa do senhor Cuthbert Binns.

- A posição em que ela e o Ken se encontram estão me deixando excitado.

Draco respondeu com um sorriso de lado e ambos se olharam por breves segundos antes de começarem a rir, tentando fazer isso o mais baixo possível para que o professor não pudesse ouvi-los.

O professor Binns era um homem de idade e que provavelmente já deveria ter se aposentado a anos, mas por alguma razão a escola ainda o permita dar aulas para os estudantes do ensino médio. Ele era um homem muito esguio, com poucos fios de cabelo e sua voz era no mínimo metódica, a ponto de fazer com que muitos alunos se pegassem sempre lutando contra o desejo mortal de fechar os olhos e adormecer em sua sua aula.

Na mesa do professor de Biologia, havia uma boneca Barbie e um boneco do Ken sem qualquer vestimenta, apoiados por um suporte de plástico branco.

A Barbie estava inclinada com as nadegas encostando nas partes íntimas do boneco Ken, e sua cabeça estava virada em direção a turma, o que era constrangedor pois ela tinha um sorriso bem satisfeito no rosto.

- Hoje nós vamos falar sobre Educação Sexual. Alguém aqui ainda é virgem? - o senhor Binns perguntou em um tom baixo de voz - Não sejam tímidos.

- Por que apenas a Barbie e o Ken? Onde está a representatividade dos homossexuais?

Perguntou Luna Lovegood, atraindo a atenção de uma parte da turma para ela. Luna era mais nova do que os alunos que se encontravam naquela sala de aula, porém havia pulado algumas séries quando criança por se mostrar muito inteligente pra sua idade. Tanto que ela tinha apenas dezesseis anos e estava no terceiro ano do ensino médio.

Ela e Hermione eram as melhores da turma, porém muitas vezes acabavam entrando em conflito por terem opiniões distintas.

E Luna apesar de sua face angelical, sua postura despreocupada e de sua voz suave, tinha opiniões fortes e uma mente aberta que deixavam Draco admirado.

- Não vamos falar disso ainda.

- E por que não? É uma aula sobre Educação Sexual e muitos alunos do colégio são homossexuais, o senhor como educador deveria ensinar lições para todos e não apenas para uma parte da turma.

- Tudo bem, tudo bem. - o senhor Binns suspirou derrotado após aquela insistência toda e ao notar o olhar desafiador nos rostos dos alunos - Vamos dar continuidade à aula, agora.

O professor Binns começou a explicar o uso da caminha, suas vantagens e desvantagens, porém ele falava de um jeito tão tedioso que muitos alunos começaram a dormir em menos de dois minutos de explicação.

- Eu estou te dizendo, esse velho está ficando caduco. - sussurrou Draco que estava sentado ao lado de Hermione, rolando os olhos - Ninguém acredita em mim.

- Nós podemos dar a desculpa de precisar ir a enfermaria, temos dois minutos antes dele começar a falar asneiras.

- Aceito!

Draco não pôde conter o sorriso animado em seus lábios, Hermione era o tipo de garota certinha, mas de alguma forma, ele sempre conseguia levar sua melhor amiga pro mau caminho.

- Com licença professor. - Hermione levantou a mão, atraindo a atenção do professor que a encarou confuso.

- Sim?

- O Draco está se sentindo enjoado, eu irei leva-lo à enfermaria.

- Drake? - gritou o senhor Binns, fazendo alguns alunos acordarem assustados. - Quem é Drake? - o senhor Binns ultimamente estava ficando um pouco surdo.

- Não, Draco Malfoy!

- Ah, tudo bem filha! Vá mas não demore, temos muito o que aprender hoje.

- É claro.

Hermione se levantou rapidamente e sorriu para o professor como se agradecesse por sua permissão de sair da sala de aula. Draco a seguiu, fazendo uma careta de dor perfeita e digna de um Oscar enquanto era puxado por Hermione para saírem da sala após pegar sua mochila, ambos entrando na brincadeira e encenando com muita naturalidade.

 Ambos se conheceram quando estavam no fundamental e eram amigos muito próximos desde então, Draco Malfoy era o capitão do time de natação do colégio que infelizmente não havia ganhado prêmio algum nos ultimos dois anos, mas nessa temporada ele estava determinado a ganhar um título. Pois ele era o melhor nadador do time e agora, o capitão, precisava fazer o seu título valer a pena.

Draco sempre foi um rapaz bem popular no colégio, não apenas por seu rosto de traço atraentes mas também por seu ótimo porte físico que fazia sucesso com as garotas, mas a verdade era que Draco não sentia atração por mulher alguma e sim, por homens.

