1. Spirit Fanfics >
  2. Vinho Tinto na Noite Fria >
  3. Uma adega de vinhos Diferente

História Vinho Tinto na Noite Fria - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Olá meus amores, tudo bem com vcs? Bom trago um conto adulto, cheio de vinho e altas pegações. Espero que gostem e boa leitura a todos!

Capítulo 1 - Uma adega de vinhos Diferente


Um dia de frio intenso com muita neve e lá estava eu Mike Shinoda tentando a todo custo convencer meu marido Chester Bennington a jantar fora essa noite. Mais cedo no trabalho enquanto arrumava os instrumentos na minha loja de música eu soube por uma das clientes que uma nova adega de vinhos tinha sido aberta ali perto e que os vinhos vendidos lá eram deliciosos e de boas safras. Eles usavam uvas selecionadas e de boa qualidade rendendo assim ótimos vinhos. Meu marido Chester era meio preguiçoso e não gostava muito de sair de casa em dias de frio e neve.

— Ah! Vamos meu amor, precisamos dar uma boa apimentada em nossa relação e nada mais emocionante do que um jantar fora com um bom vinho tinto e um bom fondue de chocolate para nos aquecermos. — Eu dizia tentando convencer Chester e sair comigo.

— Aí Mike para que meu amor, vamos sair e passar frio e você pode, até pegar um baita resfriado nessa neve toda. — Chester dizia se aconchegando mais na coberta de peles dele.

— Ah! Meu amor o vinho da adega nova aqui perto e o Chocolate da fondue vai nos manter quentinhos na rua e você vai gostar vai ver só.

— Ta bom Mike, mas se eu ficar doente é culpa sua e você vai ter que cuidar de mim por uma semana está, bom assim? — Chester pergunta achando que eu não toparia.

— Eu topo, vamos sair e curtir essa noite meu amor e se você ficar doente prometo que cuido muito bem de você. — Olho para ele com a minha melhor cara maliciosa.

 

O dia tinha se passado normal e eu terminava os afazeres de casa como arrumar as camas dos quartos das crianças… sim tínhamos dois filhos lindos que já eram adolescentes Per Ohlin e Øystein Aarseth. Eles eram adotados e Chester e eu os amamos muito. Eles eram a nossa maior alegria na vida. Øystein era o mais velho ele tinha 16 anos e Per era o mais novo com 15 anos. Enquanto eu arrumava as coisas me lembro do dia em que conheci meu marido Chester a mais de 17 anos atrás.

 

Eu tinha que fazer uma entrega especial para Chester e tinha ficado preso com ele na casa da montanha por causa da neve e com o passar do tempo fomos nos apaixonando e hoje estamos casados e com esses dois filhos maravilhosos. Saio de meus devaneios quando vejo Per entrar no quarto com o irmão mais velho atrás e eles me olhavam cuidando do quarto deles.

 

— Não precisava arrumar nosso quarto papai Mike agente mesmo pode arrumar pode deixar. — Øystein fala se adiantando e tirando os lençóis da minha mão.

— É papai pode deixar que a gente cuida da casa, você e papai Chester pode se arrumar para o jantar de vocês que a gente cuida de tudo aqui em casa. — Per fala sentando na cama do irmão.

— Ok então meus filhos, vou sair com o pai de vocês e provavelmente chegaremos tarde da noite então não nos esperem e aqui tem 100 reais para vocês pedirem umas pizzas e algo mais que vocês queiram. — Digo entregando o dinheiro e dando um beijo na testa deles saindo logo em seguida do quarto.

 

Vou para o meu quarto e de Chester e o encontro fumando um cigarro na janela que dava para o jardim.

— A tarde está linda para sair hoje meu amor, vê está calmo apesar de toda essa neve.

— Sim meu anjo essa noite pode ser muito divertida para nós. — Chester fala terminando seu cigarro e pegando a toalha de cima da cama. — Vou tomar banho quer vir comigo?

— Claro eu não perderia seu corpo nu no chuveiro por nada desse mundo meu amor — digo e fomos para o banheiro.

 

Chester tira as roupas e tiro as minhas logo em seguida abro o registro do chuveiro e entro dentro dele. A água cai sobre meu corpo quente e logo o sinto ir relaxando e quando estava quase para pegar o shampoo sinto as mãos quentes e fortes do meu marido passando por todo o meu corpo e indo em direção ao meu membro que aos poucos já ia ficando duro de tesão.

— Olha só quem está animadinho já aqui em baixo — Chester fala se abaixando e antes que eu pudesse protestar ele me coloca inteiro dentro da boca movendo a cabeça para cima e pra baixo fazendo movimentos precisos com a língua ao redor do meu pau duro e pulsante.

