1. Spirit Fanfics >
  2. Vingança em Dose Dupla - ShikaSakuIno >
  3. Problema dois

História Vingança em Dose Dupla - ShikaSakuIno - Capítulo 2


Escrita por: e _Cerise


Notas do Autor


Oii, gente!
Hoje quem está por aqui sou eu, @_Cerise.
Essa shortfic maravilhosa está sendo escrita em parceria com a @EvilHope, por isso alguns de vocês não receberam a notificação do primeiro capítulo que foi postado ontem. Nós duas estamos revesando as postagens dos capítulos, então para não perderem nenhuma atualização recomendo que adicionem a fic na biblioteca ou que siga nós duas.

Espero que gostem desse capítulo! 🔥
Boa leitura!

Capítulo 2 - Problema dois


But baby, don't get it twisted
You was just another nigga on the hit list
Tryna fix your inner issues with a bad bitch
Didn't they tell you that I was a savage?
Fuck ya white horse and ya carriage
Bet you never could imagine
Never told you you could have it

 

 

- Ah, qual é, Kakashi? Isso é o seu trabalho! - Disse assim que viu a pilha enorme de documentos ser deixada de lado pelo Rokudaime. 

- Certo. E qual é o trabalho do conselheiro do Hokage? - A inteligência de Kakashi e a sua exímia habilidade de se safar do trabalho sempre colocava Shikamaru em situações complicadas. 

- Auxiliar o Hokage... - Admitiu a contragosto. 

Frequentemente pensava se quando Naruto assumisse o posto de Hokage também seria preguiçoso assim. De qualquer modo, pior do que o Kakashi não haveria de ser. 

- Então isso faz do meu trabalho o seu trabalho também. - Sorriu de forma cínica por debaixo da máscara, o que fez Shikamaru revirar os olhos. - Termine de revisar esses relatórios, sim? A Divisão de Inteligência está aguardando uma resposta até amanhã de manhã. 

É, eles estavam. Shikamaru sabia muito bem disso. Por isso lembrou Kakashi o dia inteiro sobre suas obrigações, mas o Hokage preferiu ler o seu Icha-icha aos relatórios e enrolou até o último momento para jogar tudo para cima do conselheiro.

- Tem uma diferença muito grande entre auxiliar e fazer o trabalho. Sabe disso, não é, Kakashi? - Talvez se ele mesmo fosse o Hokage tivesse menos trabalho, afinal, também poderia jogar tudo para cima do seu conselheiro.

- Ora, Shikamaru, você não vai fazer todo o trabalho. Eu já li uma parte, você só vai ter que me auxiliar lendo a outra parte. - Até que seria um argumento razoável, se a parte que Kakashi tivesse feito não chegasse nem a dez por cento do trabalho total. 

Passou a mão pela testa tentando encontrar a paciência necessária para todo o trabalho que teria que enfrentar. Já se lamentava pelas horas de sono perdidas por ter que ler aqueles malditos relatórios. Onde mesmo estava com a cabeça quando aceitou o cargo?

- Nem se eu estivesse muito motivado conseguiria terminar tudo isso até amanhã de manhã. 

Kakashi pareceu pensar sobre o ponto levantado por Shikamaru. Ele não queria virar a noite lendo aqueles relatórios, mas sabia que por mais competente que o conselheiro fosse, sozinho ele não conseguiria. Precisava pensar em alguma saída rápido, antes que ele mesmo tivesse que ficar ali com o Shikamaru fazendo o trabalho. 

Enquanto pensava nas possíveis alternativas para a sua fuga. Duas batidas rápidas e fortes na porta soaram pelo escritório. 

- Pode entrar. - Respondeu ansioso, afinal, quem sabe aquela não era a resposta para as suas preces?

- Boa noite, Kakashi-sensei. Shikamaru. - Sakura entrou pela porta com a sua típica animação. - Vim trazer o relatório sobre o estado dos dois Anbus que deram entrada hoje de manhã no hospital. Resumindo: eles estão bem e amanhã já irão receber alta. 

Sakura depositou o relatório sobre a mesa enquanto Kakashi a olhava de forma suspeita. A sua visita não poderia ter ocorrido em um momento mais oportuno, era a sua chance de se livrar de todos aqueles relatórios. 

- Obrigada, Sakura! Fico feliz em saber que os ferimentos dos Anbus não foram tão graves. E você não poderia ter aparecido em uma hora melhor. - Sakura arqueou a sobrancelha, aguardando o que Kakashi iria dizer. Graças aos tempos de time 7, ela conhecia muito bem os truques ardilosos do ex-sensei. - Eu tenho uma missão para você.

- Missão? - Ela questionou irônica. Dava para ver que Kakashi estava tramando alguma coisa. 

- Sim. A Divisão de Inteligência nos enviou esses relatórios e estão aguardando uma resposta de como proceder até amanhã de manhã. Ninguém melhor do que você para ajudar o Shikamaru com isso. Fiquei sabendo que você leu toda a biblioteca da Godaime em apenas uma semana, além disso, você tem uma mente brilhante, Sakura. Vocês vão conseguir tirar isso de letra. 

- Deixa eu adivinhar, esse era o trabalho dele e ele enrolou o dia inteiro para fazer enquanto lia Icha-icha e agora está jogando para cima da gente? - Sakura perguntou para Shikamaru. 

