História Virgindade - Long Imagine(Park Jimin) - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Visualizações 239
Palavras 1.579
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


💌Samin falando alô! alô! meus amores.
Eu acho que não falei ainda, mas esse Long Imagine é de 10 capítulos, não fiquem tristes, pois estou cheia de projetos novos. Hoje dormi quatro da manhã só aperfeiçoando Imagines e Long's para vocês meus amores.❤
Sempre pensando em cada um dos meus bolinhos, também deixando claro que explanar minhas imaginações há todos é gostoso demais.
Aguardem entre hoje e amanhã saí uma TwoShot quentíssima.
Bom, chega de enrolar, ótima leitura meus nenénzitos!
AMO VOCÊS MANOLOOOOS.


❌ LEIAM AS NOTAS FINAIS❌

Capítulo 3 - Cutucando minha irmãzinha


Fanfic / Fanfiction Virgindade - Long Imagine(Park Jimin) - Capítulo 3 - Cutucando minha irmãzinha




A chuva engrossou ainda mais, e as trovoadas ficarão quase insurdecedoras tanto ao lado de fora, quanto aqui dentro, aposto que os telhados saíram dos eixos. Por um momento o que a natureza produzia não pareceu atrapalhar em nada sob as ações dos mais velhos, pois os olhares assustados junto do clima tenso que ambos passaram há demonstrar, tomaram suas atenções para minha presença inesperada. Ter em mente uma notícia dessas é pedir para agradecer de joelhos minha amiga Rubi, ela realmente conseguiu me poupar das garras do meu irmão insano. Com ele sendo pai, talvez entre mais juízo naquela cachola.


- Então...Senhor Park vai ser papai? Estou passada, nunca imaginei isso desse desmiolado. - Comentei na intenção de deixar o clima menos pesado e mais descontraído, mesmo sendo impossível.


- Caralho é difícil entender, eu já disse, essa criança não é minha. A mocreia transou com vários caras naquela poha de festa e vem dar o golpe em mim!? Quebrou à cara. - Esbravejou irradiado de deboche, alisando seus cabelos com sua destra direita.


- Estou falando a verdade Jimin, o neném é teu. - Rubi tomou o caminho do assunto, triste por ser taxada como mentirosa.


- Calma meus jovens, isso irá se resolver com um teste de DNA. Certo? Quando o pequeno nascer, saberemos se Jimin foi precipitado e falou merda, ou você que foi vagabunda ao extremo, amiga. - Pronunciei sorrindo sem ânimo, apaziguando os ânimos que estavam querendo se aclamar, e a guerra começa sempre vindo de Jimin.

 

~ Estressadinho de merda.


- Estarei  aplaudindo de pé o tombo que essa vadiazinha nojenta vai levar, ninguém entra com pilantragem na família Jung Park. Fique ciente Rubi. - Proferiu suas ameaças, apontando o dedo na cara da menor, que se manteve quieta, deixando que as lágrimas se formassem em seus olhos azulados.


- Jimin, não fale assim com ela. Você está agindo como um imbecil. Chega de demência! - Disse indo abraçar a garota e acabei empurrando ele para o lado, Rubi está tão fragilizada pela situação, coitada. Park me olhou furioso bufando em seguida. Trincou o maxilar e vi sua língua tocar a área interna de sua bochecha. Está com ódio. Conheço essas ações dele, confesso isso dá medo.


- Estou de saída, não aguento mais esse teatrinho cansativo. - Pegou as chaves rapidamente de seu carro, e saiu andando com raiva, esbarrou em mim quase me levando junto, acabou quebrando o abraço que mantia minha amiga confortável.


- Vai mesmo, estamos precisando de paz, coisa que tu não nos trás. - Sorri debochando do mesmo que pisou os pés na soleira da porta, e como um bom sarcástico, ele nunca exita em debater.


- Paz é o que eu não irei lhe dar quando eu estiver sozinho contigo. Se prepare porque tudo que eu quiser,  vai fazer. Pirralha estúpida. - Sussurrou em meu ouvindo, ignorando até mesmo Rubi que está observando tudo.

 


-  Tente algo contra mim, e vai ver o sol nascer quadrado, babaca. - Desafiei encarando ele de perto. O mesmo analisou meus lábios tão próximos dos seus, suspirou forte, deixando me sentir seu alíto adocicado.



- Quando eu voltar, iremos conversar melhor maninha. Agora tenho que ir. Esteja acordada. - Sorrio nasalado, batendo a porta com força. Ainda vou morrer de infarto, por causa desse  demônio.



O silêncio predominou por alguns míseros instantes a sala, eu e minha amiga, uma de frente para a outra incrédulas pela situação complicada.



- Não fique triste amiga, foi um acidente, não entendo quase nada de sexo mas, algo deve ter dado errado, né? - Indaguei acariciando os cabelos  da menor que ignora contato visual por conta da nova mágoa que se formou.


- ______ preciso ir para casa. Amanhã quando eu estiver de cabeça fria, nos falamos. Desculpa incomodar! - Desviou o assunto calmamente, levantando seu rosto com marcas nítidas de lágrimas.


- Você nunca atrapalha amor, por favor descanse o máximo possível. E não faça nenhuma besteira. Isso vai se resolver...Acredite. - Sorri tomando à em meus braços dando lhe um selar carregado de afeto em sua bochecha. Deslizei meu polegar para enxugar o que restava de tristeza em sua face. Então ela sorriu e me apertou ainda mais.



- Obrigada, obrigada, obrigada, sem ti eu não seria nada. Agora tenho que ir, minha mãe deve estar preocupada. Te amo Dong's. Assim que eu chegar, mandarei uma mensagem. - Concordei há levando para a porta.



