1. Spirit Fanfics >
  2. Virtual Love >
  3. 21. Fix it

História Virtual Love - Capítulo 21



Notas do Autor


1° Uma vez que o corona Vírus deixou todos em quarentena vou sentar para conversar com a minha M8 de fic e ver com ela a possibilidade de adiantar mais capítulos para vocês.
2° Fiquem seguros dentro de casa, lavem as mãos e tenham sempre álcool em gel disponíveis.
3° Como postei na pressa o capítulo da semana passada esse capítulo terá duas frases para compensar o capítulo passado que mandei sem frase, a primeira frase é a do capítulo passado e a segunda é desse

Capítulo 21 - 21. Fix it


Fanfic / Fanfiction Virtual Love - Capítulo 21 - 21. Fix it

"Coração na mão, frases presas na boca e um sentimento que inunda tudo.
Eu estou muda, parada diante do espelho, tendo a imagem do teu rosto refletida na minha alma. Sinto sede, sinto fome, da sua presença. ~ Daiana Calixto."

"Não existe máquina do tempo para voltar e consertar os erros.
Mas ainda tem o futuro para mostrar o que aprendemos com eles. ~ Ricey Cerqueira"

P.O.V. Lex Luthor

Peguei a caixinha ao lado da TV e entrei no corredor que dava acesso ao quarto, queria saber como Lena havia passado os últimos dias para se recuperar assim.

O quarto revirado e escuro, garrafas vazias espalhadas, aquela cena não era digna da Lena, Kara Danvers Realmente havia mudado alguma coisa em minha irmã.

O diário de couro de Lena estava na escrivaninha no canto do quarto, abri e olhei as palavras bem desenhadas da última coisa que ela havia escrito naquele diário:

“Durante todos esses meus anos, nunca me senti parte de alguma coisa concreta, de um mundo onde eu não carregasse o peso do meu sobrenome, por isso me escondi nas sombras do anonimato, tentando ter alguma normalidade na minha vida, e isso funcionou, pelo menos por um tempo.

Quando conheci Kara, eu ainda não era uma Luthor para ela e mesmo quando passei a ser reconhecida como uma, ela não me tratou diferente, um sobrenome nunca significou menos para alguém. Eu amei ser eu mesma, amei não me sentir uma Luthor, eu era apenas Lena o tempo todo.

Eu errei com ela, eu reconheço, eu deveria ter contado desde o início, mas não contei, eu tive medo de não poder mais ser Lena, apenas Lena, tive que colocar os interesses da empresa acima dos meus. Tive medo de que todo o conto de fadas que ela me fazia vivenciar acabasse.

Eu fui fraca, fui tola e me arrependo todos os dias, me arrependo a ponto de não conseguir encarar o meu reflexo no espelho, e se eu pudesse dizer alguma coisa para ela, se eu pudesse ter certeza que ela me ouviria, eu diria:

Querida Kara,

Eu sei que palavras de nada me servirão, eu menti, quebrei sua confiança e te enganei, nada jamais poderá justificar meus atos, mas eu te peço perdão.

Nos últimos dias, e talvez eu deva agradecer a você, percebi que sou humana, que eu tenho falhas e que meu sobrenome nunca passará disso, um sobrenome, mas exatamente por ser humana e cheia de falhas estamos aqui hoje.

Eu estou pagando pelo meu erro, todas as noites eu tenho que me encarar e lembrar do seu olhar para mim, do jeito quebrado como te deixei partir.

Se eu pudesse voltar no tempo, eu juro, voltaria! Mas eu não posso, eu não posso consertar nada disso.

Kara, você deseja a verdade, você merece a verdade, mas não creio que vá aceitá-la de mim. Aqui vai a verdade: O aplicativo ele era um estudo científico para me ajudar a calcular o amor, parando para pensar agora toda a ideia do estudo científico e cálculo me parece idiota.

Mas fiz isso porque no passado fui muito magoada, acho que não cheguei a te contar sobre isso, mas me casei uma vez e ela destruiu o amor para mim, me magoou de tantas maneiras que nem eu mesma achei que um dia poderia amar alguém de novo como eu amo você.

Eu não deveria estar na versão que te mandaram, mas esqueci de encerrar participação quando você me escolheu, começamos a conversar e eu não quis parar a versão e sair, eu só queria conhecer mais de você.

E então você começou a fazer parte da minha vida real e eu queria tanto ficar perto de você que fiquei com medo de contar a verdade e você pensar que eu estava te usando.

Você era sempre mais livre com a minha eu virtual e eu gostava daquela sua versão livre. Eu me apaixonei por todas as suas versões. Todas as vezes que eu pedia você em namoro na minha versão virtual era a minha versão real querendo ter você.

Eu comprei as alianças, iria tornar nós duas real e iria contar para você e então tudo isso aconteceu, eu estou quebrada, mas o que me deixa pior é saber que você se sente do mesmo jeito e que eu sou a única culpada nisso.”

– Deixa comigo, irmãzinha, vou consertar isso para você. – Sussurro pegando o diário e saindo do apartamento trancando tudo.

