História O Vilarejo na Lagoa: uma fanfic Maze Runner - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias The Maze Runner
Personagens Alby, Ben, Caçarola (Frypan), Chuck, Gally, Minho, Newt, Teresa, Thomas
Tags Distopia, Dylan O'brien, Galby, Ki Hong Lee, Newtmas, Thally, Thominho
Visualizações 150
Palavras 940
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Ficção Adolescente, Ficção Científica, LGBT, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 6 - É Uma Menina


Fanfic / Fanfiction O Vilarejo na Lagoa: uma fanfic Maze Runner - Capítulo 6 - É Uma Menina

Um forte raio de sol acorda Thomas, que está todo sujo de terra e com alguns arranhões nos joelhos e nas costas. Ele sai da cela, e se dirige ao dormitório, percebe que não tem ninguém dormindo, avista de longe muitos garotos trabalhando na horta. Próximo a cabana central existe uma área coberta, com duas grandes mesas, que serve de refeitório. O local foi recém construído, e lá estava Caçarola preparando o almoço.

- “Finalmente apareceu, acho melhor se preparar.” – diz o aspirante a cozinheiro.

- “O que aconteceu? Você não virá para o labirinto conosco?”

- “Claro que vou. Vou deixar o almoço pronto para os meninos da horta. Gally ficará encarregado de servir eles. Afinal, não sabemos quanto tempo levaremos nessa expedição. Estou animado, há tempos eu não entro naquele lugar.”

- “Espera. Você já entrou lá? Já foi um corredor?”

- “Não exatamente. Naquela época não existia essa de corredores, construtores, restauradores. Todos faziam de tudo um pouco. Mas um dia Alby teve a ideia de separar as coisas, o que eu achei bem inteligente da parte dele. No entanto, parece que desde então o pessoal anda mais desunido. Como eu sou o único a cuidar da comida por aqui, eu acabo sabendo de muitas coisas.”

- “Que coisas?”

- “Bem, Thomas. Você ontem percebeu que o pessoal aqui nem sempre anda de acordo. Existem grupos, e existe um grupo maior que o outro, e o líder desse grupo não é o nosso líder. Eu tenho medo do que possa acontecer daqui pra frente.”

Thomas não sabe se entende exatamente o que o falante Caçarola quis dizer, mas sabe de quem ele está falando. A mente de Thomas ainda está cheia de acontecimentos recentes, e uma de suas preocupações é se alguém o viu com Gally na noite passada, ou se ele contaria para alguém.

Chuck se aproxima correndo em direção a Thomas, questionando ao garoto onde ele esteve.

- “Bem, Chuck, eu acabei dormindo nas celas.”

- “Alby, Minho e Newt se reuniram hoje assim que o sol nasceu. Parece que decidiram alguma coisa importante.”

De dentro da mata, os três líderes voltam. Minho pergunta a Thomas como ele conseguiu dormir naquele lugar, que ele sabe como lá é desconfortável.

- “Vamos usar as pás, nos dividiremos em dois pares. Eu e Thomas seguiremos pela entrada 1, Minho e Caçarola pela entrada 2. Dependendo do que acontecer, nos seguiremos depois pelas outras entradas.” – disse Alby, a respeito da expedição no labirinto. – “Newt, você cuida de tudo por aqui, e o nosso amigo Chuck se encarregará de ajudar você.”

- “Gally não vai ficar feliz em saber disso.”

- “O Galileu não manda aqui.”

Todos ficam em silêncio. As duplas partem para o labirinto. Thomas se impressiona em como Alby parece estar familiarizado com o lugar.

- “Como foi com ele... Transar com ele.” – pergunta Alby, de maneira direta.

- “Desculpe Alby, eu não sei o que dizer.”

- “Ora garoto, você não tem nada do que se desculpar. Afinal, essa é a nossa cultura. Nós gostamos de trepar uns com os outros, é natural para gente. Embora eu quisesse que isso deixasse de acontecer, eu não posso proibir ninguém.”

- “Vocês já tiveram algum problema por causa disso alguma vez?”

- “Não exatamente. Mas no começo, alguns garotos questionavam por que eu morava numa casa a beira da lagoa, com cama, sexo e comida, enquanto eles tinham que ralar para sobreviver. Até que outro casal também se mudou para lá.”

- “E como isso aconteceu? Quero dizer, como eles sabiam que podiam morar lá?”

- “Uma tocha acendeu. Até então apenas uma existia, a minha. Mas alguns garotos já se relacionavam uns com os outros fazia um tempo, e quando a tocha acendeu eu finalmente entendi. Foi o mesmo comigo, eu tentava entrar na casa mas a porta não abria. Até que a chama acendeu, e a porta estava aberta. Algo me dizia que eu deveria viver ali, tudo ali dentro indicava que um casal deveria habitar. Duas cadeiras, cama de casal, talheres e louças em pares. Depois da primeira noite, a cozinha estava cheia de suprimentos. E diariamente éramos abastecidos.”

- “Eu sei disso. Quer dizer, já ouvi falar.”

- “Minho. Ele gosta de você. Ele não conversa com muita gente.”

- “Ele parece tão carente de afeto. Eu evito perguntar demais, ele pode confundir as coisas.”

- “Minho sabe se cuidar. Se ele quisesse alguma coisa a mais com você, vocês já estariam juntos. Ele não é tão fraco como às vezes pode parecer.”

Enquanto isso, Minho e Caçarola chegam ao local indicado, e começam a cavar. Uma peça de metal, com um visor digital e um número aparecendo: 02, referente a entrada do labirinto. O mesmo encontram Alby e Thomas, com o número 01 visível.

Os rapazes retornam a Clareira, a expedição levou cerca de 20 minutos ao todo. Prontamente eles decidem voltar e terminar pelas entradas restantes, são 7 ao todo. Mas, para a surpresa de todos, apenas 5 peças como essa existem, numeradas de 01 a 05 evidentemente. É então que todos na Clareira são surpreendidos por um enorme barulho das grandes portas se fechando, apenas duas delas. As duas entradas que não possuem as tais peças.

- “Estranho, nunca uma porta se fechou durante o dia antes.” – diz Alby.

É quando Newt e Chuck se aproximam.

- “Alby, a caixa subiu. Finalmente, a caixa voltou a subir.” – disse Newt, ofegante.

- “Vocês deveriam vir com a gente para a sede.”

Dentro da cabana central, a qual Chuck sabiamente nomeou de sede, uma pessoa está desacordada na cama.

- “É uma menina.” – diz Newt.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...