História Violeta - TwoShot - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bangtan Boys (BTS), Drama, Fluffly, Jin, Kim, Kpop, Namjin, Namjoon, Poesia, Rmtaeks, Seokjin
Visualizações 11
Palavras 2.338
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drabble, Drabs, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, Lemon, LGBT, Musical (Songfic), Poesias, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi cheguei kkkk, boa leitura.

Capítulo 2 - Violeta - parte dois


— Então, de onde você veio ? Ninguém comentou sobre, mas eu sou uma pessoa bem curiosa, espero que não se importe.

— Eu não me importo, na verdade eu adoro responder perguntas. Bem, o nome do orfanato era "Lar da imaginação", mas não havia nada disso, não parecia um lar e eu realmente não conseguia me concentrar para ter imaginação, era ruim, bem ruim.

— O orfanato fechou, não é ? Que triste.

— Não fechou não, quem disse isso ?

Os dois Kim's se olharam um pouco confusos, mas aquela confusão teve fim assim que a cozinheira do local anunciou a hora do jantar. Namjoon levantou-se primeiro e estendeu a mão, ajudando Seokjin a se levantar também, e os dois caminharam até a cozinha, onde encontraram algumas crianças famintas já sentadas comendo. Riram.

Depois de todos estarem alimentados, os mais novos foram dormir, os de meia idade ajudaram a juntar os brinquedos e organizar tudo e os mais velhos, que eram Jin e Joon, ficaram responsáveis por lavarem a louça, essa que era muita, mas lavaram rápido por conta do frio que fazia.

— Você disse que tem dezessete, então eu andei pensando no que disse, você veio para cá porque o seu outro orfanato não queria mais alguém quase maior de idade, não é ?

— Você é bem inteligente, chega a ser estranho, mas um estranho bom. Mas sim, foi por isso, mas sabe, acho que foi bom, as pessoas daqui são legais, aquele Jungkook, eu quase cuspi minha comida rindo das piadas dele.

— Ele é legal, só implica as vezes, mas dá pra suportar.. Você está com sono ? — Perguntou ao ver o Jin bocejar e seus olhos ficarem cansados.

— A viagem foi longa, e apesar de eu ter muita energia, estou exausto, eu acho que vou dormir.

— Espera! — Avisou terminando de guardar os últimos pratos. Tinha acabado de ter uma ideia genial. — Não é muito comum alguém na minha faixa etária ficar por aqui, então, Kim Seokjin, sinta-se honrado, vou te mostrar um lugar que eu arrumei onde ninguém conhece ou já pisou, digo, ninguém exceto eu, e agora você, vem, vou te mostrar. — Segurou a mão do talvez novo amigo e foi subindo as escadas até chegar ao seu quarto, fechou a porta então, a trancando depois de ter certeza de que ninguém os viu. Foi até o meio do quarto logo após pegar uma cadeira. Subiu assim nesta e tocou o teto, procurando algo e quando achou, apertou com seu indicador o forro que fez um pequeno barulho de estalo, e assim uma cordinha caiu do teto. Ele puxou com calma para não fazer barulho, e foi puxando mais, até descer da cadeira e puxar até o chão. Era uma escada, uma escada para o sótão.

— Quando eu encontrei, eu fiquei meio confuso, pois isso normalmente fica no corredor dos quartos, eu pensei em avisar a dona do lugar, mas eu resolvi subir primeiro e futricar um pouco, e então achei o que eu posso chamar agora de meu mundo. — Falava empolgado enquanto subia alguns degraus da escada, parando para olhar o Kim mais velho que si. — Não e relativamente grande, mas acho que cabe umas cinco pessoas. Vem, pode subir, não tem perigo, eu prometo.

Seokjin hesitou um pouco. Não sabia se podia mesmo confiar nas palavras de Namjoon, primeiro por terem recém se conhecido, e segundo porque tinha medo de acidentes, tinha medo de se machucar. Então esperou o outro entrar por completo naquele sótão. Olhou para o teto notando que não havia nem sequer caído uma poeirinha, nem um barulhinho de madeira conseguiu ouvir. Então talvez seja seguro mesmo. Se aproximou das escadas, e começou a subir devagar, com todo cuidado nos primeiros degraus, mas depois de ter a total certeza que não iria desabar, foi subindo mais rápido até chegar ao tal sótão.
Quando se sentou no chão do local, observou-o bem, deixando mostrar um sorriso. Os olhos brilhavam. Aquele local não era literalmente nada como imaginava, que era um sótão escuro, cheio de poeira e caixas com objetos velhos guardados. Não, com toda sua certeza do que viu, aquilo não era um sótão comum.
Haviam uns três cobertores cobrindo o chão que seria frio, e desse modo tornava o lugar quentinho. Haviam alguns travesseiros também, o tornando aconchegante. Era iluminado por um abajur pequeno e por uma janela pequena também, cujo os vidros permitiam a luz da lua entrar. Tinha algumas decorações feitas a mão, como desenhos, e algumas fotografias. Conhecendo a apenas algumas horas Kim Namjoon, Seokjin podia concordar sim que era o mundo de Namjoon, pois era a sua cara, não literalmente.

