História VINGATIVA - Imagine Jungkook - Capítulo 23


Escrita por:

Postado
Categorias Ashley Benson, Bangtan Boys (BTS), Indiana Evans, Lendas Urbanas, Lucy Hale, Pretty Little Liars, Shay Mitchell, Troian Bellisario
Personagens Aria Montgomery, Emily Fields, Hanna Marin, Jeon Jungkook (Jungkook), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais, Spencer Hastings
Tags Anjo, Aria, Demonios, Hanna, Imagine, Jeon, Jimin, Jin, Jungkook, Namjoon, Rap Monster, Seokjin, Sobrenatural, Suga, Taehyung, Vampire, Vampiros, Yoongi
Visualizações 77
Palavras 3.948
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


DESCULPEM A DEMORA, MAS TÁ AI! ESPERO QUE GOSTEM!

Capítulo 23 - Descobertas e Avisos


Fanfic / Fanfiction VINGATIVA - Imagine Jungkook - Capítulo 23 - Descobertas e Avisos

ANTERIORMENTE EM VINGATIVA...

Mike: era disso que eu estava falando. Liam está fora de controle!

Spencer: foi ele quem fez isso?

Bella: o que você acha? A briga de mais cedo deixou ele nervoso. Ele precisava sair para desestressar.

Aria: desestressar ou descontar nos outros? No sangue!

Mike: Liam só precisa de ajuda! Se ficarem estressadas com ele, não vai adiantar de nada.

Bella: só vai piorar!

Aria On*

Estava caminhando por um lugar. Eu nunca tinha o visto antes. Uma estranha sensação de arrepio, percorria meu corpo, à medida que eu adentrava mais ainda o lugar. Era uma casa, abandonada, cheia de portas e janelas, algumas quebradas. Rachaduras marcavam as paredes velhas do local. Onde estou?

Continuei andando pela casa abandonada, até que uma neblina aparece. A neblina afeta um pouco a minha visibilidade ao redor, mas não afeta meus sentidos. Consigo sentir alguém perto. Vejo uma resta verde, então decido seguir em sua direção. Aos poucos, quando vou me aproximando, consigo ver perfeitamente uma silhueta, e logo sei a quem ela pertence.

Suga: o que pensa que está fazendo, Aria?-ele pergunta e um arrepio percorre meu corpo, ao ouvir meu nome em sua boca.

Aria: Suga...eu não sou Aria! Meu nome é Melany!-digo sorrindo, tentando disfarçar meu nervosismo.

Suga: você ainda insiste em mentir para mim? Você não vai conseguir, Aria. Eu sei de tudo!-sua voz soa ameaçadora. Um desespero toma conta de mim. O que vou fazer? Terei que mata-lo?

Aria: não estou mentindo, meu amor!

Suga: meu amor?-ele solta uma gargalhada. –você não precisa me dizer quem você é, para que eu saiba! Eu já sei de tudo! Vai me matar agora, Aria?-sinto um calor tomar conta de mim, isso não é normal. –por todo esse tempo você mentiu para mim! Não só para mim! Para todos nós!

Suga está diferente, sua aparência mudou. Seu cabelo é preto, com algumas mechas verdes, e seus olhos antes normais, ao fechar e abrir os olhos, eles já estão diferentes, tomaram uma cor verde claro. O que ele é?

A pergunta que ainda não consegui responder, que apenas Liam sabe a resposta, passa por minha cabeça como um grande ponto de interrogação. Eu devo ser muito inútil mesmo, para ver e não saber do que se trata.

Suga: vai mentir novamente, Aria? Vai dizer que tudo era verdade?

Aria: Não!-um sorrisinho sarcástico se forma em seu rosto.

Suga: então me diga a verdade!-cerro meus dentes, controlando minha boca. Não importa o quanto ele peça, não falarei. –bom, não precisa mesmo! Se você pensa que vai adiante com essa vingança ridícula, pode parar, você não vai sair nem viva daqui!

