1. Spirit Fanfics >
  2. Videogames e Morenas Baixinhas. >
  3. Oficializando as coisas

História Videogames e Morenas Baixinhas. - Capítulo 10


Escrita por: kjnfeels

Notas do Autor


Oii

Um milagre eu atualizar tão rapidamente, mas é para compensar a demora da última vez.


Boa Leitura!

Capítulo 10 - Oficializando as coisas


Jungkook e Jisoo pareciam ter chegado a um acordo de manter a amizade apesar das circunstâncias. Chaeyoung ficou muito feliz com isso, embora no fundo de sua mente, ela soubesse que o garoto estava se esforçando da melhor maneira que podia. Jisoo tinha se aproximado bastante de Lisa e Joohyun depois da festinha na casa de Jennie, e o fato de que a tailandesa havia dado um tempo no relacionamento com Jackson parecia que estava caminhando a favor de Jisoo. E mesmo estando apaixonado pela Kim, Jungkook respeitava isso.

Ela até mesmo se sentia culpada por estar feliz devido as coisas terem voltado ao "normal" mesmo não estando tão bem assim, porque pelo menos agora eles se sentavam juntos novamente na maioria dos intervalos com Jennie lhes fazendo companhia vez ou outra, e também voltaram a costumeira mania de jogarem juntos durante a noite.

Graças a aproximação dos amigos mais uma vez, ela conseguiu a ajuda dos dois para comprar um par de anéis de compromisso para pedir Jennie em namoro. Devido aos trabalhos que ela fazia durante as férias, e o dinheiro que recebia dos pais vez ou outra, ela possuía uma certa quantia suficiente para comprar anéis prateados da Tiffany & Co.  

— Vai dar tudo certo. Acho que dessa vez ela quem vai desmaiar de alívio por você finalmente oficializar as coisas depois do tempo que a enrolou a respeito de um compromisso sério – Jisoo disse, deitada em sua cama enquanto a observava fazer alguma coisa no Minecraft.

— Obrigada, Jisoo. Me sinto melhor assim – ela bufou sarcástica.

— Que horas ela vem aqui amanhã? – questionou Jungkook, sentado no chão enquanto jogava no PlayStation.

— De manhã. Mamãe, Minho e Jimin vão visitar a vovó Choi. Tive que prometer que ajudaria a limpar o quintal pra poder ficar aqui sozinha.

— Então vocês vão ter a casa toda só para vocês, é? – perguntou Jisoo com um sorrisinho malicioso no rosto.

Chaeyoung ignorou o gesto.

— Sim.

— Então até amanhã você tem muito tempo pra se acalmar. E por favor, depois conte como você a pediu em namoro, já que não quer confidenciar aos seus dois e únicos melhores amigos – dramatizou a Kim.

Chaeyoung riu, enquanto voltava a atenção para o trabalho que estava fazendo no jogo. Ela realmente esperava que Jennie gostasse do pedido.

***

Na manhã do sábado seguinte, Chaeyoung acordou exatamente às oito e meia da manhã. Exatamente meia hora antes de Jennie chegar em sua casa como o combinado. Dando um pulo da cama, ela rumou rapidamente para o banheiro, onde tomou um banho para revigorar as energias. 

A loira resolveu usar suas roupas casuais que sempre vestia no sábado, o que consistia em uma camiseta branca e uma calça de pijama azul com estampas da PlayStation. Ela penteou o cabelo e colocou seu óculos no rosto, descendo para o andar de baixo. Quando ela confidenciou a Jennie que ficaria o sábado inteiro sozinha em casa, e perguntou se a morena gostaria de passar o dia consigo, a Kim murmurou um entusiasmado e alto "sim!". Somando dois com dois, era a oportunidade perfeita de pedir para Jennie ser sua namorada.

Após tomar seu cereal, ela novamente subiu para o andar de cima, onde escovou os dentes e deu uma última olhada nos detalhes que seriam essenciais para o pedido. Ela ligou o computador e deixou aberto no Minecraft , conferindo mais uma vez a última coisa que faltava. Às exatas nove horas, a campainha tocou e Chaeyoung desceu feito um tiro pelas escadas, quase tropeçando em Hank que seguia até sua ração.

