História Virtual Love ll SinRin - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias G-Friend
Personagens Eunha, SinB, Yerin
Tags Eunha, Gfriend, Girlxgirl, Hwang Eunbi, Kpop, Lesbian, Sinb, Sinrin, Virtual Love, Yerin
Visualizações 41
Palavras 1.165
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Lemon, LGBT, Orange, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shounen, Universo Alternativo, Yuri (Lésbica)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 7 - Seven


Fanfic / Fanfiction Virtual Love ll SinRin - Capítulo 7 - Seven




Dentro do carro, nós duas conversamos bastante. Sowon sempre puxava um assunto novo, evitando o silêncio.

- Está entregue! - destravou as portas depois de estacionar o carro na vaga que ficava de frente para o prédio.

- Obrigada, acho que fiz bem em aceitar a sua carona. - disse olhando a escuridão da noite pela janela - Não quer entrar? Para conhecer Sinb e o apartamento?

- Yerin, já está tarde. Com  certeza sua namorada está cansada e  deve quer passar um tempo contigo.

- Nada disso, a essa hora Sinb deve estar na sala ainda trabalhando e sem intenções de parar tão cedo. Adorei passar a tarde na sua companhia e não queria ter de me despedir já. Fique pelo menos por alguns minutos. - uni as duas mãos na frente de meu rosto, esperando que ela aceitasse subir.

- Tudo bem, mas não vou demorar muito!

- Que unhas tão bem cuidadas! - disse depois de ver as suas unhas em tamanho médio coloridas num amarelo pastel.

- Não é? As cores pastéis condizem tão bem comigo. - enquanto ela falava eu ia abrindo a porta de casa.

- Yerin, é você? - ouvi Sinb e logo depois ela apareceu, com uma expressão preocupada.

- Oi, eu trouxe uma visita. - puxei Sowon pelo braço e a levei até Sinb - Sinb, essa é Sowon e Sowon essa é a Sinb.

Em forma de cumprimento, Sowon se curvou enquanto Sinb se manteve parada, apenas movendo os olhos por todo o corpo dela.

- Não vai cumprimenta-la, Sinb? - ela apenas bufou e curvou-se de contra vontade e depois se virou para mim.

- Onde esteve? Você sabe que horas são? E por que não atendeu nenhuma das ligações que fiz e nem respondeu a uma única mensagem que enviei?

- Não precisa se preocupar tanto, nós duas estivemos  tomando um café a alguns metros daqui e resolvi a trazer de carro. - respondeu por mim.

- Não estava falando com você. - foi grosseira e olhou para mim esperando que eu respondesse.

- Sinb, não seja mal educada! Não aprendeu como se trata uma visita? E foi isso mesmo que ouviu, nós estávamos conversando  enquanto tomávamos café.

- Que seja. - disse e virou as costas, saindo do local.

- Então Yerin, acho melhor eu ir embora. Deu pra perceber que não sou bem-vinda aqui. - afirmou com um sorriso sem graça. - Desculpa por ter causado isso.

- Não tem de se desculpar por nada, eu que peço desculpa por isso ter acontecido com você. Não sei o que se passou para ela te tratar dessa forma. - a conduzi até à porta e ela foi para o lado de fora.

- Tudo bem, ela deve estar com algum problema e acabou descontando em mim.

- Isso não justifica nada. Mas foi bom passar a tarde com você. - encostei a testa no batente da porta ao mesmo tempo que observava a morena centímetros mais alta que eu.

- Temos de repetir! Boa noite e boa sorte com a fera. - depois de um breve abraço de despedida, fechei a porta vendo-a entrar no elevador.

Me virei e encontrei Sinb parada me olhando com seus braços cruzados na frente do peito.

- “Temos de repetir” - imitou a frase dita a alguns minutos de forma debochada.

- Afinal qual é o seu problema, Sinb? Eu trouxe uma amiga e você a trata dessa maneira?

- Qual é o meu problema? Como você acha que eu fiquei quando cheguei em casa e não te encontrei, sem fazer ideia de onde estava? Eu fiquei louca, Yerin! - enfurecida, foi andando até à sala expressando com as suas mãos e braços. - E quando ligo para o seu celular só dá caixa postal!

- Mas isso ainda não explica a forma como tratou a Sowon. - me sentei no sofá de frente para ela.

- Passou a tarde sumida e quando resolve voltar pra casa aparece com a sua ex-namorada que te traiu. Ainda não entendi com que você ainda consegue falar com ela sabendo do que fez.

- Nós resolvemos as coisas e ela me mostrou que a culpa não foi totalmente dela.

- Como assim a culpa não foi totalmente dela? - arqueou a sua sobrancelha bem desenhada.

- Ela explicou que comecei a passar mais tempo preocupada com as coisas da faculdade e falando com você, a deixando de lado. - ouvi Sinb soltar uma risada.

- Você ao menos ouviu o que acabou de dizer? Então quer dizer que por você estar ocupada e ter passado menos tempo com ela, é razão para ela te trair?

- Não, mas... - fui interrompida.

- Yerin, ela te traiu porque quis e a culpa não é sua. Traição não tem desculpa. E ela ainda teve coragem de querer te culpar e usar a sua falta de tempo com ela foi pior ainda.

- Mas eu entendo, não é fácil estar em um namoro onde sempre se é posto de lado e não se recebe a devida atenção. Eu sei como é isso. - alfinetei vendo o seu semblante se tornar confuso.

- Como assim? Está querendo me dizer que eu estou te pondo de lado? - perguntou  como se não me ignorasse por horas enquanto eu tentava puxar algum tipo de conversa.

- E não está?

- Claro que não. Eu só tenho me focado mais no trabalho e passado mais tempo fora de casa resolvendo algumas coisas.

- Você sai do trabalho pra trabalhar aqui em casa. Por vezes, devido a algum milagre, se lembra que existo mas não é o suficiente! - me levantei e parei na sua frente, a este ponto já estava ficando irritada.

- Mas você tem de entender! É o meu trabalho e não posso fazer nada quanto a isso, não é como se eu pudesse simplesmente ignorar.

- Você dá tanto de si e nem recebe o reconhecimento que deveria. De que vale tanto esforço assim?

- E o que você sugere, quer que eu confronte o meu chefe? Que deixe de trabalhar? Sou eu que pago tudo nessa casa, não posso abandonar o trabalho.

- Desculpa se eu sou um fardo e tem de me sustentar, talvez tivesse sido melhor se eu não tivesse vindo morar aqui. - fui em direção ao quarto, arrependimento por ter saído de casa já estava começando a bater.

- Não foi isso que quis dizer. Mas enquanto você ainda está na faculdade e ainda não assume seu cargo, eu vou ter de arcar com tudo. - segurou meu braço e me trouxe pra perto de si.

- Eu não sei, Yerin. Mas resolva isso tudo, porque assim eu não vou aguentar. Eu preciso da minha namorada de volta. - depois disso me tranquei no banheiro.

Talvez eu estivesse sendo um pouco injusta, mas eu não aguentava mais me sentir sozinha dessa forma, ela precisava arranjar uma solução, arranjar uma maneira de concluir o seu trabalho e ter tempo pra mim.

Essa foi a nossa primeira briga séria, também foi a primeira vez que dormimos brigadas e de costas uma para a outra.




Notas Finais


Eu sei que dessa vez demorei bastante para atualizar e peço desculpa por isso.
Foi um pouco complicado pra escrever esse capítulo e graças a Deus tive ajuda da AlmtkA.
Passem no seu perfil também, vocês não irão se arrepender.
Até mais


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...