Aria: o que vai fazer, Suga? Vai me matar? Matar sua namorada?-ele gargalha outra vez.

Suga: namorada? Você mentiu para mim! Você não significa mais nada para mim! A garota que eu namorei se chamava Melany, mas ela nunca existiu. Está morta!-ele fecha os olhos. –acha mesmo que vou deixar você matar minha senhora? A Sra. Kim?

Aria: ela matou meus pais!

Suga: isso não me importa nenhum pouco! Seus pais eram monstros! E você se tornou um monstro bem pior do que eles! Um monstro que bebe sangue e tem sede de vingança!-ele sorri. –mas é exatamente isso que vai te matar!-dois punhais surgem em suas mãos, um em cada.

Um ódio toma conta de mim. Meu sangue ferve. Não deixarei ele dizer isso! Não dos meus pais! Eles não eram monstros! Eram as melhores e mais doces pessoas do mundo, mas foram mortos, pelos Jung! E isso, eu não vou perdoar! Nunca! Eu posso ser um monstro, mas meus pais não eram, e não mereceram a morte que tiveram! Não vou permitir que ele fale assim dos meus pais! Se é preciso tirar uma pedra do meu caminho, eu tirarei!

Sinto o calor aumentar. O que há comigo? Cada vez mais o sinto, mas não estou suando. Avanço para cima de Suga e ele começa a manusear os punhais para me ferir, mas eu consigo desviar algumas vezes, mesmo assim, ele acaba me ferindo em alguns lugares bem dolorosos. Não há tempo para gemidos de dor. Continuo a lutar, mesmo com ela.

Chamas verde, aparecem nas mãos de Suga. Ele vem em minha direção e tenta me acertar, mesmo um pouco longe. Ao tocar minha pele, as chamas queimam dolorosamente, é quase insuportável. Mas não posso perder, não posso morrer!

Me aproximo o suficiente de Suga, como se soubesse o que fazer. Minha velocidade ajuda, e ele mal percebe quando estou perto. Ele tenta se defender, mas ao meu toque, seu corpo parece desmoronar de dor e ele grita, suas chamar verdes passam misteriosamente para minhas mãos e eu consigo atingi-lo. Suga é lançado para longe de mim e está quase morto. Me aproximo dele para terminar o serviço. Como eu disse, não vou deixar uma pedra atrapalhar o meu caminho. Posiciono minhas mãos na cabeça de Suga, pronta para girar e torar seu pescoço. Por um breve momento, lembranças minhas e dele passam em minha cabeça. É triste saber que a pessoa quem eu gostava tanto, que possuía um carinho, está tentando me matar agora. Eu gostava de você Suga, mas você me obriga a te matar!

Sou tirada de meu transe por uma dor enorme em meu peito, olho para baixo e vejo que Suga usou suas poucas forças, para enfiar um de seus punhais em meu coração. Sangue começa a sair da ferida. O punhal ainda está em meu coração. Sinto um liquido sair dos meus olhos, passo a mão e vejo, é sangue. O mesmo acontece com meu nariz e boca. Aos poucos vou fechando os olhos, mas antes, ainda vejo o coreano se recuperar e sorri ao ver a minha morte. Ele pega um pouco do meu sangue e bebe, suas feridas começam a curar. Ele sorri mais ainda para mim.

Suga: Vá para o Inferno, Aria!-ele diz e solta uma gargalhada. É a ultima coisa que vejo, antes de fechar os olhos definitivamente.

Abro os olhos lentamente, vendo uma claridade imensa. Onde estou? Aos poucos, minha vista vai se acostumando com a luz e finalmente consigo ver o lugar. É um campo. O Sol reluzente brilha no céu azul, o ar é puro e limpo de se respirar. As árvores e plantas ao redor me dão uma sensação de liberdade. Minhas roupas já não são as mesmas. Trajo um short jeans, curto, e uma blusa branca de mangas longas, com alguns bordados e que mostra um pouco da minha barriga. Estou no céu?