 

— ISSO meu amor me chupa gostoso vai — digo e Chester aumenta a velocidade da chupada e logo acabo gozando em sua boca.

 

Chester pega minhas mãos e coloca sobre o membro dele que pulsava duro e forte. Eu o masturbei por alguns minutos sempre dando beijos quentes em sua boca e logo ele goza também. Saímos do banho, momentos depois e já no quarto eu e Chester nos trocávamos para sair. Escolhemos colocar uma roupa adequada para sair nesse frio de inverno.

 

Chester estava vestido com uma calça, jeans preta, uma camiseta de banda e uma jaqueta de couro por cima fechada até o pescoço. Já eu estava vestindo uma calça, jeans lavada e rasgada nos joelhos e uma camiseta de flanela escura. Eu não estava com muito frio por que sabia que o vinho e o doce iam me esquentar. Depois de trocados e devidamente prontos eu pego minha carteira e celular e Chester pega a dele e seu celular.

 

— Se comportem meninos e nada de garotos aqui na casa fazendo bagunça hein! — Digo mais para Øystein que era o centro das atenções na escola. Acho que ele era popular e Per não fazia muita questão de ser assim eu acho.

— Pode deixar papais vamos só pedir umas pizzas e um refrigerante e depois vamos ver uns filmes — Dead diz.

— Ok meus amores, boa noite para vocês e não façam nada que eu e seu pai não faria hein — Chester diz e logo saímos de casa.

A adega não era muito longe, na verdade, era uns 10 minutos de carro de onde a gente morava até lá. Logo chegamos e estacionamos o carro e descemos do mesmo indo até a adega. Somos recebidos logo na entrada por um homem alto de longos cabelos negros e olhos verdes com um piercing no nariz e em seu uniforme de trabalho lia-se Frost. Acho que esse era seu nome.

— Olá, senhores meu nome é Frost e conduzirei os senhores até a mesa — Disse o tal Frost nos levando para dentro da adega.

 

— Ok tudo bem — Chester diz e adentramos o lugar olhando em todos as direções.

 

Altos barris de vinhos de todos os tipos eram enfileirados do chão até a metade da parede. Ali eram fabricadas mais de 20 espécies de vinhos… desde os mais suaves até os mais secos. Frost nos guiou até o fundo do estabelecimento onde tinham umas 50 mesinhas com cadeiras todas de madeira envernizadas iguais aos barris dos vinhos. Nós sentamos e logo Frost colocava o menu de vinhos a nossa frente.

 

— Aqui senhores, daqui a pouco voltarei para saber a escolha dos senhores mais recomendo o melhor vinho rose da casa já que são um casal. — Frost fala nos mostrando uma garrafa de vinho rose Wongraven 1991. — Esse vinho é suave e muito saboroso, senhores.

— Ok acho que vamos tomar esse mesmo e queremos fondue de chocolate também apara acompanhar. — Chester fala e eu concordo com ele. Acho que fizemos uma boa escolha.

— Sim senhores jaja trago seus pedidos. Fiquem à vontade. Jaja Satyr o dono da adega chegara com seus pedidos. Ele gosta de conhecer os novos fregueses da casa.

 

Frost sai e Chester fica encantado com a beleza do lugar. Eu também tinha me encantado com a beleza de uma verdadeira adega de vinhos verdadeiramente norueguesa ali em nossa cidade. Eu e Chester conversávamos quando um homem alto com longos cabelos negros e profundos olhos azul-acinzentados chega com nossa fondue e o vinho rosé.

 

— Olá, senhores meu nome é Satyr e fico imensamente feliz por recebe-los na minha adega de vinhos. Vejo que escolheram nosso melhor vinho. Fizeram uma ótima escolha. As uvas de nossos vinhos são altamente selecionadas, frescas e esse vinho em especial é perfeito para casais.

— Obrigada, estamos adorando o ambiente e esse fondue está maravilhoso — Falo colocando um morango no garfinho e passando no chocolate colocando um em minha boca e outro na boca de Chester.

— Realmente isso aqui está uma delícia, muito bom mesmo estão de parabéns, senhor Wongraven — Chester diz abrindo a garrafa de vinho com o abridor que estava na bandeja e enchendo nossas taças até a metade. Damos o primeiro gole e nossa que DELICIA de vinho.

— Que bom que estão gostando e se divertindo. Meu objetivo é justamente esse fazer as pessoas se sentirem bem e satisfeitas ao tomarem um bom vinho. Vou deixá-los à vontade agora tenha um boa noite senhores.