- Exatamente. - Ele respondeu desanimado. 

- De qualquer modo, é uma ordem do Hokage. - Ele se levantou da sua cadeira se preparando para ir embora. - Até mais, pessoal!! 

Antes que Shikamaru e Sakura pudessem retrucar, Kakashi sumiu em uma nuvem de fumaça deixando os dois ali indignados.

- Shannaro! Como alguém tão folgado pode se tornar um Hokage?! - Sakura perguntou revoltada enquanto cruzava os braços.

- Me pergunto isso todos os dias. - Respondeu resignado enquanto se sentou numa cadeira que estava de frente para a mesa do Hokage, deixando a outra livre para a Sakura. 

Sem terem outra opção, começaram a ler os relatórios enquanto anotavam os pontos importantes para discutirem depois.

Shikamaru estava detestando a tarefa, mas parecia que Sakura estava ainda mais incomodada. Ela olhava frequentemente o relógio e vez ou outra soltava um lufada de ar frustrada.

Observador como era, o Nara já tinha percebido o desapontamento da Haruno. Até pensou em perguntar se havia algum motivo especial, mas largou para lá. Mulheres são problemáticas demais, já bastava todo o trabalho chato que estava sendo obrigado a fazer, imagine se tivesse que ouvir mais drama.

Depois de quase quatro horas de trabalho, estavam exaustos. Sakura prendeu o seu cabelo em um coque alto mal feito e tirou a blusa de manga curta que usava, ficando apenas com uma regata justa e uma saia que dava no meio das suas coxas. Mesmo com as janelas abertas para que o ar ventilasse, a noite estava quente e por isso Shikamaru também já havia retirado seu colete e a blusa de mangas compridas que costumava usar, ficando apenas com a sua típica blusa de fios trançados.

- Kakashi-sensei me paga. - Sakura resmungou enquanto se jogava contra o encosto da cadeira e massageava suas têmporas, quando sentiu a visão cansada por tanto ler. 

- Hm. Você pode entrar para fila, aquele lá já tá me devendo um monte. - Também já estava exausto e iria aproveitar a pausa feita pela kunoichi para descansar também. Do bolso, ele retirou o seu maço de cigarro e um isqueiro. - Se importa?

Ele realmente não se importava muito com que Sakura pudesse achar, mas conhecendo o seu temperamento explosivo era melhor perguntar antes que ela o fizesse engolir aquele maço de cigarro a força.

- De forma alguma. - Sakura empurrou a cadeira em que estava sentada para trás e se levantou, dando a volta na mesa até chegar do lado em que Shikamaru estava. Ela empurrou os relatórios que estavam ali e se sentou sobre a mesa. - Inclusive, vou querer um. 

- Sério? Não sabia que fumava. - Ele não conseguiu disfarçar a surpresa com o pedido dela, mas lhe entregou um cigarro e o isqueiro.

- Existem muitas coisas sobre mim que você não sabe, Shikamaru. 

Ela colocou o cigarro na boca o acendendo logo em seguida e depositando o isqueiro sobre a mesa. Deu a primeira tragada levantando um pouco o queixo e fechando os olhos, com o gesto deixou a pele do seu pescoço e do colo mais exposta.  O Nara não pode deixar de admirar a cena maravilhado.

Desde quandos as mulheres a sua volta ficaram tão interessantes? 

Como ele não tinha reparado nelas antes?

Sakura era uma das mulheres mais gostosas da Vila, sem dúvida alguma era dona das melhores pernas e da melhor bunda de Konoha. Os seios, apesar de medianos, tinham o tamanho ideal e eram bem firmes. O seu corpo esguio era cheio de curvas e todo bem desenhado, qualquer um poderia facilmente se perder observando o contorno suave e sensual dele. 

O tom rosa claro do seu cabelo, somado a sua pele alva e o verde cristalino dos seus olhos lhe davam um certo ar angelical, mas a mulher a sua frente certamente não tinha nada da inocência que era comum aos anjos. Pelo contrário, aquela Sakura exalava sensualidade, lascívia e até um certo perigo. 

E tudo em que Shikamaru conseguia pensar é que poderia ser muito interessante conhecer um pouco mais dessa Sakura. 

- Então você tinha compromisso essa noite? - Ela não tinha mencionado nada diretamente, mas isso era algo que ele poderia pressupor pela enorme frustração da kunoichi em ter que passar a noite ali. 

- Tinha. - Ela disse depois de permitir que a fumaça saísse pelos seus lábios e abriu aqueles olhos verdes que agora estavam muito diferentes do habitual. Seu olhar sempre tão transparente e brilhante, agora estava intenso e penetrante. Como nunca havia percebido que aqueles olhos verdes poderiam esconder algum doujutsu capaz de atrair e prender qualquer coisa ao seu redor? - Um encontro. 

- É mesmo? - Tentou ver se conseguia mais alguma informação, não podia negar que estava bastante interessado  na resposta. Agora, que uma possibilidade muito interessante havia se aberto não queria que qualquer empecilho o atrapalhasse de usufruir daquilo que se passava na sua mente. 