Ouço o barulho dos animais na floresta. De repente, também ouço alguém chamar o meu nome distante. Uma voz que não ouvia há muito tempo, mas que conheço bem. Me viro para fitar a pessoa, e não acredito no que meus olhos veem. Meus pais.

Mãe: Aria!-ela grita me chamando. –Aria filha! É você?-ela sorri com lágrimas nos olhos.

Sinto meus olhos ficarem marejados, enquanto vejo meu pai já chorando, e ela também.

Aria: Mãe! Pai!-grito e corro até eles, os abraçando. Sinto as lágrimas deles molharem minha blusa.

O clima começa a fechar. Minha mente fica confusa. Ao olhar novamente para os meus pais, vejo suas roupas sujas de sangue. Olho para a minha e vejo o furo em meu coração, feito por Suga.

Aria: o que aconteceu?

Mãe: a pergunta não é essa, filha! A pergunta é: o que vai acontecer se você continuar do jeito que está?-ela fala seriamente. Não é a mesma voz doce e carinhosa de antes.

Aria: que jeito?-sinto vontade de chorar perante eles, mas não posso. Meu pai me lança um olhar frio.

Pai: está se deixando levar por sentimentos humanos, Aria! Você precisa entender que não é mais humana e sentimentos humanos só vão te atrapalhar na sua vingança! Você não quer nos vingar? Você escolhe o amor ao invés do ódio?-lágrimas saem de meus olhos.

Aria: NÃO! Eu quero vingar vocês! Eu quero muito! É o que eu mais quero!

Mãe: então, por que está se deixando levar pelo filho dos Jung? Por que está se apaixonando por ele?-minha mãe me lança um olhar de desgosto. –por que está se deixando levar pelos sentimentos, que sente pelo garoto? Pelo Jungkook!-ela sabe o nome dele.

Aria: Mãe...-posso sentir seu desgosto. –me desculpe...

Pai: desculpas não são o suficiente, Aria! Se você quer mesmo nos vingar, foque apenas nisso e não se deixe levar! Elimine quem precisar para que ninguém te atrapalhe, ou isso –ele toca o sangue em meu ferimento no coração. –vai acontecer de verdade!-coloco a mão por cima da sua.

Aria: pai...

Pai: estamos te avisando para o seu bem, Aria! Não queremos que você morra, assim como nós. Mas se continuar a fazer as coisas do seu jeito, isso acontecerá!

Mãe: os Jung não conhecem o perdão, filha. Se você falhar, eles te matarão na certa e nem o Jungkook te apoiará. Ele ajudará a te matar! Qualquer um dos que hoje estão próximos a você e são seus amigos, estarão dispostos a te trair, porque eles devem mais lealdade aos Jung, do que a você!

Aria: eu não vou permitir!

Pai: então desfaça! Desfaça os laços sentimentais! Foque apenas em sua vingança, antes que algo ruim aconteça!

Mãe: creio que não será preciso algo ruim acontecer para que você entenda, não é mesmo filha?

Aria: não!

Pai: algo ruim e doloroso está vindo, filha! Se você não mudar sua conduta agora, isso a fará mudar! Como eu disse, os Jung não perdoam!-vejo eles sumirem aos poucos da minha vista.

Aria: mãe! Pai! Por favor! Não! Não me deixem sozinha! Não me deixem sozinha de novo!

Pai: você já foi avisada, Aria!

Mãe: cabe a você decidir se mudará, ou persistirá no erro!-é a ultima coisa que ela diz antes de desaparecer completamente.

A chuva começa a cair, uma tempestade se forma e um raio corta o céu. A chuva me molha intensamente e enquanto olho para ele, vejo a imagem de Jungkook formada pelo raio.