Havia crescido em uma família rica e tradicionalista, que sempre lhe deu tudo do bom e do melhor que poderiam oferecer, sua mãe era viúva e passava a maior parte do dia indo ao shopping, fazendo tratamentos de beleza e ocupando sua mente na tentativa de se manter a mais elegante e bela possível. Poderia parecer que ela é uma pessoa superficial, mas Narcisa era uma mulher extraordinária se ousasse conhecê-la bem.

Hermione por outro lado não tinha essa sorte exagerada. Sua mãe havia morrido ao dar a luz ao filho mais novo, Dennis, e seu pai acabou tendo que criar três crianças sozinhos. Hermione, a mais velha, Colin o do meio, e Dennis o mais novo.

Eles acabaram se mudado da França á Inglaterra quando Hermione era criança. O pai das crianças, o senhor Granger, trabalhava como dentista em um consultório que dividia com um antigo amigo de faculdade. Ele ganhava bem, mas ainda assim era um pouco difícil ter que arcar com as despesas de três filhos, uma casa, e sem contar os outros gastos necessários. E pra piorar, Colin parecia gostar de ser expulsos das escolas, sempre aprontando alguma coisa ou tirando fotos inadequadas dos alunos e postando em seu site de fofocas.

Graças a dedicação e as boas notas de Hermione, ela conseguiu uma bolsa integral para estudar em um ótimo colégio da cidade, e foi assim que conheceu Draco Malfoy. Inicialmente ele era apenas um garotinho de nariz em pé, mas Hermione foi conhecendo um outro lado de Draco com o tempo.

Hermione se dedicou ao máximo para conseguir entrar no grêmio estudantil como sendo representante de turma, com o intuito de garantir pontos para uma bolsa em uma boa faculdade. Com o seu pai fora de casa, Hermione se dedicava aos estudos e a cuidar se seus irmãos mais novos.

Hoje seus irmãozinhos tinham onze e dez anos.

Eles moravam em uma casa simples e aconchegante, os menores dormiam no mesmo quarto e Hermione havia aprendido a fazer mágica como uma forma de entreter os seus irmãos. Ela havia se tornando muito responsável e meticulosa pra alguém da sua idade, mas apenas Draco conseguia liberar o lado mais imaturo da aluna perfeita, Hermione Jean Granger.

 - Tem certeza de que não há ninguém aqui? Porque nós não podemos sermos pegos cabulando aula.

- Fique tranquila, ninguém vem aqui nesse horário.

Draco respondeu em um tom calmo, puxando Hermione pela mão para que pudessem entrar no ginásio da equipe de natação. O Malfoy passava boa parte do tempo treinando junto aos outros membros da equipe e antigamente Hermione gostava de assistir aos treinos, até um certo nadador entrar no time. Rony Weasley. Ele era parte do time de natação, um ruivo irritante e simpático ao mesmo tempo, mas que parecia se divertir em irritar Hermione.

- A aluna perfeita matando aula? Não sabia que fazia do tipo rebelde, representante.

Eles escutaram uma voz rouca em um tom sarcástico falar com eles, e então o bendito cujo, Rony, saía de dentro da piscina.

Parecia que tudo estava em câmera lenta, Rony com o seu corpo seminu molhado, tendo gotas escorrendo por sua pele alva e manchada por adoráveis sardas, os lábios mais rosados que o normal em um sorriso debochado, enquanto ele arrumava os fios de cabelos ruivos. Hermione o odiava. Draco o encarava com desdém, ele não achava Rony lá essas coisas, era magro e desengonçado demais. Com certeza, não era o tipo de Draco.

- O que eu faço ou não só desrespeita a mim. E você também está em horário de aula, então não tem o direito de falar nada.

- Touché. Que tal a gente se divertir um pouco? Vamos entrar na piscina.

- Não obrigado.

- Ah, por favor Weasley não irrite a Mione - até aquele momento Draco havia se mantido quieto e agora encarava os dois com tédio - Vocês precisam transar pra acabar com essa tensão sexual de vocês.

- Não tem tensão sexual nenhuma! - exclamou Hermione, com suas bochechas ganhando um tom rosado forte.

- Concordo, mas se quiser fazer uma visita ao meu quarto, eu não me importaria.

Rony respondeu com um sorriso malicioso nos lábios, olhando descaradamente para a garota que parecia a definição perfeita da frase "vermelha como um tomate" naquele momento. Rony riu de sua reação antes de pegar uma toalha e vestir o roupão, caminhando para dentro de um dos vestiários em seguida.

Hermione encarava o ruivo desaparecer aos poucos do seu campo de visão e suspirava aliviado em não ter que aguenta-lo mais.

