História Violeta - Capítulo 29


Escrita por:

Postado
Categorias As Crônicas De Gelo e Fogo (Game of Thrones)
Personagens Catelyn Stark, Daenerys Targaryen, Eddard Stark, Jon Snow, Margaery Tyrell, Ramsay Bolton, Robb Stark, Tyrion Lannister, Ygritte
Tags Adultério, Drama, Jonerys, Reconciliação, Romance
Visualizações 248
Palavras 3.530
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa noite!!!!!


Atendendo ao pedido da aniversariante Dany_martell, aqui está a continuação do julgamento. Feliz aniversário, querida. Que existam muitas outras fics jonerys para você ler e amar.


Por favor, não me abandonem após ler este capítulo!
🙏🏻😅😰

Capítulo 29 - Capítulo 29


Fanfic / Fanfiction Violeta - Capítulo 29 - Capítulo 29

(Ramsay Bolton)

 

"Que merda de fotos são essas?" — gritei ao ver as imagens que chegaram em meu WhatsApp.

 

Eu estava terminando de me arrumar para ver a prisão de Jon quando resolvi procurar pelo meu celular. Então, vi as 5 fotos onde estou sentado numa mesa conversando com Ygritte. Quem me enviou foi o meu assessor de comunicação. Inclusive havia umas 20 chamadas não atendidas dele e do meu pai

 

"Não acredito que cai no mesmo golpe do Stark!" — falei exaltado. — "Que merda! Por que fui me envolver com essa mulher?"

 

Meu telefone voltou a tocar. Olhei a tela e vi que era meu pai. 

 

"Inferno!" — xinguei. — "Esse velho já vai começar o sermão." 

 

Antes que eu pensasse em atender o telefone, a campainha do meu quarto tocou. 

 

"Por todos os deuses, será que hoje as pessoas resolveram atrasar-me para o grande evento do dia? Não posso perder esse julgamento!" — falei, negando a chamada de meu pai. Sem perguntar quem era, abri a porta.

 

"Sim?" — falei confuso. Eram quatro homens usando o uniforme da polícia, que estavam me esperando. Que merda é essa?

"O senhor é Ramsay Bolton?" — um dos homens perguntou.

"Sim." — respondi tenso.

"Nós somos da polícia. Eu sou o delegado e vim para levá-lo conosco." — o homem disse mostrando-me seu distintivo.

"O que?" — perguntei confuso. Eu só podia está dormindo ainda. 

"O senhor está preso por ter assediado e estuprado uma adolescentes em Winterfiel há 06 meses, no camarote de uma boate." — o policial explicou.

"Como... é?" — falei nervoso. — "Não há qualquer denúncia."

"A garota denunciou o senhor há 5 dias." — explicou.

"Mas isso é mentira." — bufei. — "Que prova vocês têm que eu a estuprei?" — questionei nervoso. 

"O senhor drogou uma garota de menor e aproveitou-se de seu estado de confusão mental para toca-la e levá-la até o banheiro." — o delegado disse sério.

"Cadê às provas disso?" — falei sarcástico.

"Bolton, a boate tem câmeras de seguranças e a garota estava com outros colegas que confirmaram sua versão.  Na época ela tinha feito exames de sangue que mostraram a droga. Seus pais tiveram medo de entrar com um processo contra você, uma vez que se trata de uma pessoa... conhecida." — o delegado disse fazendo-me congelar.

"Preciso ligar para meu advogado." — falei tenso.

"Certamente a denúncia daquela senhorita, Daenerys Targeryen, foi um catalisador para que esse novo crime não ficasse impune.— o policial disse com um sorriso.

Agora eu quero mais que nunca acabar a raça daquele Stark! 

"Isso não pode está acontecendo!" — falei exaltado.

"Podem levá-lo." — o delegado disse aos outros agentes.

"Exijo que minha defesa seja ouvida!" — falei quando os homens me seguraram. — "Eu tenho meus direitos! Não posso ser preso dessa forma!" — gritei.

"Ramsay, você sabe o que fazem na cadeia com homens que violentam garotinhas?" — o delegado disse antes de pedir novamente que me levassem preso. 

Hoje não era o meu dia.

 

 

(Jon)

 

"Jon!" — ouvi a voz de minhas irmãs. Elas viam apressadas em minha direção. Eu tinha acabado de entrar na sala aonde minha família e amigos deveriam estar me aguardando.