“Nem o Jungkook te apoiará. Ele ajudará a te matar”

Abro os olhos sentindo alguém me balançar ferozmente. Minha visão borrada, começa a tomar nitidez e vejo que Hanna me balança desesperada, enquanto Spencer, Emily e Bella observam a cena.

Hanna: Aria! Aria por favor! Acorde! Está tudo bem?-ela pergunta dando algumas batidinhas em meu rosto.

Aria: Hanna?-rapidamente, lembro da ferida em meu peito. Coloco a mão no local, mas já não há mais nada. O que foi aquilo? Um sonho? Um pesadelo? Uma visão?

Spencer: você estava dormindo? O que aconteceu com você?-pergunta preocupada.

Bella: que eu saiba, vampiros não dormem!-diz debochada.

Aria: eu não sei...-digo perdida. –acho que eu tive...uma visão...

Hanna: o quê?

Emily: o que tinha na visão?-pensei um pouco se deveria contar, mas afinal, são minhas amigas.

Aria: Suga me descobria e me matava.

Bella: eu sabia! Temos que te afastar daquele garoto antes que ele descubra! Ainda mais agora que ele desapareceu misteriosamente com os outros. Não confio nele quando estiver de volta!-protestou visivelmente irritada.

Spencer: o que acontecia depois?

Aria: depois de morrer...eu encontrei meus pais...em um lugar...um campo. –suspirei. –eu os abracei e nós...choramos. Eles me disseram que não posso me deixar levar pelos sentimentos se quiser me vingar perfeitamente. Disseram que...preciso me afastar do Jungkook e desfazer todos os laços sentimentais que construí com os meninos.

Hanna: o quê? Por quê?

Bella: você é surda? Isso só irá atrapalhar!-Bella falou olhando fixamente para Hanna, com os olhos semicerrados, como se soubesse algum segredo seu.

Spencer: o que você vai fazer?

Aria: o que eles disseram!

Emily: você acha que consegue?

Bella: eu duvido que consiga tão fácil assim como diz! Você já criou laços quase tão fortes quanto os nossos. Vai ser difícil desfazer assim, do nada!-disse olhando através da janela.

Um suspiro involuntário saiu de minha boca.

Aria: vamos! Precisamos ir à escola!-disse me levantando e indo em direção ao banheiro.

Aria Off*

Sra. Kim On*

Mansão Jung – 05:00

Jungkook estava esgotado. Ele usou demais suas forças para uma primeira vez. Ele se esforçou muito. O que ele estava tentando provar?

O trouxe para casa, junto com os outros garotos que dormiram em uns dos quartos da mansão. Ainda era cedo, quando a campainha tocou. Quem seria?

Pensava ser as meninas, elas disseram que viriam assim que estivessem descansadas, mas não era.

Ao abrir a porta, dei de cara com uma figura conhecida, mas que não me agradou muito. Jennie. Ela gosta do meu filho. É uma boa garota, mas sabe ser chata, inconveniente e insuportável quando quer.

Sra. Kim: Jennie querida! O que faz aqui tão cedo?-perguntei olhando para a garota já arrumada para ir à escola.

Jennie: acordei mais cedo hoje Sra. Kim, apenas para passar aqui e ver o Jungkook! Ele irá hoje para a escola?-olhei para ela um pouco desconfiada.

Sra. Kim: não sei. Meu filho está muito cansado, é melhor você vir outra hora, querida!-estava quase fechando a porta, quando ela segurou.

Jennie: ele ainda está doente? Não melhorou?-perguntou e arqueei uma sobrancelha.

Sra. Kim: doente? Quem lhe disse que ele estava doente?

Jennie: eu supus! Ele não está?

Sra. Kim: sim, ele esteve um pouco mal esses dias!-aproveitei o pé para dar a desculpa.