Normalmente ela era uma pessoa calma e controlada, mas Rony parecia se divertir em irrita-la sempre que podia, implicando ou debochando de qualquer coisa que Hermione resolvesse fazer. E pior, ambos eram vizinhos o que também significava que Rony gostava de ficar a atormentando colocado músicas no último volume quando Hermione estava estudando em casa, ou jogando pedrinhas em sua janela quando estava de noite. Sem contar do barulho que a família Weasley fazia sempre, era inacreditável que morassem sete pessoas em uma casa tão pequena.

- Eu odeio ele.

- Acho que ele gosta de você.

- Eu não estou interessada em namorar ninguém no momento e a última pessoa com quem eu namoraria seria o Ronald Weasley.

- É uma pena, não sabe o que está perdendo, principalmente na hora do sexo.

- Me poupe dos detalhes. - Ela rolou os olhos, rindo em seguida e se sentando à beira da piscina após tirar os sapatos.

- É sério, ontem eu sai com o Johnny, e você sabe que eu adoro caras altos e fortes. Ele é maravilhoso em vários sentidos. - Draco dizia com um largo sorriso nos lábios, abraçando Hermione pelos ombros e arrancando uma risadinha tímida do menor - Você deveria experimentar transar com alguém, é muito bom.

- Prefiro não fazer isso com qualquer pessoa, e eu tenho que cuidar dos meus irmãos e estudar para conseguir notas boas nos exames de admissão da faculdade, não tenho tempo pra namoros.

- Você precisa viver mais a vida minha amiga, ou vai morrer velha, virgem e caduca, como o Sr.Binns.

- Eu nunca vou chegar a esse ponto.

- É o que você acha.


-×-


 O treinador Sirius Black estava animado com o novo aluno intercambista que iria entrar para o time de natação, Draco não sabia muito ao seu respeito além daquelas míseras informações mas ele iria o conhecer de qualquer maneira. Afinal, o treinador havia organizado uma pequena reunião em um restaurante chinês próximo ao colégio e convidou todo o time para comer e comemorar a chegada do aluno novo. Ele nunca havia feito aquilo antes por nenhum aluno, o que fazia Draco desconfiar de que havia algo de especial nesse intercambista misterioso.

Draco acabou convidando, ou melhor, obrigando Hermione a largar os estudos naquela noite para que eles pudessem ir na reunião, mesmo a contra gosto da jovem que alegava dizer que precisava estudar. Mas Hermione precisava relaxar de vez em quando, além de claro, Draco ainda desconfiava que toda essa implicância de Rony com a amiga seria outra coisa por trás.

- Ah, Draco! Sente-se aqui.

Escutou a voz animada do treinador quando entraram no restaurante e se sentaram em uma larga mesa junto aos outros membros do time.

- Boa noite a todos, eu trouxe a Mione comigo, espero que não se importem.

- Claro que não, o Hermione e você são inseparáveis, todo mundo sabe disso! - o treinador sorriu animado, acenando para Hermione que correspondeu ao seu gesto - Agora estamos todos reunidos finalmente.

O treinador estava visivelmente animado e talvez fosse o álcool em sua corrente sanguínea ou então pelo fato de estarem com uma estrela da natação em seu time.

Draco se sentou ao lado de Hermione e fez questão da amiga se sentar ao lado de Rony que a encarava com um sorrisinho nos lábios, fazendo a garota suar frio em nervosismo.

- Você é o Draco Malfoy, certo? É um prazer finalmente te conhecer, o treinador Black falou muito sobre você.

Disse uma voz rouca próxima a si e então Draco direcionou sua atenção para o rapaz moreno que estava próximo a si, exibindo um lindo sorriso tímido em seus lábios.

Naquele momento, apesar da beleza desumana daquele filho de Lucifer, Draco o encarou com puro ódio.

Ele não se importava de aqueles belos olhos claros eram doces, ou se seus cabelos desgrenhados lhe davam um ar adorável. Draco queria mata-lo.

O aluno novo não era ninguém menos do que Harry Potter, o nadador americani que derrotou sua escola três vezes seguidas na competição internacional colegial.

Sim, Draco o conhecia bem e ele estava extremamente irritado naquele momento. Ele era o número um e havia sido nomeado recentemente como capitão do time, ele não deixaria um americano metido arrancar o seu posto. Draco não o via como um membro da equipe e sim como um adversário em seu próprio time.

- Sim, sou eu. É um prazer conhecê-lo. - disse com um sorriso forçado, mas diferente de tudo o que imaginou, Harry pareceu animado depois disso.

- Ótimo, meus dois nadadores maravilhosos estão se dando bem.

Sirius que estava na ponta da mesa, entre os dois rapazes, passou um braço pelos ombros de cada um e os abraçou com um sorriso animado nos lábios, não reparando no olhar raivoso que Draco lançava á Harry. Àquela altura Sirius estava bêbado demais pra reparar em qualquer coisa.