Passei em uma lojinha e comprei uma caixinha vermelha laminada, arranquei a página/carta para Kara, coloquei dentro da caixinha junto com a caixinha das alianças.

Digitei uma rápida mensagem para um amigo no FBI pedindo com urgência informações sobre o paradeiro de Kara Danvers, em 15 minutos, tempo que levei para chegar até os correios, obtive minha resposta com um endereço em Midvale e um número de telefone de uma tal Alex Danvers, irmã de Kara.

Mandei a caixinha para o endereço, torcendo para que tudo desse certo e enviei uma mensagem para o número.

Lex Luthor: Alexandra Danvers??

Agente Danvers: Quem é?

Lex Luthor: Aqui é Alexander Luthor.

Agente Danvers: Com todo respeito, Senhor Luthor, mas não chegue perto da minha família.

Lex Luthor: Primeiro quero que me ouça, depois você decide sobre isso e me chame de Lex.

Agente Danvers: Você tem cinco minutos APENAS, me chame de Alex.

Lex Luthor: Olha, Alex, você é detetive, deveria saber muito mais do que os outros que uma história tem duas versões, não sei o que a Kara disse, mas me deixe lhe apresentar a versão de Lena.

Agente Danvers: Este é o problema, estou totalmente no escuro, Kara não me disse nada, apenas se fechou.

Lex Luthor: Então vou lhe apresentar a versão de Lena e então você pode tentar arrancar a versão da sua irmã.

Lex Luthor: Bom, Lena queria achar a matemática do amor, ela queria pares perfeitos e o felizes para sempre de todo mundo, sem mais divórcios dolorosos. Lena estava passando por maus bocados por um divórcio extremamente doloroso e acho que assim ninguém mais teria que passar por isso.

Lex Luthor: Lena conheceu uma mulher na sua adolescência, Helena Bartonelli, as duas namoraram e quando se tornaram maiores Lena se casou com ela, tudo deu certo por um tempo, até descobrirmos da pior maneira que ela só estava com Lena pelo status e dinheiro.

Lex Luthor: Lena teve a ideia de fazer um aplicativo onde as pessoas iriam escolher o tipo de pessoas que elas queriam e assim ela poderia coletar os dados e então calcular a compatibilidade.

Lex Luthor: Lena achou que uma A.I. não traria veracidade de interações humanas para a coleta de dados então selecionou pessoas para agirem como se fossem A.I., na demonstração do produto Lena logou como uma pessoa e esqueceu de sair quando eu mandei o link para a Kara escrever o artigo.

Lex Luthor: Kara escolheu Lena, elas se encontraram por destino na rua e Lena se apaixonou por cara, inclusive queria tornar oficial o relacionamento depois de anos sem se aproximar de ninguém.

Lex Luthor: Lena ia contar para Kara antes de tornas as coisas oficiais, mas acabou sendo vítima de um de nossos inimigos, ele sabia de tudo e contou para Kara antes que ela tivesse a chance.

Lex Luthor: Eu sei que Kara está mal, qualquer um ficaria, mas Lena está devastada, nem o que descobriu sobre Helena a deixou tão mal assim, ficou uma semana em casa bebendo até cair e dormindo logo em seguida. É agora que peço sua ajuda.

Agente Danvers: Você tem um ponto, Lex, por isso estou te ouvindo, me diz a sua ideia, só quero que Kara fique feliz.

Lex Luthor: Fui verificar Lena hoje pela manhã, ela vai mergulhar em trabalho, mas antes disso achei um par de alianças que ela daria a Kara e uma página do diário dela onde ela se desculpava.

Lex Luthor: Estou mandando para Midvale uma caixa com ambos os itens, você só precisa garantir que ela lerá tudo.

Agente Danvers: Espera aí, devo me preocupar por você saber que estamos em Midvale?

Lex Luthor: O dinheiro faz muita coisa, agente Danvers, não deve se preocupar, só deve fazer sua irmã ler a carta.

Agente Danvers: Eu farei isso, mas antes preciso me encontrar com você, quero ouvir toda a história de novo, mas quero ouvir de frente para você, assim saberei que não está mentindo.

Lex Luthor: Tudo bem, chego em Midvale em algumas horas, só preciso me organizar melhor.

Guardo o celular e peço para que o motorista me levar para a empresa, eu precisava de um apoio para a conversa com Alex, alguém que conhecesse a Lena tanto quanto eu. Samantha. Eu precisada da Sam.

Lex Luthor: Arrume suas coisas, arrume a Ruby, estamos indo consertar o coração da Lena em Midvale.

Sam Árias: Você está louco, Lex?

Lex Luthor: Quer ver Lena se definhar no trabalho? Arrume suas coisas, Sam, preciso da sua ajuda para convencer a futura cunhada da Lena de me ajudar a fazer Kara aceitar as desculpas de Lena.

Sam Árias: Meia hora e estarei pronta.

P.O.V. Alex Danvers

Li e reli as mensagens de Lex e subi para o quarto de Kara, ela estava deitada olhando fixamente para a janela, o quarto extremamente silencioso a ponto de ouvir as ondas quebrando na praia.