Jennie: mandei várias mensagens, mas ele não respondeu nenhuma delas...-baixou a cabeça um pouco triste. –pensei em vir aqui ontem, mas já estava tarde. Então deixei para vir hoje! Por favor! Posso vê-lo?-pensei um pouco. A garota era insistente demais e não iria embora facilmente. Por fim, deixei-a entrar.

Subi até o quarto de Jungkook, onde abri e vi se meu filho estava com a aparência melhor. Ele dormia calmamente e estava com a blusa branca que coloquei nele ontem, e o short.

Desci e fui ao encontro de Jennie.

Sra. Kim: por favor! Não faça muito barulho! Ele dormiu tarde ontem e estava muito cansado!

Jennie: prometo!-disse juntando as mãos.

A guiei até o quarto de Jungkook e parei em frente e porta, ela adentrou devagar e eu fechei a mesma. Devia acordar os outros, já estava quase na hora de ir para a escola e eles não poderiam faltar nem mais um dia. Não quero que ninguém desconfie deles, principalmente as vampiras.

Sra. Kim Off*

Jennie On*

Depois de muita insistência, a Sra. Kim finalmente me deixou ver o Jungkook. Eu estava morrendo de saudades dele. Não o via a alguns dias. Fiquei muito preocupada pelo fato dele não responder minhas mensagens. Isso me assustava. Eu queria mesmo saber se ele estava bem. Eu precisava.

Adentrei seu quarto lentamente, vendo Jungkook dormindo como um Anjo. Ele parecia cansado. Muito cansado. Estava com pena de acordá-lo, não sabia se ele iria para a escola.

Calmamente, me baixei ao lado da cama e coloquei minha cabeça em cima dos braços, apoiados na cama. Observei Jungkook dormir calmamente, sua respiração era calma e suave. Não me aguentei e sorrindo, levei uma de minhas mãos aos seus cabelos. Alisei suavemente eles, mas Jungkook sentiu meu toque. Ele piscou levemente, com os olhos quase fechados.

Jungkook: Me-Melany?...-ele sussurrou, mas entendi muito bem.

Sua visão podia não estar nítida, mas me confundir com a Melany. Ai já é demais!

Jennie: sou eu, Jungkook! Jennie!-disse e ele abriu os olhos assustado. Provavelmente por minha voz firme e irritada.

Com os olhos arregalados, ele me fitou.

Jungkook: Jennie? O que faz aqui?-ele pegou seu celular ao lado da cama. –a essa hora?

Cruzei os braços me afastando da cama e sentando em uma cadeira perto da mesma.

Jennie: eu vim te ver, mas vejo que não era eu, quem você esperava ver!-ele esfregou um pouco os olhos.

Jungkook: me desculpe. Eu ainda estava dormindo...

Jennie: esquece!-disse olhando para o lado. –então? Está melhor?-ele arqueou uma sobrancelha.

Jungkook: melhor?

Jennie: sim! Você estava doente, não estava?-ele olhou para si mesmo, como se procurasse entender o que estava acontecendo.

Jungkook: Ah! Estava sim! Estou melhor! Claro! Obrigado!-disse rapidamente.

Jennie: vai à escola hoje?

Jungkook: sim!

Jennie: se não estiver se sentindo bem, eu posso ficar aqui com você!-falei me aproximando e tentando tocar seu rosto, mas ele se afastou bruscamente de mim, como se eu fosse mordê-lo.

Jungkook: estou ótimo! Só preciso de um banho e...espaço!-disse olhando para os lados.

Jennie: tudo bem! Vou esperar lá em baixo!-falei me dirigindo a porta.

Jungkook: obrigado!-ouvi antes de sair.

Bufando, eu segui até a sala e me sentei em um dos sofás. Por que ele se esquivou de mim? Ele prometeu que tentaria!

Jennie Off*

Jungkook On*

Ao sentir aquele carinho, eu esperava que fosse Melany. Eu queria que fosse ela, mas não era, era apenas a Jennie. Me assustei ao vê-la, porque não a esperava e ela estava muito próximo. Ela tentou ser carinhosa, mas eu ainda estava confuso e tentando processar o que aconteceu no dia anterior.