- Sim. Tinha marcado com Genma na minha casa. Minha noite tinha tudo para ser muito divertida, mas acabei aqui presa com esses relatórios e com você. - As duas últimas palavras foram ditas com um pouco de desdém o que deixou o Nara um tanto quanto intrigado. 

A companhia de Genma realmente poderia ser mais interessante que a sua?

- Aquele cara já saiu com Konoha inteira. - Não foi o melhor dos comentários, mas foi o que deixou escapar enquanto fitava a Haruno sentada à sua frente. Sabia que ela tinha alguns casos por aí, mas pensou que ao menos fosse mais seletiva.

- Algo que todos gostam não pode ser tão ruim, pode? 

- Sinceramente, não vejo o que aquele cara tem demais. - Sakura sorriu com o comentário. Estava chegando exatamente onde queria.

Desde que os seus planos para a noite haviam sido arruinados por Kakashi, pensou que talvez nem tudo estivesse perdido. Afinal, sempre há um plano B. 

E por que não Shikamaru?

Ele é atraente, sensual e, até então, inédito para a Haruno. Após o final da Guerra, Sakura se focou inteiramente em seu treinamento para se tornar a melhor ninja médica que poderia ser. Mas no seu tempo livre, ela fazia questão de usufruir de todo o prazer que a vida poderia lhe proporcionar. 

Sempre assim. Apenas pelo prazer e diversão. Sem se apegar ou arranjar qualquer problema que pudesse lhe desviar do seu foco. 

Desde que Shikamaru havia retirado a sua blusa de mangas compridas, ela havia observado sorrateiramente como seu corpo é atraente. Seu peitoral é grande e definido, os seus braços fortes e os gomos do seu abdômen bem trabalhado são visíveis. Seria muito interessante passar as suas mãos por toda aquela extensão. 

Ela imaginou se outras partes do seu corpo poderiam ser assim tão interessantes… A julgar pela sua altura, pelo tamanho das suas mãos enormes e por alguma e outra espiada por cima da sua calça, apostaria que sim.

É, ele poderia ser a vítima da vez. 

Como sempre, ela iria armar o cerco para a presa da vez e, sem que ele percebesse, logo estaria completamente sob o seu domínio fazendo absolutamente tudo aquilo que ela quisesse. 

Era assim que ela gostava de jogar. E era exatamente assim que ela faria com ele. 

Mas, Sakura também sabia que o Nara detestava ser subjugado por mulheres, no entanto, ela é uma boa jogadora e a sua resistência só tornaria o jogo ainda mais interessante. Afinal, ele já estava em sua teia, só faltava o golpe final. 

- Bem, ele sabe como tratar as mulheres. - Ela lhe lançou um olhar provocador capaz de prender ainda mais os olhos castanhos do seu alvo em si. - Mas, e você, Shikamaru? O que mais sabe fazer com as mulheres além de chamá-las de problemáticas?

Sakura deu mais uma tragada em seu cigarro olhando diretamente nos olhos de Shikamaru que a olhava de volta completamente hipnotizado. 

Uma mulher e um cigarro. 

Como algo tão simples poderia ser tão sensual?

Suas roupas não revelavam muito, ela não usava maquiagem e o seu cabelo até estava desarrumado, mas mesmo assim ela conseguia ser uma das mulheres mais atraentes que seus olhos tiveram o prazer de ver. A sua sensualidade sutil era quase promíscua.

Mas nem mesmo a visão fascinante à sua frente foi capaz de desviar a sua atenção da provocação feita pela Haruno. Afinal, ele sabia fazer muitas coisas com uma mulher, muitas mesmo. Não era à toa que todas elas, sem exceção, gritavam o seu nome enquanto seus corpos tremiam de prazer diante de si. 

Mas mais do que isso, ele estava morrendo de vontade fazer todas essas coisas com a mulher que estava a sua frente, em especial depois de ser desafiado.

E só de vislumbrar tudo o que poderia fazer com ela, podia sentir o calor em sua intimidade aumentando e o seu volume crescendo. Como ela conseguia ser tão provocante? 

- Eu sei fazer muitas coisas com uma mulher, Sakura. - Ele disse com a voz rouca e provocante, causando um arrepio na espinha da Haruno. 

A sua vítima havia sido pega e ela não pode evitar que um sorriso malicioso surgisse em seus lábios.

- É mesmo? - Ele assentiu enquanto a olhava de cima a baixo como se estudasse cada milímetro de seu corpo. - Tipo o que? - Perguntou fingindo uma inocência que há tempos havia deixado de existir em sua vida. 

- Você está querendo que eu te mostre aquilo que eu sei? - A sua intenção era que ela o pedisse para avançar. Pobre Shikamaru, não sabia com quem estava lidando. 

Sakura deu uma risada baixa e cínica que deixou o Nara um tanto quanto intrigado. 

- Bem, na verdade, não sei se o que você tem para me mostrar é algo que possa me interessar. - Ela estava interessada, mas queria assegurar que tudo fosse exatamente como ela queria. - Você acha que o que você tem pode ser interessante para mim?

Não sabia exatamente se foi pela raiva por ter sido subestimado, ou se foi pela excitação e o tesão crescentes, mas tudo o que ele sabia era que queria mostrar para ela que ele tinha sim coisas muito interessantes para fazer com ela.