Satyr sai nos deixando sozinhos, mas percebi como ele olhou para mim e para Chester… é impressão minha ou esse Vinicultor estava dando olhares com segundas intenções para nós dois. Acho que é coisa da minha cabeça, mas mesmo assim achei sexy o olhar desse homem.

 

Realmente o vinho era maravilhoso e bem rosinha, uma verdadeira delícia. Era suave e nem parecia que continha álcool ali. Duas taças depois eu e Chester já estávamos bem alegrinhos. Eram exatamente umas 23:00 quando todos os clientes já tinham ido embora e só restava Chester e eu ali. Frost se arrumava na recepção e acho que ele também estava indo embora então isso significa que Satyr estava por ali e era o responsável pelo fechamento da adega.

 

— Boa noite senhores, ficarão agora na companhia do senhor Satyr, horário aqui acabou. Espero que continuem curtindo a noite aqui. Até uma próxima vez. — Frost estende sua mão para mim e Chester e nos despedimos dele que sai e vai embora logo em seguida.

— Bom acho que está já na hora de irmos embora também Mike, acho que o senhor Wongraven deve estar querendo fechar o lugar e estamos o atrapalhando.

 

— Oh! Não de maneira nenhuma, senhor Bennington, adoraria a companhia dos senhores mais um pouco. Só beberam esse vinho a noite toda. Venham, quero lhes mostrar a diferença do sabor tirado direto dos barris se não se importarem.

— Claro que não, eu e Mike não temos nenhum compromisso então acho que está tudo bem não é meu amor? — Chester me pergunta e concordo com a cabeça e mais uma vez sinto o olhar de segundas intenções de Satyr em nossa direção.

 

— Será uma honra a companhia de vocês aqui — Satyr fala e nos leva onde os barris de carvalho envelhecidos estão.

 

De um armarinho que fica ao lado do barril ele tira três taças e as enche de vinho do barril ao seu lado. Satyr nos entrega às duas taças e fica om a terceira para ele. Damos um longo gole e o vinho era mais escuro e também muito suave e gostoso.

— Esse é nosso Barolo Unione Nero di Wongraven 2006. Ele é de uma safra bem nova, por assim dizer, mais é excelente para amigos mais íntimos. — Satyr pisca para nós e vejo o desconforto de Chester.

- Acho que já está na hora de irmos embora não é Chester? — Pergunto para ele mais, na verdade, eu não queria ir. Algo nesse vinicultor me chamou a atenção.

— Ah! Não meu amor vamos ficar mais um pouco, gosto de conhecer coisas novas. — Chester pisca de volta para Satyr e tanto eu como ele ficamos surpresos por Chester ter percebido suas intenções com aquilo.

— Vejo que entenderam minhas intenções senhor Bennington. — Satyr fala e logo chega mais perto de Chester lhe dando um beijo molhado. Fico chocado com aquela cena mais ao mesmo tempo, me excitado ao ver o modo experiente com que Satyr conduzia o beijo em Chester.

 

Logo depois ele vem em minha direção pegando em minha nuca e me dando um delicioso beijo quente. Em sua língua estava o gosto do vinho que acabamos de tomar e era muito gostoso. Aquele homem sabia como seduzir uma pessoa e depois de tantos anos casados eu e Chester não esperávamos que algo tão excitante assim poderia nos acontecer. Eu beijava Satyr e Chester beijava as costas e nuca deste.

 

Chester desabotoa a calça do homem a sua frente e fico surpreso que ele tenha essas atitudes, mas estava gostando MUITO dessa nova experiencia. Satyr chuta a calça para longe e logo se vira na direção dos barris de carvalho e com uma taça ele a enche de vinho e despeja sobre o próprio corpo. Eu e Chester entendemos o recado e logo estávamos lambendo todo aquele lindo corpo bem trabalhado. Satyr tinha os dois braços tatuados até a altura dos cotovelos e era forte. Sua pele era muito branca e macia.

 

Agarro em seus cabelos e o faço se abaixar em minha frente e logo ele e Chester estão aos meus pés chupando meu membro que lateja com vontade na cara deles. Minhas roupas tinham sidos tiradas as presas e meu corpo agora se encontrava lambuzado de vinho tinto. Satyr e Chester tinham enchido as taças e jogado o líquido alcoólico sobre meu corpo e sobre o deles também antes de começarem a me chupar.

 

Os dois me chupavam com vontade e eu agarrava nos cabelos longos e lisos de Satyr com a mão direita e nos cabelos curtos de Chester também com a mão esquerda. Minha glande era pressionada contra a boca do moreno de cabelão enquanto Chester tratava de lamber o resto do meu membro duro. Depois de um tempo Chester se levante e vai, até a mesa onde estávamos antes e volta com um potinho cheio de morangos e chocolate.