Depois de algum tempo que ela saiu. Eu estava sentado na cama, tentando me lembrar, quando minha Omma adentrou o quarto.

Omma: Jungkook? Você acordou.

Jungkook: sim, Omma...

Omma: bom dia, filho! Como se sente?-ela sentou ao meu lado e tocou meu rosto sorrindo.

Jungkook: melhor...-forcei um sorriso.

Omma: meu filho! Tão perfeito! Parece um boneco!-disse enquanto acariciava meu rosto. –agora você é muito poderoso, Jungkook! Nada vai te machucar! Entende o quão especial, você é agora?

Jungkook: acho que sim...

Omma: você é um anjo filho! Não é como eu, nem como seu pai! Nós somos só metade anjos! Temos sangue humano, misturado com o sangue angelical, mas você e seus amigos não! Vocês são anjos puros!-disse sorrindo.

Jungkook: somos especiais?

Omma: sim!

Jungkook: Aquelas garotas...elas?...

Omma: sim! Elas são como vocês! Pessoas como vocês são muito raras, por isso, devem ficar unidos! Elas tem muita coisa para ensinar a você e seus amigos!

Jungkook: entendo...-ela pegou minha mão.

Omma: sei que ainda parece confuso, mas logo você vai entender tudo!-ela depositou um beijo em minha testa e levantou indo em direção a porta. –vou preparar seu café! Se arrume e desça!-assenti e ela saiu.

Suspirei e fui em direção ao banheiro.

Minutos depois...

Ouvi a porta do quarto abrir, enquanto colocava meus brincos. Olhei em direção a mesma e vi meus irmãos entrando.

Taehyung: como se sente?

Jimin: está melhor?

Jungkook: sim...

Jimin: que “sim” duvidoso!-disse sentando na cama. Enquanto Taehyung, apenas sentou em uma cadeira.

Taehyung: você estava muito mal ontem!-disse passando a mão levemente nos cabelos. –que treinamento foi esse com o Suga? Vocês estavam se matando por acaso?

Jimin: tem a ver com a Melany?

Jungkook: não! Nada disso!-digo direcionando meu olhar para eles. –Suga já havia descoberto qual era seu poder. Estávamos lutando há algum tempo, mas não era somente entre nós. Ele tinha que atacar as garotas também.

Taehyung: então, por que você ficou pior que ele?

Jungkook: eu demorei a descobrir meu poder! Suga descobriu primeiro...-suspirei. –quando descobri, as garotas pediram para que ele saísse da sala e começaram a me atacar!

Jimin: as garotas? Não era só a do cabelo cinza que estava com vocês?

Jungkook: depois a ruiva entrou! Ela começou a me provocar...

Taehyung: como?

Jungkook: com algumas coisas...-desviei o olhar. –ela disse que eu precisava de pressão para que o meu poder se manifestasse, e quando se manifestou, eu não consegui me controlar e quase a matei! Mas, por fim, consegui parar.

Jimin: nossa!-disse surpreso. –qual é o seu poder?

Eu estava prestes a dizer algo, quando fui cortado por uma voz feminina, que vinha da porta do quarto.

Angel: Eletricidade!-ela disse sorrindo. –parabéns garotinho!

Jungkook: eletricidade?

Angel: sim! Não viu os raios em sua mão?-riu. –mas, esse não é o seu único dom. –disse se aproximando de mim e pegando meu pulso, onde me mostrou o Sol e a Lua, mas antes era apenas um Sol. –Você tem um dom da Luz e outro das sombras.

Jimin: o que significa isso?

Angel: dons da Luz são dons brancos, não podem machucar pessoas. Feri-las. Já dons das sombras, podem machucar muito e até matar pessoas!-arregalei os olhos. –dependendo do dom que você usa, seus olhos alternam de cor. Usando o dom da luz, eles ficam verdes, assim como suas pedras de anjo! Usando o dom das sombras, eles ficam azuis. O mesmo para as pedras.