— Oi – ao abrir a porta, deu de cara com uma Jennie sorridente segurando algumas sacolas em mão e com uma mochila nas costas. — Cheguei.

— Oi, amor. – Chaeyoung selou seus lábios brevemente. Lá fora, o tempo começava a fechar. Nuvens escuras engoliam os últimos raios solares da manhã, visualizou quando Jennie entrou. — Não precisava trazer tudo isso.

Ela seguiu Jennie até a cozinha, observando a morena pousar os sacos plásticos na mesa.

— Claro que precisava, são umas coisas para eu fazer nosso almoço.

— Quer dizer que nada de esquentar fatias de pizza de ontem ou macarrão instantâneo? – a mais nova perguntou com uma expressão chorosa.

— Não, senhorita. Você precisa se alimentar bem, e sua mãe me orientou a cozinhar coisas saudáveis pra você.

— Desde quando você e mamãe trocam mensagens?

— Desde que ela pediu meu número enquanto a ajudava a preparar o jantar na semana passada.

Chaeyoung ficou boquiaberta, mas deu de ombros. Entrelaçando sua mão com a de Jennie, ela a guiou até seu quarto para que a mais baixa deixasse sua mochila ali, e ela colocasse seu plano em prática enquanto tinha seus minutos de coragem.

Carinhosamente ela retirou a bolsa de Jennie, sendo recompensada com um sorriso agradecido. Ela colocou a bolsa próxima a sua cama e por um momento seu olhos tiveram um vislumbre de uma embalagem de alumínio vermelha no bolso lateral. Deixando pra lá, ela levou Jennie até a cadeira de sua mesa.

— Preciso que você faça algo no jogo para mim. Só siga em linha reta, e quando Steven chegar até o fim do penhasco, na montanha da frente vai ter algo que você precisa ler. – Instruiu ela.

— Tudo bem – Jennie ajeitou os cabelos quando ela colocou o headset em seus ouvidos. — Faz muito tempo que não jogo Minecraft.

— Espero que você goste – Chaeyoung disse, sua frase tendo mais sentido do que a outra imaginava.

Quando a Kim focou sua atenção no jogo, Chaeyoung correu até seu guarda-roupa. No meio de suas camisas ela pegou a caixinha de veludo preto e o ursinho marrom com um laço vermelho no pescoço. Com o coração batendo forte contra o peito, e a ansiedade borbulhando na boca de seu estômago, cautelosamente a loira ficou atrás de Jennie, percebendo que ela estava quase chegando ao local que foi indicado.

— Rosie, olhe, eu cheg-

Jennie ficou boquiaberta assim que chegou ao final do penhasco no jogo. Suas mãos deslizaram do teclado, pousando em suas pernas. Com blocos vermelhos, alguns de mármore e algumas tochas, a frase "QUER NAMORAR COMIGO?" estava estampada e chamativa no jogo. Jennie fungou, seus olhos ficando marejados e uma mão indo a boca quando virou para trás e encontrou Chaeyoung segurando um ursinho na frente de seu rosto.

— Oi, meu nome é Teddy Bear. A Rosie me pediu para perguntar se você gostaria de ser a namorada dela. – Jennie sorriu com a voz fina que a mais nova fez. — Ela disse que se você não quiser, ela entende e tá tudo bem. Na verdade ela não vai ficar bem, mas você entendeu.

A morena riu incrédula, seu peito sendo envolvido pela sensação de euforia.

— Olá, Teddy Bear, diga a Rosie que eu aceito ser a namorada dela.

— É sério? – Chaeyoung perguntou, abaixando o ursinho e a encarando de olhos arregalados.

— Sim, eu aceito namorar com você.

Jennie guinchou surpresa quando a loira envolveu seu corpo, a puxando para cima em um abraço repentino. O fone escapou de seus ouvidos, pendendo na mesa e batendo no chão com um baque, mas Chaeyoung estava feliz demais para se importar com isso. Ela girou Jennie em seus braços, a apertando forte.