"Você vai conseguir sair dessa." — Sansa disse abraçando-me. 

"Vai sim!" — Arya disse abraçando-me pelas costas.

"Meninas, por favor, não sufoquem seu irmão." — meu pai disse com um sorriso, fazendo as garotas soltarem-me.

"Pai." — suspirei ao receber o abraço do Sr. Ned. Era tão bom sentir a segurança daquele abraço.

"Meu filho, vai dar tudo certo. A Justiça nunca falha e sempre preza pela verdade." — ele disse fitando-me. 

"Aonde está Daenerys?" — perguntei procurando-a. Eu mal tinha fechado a boca quando a vi abrir a porta acompanhada de seu irmão, Tyrion e Missandei. 

"Seria esta senhorita aqui?" — Tyrion disse sorrindo.

"Meu amor." — Dany disse abraçando-me. — "Os jurados viram a verdade ser exposta lá dentro." — ela disse beijando meu rosto.

"Espero que sim, Dany." — suspirei. 

"Você depois deve bancar uma viagem de férias para esse advogado tão esperto." — Tyrion brincou.

"Você quase me matou do coração quando fez o discurso de abertura." — comentei tenso. — E... vocês todos sabiam da relação de Ygritte e Ramsay?" — perguntei olhando meus familiares. — "Não consigo acreditar que Robb escondeu isso de mim." — falei sério.

"Era parte do plano, cara." — Roberto disse com um sorriso. — "Queríamos pegar a ruiva de surpresa." 

"Ela parecia uma louca quando você começou a falar do restaurante, Robb." — Sansa disse gargalhando.

"É a lei do retorno!" — Margaery disse gargalhando. — "Quem mandou jogar aquelas fotos de Jon e Dany na internet? Ou ter se envolvido com o maníaco do Bolton?" — Concluiu.

"Espero que tudo se resolva no final." — Dany disse calma.

"Eu não entendo muito de direito, mas tenho que concordar, seu advogado foi realmente brilhante." — Rhaegar disse fazendo Tyrion gargalhar.

"Ei, mas agradeça a nossa filha, Tyrion. Ela que viu Ygritte com o Bolton." — Margaery brincou.

"Dividirei meu sucesso com todos, senhores. Contudo, ainda quero aquela viagem de férias." — Tyrion disse sorrindo.

"Rhaegar, obrigado por ter vindo até Porto Real." — falei apertando a mão do Targeryen. Fazia tantos anos que eu não via o irmão de Daenerys. Era reconfortante vê-lo aqui reunido com meus familiares.

"Obrigado também, Missandei, por ter feito seu depoimento hoje." — falei colocando uma mão no ombro da morena.

"Você não deve agradecer qualquer coisa Jon. Eu nem o ajudei." — ela disse com um sorriso triste.

"Você foi importante para mostrar que Ygritte foi quem divulgou àquelas fotos de Jon e Dany." — Margaery disse.

"Verdade." — Meu pai disse.

"Amiga linda, muito obrigada por ter feito isso por Jon." — Dany comentou sorrindo. — "Você foi maravilhosa!"

"Então, estou rodeado por agentes secretos?" — brinquei.

"Você não sabe do que essa família é capaz?" — Arya disse fingindo indignação.

"Jon nunca sabe de nada. Lembra Arya como era fácil enrolar ele nas festas?" — Sansa comentou tirando gargalhadas de todos.

"Ei, vamos parar com isso." — falei fingindo está com raiva. — "Só fiquei impressionado com à disposição e carinho de todos." 

"Fazemos o impossível para proteger os nossos, Jon." — Catelyn se pronunciou pela primeira vez. Nesse momento o clima descontraído foi substituído pelo silêncio. Aos poucos as pessoas iam se afastando, deixando apenas eu, Daenerys e minha madrasta na sala. Daenerys segurava minha mão com força. Eu sabia que ela devia está pensando em algo para dizer a Cat.

 

"Senhora Stark, obrigada por ter dito aquelas palavras hoje." — Dany disse sorrindo. — "Fico muito feliz por saber que a senhora preocupou-se comigo." 

 

Minha madrasta não pronunciou qualquer palavra. Ela tentava controlar as lágrimas que surgiram logo após o agradecimento de Daenerys.