– Kara? – Me aproximei me sentando na ponta da cama, ela limpou as lágrimas silenciosas, eu realmente não sabia se seria uma boa ideia ajudar o Luthor se minha irmã já estava tão machucada assim.

– Eu não quero falar sobre se é sobre isso que você quer falar. – Soltou e sorri de canto.

– Eu meio que já sei o que aconteceu. – Talvez eu devesse contar sobre o plano de Lex para ela, ela merecia saber, mas e se isso só a fizesse piorar?

– Como? – Respirei fundo.

– Eu sou detetive Kara, uma hora ou outra eu descobriria, mas quero a sua versão.

– Um cara me mandou um e-mail e tudo o que estava no e-mail era verdade. – Então talvez Lex estivesse certo sobre isso.

– Você falou com ela? Ela se explicou?

– Para que ouvir mais mentiras e enganações, o e-mail estava certo, não estava? – Lágrimas desceram seu rosto novamente e senti meu coração apertar ainda mais, se eu pudesse eu sofreria em seu lugar, ela não merecia isso.

2 horas depois.

Senti meu celular vibrar enquanto olhava Kara sentada na areia da praia encarando o mar.

Lex Luthor: Estamos em Midvale, na lanchonete em frente ao Midvale Newspaper.

Agente Danvers: Estamos?

Lex Luthor: Trouxe reforços. Samantha Árias, melhor amiga de Lena e já viu o casal Karlena juntos então ela poderá te dizer como minha irmã era com Kara.

Agente Danvers: 15 minutos eu chego aí.

Dirigi até a lanchonete que Lex estava entrei buscando por ele com os olhos, eles estavam numa mesa mais afastada, um careca e uma mulher de costas.

Me aproximei da mesa e cumprimentei Lex com um aperto de mão firme, queria usar minha força para intimidá-lo, quando me virei para a morena senti todos os pelos do meu corpo se arrepiarem e minhas pernas amolecerem.

– Está é Samantha Árias, melhor amiga da minha irmã. – Samantha me estendeu a mão, mas meu corpo estava travado, não consegui levantar a mão para cumprimentar, então ela recolheu a mão. – Bom, Alex, sente-se.

Após muita conversa sobre a vida de Lena e o breve caso dela com a minha irmã e claro muitos olhares meus para Samantha, decidi que seria melhor ajudar, porque pelo que me disseram Kara estava muito melhor com Lena, muito até do que com o ex-namorado babaca dela.

– Ok, então devo fazer ela ler a carta apenas? – Perguntei o plano de Lex.

– Bom, sim, a carta é um pedido de desculpas, literalmente. Lena escreveu no diário e eu li e arranquei a página. – Lex admitiu.

– Ok, então assim que esse pacote chegar eu farei o que pediu. – Respondi me levantando. – Tenho que ir, fiquei muito tempo longe de casa e minha mãe precisa de mim.

– Ok, mas antes de ir... – Fez uma pausa cutucando Samantha. – Sam, passa seu número para ela para discutir melhor o plano. – Samantha arregalou os olhos e tossiu após se engasgar com o seu Milkshake.

– Claro, meu número é Xxxx-xxxx. – Disse assim que a tosse diminuiu e eu anotei.

– Obrigada, assim que chegar em casa eu mando uma mensagem para você salvar meu número. – Samantha corou e Lex soltou um risinho, ele fez de propósito, ele notou como fiquei.

P.O.V. Kara Danvers

2 dias depois da conversa de Alex e Lex.

Ainda com a carta fechada em mãos ergo o olhar até uma Alex sonolenta na porta me encarando, escondo o conteúdo de volta na caixa vermelha laminada e Alex vem até mim.

– Bom dia! O que você tem aí? – Perguntou me estendendo uma xícara de café. – Acabei de fazer.

– Obrigada, não tem nada é só algo que chegou de manhã. – Aceitei a xícara e andamos até a casa.

– Fale a verdade, Kara, o que é? – Insistiu na pergunta tentando pegar a caixa de minha mão.

– Certo, é de Lena.

– E o que é? Por que ela te mandou? – Me encheu de perguntas para as quais eu não tinha resposta.

– São alianças e uma carta. – Entreguei a caixa para ela e ela abriu a caixinha de veludo com as alianças.

– Nossa, a Luthor tem bom gosto, mas e a carta, o que há nela? – Pegou a carta é quando ia abrir peguei de sua mão.

– Eu não sei e não quero saber, não me importa, não mais.

– Kara, não seria hora de você ouvir ela? Pelo menos leia a carta. – Pediu me entregando a caixa.

– Alex, sinceramente? Acho que não estou pronta, tudo isso ainda dói em mim.

– Dê uma chance, leia a carta. – Disse mais uma vez e assenti com a cabeça mentindo silenciosamente, não iria ler aquela carta.

Subi para meu quarto e guardei a carta dentro do meu inseparável diário, guardei as alianças na estante de livros e me deitei para tentar dormir.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...