— Eu te amo, eu te amo, obrigada.

— Eu também te amo, muito – Jennie proferiu, beijando seu nariz quando ela a colocou no chão.

A Park lhe entregou o ursinho, e abriu a caixinha de veludo em seu campo de visão. A morena esbugalhou os olhos ao visualizar os anéis prateados que haviam ali.

— Só pra deixar oficial que agora estamos realmente juntas por completo – murmurou a loira timidamente, colocando o círculo prateado no dedo de Jennie e logo após no seu. — Pronto.

— Obrigada, namorada.

— Não há de quê, namorada.

Elas se encararam por alguns segundos, e quando um trovão rugiu, Chaeyoung desviou o olhar, se sentindo inquieta com a forma intensa que a mais baixa a olhava. Jennie agarrou seu rosto e ficando na ponta dos pés a beijou. Começou lento, calmo, apenas para apreciarem o encaixe perfeito das bocas e o amor que compartilhavam uma pela outra. As mãos de Jennie deslizaram pelo torso da mais alta até pararem na barra da camiseta branca, a qual ela puxou para cima. Antes de tirá-la por completo, foi preciso descartar o óculos no rosto da outra. Seus olhos escureceram quando algo dentro de si estalou ao visualizar a pele alva do peito de Chaeyoung coberto apenas pelo tecido azul escuro do sutiã.

Jennie a beijou novamente, dessa vez com mais intensidade e pressa. Seus lábios migraram pelo queixo até o pescoço morno de Chaeyoung, onde ela maltratou com beijos e mordidas. A loira soltou uma lufada de ar quando Jennie lambeu sua clavícula onde havia mordido, e a Kim sorriu vitoriosa quando sentiu a dureza cutucando sua barriga. Ela deslizou as mãos pelas costas de sua Rosie, a sentindo arrepiar quando pairou no feche do sutiã.

Erguendo o olhar, ela pediu com a voz baixa:

— Posso tirar?

Engolindo em seco, Chaeyoung assentiu. Jennie abriu a veste e a puxou por seus braços. As bochechas da loira coraram por estar exposta daquela maneira. Era a primeira vez que ela deixava alguém ir tão longe, mas estava feliz por ser a garota de seus sonhos. Seus joelhos dobraram quando Jennie envolveu um de seus mamilos com a boca e o lambeu, ela gemeu alto e sentiu seu membro pulsar, implorando por um contato.

— Nini – gemeu ela, manhosa. Uma de suas mãos agarrou as madeixas escuras de Jennie, mantendo a cabeça dela ali. A morena ofereceu o mesmo tratamento ao outro seio, e quando Jennie girou seu cerne endurecido com a língua, ela percebeu que não ia durar muito. — Amor, se você não parar eu vou acabar vindo nas calças.

Jennie se afastou dela dando um risinho safado. Chaeyoung engoliu em seco quando a namorada tirou o moletom preto que vestia, revelando que não usava nada por baixo. Seus olhos não perderam nem mesmo um movimento, a maneira que os dedos de Jennie desfizeram o botão do jeans e como ele deslizou por suas pernas torneadas. 

Agora a mais velha se encontrava usando uma calcinha rendada preta que mal cobria sua pele. Chaeyoung sentiu seu coração cair no estômago quando a observou se ajoelhar na sua frente e puxar sua calça para baixo. Ela se amaldiçoou por ter escolhido usar uma cueca vermelha com várias estampas do rosto do Homem-Aranha.

— Eu gosto quando você usa essas cuecas estampadas. Faz você parecer tão pura e inocente – Jennie sussurrou sedutoramente. Antes que ela pudesse baixar o tecido, Chaeyoung segurou suas mãos. — Fui muito longe? Você não quer que eu faça isso?

Um lampejo de insegurança cruzou os olhos da loira que negou com a cabeça.

— Eu só... Você não vai achar isso estranho e nojento? 