- Eu não me importo em deixar você descobrir. - Isso. Era exatamente esse o tom que ela gostava. 

Agora que as coisas estavam indo pelo caminho que ela queria, colocou um de seus pés sobre a coxa  direita de Shikamaru, e o passou de forma provocante por toda a sua extensão até parar em seu membro rijo. E pode constatar que a aposta havia sido ganha: além de grande, era grosso. Estava com sorte.

- Certo… Então por que você não me mostra o que de bom você tem a me oferecer que aí eu decido se vou me interessar pelo resto.

- Você vai. - Afirmou apenas isso. Não precisava mais de palavras, agora ele iria mostrar para ela como a sua companhia poderia ser prazerosa. 

Com delicadeza e sem tirar os olhos da mulher que tanto o excitava retirou a sapatilha que ela estava calçando, deixando um pequeno beijo em seu pé tão delicado. Puxou a sua outra perna fazendo o mesmo, mas, dessa vez, o beijo foi subindo pela sua panturrilha. 

A sua pele é delicada e tem um perfume suave, o qual ele não conseguia identificar. Claro, aquela mulher só podia exalar sensualidade pelos poros, porque só aquele aroma estava sendo o suficiente para deixá-lo ainda mais excitado. Ele queria mais daquele corpo, queria sentí-lo por inteiro, queria se embriagar naquele cheiro e saborear cada pedaço de sua pele. Os beijos ficaram um pouco mais demorados e molhados, até que se transformaram em mordidas. Não se importaria nenhum pouco em deixar algumas marcas por aquelas pernas. 

Apagou o cigarro no encosto da cadeira para que tivesse as duas mãos livres, enquanto em uma perna ele deixava beijos e mordidas, na outra passa a sua mão e a apertava com força. Não queria ser sutil, tudo o que queria era explorar cada centímetro dela. Os suspiros que escapavam pela boca da Haruno só varriam para longe qualquer rastro de racionalidade que ainda existisse. Ele estava perdido em desejo e curiosidade para descobrir a mulher que agora lhe parecia tão excitante. 

- Você é tão gostosa, Sakura. - Disse com a voz completamente rouca de tanto tesão que sentia. 

- Se ficar só por aí você não vai provar a melhor parte. - Ela o provocou. 

Ah, mas ele iria sim. Estava sedento de ansiedade para saber qual seria o seu sabor. Impulsionou sua cadeira para que chegasse mais para frente e passou as suas mãos pela bunda tão desejosa de Sakura, ele ainda daria uma atenção bem especial a ela, mas por hora, apenas a puxou para mais perto da borda da mesa. Com o auxílio dela, retirou sua saia e a sua calcinha de uma vez. Sakura continuava fumando o seu cigarro que estava quase no fim, enquanto ela o olhava de cima com certa superioridade ele a olhava de baixo  como se implorasse pelo seu corpo. 

Lentamente ela abriu mais as suas pernas e apoiou a sua mão livre sobre a mesa, se o Nara fosse tão bom quanto ela esperava, ela iria precisar se segurar em algo. 

Shikamaru ficou maravilhado com o que via a sua frente, se Sakura já era por inteiro irresistível, a visão da sua intimidade lisinha e completamente molhada estava lhe deixando com um desejo incontrolável. Ele passou a sua mão por toda a sua intimidade imaginando o quão gostosa seria. O gesto fez com que Sakura soltasse um gemido de ansiedade.

- Está esperando alguma autorização, Shikamaru? - Ela o disse provocando, afinal, as coisas deveriam acontecer no seu ritmo. 

Ele detestava ser comandado e adorava que as coisas fluíssem de uma forma lenta, ele gostava de provocar, mas agora, ele que estava sendo provocado. Algo em Sakura o deixou completamente cego, ele não se importaria de dar tudo o que ela queria e quando ela  quisesse. 

Olhando uma última vez para a mulher hipnotizante que estava diante dele enquanto observava a fumaça sair pelos seus lábios, pensou em como seria viciante beijar aqueles lábios rosados com gosto de cigarro, mas depois. Agora ele iria experimentar o seu sabor direto da fonte, queria senti-lo em toda sua intensidade.

Sem esperar mais nem um segundo, passou a sua língua por toda a intimidade de Sakura, se deliciando com o gosto de sua lubrificação. 

Ele queria mais. Muito mais. Só aquilo não seria suficiente.

Repetiu o movimento mais algumas vezes, antes de penetrá-la com a sua língua. Ele poderia se perder a vida toda ali. Sakura gemeu mais alto e apertou a borda da mesa. Com a sua força sabia que ela poderia facilmente danificar o móvel, mas sinceramente, essa era a última das suas preocupações. Aliás, até seria uma boa vingança contra Kakashi por sempre deixar o seu trabalho para ele.

Shikamaru dedicou uma atenção especial no seu ponto mais sensível, mostrando a ela até onde sua habilidade seria capaz de ir. Claro que não se limitaria isso. Ele carrega um enorme arsenal de habilidades e não é atoa que é considerado o gênio de Konoha. E sendo um gênio, tudo o que faz é muito bem feito.

E Sakura não pôde negar. 