- Quando chegar avisa mesmo. Vou tomar um banho agora. - Proferi alongando os braços demonstrando preguiça. A mesma assentiu e saiu de minha casa, acenou e sumiu com seus passos para o seu destino. Fechei a porta e encostei minhas costas na madeira fria. Pensando aonde meu irmão estaria.


~ Sinto saudade dos meus pais, principalmente da mamãe, ter o Jimin e nada, é a mesma coisa. Ele nunca cuida de mim...


Quando estava prestes há ficar mal, resolvi afastar os pensamentos ruins e caminhei até a cozinha, peguei alguns ingredientes e fui preparar brigadeiro de colher. Depois de certo tempo, coloquei uma taça com o doce já pronto na geladeira para pegar consistência, por fim subi no andar acima, entrando no meu quarto, tomar um longo e anestésico banho agora é o que almeijo. Adentrei o cantinho da minha higiene matinal, e me desfiz das minhas peças, retirei a saia, blusa também calcinha e o desconfortável sutiã. Deixando a água escorrer por todos os cantos do meu ser. Passado um bom tempo, me enxuguei saí do banheiro, e  fui me vestir, optei pelo meu amado conjunto de pijama super infantil, shorts curtinho com a regata estampada de  ursinho. Livre de roupas íntimas por baixo, hoje me deu vontade de fazer assim.


 Desci para a cozinha peguei uma colher super, na maior animação, e comecei a comer minha "janta". Horas se passaram assistindo coisas aleatórias na televisão. A intenção era dialogar com Jimin, porém, até o momento nem sinal de vida daquele trouxa, e meu sono, está quase me vencendo.


00:30 PM 

Jimin Pov's On



Não estava nos meus planos demorar tanto, e quando saí com Taehyung para aquele barzinho foi na intenção de esquecer o que se passou a tarde, no entanto acabei fodendo tudo, bebi demais, pensei perversidades com minha irmã e surtei no local público, evidente que lá não serei bem vindo nem pintado de ouro. Porra! Só me fodo. E completando minha frustração, me entupi de doce para cortar o efeito maligno do álcool. Pelo menos isso sim, resolveu.


- CHEGUEI MANINHA! - Gritei ecoando minha doce voz pela casa tomada pelo silêncio. Tranquei a porta olhei na escada esperando  a mesma aparecer, e nada, então o brilho da TV na sala encheu meus olhos de curiosidade, óbvio, ela só pode estar assistindo. Caminhei até o lugar, avistando______dormir como um anjinho.


- Eu ainda avisei que era para estar me esperando acordada. É uma pirralha mesmo. - Sussurrei ajoelhado de frente para seu rosto expressando serenidade, afagando seus cabelos enquanto via minha irmãzinha se remexer um pouco, pelo meu contato gélido, já que sua pele está aquecida.


- Ji...Jimin, é você? - Coçou os olhos com as mãos, abrindo os minimamente.


- És o papá João II, claro que sou eu. Idiota. - Sorri analisando seu jeito de movimentar o corpo e arrumá-lo tão bem, no pequeno sofá.


- Estou tão cansada, ChimChim deixa eu dormir. - Sorriu fechando os olhinhos, respirando suave.


- Vem vamos para cama. Levanta. - Disse puxando a pelos braços, e acabei fazendo merda, ela está sem sutiã. Droga! Que seios gostosinhos essa menina tem.


~ Não fique duro JIMIN, não fique duro.


- Dormi comigo, estou com frio, tenho que ir na padaria. - Pisquei algumas vezes ouvindo sua fala desconexa e revirei os olhos. Ignorei suas frases sem sentido e o fato dela estar somente de blusa sem peça íntima, não impediu de agarrá-la novamente, e o pior, no decorrer de segurá-la no colo, ela não ficou estilo noiva e sim estilo cavalgada(sexo).


~ Espero que essa louca esteja pelo menos de calcinha, senão hoje ela deixa de ser virgem.


Saí da sala com ela nos braços automaticamente suas pernas rodearam minha cintura, e os braços dela ficarão em volta do meu pescoço, com sua cabeça apoiada na curvatura do mesmo, tudo normal até que...


Meu pau guloso despertou, tão petrificado está faltando rasgar meu tecido. Com a dificuldade de subir as escadas para o andar dos nossos quartos. Em cada pisada onde eu dou, meu pau transparece melhor na calça, e cutuca a buceta da minha irmã simulando estocadas ''sem querer'', inferno isso dói, vontade de preencher ela, meu Deus, pecado puro. Voltando ao foco, tentei subir de lado, e não deu certo, uma, duas, três, na quarta...


- Jimin? - Acordou espantada olhando em meus olhos, afrouxou suas mãos do meu pescoço e vendo que iria cair nos degraus quase me quebra se segurando mais uma vez.


- Estou levando você ao seu quarto. Agradecer é bom sabia. Tu é pesada 'fia'. Estou sofrendo aqui. - Disse simplório vendo ela ficar branca igual o tio Yoongi.

( Silêncio... )



- Ficou muda é? Está bem?_____? Eii! - Questionei  preocupado estalando  os dedos, despertando ela do transe.


- Jimin sinto algo me cutucar, fala que não é o que estou pensando.... Por favor fala!



- É sim, seria delicioso se em vez de questionar tanto, por quê não deixa eu te ensinar, como cavalgar nele,huh?




Notas Finais


DESCULPA GENTE, SAMIN SEM PUTARIA NEM É SAMIN.

Sou virgem na vida real, e tenho uma sede por sexo meu Deus. Só Jinsus na causa HAHAHAHAHA.
ESPERO QUE VENHA UM HOT, O QUE ACHAM DESSA IDEIA SUAS PERVERSAS?

CHAMA NOS COMENTÁRIOS BEBÊ❤

Até uma breve próxima amores.
Fuiii ~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...