— Rosie, eu amo você, e amo todas as partes do seu corpo. Você é perfeita aos meus olhos, e se eu pudesse, eu os emprestaria para que pudesse se enxergar da forma que eu enxergo você. Mas se não quiser, nós não precisamos fazer isso.

Com aquelas palavras, Chaeyoung teve certeza de que Jennie jamais faria algo que fosse contra sua vontade ou ficaria chateada por ela recusar. Jennie a amava, e era isso que importava. Com um aceno, ela soltou as mãos da outra. A morena puxou o tecido para baixo, ajudando-a a retirá-lo por seus pés. Seu estômago borbulhou quando a garota encarou seu membro e mordeu o lábio inferior.

— Jennie... 

Seus lábios se separaram quando a namorada a agarrou com a mão. Ela sentiu o gemido rasgar sua garganta assim que pela primeira vez, Jennie a colocou na boca. A sensação era indescritível, e por um breve momento suas pernas fraquejaram. A língua da garota circulava seu eixo ao mesmo tempo que ela subia e descia a chupando. Chaeyoung cerrou as mãos, evitando de agarrar a cabeça de Jennie e empurrar seus quadris contra a boca dela. Seus olhos castanhos firmaram nos felinos da Kim, que agarrou sua bunda com as mãos forçando-a para frente. A ação a fez ir mais fundo na cavidade bucal de Jennie, e ela pôde sentir a cabeça de seu pênis tocar a garganta da namorada. Ela estava quase chegando ao ápice, mas para sua sorte, a garota no chão percebeu isso, pois  deslizou a língua por seu contorno uma última vez antes de se afastar com um estalo.

— Sente-se na cama, baby – pediu Jennie. Ela se sentou na beirada do colchão observando a garota mexer em algo na bolsa. Ela arqueou as sobrancelhas quando Jennie jogou alguns pacotes vermelhos na cama idênticos aos que ela vislumbrou mais cedo em sua mochila. Camisinhas. — Eu quero muito fazer amor com você. Mas novamente vou repetir que se você ainda não se sentir pronta pra isso, nós podemos esperar.

— Eu estou pronta. Um pouco nervosa porque é minha primeira vez – ela corou. — Mas estou pronta.

— Nós vamos com calma, não precisa se preocupar.

— Você já fez isso antes? – a Park perguntou enquanto ela abria um dos preservativos. 

Jennie a encarou.

— Algumas vezes, mas nunca fiz amor porque não envolvia sentimentos antes. – Chaeyoung engoliu em seco quando ela deslizou o preservativo em seu membro rígido. — Se você quiser parar, me diga que paramos imediatamente. Se você não gostar ou estiver machucando, também me avise que iremos parar. É sua primeira vez, e isso também é muito importante pra mim, mais do que você pensa, Rosie.

Naquela ocasião, era ela quem devia estar dizendo isso a Jennie se a situação fosse outra, mas não era. 

Assentindo, a loira a observou descartar a calcinha. Ficando completamente nua em sua frente, Jennie apoiou as pernas uma de cada lado de seu corpo, pairando em cima de si. Apoiou a mão esquerda em seu ombro, e com a outra guiou seu pênis entre suas dobras. Ambas gemeram em uníssono. Chaeyoung por estar sentindo a sensação nova das paredes internas de Jennie apertadas, quentes e pulsando contra si, e a Kim por se sentir completamente preenchida.

— Jennie! – Chaeyoung choramingou ao estar completamente dentro dela.

— Você é tão grande – a morena ofegou, fechando os olhos para se acostumar com o tamanho da loira. — Você está pronta?

— S-sim.

Apoiando as mãos nos ombros da mais nova, Jennie ergueu os quadris para cima antes de descer novamente. Ela não conseguiu reprimir o gemido que saiu de sua boca com a sensação maravilhosa que sentiu. Já Chaeyoung tinha o cenho franzido e as mãos segurando possessivamente a cintura da outra, ajudando-a com os movimentos. Parecia um sonho pra ela ter Jennie a montando.