 

"Obrigado por ter denunciado o plano de Ygritte... ....mãe." — falei num suspiro.

"Jon." — ela disse confusa .

"Eu a perdoo, Sra. Catelyn." — Dany disse deixando uma lágrima descer pelo seu rosto.

"A senhora também tem o meu perdão. E, sim, você é uma grande mãe. A melhor que eu poderia ter." — admiti puxando-a para meus braços. — "Sra. Stark, minha mãe de coração, eu a perdoo por todos os seus erros do passado." — falei beijando sua cabeça. — "Eu também tenho muitos erros em minhas costas." 

"Todos temos." — Dany disse emocionada.

"Meu filho." — ela disse acariciando meu rosto. — "Não sei o que falar." — disse enxugando suas lágrimas.

"Daenerys." — Cat disse virando-se para olhar a mulher que estava ao meu lado. Dany tinha o rosto todo molhado pelas lágrimas. 

"As coisas que fiz a você não merecem perdão. Eu...eu sinto vergonha por toda a injustiça e dor que causei-lhe. Você era só uma garota quando comecei um plano de afasta-la de minha casa. Uma menina inocente, que amava e cuidava de Jon mais que tudo. Eu não podia ter lhe humilhado daquela forma." — Catelyn dizia emocionada. — "Sito-me suja diante de você." 

"Eu a perdoo, Sra. Stark. Quero passar uma bo...borracha no passado." — Dany disse soluçando. — "Va...vamos ser uma família. A senhora será vovó." 

"Minha linda." — Cat disse abraçando Daenerys. Ambas choravam muito. — "Você e Jon...  nasceram para viver juntos." — ela disse.

 

Depois a senhora mais velha segurou minha mão e a de Daenerys juntas e disse:

"Que a união de vocês seja eterna! Ninguém e nada poderá separa-los!" 

"Obrigada." — Dany disse fungando.

 

"Jon." — Tyrion entrou na sala interrompendo-nos.  — "Desculpem-me por invadir esse momento família, mas é que só restam 20 minutos para o intervalo acabar. Quero que você se prepare." 

 

Eu soltei a respiração. Imediatamente senti os braços de Daenerys me rodearem.  A Sra. Stark deu um sorriso triste acariciando meu braço.

"Meu garoto, você sairá dessa em liberdade." — Catelyn disse antes de seguir em busca de minhas irmãs. Tyrion estava ocupado olhando algo em seu celular.

 

"Vai dar tudo certo, meu amor." — Daenerys disse tirando-me de meus pensamentos.

"Dany." — suspirei segurando seu rosto ainda molhado pelas lágrimas de antes. Ela fitou-me em expectativa de saber o que eu tinha para dizer.

"Se as coisas não forem como planejamos hoje..." — falei triste.

"Pare de pensar dessa forma, Jon! Você não pode..."  — ela repreendeu-me. 

"Me escute, Daenerys." — falei firme, interrompendo-a. — "Se as coisas não derem certo hoje, quero que você saiba que aonde eu estiver meu pensamento sempre estará em você e nesta criança." — falei sério. 

"Não diz isso, Jon." — ela falou entregando-se as lágrimas novamente.

"Se... se eu for condenado... serão muitos anos longe de vocês. Eu quero..." — parei para recuperar o fôlego e segurar a emoção. — "Prometa-me que será feliz, Daenerys." — pedi.

"Jon?" — ela soluçou.

"Eu quero que você aproveite sua juventude; que siga sua vida. Entende?" — Falei sério.

"Jamais seguirei sem você!" — ela disse.

"Dany, por favor, prometa-me que será feliz e cuidará dessa criança, ensinando os valores de honra e amor." — continuei fingindo não ter a ouvido. — "Diga a essa criança, todos os dias, quão grande é meu amor por vocês." 

"Você estará conosco para dizer isso, Jon!" — ela falou firme.

"Mas pode ser que eu não esteja, Dany." — Minha voz saiu quebrada no final. — "Então.... não quero deixá-la presa a um homem que.... (suspirei) ... jamais poderá ser seu marido e companheiro, e quero que meu filho saiba do amor de seu pai."

"Jon, meu lobo, eu nunca poderei ser feliz ao lado de outro que não seja você. Mesmo se você for condenado, eu quero ser sua esposa." — ela disse acariciando meus cabelos. — "Mas você não será preso!" — ela disse decidida. — "Acredite!" — falou séria antes de me beijar nos lábios.

