1. Spirit Fanfics >
  2. Vingadores - histórias eróticas >
  3. Capítulo 2

História Vingadores - histórias eróticas - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Nesse capitulo 2, teremos Thor e Jane Foster!

Capítulo 2 - Capítulo 2


Bem longe da Italia e de missões secretas outra agente da S.H.I.E.L.D. estava com problemas a resolver, mas os mesmos não tinham nada haver com a segurança do planeta e sim de seu próprio relacionamento. Enquanto Peter Parker, Bucky e Natasha Romanoff surravam terroristas na Europa, Jane Foster se encontrava nos Estados Unidos e tinha que lidar com os problemas de um relacionamento a distância com seu namorado Thor, mais conhecido como o deus do trovão e lançador de martelos mágicos que, diferente dele, costumavam voltar.

Jane Foster era uma mulher inteligente e madura, uma cientista engajada que trabalhava para a S.H.I.E.L.D. Era rotina dos agentes da organização enfrentar terroristas, espiões, assassinos profissionais e, nos casos mais graves, seres de outros mundos como fora no caso do ataque a Nova York, quando o asgardiano Loki invadira a cidade com seu exercito chitari, uma raça alienígena possuidora de tecnologia avançada que causara o caos em um ataque que matara centenas de pessoas.

Mas Jane não participava do combate, como dito era uma cientista, uma bela cientista de longos e ondulados cabelos castanhos escuros, pele branca, seios medianos e um aguçado senso de dever e organização. Tinha como melhor amiga Darcy Lewia, uma mulher da mesma idade que ela, mas com cabelos negros ondulados, extrovertida e um tanto atrapalhada de vez em quando com a péssima mania de acabar falando demais e se tornar inconveniente em alguns casos. Mas Darcy e Jane se davam muito bem, até viviam juntas visto que, além de amigas, eram colegas de trabalho.

Jane e Darcy dividiam um pequeno, mas confortável, apartamento na parte leste da cidade. O local vivia em uma constante guerra devido a desorganização de Darcy e a meticulosidade de Jane que era mais extremamente organizada (segundo Darcy a mesma não era desorganizada apenas que seu modo de organização era relativamente caótico). Jane odiava ver as coisas fora do lugar e, naquela manha, havia uma coisa, ou melhor, alguém fora do lugar ali. Totalmente fora do lugar. Ver os livros de Darcy e suas calcinhas espalhadas pela casa era ruim, mas nada comparado com o Jane presenciava ali.

Seu namorado sumido Thor que nem aparecera para dizer um “oi” nos últimos três messes aparecera na porta do apartamento das duas como se isso fosse a coisa mais normal do mundo. Era claro que Jane ficou irritada, ele não podia surgir e sumir assim do nada, mas o que foi realmente irritante era que ele trouxera seu irmão, ninguém menos que Loki, também conhecido como deus da trapaça e aquele que quase destruiu Nova York. Esse era o maior defeito de Thor, ter um irmão mala e parasita com um ego exagerado e uma total falta de vergonha na cara.

- Não se preocupem – foi a primeira coisa que Thor disse quando entrou no apartamento e teve que lidar com os olhares furiosos das amigas para Loki – ele está do nosso lado.

- E ele sabe disso? – perguntou Darcy sarcástica. Loki sorriu, ele adorava sarcasmo.

- Vocês são cientistas não? Porque ficar tão presas ao passado? Olhem para a frente – Loki falava em tom alto e enfático, como se estivesse em um discurso – enterrem o passado e olhem para o futuro!

- Da mesma forma que as centenas de pessoas que morreram por causa do seu ataque foram enterradas? – rebateu Jane com acido na voz.

O clima não estava nada bem, mas era difícil ficar tudo bem com Loki ali. Jane queria dar um grande sermão no deus da trapaça, mas ela também não havia esquecido de que Thor simplesmente sumira deixando o relacionamento amoroso dos dois em uma pausa incerta. Ela não sabia com qual dos dois irmãos estava mais irritada.