— Você fez tudo isso ?

— Sim, o mais difícil foi pegar os travesseiros, até hoje é um mistério para todos o tal desaparecimento de travesseiros, eu me senti um ladrão, mas depois me consolei ao lembrar que não é um roubo pois continua na casa. O que achou ? Não é grande coisa mas..

— Mas é extraordinário..eu posso dormir aqui hoje ? Deixa por favor, eu prometo que não faço barulho e não ronco, nem solto pum.

— Não solta mesmo, pois eu já soltei aqui me escondendo e juro que se não tivesse aberto a janela eu teria morrido. Uhn, eu deixo você dormir aqui, mas você não pode contar pra ninguém que eu tenho esse lugar ok ?

— Eu juro solenemente não contar a ninguém do seu lugar secreto.

— Nosso lugar secreto. — Sorriu e apertou a mão de Jin, que retribuiu de volta o aperto e o sorriso.

Os dois passaram a noite ali então, não só aquela noite, como todas as outras que chegavam, conversando, fazendo brincadeiras que tinham que se segurar para não rir, e as vezes apenas deitavam e ficavam olhando para a pequena janela, vendo a lua, as nuvens, a chuva, a neve.

— Crianças hoje nós teremos o nosso passeio no jardim da montanha, eu quero que vocês se comportem quando chegarem lá, eu sei que vocês farão isso. Por favor não amassem nenhuma flor, não as machuquem, é liberado pegar algumas, contanto que não seja apenas para arrancar e jogar fora. E o mais importante, se divirtam! Agora, ponham os cintos, o ônibus já está de partida.

— Eu gostaria muito de saber o motivo da senhorita Yuju mentir sobre o seu orfanato ter fechado ao invés de contar a verdade. — Namjoon se pronunciou baixo enquanto colocava o seu cinto.

— Eu acho que não foi por mal, sabe, isso é meio triste para quem é mais jovem, os pequenos não entenderiam, e isso pode levar a pensar que irá acontecer o mesmo com eles. Talvez ela só estava querendo proteger os pequenos. Joonie, você disse que esse passeio acontece quase que anualmente, exceto quando há falta de verba, como é lá ?

— Bem...Eu não vou falar nada, não quero te dar spoiler do lugar, e se eu to fazendo isso é porque o lugar não é comum, e sim é algo que você vai se encantar, mas você vai precisar aguentar a curiosidade até chegar lá.

— Você é ruim, muito ruim.

— Você me ama que eu sei, agora anda logo, escolhe uma música no meu celular pra gente ouvir, ao menos que queira ouvir as crianças cantando pororô o caminho todo, e vai por mim, o caminho é longo, e elas só conhecem duas músicas.

Eles riram e Seokjin escolheu a música que se tornou a sua favorita depois que Namjoon a apresentou para si, Sunflower de Post Malone, Swae Lee, Louis Bell e Carter Lang. Não queriam ouvir as músicas das crianças no caminho todo, mas acabaram por ouvir a mesma música até chegarem na montanha. Sem moral.
Seokjin desceu do ônibus rapidamente, se impressionando com aquela paisagem que, para ele, só existia em fotos e videos. Haviam várias flores de várias cores, e elas eram separadas em cores. Estavam plantadas no chão e parecia um céu colorido no fim da tarde por mesclarem perfeitamente elas.

— É extraordinário!

— Eu disse que você ia gostar, vem, eu vou te mostrar o meu lugar favorito.

Segurou a mão firmemente de Jin e saiu correndo pelo campo, bem longe, onde o sol estava mais focado. Parou de repente então.

— Eu não lembro se disse, mas violeta é minha flor e cor favorita, e tem uma música com o título Violeta, eu a amo também. O cheiro é tão bom, tão calmo, é como você disse, extraordinário.

—Minhas roupas estão perfumadas. Eu nunca tinha visto uma violeta de perto, é linda!

— Você gostou ? — Perguntou, observando seu amigo sentar no chão em frente a elas e arrancar algumas, começando a decorar seu cabelo e o bolso de sua camisa com as mesmas. Sentou-se ao seu lado e começou a fazer a mesma coisa.

— Joonie, meu cabelo está descolorindo, e eu realmente queria trocar a cor, mas eu estava indeciso, porém não mais, eu já me decidi! — O encarou, colocando algumas violetas em seu cabelo. — Quando eu puder, eu vou pintar meu cabelo de violeta, eu também gosto muito da cor e agora eu estou mesmo animado, o que você acha da ideia ?