"Não sei se posso pedir mais alguma coisa a Deus. Ele a colocou duas vezes em minha vida. Deu-me a oportunidade de tê-la comigo, mas em ambas eu a perdi." — falei triste.

"Você nunca, NUNCA, me perdeu!" — Dany disse exaltada. Eu percebi que algumas pessoas observavam-nos.

"Eu SEMPRE serei sua!" — Daenerys disse segurando o meu rosto. — "Ainda vamos nos casar hoje, lembra?" — falou com os olhos brilhando. 

"Sim." — falei com um sorriso leve. Eu queria ser mais otimista sobre o resultado do júri.

 

Embora as chances de Ygritte conseguir vencer eram mínimas, não queria me iludir com um futuro de felicidade. Eu não sabia explicar o porquê, mas algo me dizia que os próximos dias seriam difíceis.

 

"Hora de ganharmos um julgamento." — Tyrion disse fazendo-me desviar o rosto do de Daenerys.

"Isso!" — Dany falou animada.

"Então, este é o momento de minha despedida." — falei triste.

"Será por poucos minutos." — Dany disse confiante.

"Vamos." — eu disse num suspiro. Abracei todos que estavam na sala e sai logo atrás de Tyrion, fazendo em silêncio uma última oração.

 

 

(Dany)

 

"Segundo o dicionário de nosso idioma, o amor é o sentimento que leva a desejar o bem de outrem, afeição profunda por alguém ou algo, intensa inclinação de caráter afetivo, simpatia e amizade, zelo e cuidado." — O representando do júri iniciou a leitura do veredicto.

"As normas de nossa sociedade prezam que um casamento seja regado por amor, aonde um cuida do outro de forma sincronizada e igualitária. Se um amar mais, acaba desregulando a balança que é o casamento, e aí vêm os conflitos e as traições. Hoje, poderíamos dizer que julgamos uma história de amor: um homem casado apaixonou-se por outra mulher que não era sua esposa. Este homem acabou por pedir o divórcio, porém a esposa, alegando amá-lo demais, negou assinar a separação e tentou trazê-lo para o seu lado novamente." — continuou falando sério.

"Contudo, seria amor o sentimento desta esposa por este homem?" — Disse fitando a plateia. — "As testemunhas hoje provaram que esta mulher, descontrolada por perder o carinho do marido, acabou vinculando-se a um esquema para prejudicar a carreira do mesmo."

"Além disso, uma vez que não há provas para dizer que Jon Stark agrediu Ygritte Stark, o júri conclui que a esposa agiu de má fé ao usar o serviço da polícia, numa tentativa clara de enganar a Justiça desse país." — Falou tirando suspiros da plateia. — "Colocar um homem na cadeia, privando-o da liberdade, por algo que este não cometeu, seria atestar que a Justiça de Westeros é tola e falha!" 

"Por um total de 9 votos contra 0, o promotor e candidato ao governo do Norte, o Sr. Jon Stark é absolvido de todas as acusações feitas por Ygritte Stark." — o jurado disse sério.

 

Foi impossível não vibrar ao ouvir isso. Eu olhei na direção de Jon e o vi de olhos fechados. Talvez estivesse agradecendo a Deus essa vitória.

 

"Ordem!" — o juiz pediu, fazendo a plateia ficar em silêncio.

 

"Bem como, o pedido de divórcio feito por Jon Stark é firmado." — o jurado continuou a leitura. — "A senhora Ygritte terá direito à 35% dos bens que ambos adquiriram durante o período do casamento." — disse calmo.

"Por fim, fica atestado que a senhora Ygritte deve prestar 5 anos de serviços comunitários à sociedade. Irá trabalhar em um presídio, sobre a inspeção da delegada Yara Greyjoy. Além disso, deve pagar indenização à senhorita Daenerys Targeryen, no valor de 50000 dragões de ouro, por invadir seu ambiente de trabalho e denegrir a imagem profissional da mesma." — concluiu.

 

"Dessa forma, dou por encerrado o caso!" — O juiz disse sério. 

 

Ao ouvir esta frase, deixei meu corpo agir no automático. Eu corri na direção de Jon, que parecia ainda está processando as decisões do júri. A assembleia estava em euforia. A imprensa lutava para conseguir algum pronunciamento meu, mas não parei para ouvir qualquer jornalista. Eu só queria chegar até Jon. 

