1. Spirit Fanfics >
  2. Villain - Boku no Hero Academia >
  3. 05

História Villain - Boku no Hero Academia - Capítulo 5


Escrita por: Bitch-chanS2

Capítulo 5 - 05


Me joguei no sofá depois de chegar em casa,  encarei o teto com o lustre brilhante, respirando um pouco antes de me sentar contra a minha vontade. Lion já me esperava na sala antes mesmo que eu entrasse em casa, e ele não tinha uma cara nada boa.

- seja breve, quero tomar um banho e dormir.- apoiei meus pés na mesinha de centro.

- tinha alguém circundando o quarteirão.- ele se sentou a minha frente, a luz refletindo em seus olhos azuis escuros.

- circundando o quarteirão ou circundando meu prédio?- digo, ele não iria me notificar algo tão inútil, ainda mais se não tivesse nada haver comigo.

- circundando você.

- o pegou?- semicerrei meus olhos.

- não, ele fugiu, bem rápido, até.

Podia ver a frustração no rosto dele, Lion não admite fracassar, dizer que perdeu um alvo era pior que isso. Mas meu sangue ferveu de animação.

- então temos um problema? Demorou a aparecer, até...- cruzei as pernas.- quero os detalhes, depois que eu tomar um banho.

Me levantei e ele abriu o notebook, não me olhou quando me afastei e subi as escadas, não me apressei para tomar banho, pelo contrário, enchi a banheira e relaxei com uma toalha na cabeça.

{...}

Já na sala, me sentei assim que meu celular vibrou com uma notificação de mensagem, eu tinha sido adicionada em um grupo por Uraraka, já tinha até me esquecido que passei meu número para ela.

Lion pigarreiou, revirei os olhos e guardei o telefone no bolso do moletom.

- comece.- afirmei com um manejar de mão.

Lion assoprou a fumaça que saia da xícara de chá quente em mãos antes de me olhar.

- já tinha percebido a movimentação estranha há alguns dias... Mas ele veio começar a seguir você ontem.- ele cruzou as pernas.- ficava mais nítido a cada farol que eu parava e a cada esquina que eu virava.

Me apoiei no braço do sofá, e irritação pulsava nos olhos dele, talvez achasse que eu não estava ligando para aquilo, e talvez não estivesse mesmo.

- certo, aí você fez um encontro direto e o covarde fugiu?- ele negou com a cabeça bebendo um gole do chá.

- não, ele forçou um encontro, acha que o teria deixado fugir se eu tivesse planejado uma emboscada? Sou melhor no meu trabalho do que acha.

Trabalho. De repente minha boca ficou seca.

Eu devia ter prestado mais atenção, mesmo com a missão ativa, acho que fiquei acomodada nos últimos dias.

- ele tentou me matar, ficava dizendo que ia atrás de você em seguida.

Mordi meu lábio inferior, meu dia tinha acabado de melhorar sabendo que minha lista de vítimas estava aumentando.

- quando percebeu a morte eminente, fugiu. Tks.- emitiu um som com a língua, realmente, os covardes são os piores.

- então tudo o que tenho que fazer, é matá-lo.- minha frase soou descontraída.

- pesquisei sobre e achei isso.

Lion me virou o notebook e vi uma ficha criminal de um homem de meia idade, Aiko Nakami, uma cicatriz na sombrancelha esquerda e cara de poucos amigos.

- ele foi condenado a dez anos de prisão por assassinato e roubo, contudo, acabou sumindo antes de chegar a prisão. Estava desaparecido, até agora.

Um olhar orgulhoso e um pequeno sorriso despontou de seu olhar por ter achado todas essas informações vendo apenas o rosto dele.

- você realmente não brinca em serviço.- também sorri.

- uhum.- limpou a garganta.- a quirk dele é invisibilidade, e condiz com sua ficha criminal e pessoal.

Dei uma olhada rápida no notebook antes de me voltar a ele de novo.

- mas aconteceu uma coisa estranha.- Lion ficou sério.- ele usou outra quirk na hora de fugir, super-velocidade.

- outra?- senti meus olhos brilharem.

- sim, descobri que ele não a tinha antes de 'desaparecer'.- fez aspas com as mãos.

- é impossível despertar outra quirk depois dos vinte.

Ficamos em silêncio, no fundo, me sentia um pouco culpada por não ter notado sua presença antes, mas a necessidade de mata-lo estava se sobrepondo.

- já sabemos que é um vilão, um com duas individualidades, qual uma não sabemos de onde veio.- Lion girou a xícara e depois deu um gole.