A maneira que a mais velha apertava em torno de si cada vez que ela descia estava ajudando a aumentar o formigamento em seu estômago. Seus olhos pairaram nos seios da morena que saltavam junto com seus impulsos. Ela levou um a boca prendendo o mamilo entre os dentes, o que arrancou um gemido de Jennie. 

Para sua primeira vez, ela estava indo até bem já que era difícil se segurar com uma mulher tão bonita quanto aquela em cima de si. Seus quadris se juntaram em perfeita contrapartida aos movimentos de Jennie, ação que parecia ter agraciado a citada, já que ela abraçou seu pescoço com força. Alguns minutos depois, a pressão em sua pélvis parecia ter crescido, ela podia se sentir pulsando e seus testículos apertaram. 

Mais uma vez, ela abocanhou o seio de Jennie, o sugando como um recém-nascido em busca de leite e mordiscou a pele branca. Usando a mão direita, ela a deslizou entre seus corpos e com o polegar, circulou o clitóris inchado da morena que gritou.

— V-você está perto? – perguntou Jennie, com dificuldade. Uma camada de suor cobria seu corpo. Seus cabelos estavam bagunçados e seu peito marcado por chupões. Chaeyoung assentiu. — E-eu também.

A mais velha agarrou seu cabelo forçando sua cabeça para cima, deixando seus rostos colados. Jennie gemia em seu rosto, os olhos felinos mais escuros que o normal não ousavam desviar dos seus. A certa altura, os movimentos se tornaram mais rápidos e o som indecente de suas peles se chocando reverberou pelo quarto.

— Nini!

— Você me fode tão bem, Rosie – choramingou a Kim. 

Bastaram mais alguns impulsos, e Chaeyoung sentiu a pulsação em seu eixo duro aumentar quando ela gozou. Ela grunhiu contra a orelha de Jennie, enfiando o rosto em seu pescoço e suas pernas ficaram tensas. Um trovão alto rompeu pelo céu, mas Chaeyoung só conseguiu focar no ruído manhoso e sensual que saiu da boca da mais velha quando ela arqueou o corpo e jogou a cabeça para trás ao alcançar o orgasmo. A loira a segurou até que o último espasmo cessasse.

Ofegante e completamente em êxtase, ela deitou para trás, trazendo Jennie envolvida em torno de seu abraço. A morena ficou sobre seu tórax sem mexer um músculo, apenas sua respiração descompassada era audível. Depois de um tempo Jennie levantou soltando um gemido ao retirá-la de dentro de si.

— Você tem que jogar a camisinha fora. 

Corando, Chaeyoung assentiu. Ela se levantou e jogou o preservativo usado no lixo depois de dar um nó. Jennie abriu os braços para ela se aconchegar, ação que foi bem aceita. Chaeyoung notou que finalmente tinham feito amor, ela tinha feito amor com a menina que gostava. A menina que também gostava de si, da maneira que ela era. A menina que agora era sua namorada. Seu coração inchou e ela apertou Jennie fortemente.

— Obrigada, Nini.

— Pelo quê?

— Por gostar de mim, por me tratar tão bem, por ser você – ela fungou quando uma lágrima escorreu de sua bochecha. — Obrigada por ter tornado minha primeira vez especial.

— Oh, Rosie, não chore – Jennie dedilhou sua bochecha –, sou eu quem tenho que agradecer você. Quando te conheci, você me fez ter uma visão diferente do amor. E agora que estamos juntas, não consigo mais imaginar um dia em que você não esteja ao meu lado. Eu te amo tanto, mais do que você possa imaginar.

— Eu também amo você, Nini. Sempre irei amar.

Deixando um beijo sobre os fios úmidos da franja de Jennie, ela deitou novamente em seu peito. E enquanto a chuva turbulenta começava a cair lá fora, dentro de seu peito reinava a calmaria. 


Notas Finais


Sexo selvagem e namoro fofinho? Temos.

Vou revisar o capítulo só mais tarde. Então se ter algum erro, já sabem.

Até mais, e se cuidem :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...