Jungkook: nossa!

Angel: não se preocupe muito! Vou te ajudar a controlar!

Taehyung: qual é o outro dom dele?

Angel: ele consegue controlar os sentimentos!

Jungkook: o quê?

Angel: você consegue sentir e controlar os sentimentos das outras pessoas!-ela riu com minha expressão surpresa.

Jungkook: nossa! Já sabem o dom de vocês?-perguntei olhando para os meus irmãos.

Jimin: temos uma ideia, mas não temos certeza...

Depois que Jimin fala, a porta abre novamente e todos os meus amigos entram, inclusive as outras duas garotas que faltavam.

Jungkook: tem uma festa no meu quarto e eu nem sabia...-ironizei, mas não ri.

Mina: meninos! Vamos explicar seus dons a cada um de vocês. Você não podem ir para a escola sem saber o básico sobre eles. Então nós, explicaremos a vocês!-todos assentiram. –vamos começar com os que eu fiquei responsável. Namjoon e Jimin!-os dois olharam para ela. –o Dom de Namjoon, é um dom da luz. Por isso o sol em seu pulso. Você tem o dom de ficar invisível. Sua arma é um arco e flecha, com a pedra transparente, sua pedra de Anjo. Jimin, seu dom é um dom das sombras e outro da Luz, assim como Jungkook, você possui dois dons. Seu dom da luz é o Canto. Você pode hipnotizar pessoas com a sua voz. Já seu dom das sombras, é o metálico. Você é um Magnetron. A cor da sua pedra de anjo é cinza. –todos focamos nossos olhares em Jimin e em Namjoon.

Lyna: Jin e Taehyung!-ele prestam atenção nela. –Jin, seu dom é das sombras. Você pode controlar os Sentidos das pessoas, como visão, audição, voz, etc. A cor da sua pedra é rosa. Já você, Taehyung, tem dois dons, assim como seus irmãos. Seu dom da luz é ler pensamentos e seu dom das sombras é Controlar a Luz. Esse dom permite que você manipule a luz. A cor da sua pedra de Anjo, é amarela.

Angel: Jungkook e Yoongi!-nós olhamos para Angel. –Seu Dom, Jungkook, como você já sabe, é controlar a Eletricidade e os Sentimentos. As cores da sua pedra são, verde e azul. Já o seu Suga, é controlar o Fogo. Seu Fogo é diferente, possui a cor verde. Sua pedra é verde menta.

Mina: sabendo disso, vocês já estão basicamente instruídos para irem a um ambiente com muitas pessoas! Tentem se controlar e não tentem testar seus dons em publico!-todos assentimos e elas saíram junto conosco para tomarmos café.

Seria um longo dia.

Minutos depois...

Depois que tomamos café, Jennie ainda estava me esperando e então saímos. Ela olhou feio para Angel e as outras garotas, mas eu fingi nem perceber. Não queria começar uma discursão com ela. Embora ela estivesse muito afim disso.

Finalmente chegamos na escola e meus olhos pairam na pessoa que anda distraída pelos arredores do colégio. Até que seus olhos se encontram com os meus.

Jungkook Off*

Aria On*

Estava chegando na escola, quando sinto um olhar sobre mim, um cheiro e uma presença conhecida. Não pode ser, mas é. Jungkook. Ele está olhando para mim, enquanto ando. Ele está diferente. Jennie está ao seu lado, mas não olho para ela, apenas para ele. Seus olhos tem uma pontada de mistério, e ele parece mais cauteloso.

Encaro seus olhos por alguns segundo, até que meu olhar se direciona para o cordão em seu pescoço. O pingente são asas. Asas de Anjo. Olho novamente para seus olhos.

Aria: Anjo...

CONTINUA...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...