História Virtualmente - Capítulo 30


Escrita por: ~

Postado
Categorias Carrossel
Personagens Alícia Gusman, Daniel Zapata, Davi Rabinovich, Jaime Palillo, Jorge Cavalieri, Marcelina Guerra, Margarida Garcia, Maria Joaquina Medsen, Mário Ayala, Paulo Guerra, Personagens Originais, Valéria Ferreira
Tags Carrossel, Carrossel Instagram, Carrossel Jovem, Daléria, Fernanda Concon, Gunanda, Instagram Paulicia, Jaléria, Larissa Manoela, Lucas Santos, Lufer, Luther, Maisa Silva, Maniel, Marilicia, Marilina, Paulicia, Paurida, Tholari, Thomaz Costa
Visualizações 432
Palavras 1.365
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hey!
Só consegui Internet agora, e roteando com a do meu pai. Bom, pelo menos eu consegui né? hehe

Espero que gostem do capítulo.

Boa leitura

xoxo ❤

Capítulo 30 - 30


Fanfic / Fanfiction Virtualmente - Capítulo 30 - 30

Paulo Guerra

Miami, 11:04 am

Eu estava fotografando pra uma revista a quase quatro horas, faltava muito pra acabar, e eu já estava exausto. O pior de tudo é que, como estava no trabalho, não podia usar o celular, justo no dia da viajem de Alicia e Valéria.

- Ok, Paulo, querido, - Patty, a fotógrafa, largou a câmera, creio que pela quinta vez no dia - você precisa fazer uma expressão sexy, sabe? - fez um demonstração, péssima devo dizer - Bem sexy, não uma expressão de quem comeu algo estragado e agora precisa muito vomitar.

- Desculpe, Patty, mas, ao lado dela, a única coisa que sinto é repulsa - eu disse, e Margarida revirou os olhos, sorrindo travessa e ignorando completamente meu comentário.

- Você não sentiu repulsa naquela vez no Caribe - disse, com um tom de voz malicioso.

- Deixando claro que eu estava bêbado, e aquilo foi um erro que não pretendo cometer nunca mais.

- Vocês não estão aqui pra discutir sobre momentos passados, crianças - interferiu Patty - Estão aqui pra fazer o que sabem fazer de melhor, serem bonitos. Não há nenhuma dificuldade nisso, certo? - posicionou a câmera nas mãos, e olhou pela lente - Certo, Paulo quero que olhe pra Margarida e faça a expressão mais sexy que puder. Tente imaginar que ela é a garota dos seus sonhos.

- Isso vai ser bem difícil.

- Só faz o que eu mandei! - pediu, quase gritando, e eu apenas fiz.

Margarida era conhecida por ter dormido com pelo menos metade de Miami, se não ela toda, e eu estava na lista, não me sentia nada orgulhoso, mas, infelizmente, eu fazia parte. No início do ano passado, quando eu estava começando minha carreira no ramo da modelagem, recebi uma ótima proposta de uma agência, que era a mesma de Margarida. Éramos as maiores apostas, sendo assim fomos escolhidos, junto com outros dois modelos, a fazer umas foto no Caribe para um marca famosa de roupa de praia. Teve uma festa, uma comemoração, e eu bebi, por influência dela, que inicialmente parecia ser uma pessoa extremamente divertida e aventureira. No final de tudo acabei na cama com ela, tendo minha primeira vez com uma pessoa que mal conhecia. Foi uma experiência horrível, não pelo sexo em si, e sim por ter sido com uma pessoa que eu achava ser legal e que na verdade era fútil, manipuladora, uma verdadeira megera. Margarida tinha uma bela aparência, era extremamente linda, no entanto, seu interior era podre.

Patty nos mandou trocar de roupa, as sessões ainda estavam longe de acabar. Fui até o camarim, coloquei a roupa que já estava separada, e voltei até o local onde as fotos estavam sendo feitas. Dois minutos depois Margarida apareceu, usando um vestido florido e um salto plataforma vermelho.

- Agora sejam as pessoas mais felizes do mundo - disse Patty - Deem as mãos, e sorriam como nunca sorriram antes, olhando nos olhos.

Ser modelo é bem legal, quando não se é preciso tirar fotos ao lado de alguém que não gosta.

                            (...)