- Calma, calma, sem brigas. Você e meu irmão serão uma família certo? – perguntou Loki simpático. Jane lançou um olhar ameaçador para Thor deixando bem claro que não estava muito certa disso. Loki porem tentou apaziguar as coisas – porque você e Thor na saem para dar uma volta e discutir a relação? Enquanto isso eu e sua adorável amiga ficamos aqui. Tenho certeza que seria ótimo se nós conhecêssemos melhor.

- Meu nome é Darcy – disse a mesma sem esconder seu desagrado – e meu prazer seria em não conhecer você.

Jane não achou que séria uma boa ideia deixar Darcy sozinha com Loki, mas ela precisava mesmo conversar com Thor e privacidade seria bom. Não sabia o que seria pior ter Darcy ou Loki escutando suas brigas amorosas. As ela concluiu que poderia sair para conversar por uma ou duas horas e deixar os dois sozinhos. O mundo não ia acabar por causa disso... ou ao menos ela assim esperava.

Jane concordou e saiu com seu namorado deixando uma Darcy indignada com um Loki sorrindo ladino. Darcy fitou sua amiga com um olhar mortal, mas não disse nada. Assim, o casal partiu para tentar salvar sua relação que, no momento, estava em um perigo muito maior do que o planeta terra.

 

*****

 

O local que Jane queria ir era uma cafeteria, mas levando em conta que os dois poderiam acabar discutindo a cafeteria não se tornara uma ideia tão atraente. Thor era um deus nada conhecido pelo auto-controle e ele poderia acabar destruindo “sem querer” o lugar. Sendo assim ela acabou escolhendo um parque que, naquele momento estava praticamente vazio. Era um belo parque com arvores, banquinhos de madeira e pombos por toda a parte. Quando finalmente chegaram lá Thor começou a se explicar e foi a típica explicação de quem não sabe como se explicar.

- Eu estava meio ocupado em Asgard, muito trabalho...

Jane revirou os olhos, ela sabia que o conceito de trabalho de Thor era sair batendo em quem aparecesse pela frente. Ele não sabia o que era trabalho de verdade, mas ela sim. Trabalho era virar as noites lendo artigos científicos, era passar a noite no laboratório até ficar com olheiras. Isso sim era trabalho. O que Thor fazia não passava de diversão inconsequente.

- Thor chega – ela não tinha paciência para ouvir as desculpas dele – eu quero ter um relacionamento sério com você. Não quero ser a namorada que fica esperando feito idiota enquanto você sai para farrear com seus amigos deuses, viajando para um mundo aleatório para sair brigando e no final ainda chamar isso de justiça!

Thor abriu a boca para responder, mas não conseguiu pensar em nada melhor para dizer. Ele pensava que conseguiria se dar bem naquela discussão com Jane, mas mal ela abrira a boca e ele soube que aquilo seria um desastre.

Ela suspirou cansada perguntando-se porque não se apaixonara por um cara normal. Ela gostava de Thor, gostava mesmo, mas se eles iriam ficar juntos tinham que colocar umas regras naquele relacionamento. Isso era prioridade máxima.

- Olha, eu entendo que você tem que proteger seu mundo, mas se é para ficar comigo você tem que se mostrar presente. Visitas constantes entende? Acha que pode isso.

- Vou... vou ver se aprendo com o Loki uns jeitos de deixar Asgard escondido – disse ele sem jeito.

Aquilo era bom, Jane achou que as coisas estavam começando a tomar um rumo interessante.

- Ótimo – disse ela – e acho que vai melhorar as coisas daqui pra frente. Mas e quanto ao que já passou? Você sumiu sem me dar noticia por três messes. Como pensa compensar isso?! – sua voz era autoritária e firme ao ponto de intimidar até mesmo o deus do trovão – acha que só um pedido de desculpas resolve?!

Thor a olhou daquela forma que a fazia sentir calafrios, aquele tipo de olhar que um homem da quando está comendo a mulher com os olhos. Ela sentiu suas faces corarem.