O Nara beijava seus grandes lábios com voracidade os mordiscando de leve, enquanto sua língua trabalhava de forma precisa em seu clitóris e suas mãos apertavam com força a parte interna de suas coxas. Ele poderia fazer mais, mas aquela foi apenas uma amostra de todo o prazer que poderia fazê-la sentir. E ela estava sentindo…

Sakura sentia a pressão no seu baixo ventre aumentar cada vez mais conforme sentia os movimentos circulares da língua de Shikamaru. Definitivamente, ele sabia como tratar uma mulher. Mas ela queria mais. Queria aproveitar o máximo possível tudo o que ele tivesse para oferecer.

Ansiando sentir mais intensamente aquilo que Shikamaru estava lhe provocando, Sakura passou a mão pelo seu cabelo trazendo seu rosto para mais perto de si, enquanto rebolava em sua boca ditando como ela queria que ele a chupasse. Estava totalmente entregue ao prazer que estava sentindo, por isso, não continha os gemidos que saía da sua boca.

E ele estava cada vez mais perdido nos sons que a Haruno deixava escapar, sabia que a esse horário os únicos no prédio seriam os Anbus que faziam a guarda e mesmo que eles estivessem ouvindo, foda-se. Ele estava ocupado se deliciando com o melhor sabor que já tivera chance de provar. Eles que ouvissem que, pelo menos a sua noite, estava sendo muito mais do que interessante.

- I-isso, Shikamaru. Não se atreva a diminuir a intensidade. - Sakura disse com a voz firme aumentando o aperto de sua mão no seu cabelo sentindo Shikamaru devorá-la com mais intensidade. Assim como ela estava sedenta para alcançar o seu orgasmo, ele também estava, mas por ela.

Shikamaru não costumava obedecer ordens, em outra situação diminuiria o ritmo apenas para provocá-la, mas dessa vez, nem que quisesse, se atreveria a parar. Ele estava desesperado para que ela alcançasse o seu ápice e se derramasse. Satisfazê-la se tornou uma das suas maiores necessidades. Quanto mais ela gemia, mais ele apertava as suas coxas grossas e definidas. 

O que aquela mulher tinha feito para exercer tanto controle sobre ele daquela maneira?

Sinceramente, a resposta para essa pergunta pouco lhe importava, contanto que pudesse usufruir de todo o seu corpo, se colocaria à mercê dela sem nem pensar duas vezes. 

Na medida em que os seus gemidos iam ficando mais altos e ela gritava o seu nome, o seu frenesi aumentava ainda mais. Podia sentir seu pau latejar de desejo de se enterrar dentro dela. Se só o gosto já era bom assim, imagine sentí-la o apertando…

Sakura já estava em seu limite e logo sentiu suas coxas apertando o seu rosto, enquanto todo o seu corpo tremia sobre a mesa. O líquido do seu gozo vazava pela sua intimidade e Shikamaru sugava cada gota dele. Assim que atingiu o seu ápice, a Haruno pressionou forte a mesa danificando um pedaço dela. Vendo o estrago, Shikamaru pensou que estava feita a sua pequena vingança contra Kakashi.

Logo, os espasmos que tinha tomado por completo o corpo de Sakura se acalmaram e ela foi recobrando a sua consciência. 

- Bom trabalho. - Ela disse antes de puxar a sua cabeça para cima para olhar diretamente em seus olhos. 

Em geral, as mulheres tinham a expressão relaxada e grata depois daquilo, mas ao olhar no rosto de Sakura percebeu que esse não era o caso…

O seu olhar era fatal, quase como se estivesse pronta para sugar cada centímetro da sua alma. E ele daria a ela com prazer. Tudo o que ele queria era saber que era ele quem era capaz de satisfazê-la.

Quando se tornou tão disposto a agradar alguém?

Cedendo ao desejo dela, ele se impulsionou para cima ficando de pé a sua frente e entre suas pernas. Ela estava corada, um pouco suada e com os olhos ardendo em desejo. Como se fosse possível, ficou ainda mais excitado. Ele precisava urgentemente dela, mas antes, queria ter certeza de que tinha conseguido agradá-la.

- Gostou? - Ela assentiu enquanto mordia seu lábio inferior. Seus olhos tão claros estavam quase pretos, por conta de todo o tesão que percorria o seu corpo. Definitivamente, sua noite estava sendo divertida. - Então, agora eu posso te mostrar tudo o que eu sei?

Sakura apenas o puxou pela blusa e o beijou de forma ávida. As suas línguas se encontravam de uma forma urgente e prazerosa. Ela passou as suas pernas ao redor da cintura do Nara e o puxou para mais perto, sentindo a ereção dele por baixo da calça roçar sobre sua intimidade pulsante e pensou no quão interessante seria quando ele finalmente a fodesse. 

- Pode. - Ela parou o beijo e passou a explorar o pescoço dele com alguns chupões enquanto o observava tombar a cabeça pro lado de olhos fechados deixando alguns suspiros escapar por entre os seus lábios. Ele estava louco de desejo e completamente entregue a ela, e isso só a deixava ainda mais excitada, afinal, esse era o seu objetivo desde o começo. - Mas vai ser do jeitinho eu quero.  - Ela sussurrou em seu ouvido.

- Tudo como você quiser. - Disse enquanto se perdia nos beijos que ela deixava em seu pescoço.