06:00 pm

Entrei em casa o mais rápido que pude, fui direto ao meu quarto, dar uma carga em meu celular, que já estava morto a quase duas horas. Quando ele finalmente ligou vibrou até dizer que chega com o tanto de mensagens que foram chegando, quase travou de tantas mensagens. Algumas delas eram do Mário, avisando o horário que Vale e Ali iriam para o aeroporto, outras do Jaime, xingando sobre não conseguir falar comigo, também tinham várias da minha irmã, e de Alicia.

aliciagusman: Paulo? Tá aí?

aliciagusman: Bom, já estou arrumando as malas, pretendemos ir 12:00 pro aeroporto

aliciagusman: Marcelina disse que você ficaria agarrado hoje, então tudo bem

aliciagusman: Estou muito ansiosa

aliciagusman: Ei! Ainda não tá aí? Já estou indo pro aeroporto

aliciagusman: Confesso estar com um pouco de medo, porém a ansiedade é bem maior

aliciagusman: Então... acho que te vejo em breve

Dei um sorriso lendo todas aquelas mensagens, e me perguntei como alguém pode ser tão fofa.

pauloguerra: Boa viajem, minha garota

pauloguerra: Te vejo em breve ❤

Deixei meu celular em cima da mesa e me dirigi ao banheiro, lá eu me despi e logo entrei debaixo do chuveiro, ligando o mesmo, e me deixando relaxar com a água gelada que caia sobre meu corpo. Fiquei por lá uns trinta minutos, quando sai do banho, me troquei, na maior tranquilidade possível, e só depois disso percebi que meu celular vibrava enlouquecidamente.

jaimao: Porra, onde você tá?

jaimao: Estamos todos no aeroporto

jaimao: Valéria e Alicia já chegaram

jaimao: Para de panguar aí e vem logo, desgraça

- Droga, droga, droga.

Desci as escadas correndo, e quase tropeçando. Procurei a chave do meu carro como um louco pela casa, incrível como as coisas somem bem na hora que precisamos. Eu xingava todos os nomes possíveis, e quase pulei quando a encontrei. Abri a porta, e a fechei com tudo em seguida, trancando-a. Segui até a garagem, então entrei em meu carro, dei partida - sorte minha o tanque está cheio -, e segui até o aeroporto. Já eram quase 19:00, e eu torcia mentalmente para que eles não tivessem pego nenhum táxi, ou já ido com um dos garotos. Chegando perto do aeroporto vi eles andando lentamente até o carro de Daniel, e por isso eu comemorei mentalmente. Desliguei o carro e saí do mesmo correndo em direção aos meus amigos. Meu coração quase saltou pela boca quando meus olhos foram de encontro com os de Alicia, não pensei duas vezes e corri até ela, que pulou em meus braços afundando seu rosto em meu peito. Ela tinha um cheiro delicioso de rosas, como se eu estivesse caminhando em um jardim. O abraço dela era tão bom, que me fazia até pensar que meus braços foram feitos pra envolverem-a. Ela se aconchegou em mim, como se quisesse sentir um pouco mais do meu perfume.

- Seu perfume é tão bom quanto eu imaginei que fosse - eu disse, não acreditando que ela estava mesmo em meus braços. Nos separamos do abraço em um dado momento, porém continuamos com nossos corpos próximos um do outro. Tirei uma mecha de cabelo que caia em seu rosto, seu cabelo era incrivelmente macio e cheiroso - Você é ainda mais linda pessoalmente.

Alicia abriu um largo sorriso, que esquentou ainda mais meu coração, e me fez, se é que era possível, ficar ainda mais encantado por aquele ser com uma altura um pouco menor que a minha de olhos claros. Sorri também, eu não sabia o que dizer, mas, de certa forma, não era preciso, nossos olhares eram tão intensos a ponto de se entenderem por si próprio. Ela estava usando um moletom preto com uma frase escrita em branco, usava uma calça, também preta, com alguns rasgos pela coxa, e um tênis, preto. Sua mala era holografica, e ela carregava alguns travesseiros, que caíram no chão quando eu apareci. Nós estávamos tão perdidos que nem ao menos nos lembravamos que nossos amigos também estavam presenciando aquele momento mágico.

- Ah, eu detesto atrapalhar o encontro super lindo e romântico do casal, mas a gente realmente precisa ir embora - lembrou Jorge, e só então voltamos ao mundo real.

- Eu sei que você não está nenhum pouco interessado, mas eu cheguei também - disse Valéria, dramática. Sacudi a cabeça rindo baixo, fui em sua direção, e a abracei forte, também estava super ansioso pela chegada dela, não como pela de Alicia, mas ainda sim estava. Valéria era bem baixinha, era um pouco menor que sua amiga.

- Você é uma anã, meu Deus - comentei ao nos separarmos do abraço, e ela fez língua junto com uma careta super infantil.

- Meu bem, cuide da sua altura que dá minha cuido eu.

- Aôôwww! - Jaime e Jorge gritaram juntos.

Revirei os olhos dando de ombros, Alicia sacudiu a cabeça, sorrindo.

- É bom te ver - eu disse, olhando em seus lindos olhos verdes.

- É bom te ver também - ela disse, sorrindo lindamente.

Meu Deus, ela é ainda mais linda do que nas fotos. Como isso é possível?


Notas Finais


YAY!
O que acharam desse encontro lindo?

Até loguíneo ❤

ps: #AliciavainapraiacomPaulo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...