- Nem pense nisso! – esbravejou – não vai concertar tudo com uma foda! Não é assim que as coisas funcionam!! – seu rosto ficou vermelho de raiva e sua voz se elevou ao ponto dela quase gritar – relacionamentos são mais do que sair transando quando da vontade! Não vai ser só você jogar seu charme em mim que eu vou esquecer tudo que você já fez!

 

*****

 

- Ah! Merda!!! – gritou Jane sentindo o pênis colossal de Thor invadindo-a com a força de uma avalanche.

Sim, era assim que as coisas estavam se resolvendo e Jane não podia dizer que estava insatisfeita com o rumo dos acontecimentos. Thor era uma droga com palavras, mas ele tinha um pênis enorme e sabia como usa-lo. Era difícil não se deixar convencer por esse argumento infalível que o deus trazia no meio das pernas.

Thor havia arrancado as roupas dela que estavam espalhadas pelo parque, ele também estava nu imprensando-a contra o tronco de uma arvore e penetrando-a com vigor. Jane o abraçava com força, suas unhas se cravando nas costas do deus ao ponto de deixar marcas avermelhadas em sua pele.

Transar com Thor era como tentar domar uma tempestade. Ele era uma força da natureza, agia com ímpeto e desejo. Ele a beijava com paixão, quase engolindo-a com seus lábios carnudos. Com as mãos ele levantara as pernas dela, deixando-a suspensa no ar sem nenhum apoio e sendo possuída por pênis que mais parecia o monstro do lago Ness.

- Assim está bom para você Jane Foster? – ele riu orgulhoso, confiante de como era perfeito na transa. Jane queria dar uma resposta rude para ele, mas aquilo estava tão bom que o que ela queria mesmo era que ele continuasse.

- Ahhh... sim, sim! – seus seios balançavam em um ritmo frenético. Ela odiava admitir, mas ele tinha argumentos infalíveis para faze-la mudar de opinião.

As estocadas eram cada vez mais potentes e ela sentia que logo teria outro orgasmo. Seria o quinto ou o sexto? Jane já havia perdido a conta. Ela estava arfando, gemia como uma cadela no cio e seu corpo estava banhado de suor. O corpo de Thor a esmagava de uma forma prazerosa e ela amava o cheiro másculo que ele tinha. Um cheiro de suor misturado com orgasmo e um olhar de puro desejo que ascendia o fogo que havia dentro dela.

Ela gritou tendo um orgasmo e Thor a deitou no chão com cuidado. Jane sentia sua vagina dolorida, mas isso não era ruim. Thor sentou-se de joelhos ao seu lado, acariciando suas coxas e seios. Ela gemeu baixo em satisfação.

- Continua, se vai me pedir desculpas que faça direito – sorriu maliciosa. Thor sorriu em seguida e então sentou-se sobre ela, abrindo as pernas de Jane e penetrando-a entre as pernas.

Ela gemeu novamente e Thor recomeçou a penetração, mas dessa vez de forma mais lenta e carinhosa, respeitando o cansaço físico de sua parceira. Jane gemia baixo e se deixava possuir. O deus se movia lentamente, suas mãos acariciando todo o corpo de Jane, explorando cada centímetro da mulher que amava. A barriga era cheinha e macia, os seios redondos com grossos mamilos cor de chocolate, os cabelos se espalhavam pela grama, assanhados. Ela sorria manhosa enquanto seus gemidos se espalhavam no ar. Ela se sentia no paraíso.

- Sou uma mulher de sorte por ter você – disse relaxando o corpo, a penetração estava no ritmo ideal, só o seu deus sabia dosar força e carinho tão bem assim. Ela adorava quando Thor a possuía com força e violência, mas gostava igualmente quando ele era gentil e amoroso.

- Sou eu que tenho sorte Jane Foster – ele se deitou sobre ela envolvendo-a com seus braços fortes. Os rostos dos dois se aproximaram e eles se entregaram a um longo beijo.

Jane concluiu que os dois tinham sorte. Ela não se incomodou de estar fazendo sexo em um local público. Queria que todos vissem que aquele homem maravilhoso era só dela. Thor, o deus dos trovões era seu namorado. Poderia uma garota querer algo mais?



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...