- é o que parece…- sorri pequeno sem pensar.

- e está atrás de você, imagino que esteja animada.- sua voz saiu um pouco mais fria que eu esperava.

- você não faz idéia, os alunos da U.A não conseguem nem me fazer suar.- cruzo as pernas.

- nem o loirinho das bombas? Sua roupa ficou bem acabada depois de lutar com ele.- ironizou.

- nem o loirinho, a culpa não é minha se as roupas não são tão resistentes quanto deveriam ser.- coloco minhas mãos nos bolsos do moletom preto que estou vestindo.- E como sabe isso?

- tenho minhas fontes de informações.

- espero que as coisas que faz para consegui-las não sejam tão indecentes.- sorri satisfeita e Lion parou de tomar o chá, um, dois, três e…

- não é assim que consigo minhas informações!!- gritou, bem irritadinho.

- saiba que eu não o julgaria se você se divertisse uma vez ou outra.

Desviei o olhar quando me levantei, minha voz mais baixa e fria do que eu queria.

Lion abriu a boca, provavelmente para reclamar, mas logo a fechou. Me virei parcialmente, pronta para subir e planejar o que faço com esse novo estorvo.

- não quer saber o que seu pai acha sobre isso?

Ele sorria ladino, relaxei minha expressão e fixei os olhos nele.

- sou uma vilã, a melhor de todas, por que acha que opinião de terceiros seriam do meu interesse?

Vi algo nos olhos dele, medo, talvez. Mas ao contrário do que eu achava, ele soltou uma lufada de ar em meio a um sorriso e terminou de beber o chá em um gole.

- não acho, por isso não contei.

Tenho certeza que minha feição reflete confusão, Lion não é assim, ele deveria ter ligado e falado. Trabalha para isso.

- você não foi fofocar para ele?- perguntei desconfiada, ele pegou o paletó do sofá e o vestiu.

- não, como você disse, é uma vilã, a melhor, não é?- o sorriso debochado dele cresceu, é o único sorriso que o vejo dar.- não tem que dar satisfação a ele.

Que? Não tive tempo de questionar, seu celular tocou e ele o atende. Sua postura mudou, tentou ajeitar a gravata que só voltaria ao estado original se fosse refeita, tenho certeza que é meu pai.

Ele não se despediu quando saiu do apartamento me deixando sozinha, o barulho da porta sendo trancada foi o único som na sala.

Não sei, não consigo achar um motivo que faça Lion não obedecer meu pai.

Balancei a cabeça e me joguei no sofá de novo, focando minha mente em apenas pensar em como vou matar Aiko Nakami.

{...}

Passei meus olhos pela sala devagar, é sexta e saímos mais cedo, ou seja, todos estão animados demais para o final de semana.

- bom dia, gente.- resumo, já que tem muita gente na rodinha e não estou com vontade de dar 'oi' um por um.

- bom dia [Nome].- sorri para todos, e fiquei um pouco surpresa pelo Todoroki não ter fechado e virado o rosto quando me viu, acho que nossa conversa resolveu nossas diferenças.

Minha vista cai sobre quando Midoriya entra na sala, o celular em mãos e uma feição nada boa.

- bom dia..- suspirou.

- o que é isso, Midoriya-kun?- apontei para a reportagem que estava aberta na tela do celular.

- é uma notícia, a Villain atacou de novo ontem de noite!- levantou o aparelho.

Gosto de ser conhecida mundialmente, apesar de achar esse título que me deram simples demais.

A reportagem fala que eu fiz um atentado a um banco nos EUA, com dessesete feridos e mais de cinco mortos, fora os desaparecidos. A sala ficou em silêncio, alguns ficaram até pálidos.

Aquele maldito, sei que foi uma boa estratégia fazer casos lá enquanto eu estou aqui, seria impossível nós associar assim. Mas... Um ataque desse tamanho chamaria muita atenção da mídia, mesmo que fosse eu.

- aquela maldita!- Kirishima disse determinado.- qual a necessidade de fazer isso?!

- ela é ruim... Só pensar nela me dá calafrios.- que bom saber que tem medo de mim, Mineta.

- EU EXPLODIRIA ELA SE APARECESSE NA MINHA FRENTE!- Bakugou bateu na mesa com força, achei que a quebraria.

- por que está com tanta raiva, Bakugou? Você não fica assim nem quando os crimes são nacionais...- Sero comenta baixinho.

- seu idiota!! Ela é uma vilã reconhecida! Mata-la me deixaria mais perto do posto de número um!!!