As garçonetes se aproximaram da mesa, servindo as diversas bandejas com comida fresquinha e entregou um biscoito da sorte para cada um dos adolescentes que estavam ali.

- Eu adoro esses biscoitos da sorte! - comentou Cedrico, um dos membros da equipe, pegando seu biscoito da sorte e o abrindo, tirando um pedaço de papel de dentro - Aqui está dizendo que o meu amor está mais próximo do que eu posso imaginar.

- Uh, parece que alguém vai ser flechado esse ano! - Fred começou a rir do amigo, logo abrindo o seu biscoito da sorte também - O meu diz que eu preciso repensar meus atos.

- Acho que é o destino te dizendo pra ser menos idiota. - retrucou George sorrindo maldosamente pro irmão gêmeo e levando um empurrão do mesmo, fazendo os rapazes começarem a rir. Ambos eram irmãos de Rony.

- O que o seu diz? - Cedrico perguntou ao amigo.

- O meu disse que eu vou ficar famoso em breve. - George respondeu com um largo sorriso nos lábios e todos começaram a o empurrar levemente com inveja.

- Tudo bem, vamos comer porque esses biscoitos da sorte são pura superstição. - disse Sirius, atraindo a atenção dos alunos - Nada do que diz aí é verdade.

- Nós temos o direito de sermos trouxas.

- Isso é verdade.

Harry respondeu e sorriu para Rony, e os dois bateram suas mãos em um gesto amigável que apenas deixou Draco ainda mais irritado.

Como assim aquele garoto de olhos bonitos estava tendo a audácia de roubar seus amigos naquela cara de pau? Ele iria acabar com Harry Potter.


-×-


A noite se seguiu com todos conversando e fazendo brincadeiras, até mesmo Hermione parecia ter se soltado conversando por apenas dois minutos com Harry.

E Harry obviamente percebia os olhares repletos de ódio que Draco lhe lançava a noite inteira, mesmo ele tentando ser simpático, ainda assim Draco o odiava e Harry não conseguia entender o motivo disso, por vezes o americano abaixava a cabeça envergonhado sempre tinha que falar algo com o capitão que parecia odia-lo por um motivo misterioso. Normalmente Harry não abaixava a cabeça para ninguém, mas ele estava tão animado para conhecer Draco Malfoy quando chegou, e agora as coisas estavam constrangedoras. Ele não sabia como agir.

Quando todos pagaram a conta e se despediram, Draco se ofereceu a levar os meninos de carro até a casa de cada um deles. Deixou Rony, Fred e Hermione em suas casas, pois eram próximas uma das outras. George aparetamemte tinha que ver alguma coisa com a namorada nova e por isso iria voltar mais tarde.

- Muito obrigado pela carona Malfoy.

Harry disse em um tom animado quando Draco estacionou o carro em frente ao seu prédio. Apenas os dois estavam dentro daquele carro silencioso e carregado de uma áurea perigosa.

- De nada.

- Boa noite então, até amanhã.

Disse o americano, começando a sair do carro e Draco apertou com força o volante, forçando um sorriso em seus lábios.

- Espere!

- Sim?

Harry rapidamente parou no lugar, curioso e ao mesmo tempo na esperança de que o Malfoy estivesse tentando ser amigável e talvez se desculpar pelos olhares raivosos de mais cedo. Ele era uma pobre criança inocente.

Draco se inclinou em sua direção, exibindo um lindo sorriso em seus lábios e quase riu ao notar a animação na face bem expressiva do Potter.

- Tome cuidado ou a qualquer hora você acabará morrendo afogado na piscina. - sussurrou em um timbre suave - Bem-vindo ao time.

Harry inicialmente o olhou assustado, mas riu sem graça em seguida, achando que era apenas uma brincadeira de seu capitão.

Ele acenou com a mão e enfim saiu do carro, fechando a porta e deixando Draco Malfoy sozinho com os seus pensamentos fatais a respeito de um certo Potter.

Draco pegou a embalagem pequena onde havia o biscoito da sorte do qual ainda não havia aberto e o partiu ao meio, comendo o biscoito e desembrulhando o pedaço de papel antes de o ler.

- " Suas vidas irão mudar e de uma nova pesperctiva poderão enxergar" - ele leu o papelzinho, rolando os olhos em seguida - Quem bobagem, Sirius tem razão, isso não passa de pura superstição.

Ele jogou o papelzinho amassado no chão e voltou a dirigir, enquanto pensava em formas de tirar o aluno novo do seu time.

Ele apenas não sabia que não era o único a receber aquela mensagem do biscoito da sorte e que na manhã seguinte, tudo em sua vida fosse mudar.


Notas Finais


O que acharam?
Algum casal que queiram remendar?
Alguma crítica construtiva?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...