 

Ao se aproximar de nós Satyr pega um morango e mergulha no chocolate colocando em sua boca e chamando Chester para um beijo triplo. O beijo era meio confuso já que três línguas dançavam juntas ao mesmo tempo, mais era tudo muito bom. Quando o ar se fez necessário vejo Satyr virar de costas e se apoiar no barril de carvalho a nossa frente. Eu como não sou bobo vou, até ele e o penetro de vez fazendo ele urrar de prazer com aquilo.

 

— AHNNNNNNNNNN isso Mike mete em mim com força vai seu gostoso. — Ele empinava mais a bunda e eu mete nele sem dó.

— Para um vinicultor você é bem gostoso hein, mais gostoso do que o vinho. — Eu dizia jogando vinho em sua entrada e o estocando com força e vontade.

— Assim fico com ciúmes de vocês — Chester diz e joga vinho também em minha entrada me penetrando do mesmo jeito que eu havia feito com o moreno alto.

 

Estávamos nos três ali naquele sexo gostoso e depois de um tempo invertemos as posições e agora eu estava encostado no barril de vinho enquanto Satyr me penetrava fundo e Chester penetrava ele. Deitamos na poça de vinho e começamos a trepar os três ali mesmo. A sala estava toda molhada, os barris com pingos de vinho para todos os lados e nos deliciamos como crianças brincando na chuva só que no caso era vinho.

 

Eu metia agora com tanta força que Chester gritava sem levar em consideração os estabelecimentos dos lados. Mas acho que ninguém, mas nos ouvia. Gemia feito um cachorro no cio. Coloquei ele de quatro, escorada no barril, bem empinado e me coloquei em cima nele. Satyr veio e me penetrou. Ele metia gemendo como um garanhão e eu desfalecia de prazer. Chester em baixo de mim já não sabia se gritava, se gemia ou se soluçava de prazer.

 

Nos três nos beijávamos como podíamos com o vinho a percorrer os nossos corpos, eu chupava a língua de Chester e Satyr mordia a meus lábios com carinho, louco pra sentir o gosto do vinho. Cansado daquela posição, fiz com que eles ficassem de costas, assim eles ficariam todo exposto, submissos e eu faria o que desejasse com eles. Meti meu membro com tudo em Satyr enquanto ele masturbava Chester. O vinho pingava de nossos corpos melados e aquilo facilitava a penetração.

 

— AHNNNNN CRLO VOU GOZAR. — anuncio gozando do interior de Chester e logo em seguida vejo ele penetrando Satyr e gozando dentro dele. Satyr joga Chester de costas para o barril de carvalho e mete gostoso nele me beijando de língua ardentemente. Logo esse também acaba gozando.

 

— Meu Deus isso foi insano e muito incrível. Eu adorei e não sei vocês mais adorariam repetir a experiência. — Falo e Chester sorri para nós.

— Se o Satyr aceitar podemos vir aqui de vez enquando para repetirmos a dose. — Chester fala já colocando suas roupas mesmo com o corpo melado de vinho.

— Sim por mim eu adoraria ver vocês de novo queridos. — Satyr sorri colocando sua cueca e camisa social preta de mangas compridas.

— Essa noite foi muito boa eu nunca tinha passado por nada assim antes. Adorei e você meu amor? — Pergunto a Chester e ele concorda sorrindo.

— Sim meu amor isso foi ótimo e já estou querendo de novo. — Chester termina de se trocar e eu também já estava trocado.

Conversamos mais um pouco com Satyr e ele nos contou sobre como começou a adega, mas isso não importa agora hehe. Logo trocamos beijos e números de telefone e fomos embora para casa e quando chegamos lá Per e Øystein dormiam no sofá da sala e a tv estava ligada e na tela passava um filme que acho eu que era para adultos.

 

Chester e eu desligamos a tv e fomos para o quarto tomar um banho e tirar todo aquele vinho de nosso corpo. Tinha liquido alcoólico até em meus cabelos e nos de Chester também. No banho tivemos mais uma sessão de puro amor, sexo e o resto vocês podem adivinhar.


Notas Finais


Eita! Que nunca mais uma noite de vinho e petiscos, será a mesma depois disso. Esses três aproveitaram muito bem uma adega lotada de vinhos! Chester e Mike gostaram muito da experiência. Espero que vcs tenham gostado desse conto. Deixem seus comentários que logo mais responderei. Bjos e até um próximo conto.
PS: O vinho a que o Satyr se refere é esse aqui! https://www.vg.no/rampelys/musikk/i/pLVBMj/metal-helt-drar-inn-millioner-paa-vin Ele faz parte de sua vinicultura pessoal.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...