Lutei contra um sorrisinho que queria sair na minha boca, imagino se ele ficaria tão determinado se soubesse que fez isso, e perdeu, feio e fácil para mim.

- ainda bem que milhares de quilômetros nós separam dela.- Uraraka diz e alguns alunos concordam com ela.

Me encostei no encosto da cadeira, acho que jamais acreditaria que eu estou na mesma sala que ela, a centímetro de tocar no seu braço ou cortar seu pescoço com uma faca.

- não se preocupem, gente! Os super-herói com certeza irão prendê-la e ela pagará pelos seus crimes!- Iida tenta animar eles.

- sim, vamos deixar ela com os heróis e oficiais de lá, sua tirania não vai demorar muito mais.- afirmei, Iida afirma para mim sob o olhar dos outros.

- você era de lá, [Nome], não sentia medo?- Momo coloca a mão sob o peito com um olhar preocupado.

- ela nunca atacou minha cidade ou os arredores, então nunca tive medo, sei que ela logo será pega.

Sorri tentando passar confiança na minha fala, senti meu sorriso falhar um pouco, eles se entreolharam com a moral levantada, acho que consegui animar eles.

- isso mesmo! Villain será derrotada em breve, eles não vão desistir até pegá-la!

Midoriya sorriu a frase toda, sendo seguido de confirmações de que eu iria ser presa, morrer - segundo as palavras do Bakugou - em breve. Ele disse aquilo com o mesmo sorriso que fazia para mim quando me dava bom dia.

É um sentimento estranho, acho que nunca fiquei em uma sala com tanta gente que todos, sem exceções me odiavam. E eu odiei sentir essa espécie de desconforto.

Mas mesmo assim, sinto muitíssimo em cortar as esperanças deles pela raiz, mas não vou ser pega, ou morta.

A aula com o Present Mic começou, e senti a hipocrisia quando o Bakugou disse que ele gritava demais.

- vocês dois dão certinho, Katsuki.- debochei.

- ninguém pediu sua opinião maldita!!- fociferou, manti meu sorrisinho.

- EI EI GUYS, TEMOS UMA DR DE CASAL NA MINHA AULA?!

O professor gritou, tive que tapar meus ouvidos com seu chiado.

- NUNCA NA MINHA VIDA EU TERIA ALGO COM ESSA IDIOTA!

Apontou para mim, ainda gritando.

- Katsuki, você não é digno dessa honra, e eu também não sou louca de querer alguma coisa com um cachorro raivoso.

- COMO É?!

- e ele nem reclama quando ela chama ele pelo primeiro nome!- Kaminari exclamou em um assovio.- achei que estava em outra, [Nome]!

- não sei do que você está falando, Kaminari.- dei de ombros.

- ora seus..!- Bakugou já estava para gritar novamente quando o professor fez um agudo alto o suficiente para nos deixar surdos, que incoveniente.

- DEIXEM PARA BRIGAR EM CASA! AGORA TEMOS AULA E ALGUNS DE VOCÊS NÃO ESTÃO INDO NADA BEM!

O loiro olhou de relance para o grupinho da parede, Kaminari, Kirishima e Sero sorriram sem graça.

Present Mic mandou juntarem nossas cadeiras, arrastei a minha, colando ela com a do meio a meio que veio de encontro.

- PODEM TROCAR DE DUPLA SE QUISEREM! A AULA DESSA SEMANA É FAZER UMA REDAÇÃO EM INGLÊS SOBRE A SOCIEDADE DE HOJE, E COMO PODEMOS RESOLVER ALGUNS DOS PROBLEMAS SOCIAIS DO JAPÃO! PERGUNTAS?!

Ninguém falou nada, eu só queria que ele parasse de falar antes que eu cortasse a língua dele fora.

As pessoas começaram a trocar de lugares, olhei de relance para o garoto ao meu lado, ele abria o caderno em silêncio.

- não vai trocar de dupla?- ele apenas balançou a cabeça.- achei que mesmo após nossa conversa, você ia me evitar.

- já resolvemos isso, não vou perder meu tempo evitando alguém que vejo todo dia.

Todoroki não estava mais com a voz fria, arqueei uma sombrancelha.

- está até falando mais, que bom.- sorri.

- [Nome]-san...- olhei Kaminari e Eijiro arrastando as mesas na frente da minha e do Todoroki.

- sim?- abri meu caderno também.

- poderia ter a bondade de nos ajudar com essa lição? Eu e o Kirishima não sabemos nada de inglês.- Kaminari sussurrou.