 

"Jon!" — gritei quando, enfim, o abracei. — "Eu disse que daria tudo certo!" — falei animada.

 

Por sua vez, Jon não disse qualquer coisa. Ele me levantou em seus braços. Naquele momento, era somente eu e ele presentes no salão. Eu tentava controlar as lágrimas que escorriam por meu rosto, enquanto Jon percorria as mãos por meus cabelos. E, então, beijou-me na frente de todos. Ele colocou naquele beijo toda a felicidade que sentia. Estávamos livres para viver nosso amor! Livres!

 

"Vamos casar." — Jon disse descansando a testa na minha, quando interrompeu o beijo para respirar.

"Vamos casar." — falei sorrindo, antes de deixar um selinho em seus lábios. — "Eu te amo." — suspirei.

"Amo vocês." — Jon disse acariciando minha barriga. Ele tinha lágrimas nos olhos. Ali, rodeados pelas luzes das câmeras dos jornalistas, Jon declarou seu amor por nosso filho. Éramos uma família exposta aos olhares de todos.

 

"Virem para a câmera, por favor." — um dos jornalistas gritou, fazendo-nos desvias o olhar um do outro.

"Vocês vão voltar hoje a Winterfiel? — outro jornalista perguntou.

"Vão oficializar o relacionamento?" — continuaram as perguntas.

"Daenerys está esperando um filho?" — outro perguntou.

 

"Dany, vamos sair daqui." — Jon disse ao meu ouvido, esnobando qualquer pergunta feita pela imprensa.

 

Eu o segui até à saída do prédio. Os jornalistas nos acompanhavam por todo o percurso. Jon tinha uma mão em minhas costas, enquanto andávamos. Quando chegamos na parte externa, fomos recebidos por um monte de sorrisos e abraços de conhecidos. Todos em pura felicidade. 

 

"Deu certo! Deu certo" — Robb falou animado puxando o primo para um abraço.

"Eu sabia que a verdade seria esclarecida hoje." — Rosa disse abraçando-me.

"Obrigado por tudo o que vocês fizeram." — Jon disse olhando todos ao seu redor.

"Vamos comemorar aonde?" — Tyrion perguntou.

"Eu e Daenerys." — Jon disse segurando a minha mão. — "Nós vamos nos casar hoje. Por causa da hora, não poderemos fazer a cerimônia religiosa, mas o cartório ainda está aberto." — falou com um sorriso grandioso.

"Vamos a um casamento?!" — Sansa gritou animada.

"Sim. Eu já tinha avisado a um amigo que trabalha no cartório." — Jon disse.

"Por todos os deuses, vocês deveriam ter organizado uma festa!" — Sra. Catelyn disse sorrindo. — "Vocês merecem o casamento mais lindo." 

"Depois fazemos uma festa." — Jon respondeu. — "Vamos, Dany." — disse mostrando-me sua mão. 

 

Os jornalistas estavam entrevistando Tyrion e o Sr. Stark, tranquilamente, quando Ygritte apareceu ao lado de seu pai e sua mãe. Então, todos da imprensa correram para cercar a ruiva, que estava com a cabeça baixa, cobrindo o rosto com uma bolsa. Os Stark, por sua vez, afastaram-se. Ninguém queria contato com aquela mulher. 

Apesar de tudo o que Ygritte tinha causado, eu não podia deixar de sentir pena por tudo o que ela estava passando. Meu coração não conseguia odia-la. 

 

 

(Ygritte)

 

"A vagabunda está grávida!" — pensei ao ver Jon acariciar a barriga de Daenerys no meio do salão. 

 

Acho que perdi o ar. Aqueles dois não podiam ter conseguido vencer. Aquela vadia não pode ter conseguido um filho de Jon! Isso é um absurdo! Eu que sou a esposa dele! Eu que deveria está grávida de um Stark. 

 

"Ygritte, vamos sair logo." — meu pai me puxou para fora do prédio.

 

Isso não podia está acontecendo. Esses dois saírem como vitoriosos, enquanto que eu tenho que esconder meu rosto. Faço isso por causa de meus pais. Tudo o que fiz foi para conseguir de volta o que era meu! Logo, não me envergonho de nada. E ninguém pode dizer que não amei Jon. Ele é tudo para minha vida. Mas, não posso negar que ele merecia ser preso, pagando pelas humilhações que me fez. Eu juro que iria visita-lo na cadeia toda semana, como uma boa esposa deve fazer.