A mão de Sakura passeava pelo abdômen de Shikamaru por debaixo da blusa que ele usava. Ele era muito gostoso e tinha um corpo escultural, precisava admitir. Aproveitou suas mãos ali para arranhá-lo com as duas mãos, desceu suas unhas da parte superior do seu abdômen até chegar na base de sua calça.

Assim como no campo de batalha, gostava de deixar sua marca por onde passava, mas pelo gemido rouco que Shikamaru havia soltado, ele parecia ter gostado disso ainda mais. Era hora de causar um pouco mais de estrago…

Sakura tomou novamente os lábios de Shikamaru em um beijo lento, mas intenso e profundo. Sua língua explorava cada centímetro da boca dele. Ela retirou as mãos que estavam debaixo da sua blusa e as colocou sobre o peitoral dele fazendo questão de sentir seus músculos bem definidos. Aproveitando que ele estava distraído enquanto apertava suas pernas e sua bunda, em um movimento rápido e preciso, rasgou a blusa que ele usava. 

Aquilo foi algo completamente novo para Shikamaru, devido a surpresa causada pelo ato inesperado de Sakura quebrou o contato dos seus lábios, mas ela foi mais rápida e mordiscou seu lábio inferior evitando que ele se afastasse. Mas aquela distância mínima foi o suficiente para que ele pudesse olhar no fundo dos seus olhos verdes e se perder novamente, sim, ele deixaria que ela fizesse o que quisesse com ele.

Assim que se certificou que estava tudo sob o seu controle, Sakura o afastou um pouco apenas para que conseguisse retirar sua própria blusa. Shikamaru assistia a tudo aquilo hipnotizado. A visão do corpo definido e bem contornado de Sakura é fascinante. A sua pele tão branca, marcada por algumas cicatrizes que só a deixam ainda mais sensual. 

Sem desviar o verde matador dos seus olhos dos de Shikamaru, ela levou suas mãos para trás enquanto abria o fecho do seu sutiã. Tudo o que o Nara conseguiu fazer foi contemplar aquela cena maravilhado. 

O que Sakura havia feito com ele?

É um cara paciente, mas não ao ponto de esperar que alguém ditasse seus movimentos. 

Sem deixar tempo para que ele racionalizasse muito, Sakura levou suas mãos até o cós da calça dele e o puxou para mais perto. Seria essa a hora de descobrir quais surpresas o Nara guarda. Em especial, quão grande é essa surpresa.

Voltou a beijá-lo, enquanto levou uma de suas mãos até a ereção dele a apertando com vontade. É, a sua surpresa é bem grande. Com as suas mãos habilidosas abriu a calça dele e a empurrou para o chão de uma vez juntamente com a cueca que ele usava. Não pôde evitar olhar maliciosa para o membro de Shikamaru.

Mordeu os lábios enquanto observava quão grande é o pau dele e todas as pequenas veias saltadas ao seu redor, sua boca chegou a salivar. Em breve, o chuparia com toda a sua vontade, ou pelo menos o que coubesse em sua boca, mas agora ela queria sentí-lo preenchê-la por completo. 

Enquanto Shikamaru descobria o seu corpo com a boca, chupando os seus seios e os massageando com aquelas mãos enormes, ela passou as pernas ao redor do quadril dele e o puxou para mais perto. O pau dele encostou em sua entrada que já estava encharcada, ela rebolou de leve apenas para provocá-lo e como resultado, Shikamaru deixou uma pequena mordida sobre o seu mamilo esquerdo. 

Ele a queria desesperadamente. Mantendo sua boca para estimular os seus seios, desceu as suas mãos apertando a bunda de Sakura a trazendo para mais perto e aumentando o contato de suas intimidades. Ele gostava de provocar, poderia ficar ali por mais algum tempo, se ela não estivesse rebolando de uma forma tão provocante no seu pau e não tivesse erguido sua cabeça para que ele a olhasse diretamente nos seus olhos. Aqueles mesmos olhos verdes que o faziam querer se perder neles. 

Ao sentir seu membro latejar de tanto desejo por ela, não perdeu tempo com provocações. Espalmou as duas nádegas a puxando ainda mais para si enquanto se enterrava nela. Sakura teve que se segurar nele para que não caísse ali sobre a mesa. Sentiu sua intimidade arder por conta do tamanho dele, mas, após mais algumas estocadas, qualquer incômodo foi substituído pelo prazer de tê-lo dentro de si.

Dessa vez, ela permitiria que Shikamaru saciasse os seus desejos, deixaria com que ele usufruísse um pouco do seu corpo, mas logo em seguida seria ela a se aproveitar daquele homem maravilhoso.

Shikamaru estava extasiado com a sensação de estar dentro dela, Sakura era quente, apertada e estava tão molhada… Mas não era só isso que a prendia a ela de uma forma inexplicável, era o seu cheiro inebriante, a sua pele macia e tão quente, os gemidos sussurrados, a voz manhosas chamando o seu nome, o seu olhar fatal e ela por inteiro. 

Ele só queria mais e mais dela, por isso, aumentou a velocidade das estocadas enquanto apertava com força a sua bunda, que de tão branca, certamente ficaria marcada. O barulho do choque de suas intimidades ecoava por toda aquela sala, assim como o barulho da mesa se movendo abaixo dela. Shikamaru nunca havia fodido alguém com tanta intensidade e desespero, se movimentava com velocidade e força. 