- posso sim.- sussurrei de volta, eles se viraram para pegar seu material.

- não vai pedir um sorvete para eles também?- Shoto perguntou apoiado pelo cotovelo.

- era uma brincadeira meio a meio, mas se ficar me azucrinando, posso reconsiderar meu pedido do sorvete.- apontei uma caneta na direção dele.

Shoto se endireitou e os meninos viraram para trás, não tocamos no assunto do sorvete ou da conversa enquanto eu ensinava algumas coisas ao Kirishima e Denki.

- parece até grego!- Kirishima suspirou.

- mas não é difícil, e vocês dois estão aprendendo rápido até.

Voltei a escrever, Shoto dava ideias de pontos para colocar na redação por morar aqui a vida toda, e eu escrevi por ser a que conhece melhor a língua.

Escolhemos fazer sobre como o número de atentados estava voltando a aumentar, isso, mesmo com o símbolo da paz agindo todos os dias, a União dos Vilões estavam mexendo seus pauzinhos no sub-mundo japonês, ainda mais depois do Stain.

- é ridículo como isso é fácil para vocês dois.- Kaminari reclamou.

- não acho que seja tão fácil..

Inclinei a cabeça para o lado do Todoroki, já acabamos há tempos.

- não seja tão humilde, Todoroki!- Kirishima resmungou, ri da cara de confusão do Shoto, ele é muito lerdo na maioria do tempo.- e você não conta, [Nome], deveriam colocar outra língua estrangeira para você.

- não tenho culpa se sou sortuda.- cruzei as penas, além do mais, eu sei falar todas as seis principais línguas mundiais.

- isso é trapaça!

- baixo assinado para mudar sua matéria de inglês.- Kaminari disse animado.

Comecei a rir deles, tapei meu rosto com a mão, escutei os outros dois rirem também, suspirei para tentar calar minha risada e pude ver o mínimo de um sorriso no rosto do Todoroki.

- vocês são engraçados... E aqueles dois? Será que o Sero está bem?

Vi o coitado do moreno tentando não apanhar do Bakugou.

- Sero é melhor que o Bakugou em inglês, apesar dos dois serem fluentes em espanhol.

- será que o Hanta saí vivo dessa? Acho melhor encomendarmos um caixão. - tentei ao máximo fingir ficar preocupada, o loiro e o ruivo começaram a rir, não me contive.

- você é bem diferente do que eu achava, [Nome].

- não é? Ela é bem mais máscula!

- isso deveria ser um elogio, Kirishima?- Kaminari diz irônico.

- qual o problema dos meus elogios?- Kirishima cruzou os braços.

Kaminari já estava para ditar todos os elogios que se podem fazer para uma garota, mas o professor chamou bem o "quarteto aí do fundo".

- sim, sensei!- os dois se viraram para frente.

- já acabaram?!- gritou bem mais baixo com um sorriso.

- não, sensei!

- então terminem antes de conversarem! E vocês, já acabaram?!- apontou para mim e o Shoto.

- sim.- o meio a meio respondeu por mim.

Ele se levantou para mostrar para Present, o acompanhei fiquei lado a lado do Todoroki.

- uhmmmm.- colocou a mão no queixo guardando o papal, cruzei os braços.- era para essa atividade durar até segunda!

Ele pareceu pensar, até segunda? Quem precisaria de mais de duas aulas para terminar uma atividade tão fácil? As vezes me pergunto se certas pessoas deveriam estar aqui.

- podem fazer o que quiserem até o final da aula! Segunda vocês dois farão mais uma atividade valendo nota!- ele mostrou um jóia para mim e o todoroki.- bom trabalho!

Agradecemos e voltamos ao nosso lugar.

- vocês vão sair esse final de semana?- pergunto, já que não deu para sairmos antes, não que isso me impeça de sair sozinha.

- nós vamos treinar, na nossa última aula tive muita dificuldade com o Todoroki.- Eijiro olha o meio a meio em questão antes de voltar a ficar atento na escrita.

- marcamos de treinar juntos algumas vezes...- Shoto diz despreocupado.

- isso aí Bro! Estou animado!- diz um pouco alto demais, mas ele logo solta um "desculpa" para o olhar do professor.

- eu também vou treinar com eles, mas se você quiser, desmarco para sair com você.- Denki piscou um olho.

- acho que vou treinar com vocês também, então.- balancei a cabeça.

Não tivemos aula prática, mas o resto do dia foram dos meninos rindo e conversando, os outros foram chegando perto da nossa rodinha, que ficou formada até a última aula.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...