— Eu realmente irei querer o seu cabelo para mim, eu gosto do seu cabelo, então se você pintar da cor que eu mais gosto, eu provavelmente vou pegar seu cabelo e por em mim, de algum jeito.

— Namjoon isso é horrível, eu vou ficar careca!

— É só pintar com tinta de parede a cabeça de violeta e colar alguns crepons.

As risadas altas invadiram o local. As ideias, as conversas dos dois quando não eram sérias e profundas, eram apenas bobagens impossíveis contadas. Mais piadas foram feitas da parte dos dois, e mais risadas foram dadas, aquele tipo de risada gostosa e boa de ouvir. O tipo de risada que só se consegue dar com uma pessoa só. E somente Seokjin e Namjoon davam aquela risada quando estavam juntos. Era bom, era muito bom.
Mas não era pra sempre.

[...]

— Mas não faz uma semana, ele não pode ficar mais um pouco ? Ele não incomoda ninguém!

— Namjoon, não é questão de incomodar ou não, o Seokjin já tem dezoito anos, ele não pode mais ficar conosco, é contra lei, isso pode causar problemas para nós e para ele próprio, entende ?

— Ele não está aqui a mais de quatro meses, ele não tem pra onde ir. — Sua voz começava a ficar embargada, mesmo insistindo, sabia que não iria adiantar. — Não é justo pra mim, e muito menos para ele!

— Joonie, eu vou ficar bem, eu prometo pra você, eu prometo que vou tentar te mandar várias cartas e até mesmo visitar vocês todos quando eu puder, eu também não queria ir mas é preciso. — Se aproximou do Kim mais novo, notando os olhos dele marejados, e os seus também automaticamente ficaram. Odiava ver qualquer pessoa chorar, mas com ele era pior. — Eu te amo ta bom ? — Proferiu sentindo um nó na garganta, sua fala também estava embargada.

— Você vai mesmo embora ? — Deu alguns passos para trás, sentindo as lágrimas escorrerem pelo seu rosto. — Você vai mesmo... — Deu mais alguns passos, parando quando estava longe o bastante. O encarou por uma última vez, vendo as lágrimas de Seokjin começar a escorrerem também. Foi aí que saiu correndo, subindo as escadas e indo até o seu quarto, onde fechou batendo a porta. O sótão estava aberto então bastou subir e se jogar em cima daquele cobertores, começando a chorar. Um choro silencioso, mas mesmo assim era sôfrego. Ele estava sofrendo. O seu melhor amigo estava indo para longe de si, e ele não podia fazer simplesmente nada!
Namjoon nunca iria poder ver como Seokjin ficava com a cor de cabelo em violeta.

                x


—O que aconteceu ?

— Ele estava trabalhando e ficou pálido de repente, então ele caiu no chão e desmaiou, o Namjoon vive indo ao médico, e ele se cuida, a saúde dele é perfeita, isso não é normal!

— Você é parente dele ? Qual seu nome ?

— Eu sou irmão dele, meu nome é Kim Taehyung.

— Certo, nós já o colocamos em um quarto e fizemos alguns exames, ele está estável e não apresenta nenhum problema grave, suponhamos que tenha sido uma forte queda de pressão, mas por precaução um médico irá avaliá-lo melhor e fazer mais alguma bateria de exames, eu preciso que você fique aqui na recepção e assine alguns papéis, ok ?

O moreno concordou, se dirigindo ao balcão para preencher a papelada. E o médico que falou com o rapaz se dirigiu até a sala dos médicos. Avisou o seu chefe sobre o ocorrido e este asentiu, ordenando que chamasse o interno que havia chegado a quatro meses.

— Kim, o caso é seu.

— Eu estou somente nas suturas hoje.

— Foi o Doutor Min que lhe mandou ir, eu acho melhor não recusar, ouvi dizer que ele quer te levar pra uma cirurgia.

[...]

Namjoon ouviu a porta do seu quarto ser aberta, e abriu os olhos. O Homem de vinte e quatro anos se sentia um pouco tonto ainda, mas apenas isso, enxergava pouco mas era pela falta de iluminação. Observou o rapaz que estava de costas para si, e ficou um pouco impressionado ao notar que um médico podia ter o cabelo pintado, ainda mais com uma cor tão chamativa quanto..Violeta ?
O Kim se arrumou na cama, olhando para o lado e acendendo a luz com o interruptor que havia ao lado da sua cama. Seus olhos se abriram mais. Aquele médico parecia muito alguém, mas não tinha certeza, o outro não se virava para si.

— Boa tarde, eu me chamo chamo Kim Seokjin e vou ser seu médico por hoje.

E então o médico de Namjoon se virou para si.


Notas Finais


vai ter bônus sim rs.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...