 

Mas, aquela família e aquela vadia platinada tiveram que atrapalhar minha vida. São todos um bando de falsos, que até alguns meses me idolatravam e, olha só como estão,  todos rodeando a platinada que destruiu a vida de Jon. 

 

Daenerys. Como a odeio! Essa mulher nunca deveria ter voltado do fim de mundo que morava. E ainda está grávida. Mas as cosas não ficarão assim. Eu sou Ygritte Stark! A única mulher que terá um filho de Jon Stark! A única! 

 

"Daenerys!" — Gritei quando os meus pais começaram a descer as escadas em direção ao carro. 

 

O prédio aonde ocorreu o julgamento era de arquitetura antiga e grandiosa. Tinha uma verdadeira escadaria para chegar até a rua. Jon e Daenerys estão logo a minha direita rodeados por Robb, Margaery e Sansa. Os demais já estavam se retirando na direção do estacionamento. Os jornalistas também pareciam ter desistido de conseguir algo comigo. Além de que os seguranças interromperam a passagem de mais pessoas da imprensa. Logo , este era o melhor momento para falar com Jon e Daenerys.

 

"Jon." — falei sorrindo na direção dos dois. Eles estavam me olhando. Então, a platinada disse algo a Jon e seguiu até onde eu estava parada. A vadia estava num belíssimo vestido verde, que escondia muito bem a barriga de grávida. Se eu não fosse tão observadora, e Jon tão fácil de ler, nunca descobriria essa gravidez.

"Dany." — Jon disse vindo logo atrás de Daenerys.

"Ygritte." — A vadia disse séria. — "Espero que você agora perceba seus erros, e utilize deles para seu crescimento como ser humano." — disse numa falsa piedade. — "Eu não podia sair hoje daqui e não dizer que a perdoo por toda a dor que me causou, e que espero muito ouvir sobre sua felicidade." — falou segurando a mão de Jon.

"Ygritte, por favor, vamos tentar seguir sem conflitos daqui para frente." — Jon disse calmo.

"Nossa, quase chorei." — falei sarcástica. — "Vocês são mesmo ridículos. Hoje tive que ouvir acabarem com minha vida, e ainda tenho que aguentar o discurso falso dos dois. Pensa mesmo que acredito nessa sua máscara de boa moça, Daenerys?" — falei exaltada. 

"Ygritte, Dany só quer colocar um ponto final nessa história." — Jon disse na defensiva da amante.

"E você, Jon Stark. Pagou muito bem o seu advogado. Parabéns!" — falei irônica.

"Daenerys, vamos sair daqui." — Jon disse puxando Daenerys na direção da saída. 

"Ygritte, não quero mais brigas. Boa sorte e fique bem." — a vagabunda disse triste.

Ela estava prestes a dar as costas para mim, e seguir ao lado de Jon.

"Eu não conclui o que tinha para falar." — falei puxando a vagabunda. Ela soltou a mão de Jon e virou para encarar-me.

"Você pensa que vai conseguir construir uma família feliz e viver em paz?" — falei segurando-a firme.

"Ygritte, você está me machucando." — Daenerys disse tentando sair de meu aperto.

"Ygritte, pare com isso!" — Jon gritou tentando segurar-me. Nós estávamos a poucos passos da escada. Um simples empurrão seria suficiente para fazer a platinada cair.

"Ygritte, por favor." — Daenerys disse tentando fafastar-se da escada.

"Você é a pedra de meu caminho, Daenerys." — falei empurrando-a ainda mais perto da escada. Jon estava prestes a me segurar, porém fui mais rápida. Usei toda a minha força contra Daenerys. A platinada estava com um sapato que ajudou-me muito a fazê-la perder o equilíbrio.

E eu a vi cair de costas para a escada.

 

"JON!" — a vadia gritou.

"NÃO!!!" — Jon gritou afastando-me de sua frente.

 


Notas Finais


😭😭😭😭

Desculpa Dany_martell se o capítulo não foi o melhor dos presentes.


Pessoal, próxima semana eu tenho prova. Então, devo atrasar um pouco o capítulo 30.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...