Nem se preocupava em machucá-la, pois Sakura parecia estar adorando a intensidade com que ele a fodia e ainda movimentava o seu quadril em direção a ele para intensificar a profundidade das estocadas. Tudo o que ele queria era que aquele momento durasse o máximo possível, se segurou algumas vezes para retardar seu orgasmo, aquilo estava tão gostoso que ele queria prolongar o quanto desse.

Mas Sakura, não estava conseguindo mais se segurar, ele a fodia tão bem e era tão gostoso… E logo sentiu uma corrente elétrica de prazer se espalhando pelo seu corpo que começou dentro de sua intimidade, fazendo com que ela apertasse o membro dele dentro de si. 

Quando sentiu Sakura o apertar ainda mais enquanto seu corpo inteiro tremia grudado ao seu e ela gritava o seu nome ele também não aguentou mais e se derramou dentro dela. Aquilo foi muito mais intenso do que ele esperava, por isso, deixou escapar um gemido muito mais alto do que estava acostumado. 

Os dois estavam completamente ofegantes e com seus corpos suados. Shikamaru pousou sua cabeça sobre o ombro de Sakura enquanto recuperava seu fôlego. Ela também tentava se recuperar do que tinha acabado de acontecer, mas só a ideia de saber que agora era a sua hora de se divertir, fazia todo o seu corpo se reacender. 

Ela acariciava a nuca dele com a ponta dos seus dedos, mas aquilo estava longe de ser um carinho… Shikamaru sentia como se os seus dedos transmitisse uma eletricidade que fazia todo o seu corpo ficar eletrizado. Ela queria mais e ele queria muito mais dar a ela tudo o que ela queria. 

Depois de permitir que o Nara descansasse um pouco, Sakura puxou a sua cabeça para olhar diretamente em seus olhos e o tomou em um beijo lento e provocativo. Depois de tudo o que ele havia feito, teria que ir com calma, mas ela não se importava. O beijou lentamente enquanto ele massageava lentamente os seus seios com força e brincava com seus mamilos. Realmente, ele é muito habilidoso…

Quando percebeu que ele estava começando a se animar novamente, ela quebrou o beijo e se afastou olhando diretamente em seus olhos castanhos sempre tão analíticos.

- Tira os relatórios da mesa. - Que Shikamaru detestava receber ordens todos sabiam, mas assim que ele ouviu o comando se afastou dela e começou a jogar tudo que estava sobre a mesa no chão, enquanto Sakura o olhava sorrindo maliciosa.

Assim que a mesa estava limpa, ele a olhou como se quisesse devorá-la imaginando como seria bom tê-la deitada ali com ele podendo fazer tudo o que quisesse. 

Mais uma vez, pobre Shikamaru, não sabia com quem estava lidando.

Ele contornou a mesa chegando até ela novamente, passou os seus dados suavemente pela a base de suas coxas e foi subindo pelo seu abdômen passando pelo vale dos seus seios até chegar em seu pescoço e alcançar a sua nuca a puxando para um beijo cheio de provocação e lascívia. Levou suas mãos até a bunda de Sakura e a levantou da mesa com firmeza para deitá-la sobre a mesa. 

Assim que percebeu as intenções de Shikamaru, Sakura levou o seu indicador até a boca dele, um gesto tão suave, mas que somado ao seu olhar matador foi capaz de pará-lo. 

- Não sou eu quem vai deitar ali, Shikamaru. É você. - Não era bem o que ele tinha planejado, mas se era o que ela queria, não teria outra opção. 

Ele a colocou no chão e fez exatamente o que ela havia mandado. Sakura o observava com o olhar predador.

A mesa do Hokage era grande o suficiente para que ele deitasse sobre ela e ainda sobrasse espaço. Depois que ele deitou, Sakura subiu sobre a mesa e veio engatinhando sobre ele, deixando alguns beijos e mordidas pela a sua perna. 

Só a sua aproximação foi o suficiente para que seu membro acordasse novamente. Feliz com o resultado das suas provocações, Sakura quis testar todos os efeitos que exercia sobre ele. Por isso, passou a sua língua por toda a extensão do seu pau, desde a base até a glande, arrancando um suspiro sôfrego de Shikamaru. Ela repetiu o movimento algumas vezes até que resolveu dar uma atenção especial a glande fazendo movimento circulares ao seu redor. 

Shikamaru gemeu baixo, ela estava o levando a loucura, ele precisava sentir a sua boca por todo ele logo de uma vez. Levou a sua mão até a cabeça de Sakura, mas assim que o fez, levou um olhar reprovador da Haruno e recuou imediatamente. Para compensá-lo pela obediência, Sakura colocou tudo que coube de uma vez em sua boca, se não fosse tão experiente até poderia ter se engasgado por ter o membro dele chegando praticamente ao fundo de sua garganta.

Ela continuou o chupando com maestria, enquanto o estimulava com a língua. Se fosse para ser compensado assim, ele não se importaria nenhum pouco em fazer absolutamente tudo o que ela quisesse. Enquanto ela o chupava, não tirou os olhos dele nem por um segundo sequer, ainda mais quando estava o ouvindo gemer o seu nome com aquela voz grave. Se ela continuasse assim, em pouco tempo gozaria novamente em sua boca, mas algo dentro dele dizia que ela não daria isso a ele tão facilmente. 

- Você não vai continuar, não é? - Ele perguntou.

- Não. - Contrariando a sua resposta, Sakura acelerou os movimentos até que o sentiu pulsar dentro de sua boca, ele estava perto… Hora de parar. 

Imediatamente ela parou o que estava fazendo, observou a expressão frustrada dele por não ter alcançado o seu orgasmo, mas viu que, na verdade, ele estava muito empolgado com a tortura a qual estava sendo submetido.

Ainda engatinhando ela subiu até o seu rosto deixando um rastro de beijos e mordidas por onde passava. 

- Vou te fazer gozar de outra forma. - Ela sussurrou ao seu ouvido.

- Como? 

Ela nem o respondeu. Se sentou sobre ele e com a sua mão levou o seu membro até a sua entrada, sentando nele de uma vez. Os dois gemeram com o ato brusco. Inevitavelmente, as mãos de Shikamaru espalmaram as nádegas dela, ele queria ditar o ritmo com que a foderia. Sakura aproveitou um pouco da situação para que ele a penetrasse mais fundo, porém, é claro que ela não iria deixá-lo ficar no comando. 

Ela levou as duas mãos dele para a cima de sua cabeça e as manteve presas as dele sobre a mesa o segurando, conforme entrava e saia dele rebolando em cima do seu pau. Ora de forma mais intensa, ora mais lenta apenas para provocá-lo. Enquanto Shikamaru a olhava hipnotizado e se perdia nas sensações que ela lhe causava.

Continuou assim, proporcionando e usufruindo do máximo de prazer que podia, até que ambos atingiram o máximo do seu prazer, e dessa vez, até mais intenso do que o último. 

Estavam exaustos e suados, mas não poderiam estar mais satisfeitos. Afinal, uma noite que tinha tudo para ser insuportável, foi uma das mais prazerosas da suas vidas. Embora sentissem o cansaço físico, seus corpos estavam tão relaxados que até conseguiriam aguentar o martírio que seria ler o restante dos relatórios pelo resto da noite.

Sakura saiu de cima dele, vestiram suas roupas, recolheram os relatórios que haviam sido espalhados pela sala e retomaram o trabalho. Agora, cientes de que a companhia que tinham poderia ser extremamente interessante. Até a raiva que sentiam por Kakashi já havia sido substituída por um sentimento de gratidão. 

Para ele, transar com Sakura foi infinitamente melhor do que a sua segunda alternativa, que seria dormir, afinal, nenhum sonho seria capaz de lhe proporcionar o mesmo prazer que só o corpo da Haruno foi capaz de fazê-lo sentir.

Quanto a ela, tinha que admitir que a noite com Shikamaru foi muito mais prazerosa do que seria com Genma. Quem diria que o Nara tinha tanto potencial? Tanto é que ela nem se importaria de repetir a dose qualquer dia desses. 

Depois de algumas horas de trabalho silencioso, mas repleto de olhares e sorrisos maliciosos, finalmente terminaram de ler toda aquela pilha de relatórios. 

- Nem consigo acreditar que a gente conseguiu terminar tudo. - Shikamaru disse largando o último relatório sobre a mesa. 

- Nem me fale… - Sakura suspirou aliviada. - Que horas são? 

- 6 horas. - Ele respondeu.

- Droga! Ainda tenho que passar em casa e preciso estar no hospital em meia hora. - Se levantou apressada e já correndo para a porta para que não se atrasasse mais. Porém, antes de sair lançou um dos seus olhares mais fatais para o Nara. - Até que minha noite foi bem divertida, Shikamaru. - Disse com a voz sussurrada. 

Ela se virou e continuou seu trajeto, porém, antes que pudesse passar pela porta sentiu seu braço ser segurado por uma das mãos firmes e grandes de Shikamaru. É claro que ele iria atrás dela. Sorriu satisfeita antes de se virar para ele. 

- Sakura, caso você queira ter outras noites divertidas comigo, estou completamente à sua disposição, sempre que quiser. - Em apenas uma noite, tinha conseguido deixar o Nara do jeitinho que ela gostava. 

- A gente se vê, Shikamaru. - Foi tudo o que disse antes de desaparecer pelo corredor da Torre do Hokage. 

 

Eles se viram várias outras vezes e continuaram a ter muitas outras noites até mais divertidas do que essa.

Shikamaru não poderia estar mais satisfeito: ora se divertia sob o domínio de Sakura, ora se deliciava com uma certa loira que adorava ceder aos seus desejos. Estava vivendo a mais perfeita das fantasias. 

Pena que alguém tão esperto quanto ele, se esqueceu que toda fantasia, por mais gostosa que seja, tem um prazo de validade.

Afinal, se trata de Ino e Sakura. Sozinhas, elas já tem um avassalador poder de destruição. 

Teria sido realmente uma boa ideia se envolver com as duas?

 

 


Notas Finais


O que será que aguarda o maravilhoso do Shika? 🤔

Obrigada pela leitura! 💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...